História Meu riso é tão feliz contigo - Capítulo 55


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jikook, Taegi
Exibições 134
Palavras 1.098
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 55 - Mágoa e rancor


Jimin não aceitou tão bem a morte de sua mãe tanto quanto Jungkook esperava. Depois do enterro, ele discutiu com Jungkook por nada, e se culpou por "tê-la abandonado". Suas palavras vinham repletas de mágoa e rancor. Sentimentos fortes demais. Jungkook não entende o porque dele estar culpando-se pela morte da mãe, ela que fora imprudente demais para se encher de comprimidos mas ele entende sofrimento de seu namorado, e Jungkook sabe que Jimin precisa colocar esse sentimento pra fora, Jimin também sabe disso mas não sabe como encontrar algum jeito de expressar tudo que esta guardado em seu coração.

Jungkook abraça Jimin pela cintura e enfim Jimin chora, chora de verdade, chora alto. Da pra sentir sua tristeza só pelo seu choro. Jungkook o abraça forte até ele se acalmar. Quando só algumas lágrimas soltas descem por seu rosto, Jungkook o beija e depois o abraça novamente. Jimin suspira. Jungkook o abraça ainda mais forte.

Eles se beijam de novo.

Jimin só foi “melhorar” quando voaram para Coreia do Sul. Nesse meio tempo, ele passou a usar muita roupa escura e a ficar no quarto boa parte do tempo. Apenas com a presença constante dos gêmeos e do Jungkook que o fez se soltar novamente e voltar a sorrir, mesmo que pouco.

Mas isso não durou muito tempo.

Jungkook já tinha começado a acostumar com a rotina dele com Jimin, onde pela manhã, eles iam trabalhar, almoçavam juntos, depois ficavam juntos de novo, pois era assim que eles gostavam. Por mais que Jungkook sempre foi aquele que odiava rotinas e abominava cair no piloto automático, ele esta tão cansado emocionalmente que nem ao menos se importa mais. E também ele ama estar com Jimin.

Agora já não é mais assim, na parte da manhã Jimin sai antes de Jungkook, a tarde não almoçam juntos mais, noite Jimin chega e não fala com Jungkook, mas Jungkook ignora isso já que sabe que ele ainda está de luto.

A questão é que todos os últimos acontecimentos, desde o assalto/coma do Yudi até a morte da mãe do Jimin para cá, haviam desequilibrado a relação de Jungkook com Jimin bastante. Jungkook se faz de forte o tempo inteiro, mas na real, está destruído por dentro. Ele não lembra do último momento em que sentiu paz de espírito.

Jungkook se sente culpado por não estar fazendo o Jimin se sentir feliz, porém, ele até tentou mas ao chegar perto de Jimin sentiu uma tristeza tremenda tomar do seu corpo inteiro. Desde a morte de sua sogra, Jimin esta fechado. Mal conversa Jungkook, passa a maior parte do tempo fora, trabalhando e quando não esta trabalhando, está fazendo sabe se lá o que na rua. O que só dificulta as coisas para Jungkook, pois ele não sabe o que fazer ou falar. Ele se sente sozinho. Sempre que Jimin chega em casa, é como se a escuridão chegasse junto. Fica um clima extremamente pesado e mesmo Jungkook tentando contornar de todas as maneiras pra não prejudicar o casamento deles que é daqui a três meses, não adianta.

Naquele dia, vê-lo chegar sem dar ao menos um "oi" para seu noivo, e até ignorar o largo sorriso que Jungkook lhe deu foi o basta para ele. Aquele velho ditado: “foi a gota que fez o copo transbordar”.

Jungkook está se sentindo quente, como uma bomba prestes a explodir. Escuta os passos do seu noivo e se endireita no sofá, colando um sorriso forçado em seu rosto. Jungkook está fazendo de tudo para não brigar.

Jimin nem olha para Jungkook.

Jungkook respira fundo.

Nesse momento Jimin percebe que algo esta errado, que Jungkook já chegou no seu limite, Jimin olha nos olhos de Jungkook e sabe que ele vai explodir com suas palavras a qualquer momento. E tudo o que ele menos quer é discutir, ele já esta abalado o suficiente.

— não começa, tá? – Jimin fala, antes que Jungkook comece, e passa a mão pelo rosto em um gesto nervoso.

— não começa? Quer que eu termine então?! Pelo que você anda fazendo, agindo e falando, só pode ser!

Jungkook despeja com calma, sem aumentar a voz, como se estivéssem conversando banalidades. Jungkook não quer demonstrar o quão destruído esta. Não pra Jimin. Não nesse momento.

— você quer terminar, é isso? — Jimin pergunta

— não Jimin, você quem está querendo. Você que está chegando tarde todas as noites, você que passa mais tempo no trabalho do que comigo, você que nem olha na minha cara e não me dá nem um beijo quando vai sair de casa ou quando chega, você que não tá nem ai para mim, você quem chegou hoje e nem olhou na minha cara, você quem tá gritando comigo, você. Não eu.

— eu sou um idiota mesmo, pode falar. Eu que não sei lidar com a morte da minha mãe, eu que não sou bom o suficiente pra você. Eu. Não você.

— para com isso! – Jungkook vai até ele e segura seu rosto – Você é um homem maravilhoso, sabe disso, só que não está sabendo lidar com as novas circunstâncias da vida e anda lidando do jeito errado. Eu amo você, demais até, mas estou cansado de ter que fingir estar tudo bem, porque não está. Você não está bem, eu não estou bem. Mas você parece estar só piorando a cada segundo um pouco mais. Eu preciso de você Jimin. Eu preciso que você fale que tudo vai dar certo quando eu acreditar que não. Eu preciso do seu sorriso quando chega do trabalho, eu gosto quando você sorri com vontade. Gosto quando me abraça forte. E gosto quando você me beija como se fosse a última vez. — Jungkook fala — Nós vamos casar daqui a três meses, Jimin, será que você lembra? Por favor, não estrague tudo.

— Não vou estragar nada, Jungkook....

— então para de me tratar diferente. Você passa direto por mim todos os dias, não diz nem oi e sobe. Você não tem noção de quantas vezes eu sofri por ver você triste e não conseguir te fazer sorrir? Eu te amo, Jimin. E você tem noção do quanto ver você chorando me destrói? A vida pode voltar a ser mais bonita, só depende de você.

Jimin respira fundo, mirando o chão. Jungkook segura em seu queixo, o fazendo olhar em seus olhos.

— se você quer cair, caia. Se você quer se destruir, se destrua. Mas não me leve junto. Mas caso o Jimin que eu conheço e amo resolva voltar vou estar aqui. Se este ai não for embora, sinto muito em dizer, mas quem vai sou eu.


Notas Finais


Seria esse o fim de Jimin e Jungkook?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...