História Meu querido Sesshoumaru. - Capítulo 81


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Sesshoumaru
Tags Aventura, Drama, Rin, Romance, Sesshoumaru
Exibições 120
Palavras 1.291
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá, mais um cap pra vcs.
Agradeço a todos que acompanham e pessoas paciência com minhas outras fics pois decidi me dedicar a uma de cada vez. Não garanto que vou postar em qualquer outra por enquanto. A não ser que role uma ideia muito boa pra um cap e esse não posso esperar.desde já agradeço.

Capítulo 81 - Lua de sangue(parte 3)alma pura


Fanfic / Fanfiction Meu querido Sesshoumaru. - Capítulo 81 - Lua de sangue(parte 3)alma pura


    Yura foi conduzida a mansão pelo youkai e ao chegar se deparou com Maho.
-O que faz aqui? Quem é voce?
     Maho se colocou em posição de ataque.
     Yura suspirou e continuou a adentrar a mansão.
-Que falta de consideração daquele homem, não avisar de minha chegada...
    E novamente com um grande e profundo suspiro a youkai se apresentou.
-Sou Yura, Kawazai me enviou.
Maho lhe olhou de cima a baixo.
"oque será que Kawazai quer com essa humana."
Pensou Maho.
    E como se soubesse oque se passava em sua cabeça responde.
-Não se engano com minha aparência, não sou humana...
Sem se quer olha-la Yura fala.
    Por favor me leve ao quarto da humana chamada Rim. 
 e Maho começou a conduzi-la.
                                           ***
   Shisuki saiu desejando no fundo que ele a seguisse, que a detivesse e em reação a sei desejo parou por algum tempo do lado de fora do quarto no corredor porém não houve nenhuma reação ou mesmo algum ruído que indicasse que o jovem exterminador lhe houvesse seguido, então ela partiu. 
   Em um primeiro momento Koraku ficou sem reação, mas então resolveu dete-la, mas ao abrir a porta Shisuki já havia sumido. Koraku já estava cansado de ficar naquele quarto, já havia destruído metade dele é aquela angústia e frustração não o abandonava. Depois de um tempo resolveu descer e dar uma volta no jardim para colocar a cabeça no lugar, infelizmente para Shisuki que havia tido a mesma ideia antes do jovem. Quando o jovem foi ao jardim se deparou com a jovem sentada na fonte do castelo.
 -Shisuki...
     Ela olhou ele sem jeito.
 -Eu já estava... entrando. Fique à vontade.
     Ele a segurou pela mão.
 -Shisuki, fique precisamos conversar.


Sango que havia ido ver Koraku e havia se deparado com o jovem casal a conversar na porta do quarto do irmão, havia resolvido lhes dar privacidade então decidiu procurar Miroku. Mas não o encontrará em canto algum. 
                                             
     Sango já havia olhado por todo o castelo e não  encontrou Miroku só restava olhar no jardim. Ela seguiu para o imenso Jardim cravejado de lindas flores, aquele imenso e lindo Jardim fora feito delicado.
Sango olhava a sua volta à procura de Miroku e andou por um tempo até havista-lo, este estava sentado embaixo  de uma árvore.
-Miroku...
    Ele olhou de canto de olho sem se virar.
-Voce ainda quer voltar para o vilarejo?
Perguntou se aproximando.
-Sim.
   Ele respondeu mas a voz dele mal passava de um Sussurro, e  continuou.
 - Sango, caso você não se sinta segura em relação a voltar sem seu irmão, não precisa ir... Eu jamais me sentiria bem em  obriga-la a voltar contra sua vontade.

 Sango sentou-se a seu lado e descansou a cabeça contra seu peito.
- irei com você, Miroku. Ele a olhou surpreso.

     Ele a puxou para o colo, aconchegando-a mais junto ao corpo. O cabelo macio dela roçava no nariz dele, e ele sentia o perfume deles. a mão de Sango se movia sobre o peito dele, a carícia gentil trouxe a ele uma paz que não experimentava há muito tempo. Ele não disse mais nada, mas levou a mão ao rosto dela. Ela continuou o carinho até alcançar os cabelos dele e um leve sorriso curvou o canto da boca dele.
 Miroku pensou com sigo mesmo: "será que Sango sabia que o tinha resgatado da beira do abismo."
   Os carinhos de Sango começaram a provocar outro tipo de calor nele.
   Miroku queria saborear a boca dela. Havia uma qualidade muito especial na relação entre ele e Sango. Uma ligação profunda Que curava as feridas, diminuindo a dor da perda e solidão. Miroku passou a mão por trás da nuca de Sango e trouxe-a para mas perto, até que a testa dela toca-se a dele.
   A respiração dela estava levemente ofegante, e o tremor que percorreu o corpo dela já não parecia ser de frio.
A boca dele se aproximou da dela, quase em um beijo., com os lábios já muito próximos, como uma promesa.
Miroku ficou muito quieto em seus braços e naquele exato momento Sango podi sentir que ele tentava controlar o próprio desejo.


   Shisuki obedeceu Sem questionar quando Koraku ficou de pé a frente dela. Ela apoio as mãos sobre os ombros dele e se forçou a chegar mais perto. Ele segurou suas mãos depois colocou as dele em volta de sua cintura, lentamente ele se inclinou e tocou a boca dela com a dele e ela aceitou aprofundando o beijo. Ele a puxou mais para perto. Ela sabia que o ajudaria a resolver o que quer que fosse.

-  Está muito frio aqui fora, vamos entrar. Diz Miroku.
  A mera presença de Sango lhe dava segurança, ele não queria perder isso, Miroku beijo Sango como se ela fosse a única mulher no mundo, a mulher que o havia trago de volta dos limite da loucura.
                                                   ***
  Rin acordou de repente, mas continuou imóvel. 
  Havia tido um pesadelo!?
  Sim, ela tinha certeza que havia sonhado. O sonho não fora bom, mas não conseguia lembrar o que havia sonhado. Tudo que  havia ficado dele era sensação de que algo muito ruim iria acontecer junto com o medo e a culpa. Mas medo é culpa de que? se sentia tão culpada. Permaneceu imóvel diante daquela sensação desconfortante. Pensativa fechou os olhos e uma onda de pânico lhe deixou sem ar. Tentando se acalmar disse a si mesmo em pensamento que o pior já havia passado, tentando se manter sem emoções. Mas o que ela não sabia era que o pior não havia passado. Não estava nem perto disso. 
  Seus pensamentos foram interrompidos quando sentiu a   perna fisgar e começar a latejar, ela abriu os olhos e gritou quando a pontada se tornou uma dor dilacerante que percorreu sua perna parecendo rasgá-la. Ela ficou em posição fetal, encolhida segurando a mesma como se isso pudesse aliviar a dor que sentia,  Rin sentiu que o frio estava aumentando no quarto e a temperatura do seu corpo também. Depois de alguns minutos começou a suar Frio e percebeu que estava com febre. Percebeu também que a febre começava a deixar sua mente enevoada. 
  Um pensamento repentino Veio a sua mente. Ela se perguntava como kaire estava.
Será que já haviam lhe resgatado? "Será que ele esta bem? "
lágrimas encheram os olhos dela. Ela não desejava que ele luta-se por ela. Fora uma estupida, deveria ter feito tudo para evitar que Kaire se machucasse.
Se perguntava oque faria se algo acontecesse com ele. A certeza de que ele  estava gravemente ferido e o fato dela não estar lá para fazer nada lhe angustiava. Por Deus como fora estúpida, deveria ter se entregado imediatamente evitando qualquer luta. Se kaire viesse a morrer..., ela não podia nem pensar naquilo. Seu coração doía só de pensar na perda de uma vida inocente, mas pensar na perda da vida de kaire era insuportavelmente doloroso. Não desejava a lembrança permanente daquela noite terrível, Sua preocupação com o lobo foi bruscamente interrompida e Rin afundou o rosto no lençol para evitar gritar quando outra onda de dor atingiu.
Nesse momento Yura adentrou o quarto e seus olhos se encontraram.
  Rin tremia de frio e Yura se aproximou e a olhou cuidadosamente, apois colocou a mãe sobre Rin e fechou os olhos. Yura parecia espantada ao recolher suas mãos. A alma de Rin era a mais pura que já virá, se estive bem seria difícil fazer a invocação, porém Kawazai fora esperto o suficiente para enfraquece-la, ele enfraqueceu seu corpo é sua alma, tornando-a vulnerável a magia negra devido a tristeza e angústia em seu coração.

Yura colocou a mão novamente sobre Rin, e tanto ela quanto Rin sentiram como se algo se agita-se dentro dela.

-impressionante.


Notas Finais


Espero que gostem sayonara.
Achei melhor explicar aqui que as pétalas puras e frages representam a alma da personagem Rin.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...