História Meu "ruivo" pervertido - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Exibições 377
Palavras 1.587
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hello! Como prometido a reescrita da fanfic "Um 'ruivo' pervertido" dessa vez com várias mudanças. Espero que gostem do primeiro capítulo ^^

Capítulo 1 - Apenas uma música


Fanfic / Fanfiction Meu "ruivo" pervertido - Capítulo 1 - Apenas uma música

Bom, serei breve, afinal nunca tive paciência para apresentações. Meu nome é Fernanda, atualmente tenho 37 anos e essa não é uma história qualquer de romance. Digamos que é uma história de ódio, "amor" e um ruivo tingido. Bom, não vamos enrolar.

Eu tinha 16 anos e estudava na escola Sweet Amoris. Era um internato em uma cidadezinha da França bem desconhecida. Meus pais estavam fora do meu caminho por causa de problemas ocorridos na minha infância. Resumindo, meu pai havia morrido em uma perseguição de alta velocidade e minha mãe... não aceitou a morte dele muito bem... Para ser direta ela entrou em depressão até entrar no mundo das drogas.Acabei sendo largada no internato, com 12 anos, para não ser afetada pelo temperamento da minha mãe.

Enfim, eu tinha um melhor amigo na 6ª série. O nome dele era Castiel e na época ele era muito quieto, mas era gentil. Lembrando: "era gentil". Por que "era"? Bom... Quando ele fez 14 anos, conheceu uma garota chamada Debrah, ou demônio, tanto faz. Debrah acabou virando namorada dele, mas ela não gostava muito de mim, então Castiel fez a idiotisse  de se afastar de mim por causa dela. Claro, eu fiquei muito abalada por ter perdido meu melhor amigo, mas isso logo passaria.

Passaram-se 7 meses de namoro dos dois e eu ainda estava sozinha. Numa bela manhã de aula, eu escutei Debrah falando no telefone com seu empresário sobre deixar o país e estar apenas usando o Castiel para ganhar tempo. Resumindo novamente, eu fui tentar ajudar Castiel na esperança de voltar a ser amiga dele e contei tudo para ele. Obviamente ele não acreditou em mim e brigou comigo dizendo que nunca mais queria me ver. Eu com raiva mandei ele ir pra puta que pariu e fui chorar no clube de jardinagem.

Minhas esperanças estavam já escassas e eu odiava o Castiel com todas as minhas forças. Permaneci no clube de jardinagem chorando até sentir alguém encostar no meu ombro. Era o representante da minha turma, Nathaniel. Ele havia dito para não chorar e que me entendia.

Passaram-se algumas semanas depois do ocorrido com o Castiel e adivinha. Ele havia se fodido com aquela história toda, Debrah foi embora e Castiel voltou para escola 3 semanas depois do ocorrido com o cabelo tingido de vermelho. Eu não me importava mais com ele, mas só percebi que ele havia virado um grosseiro de primeira.

Eu fiz 15 anos e estava finalmente namorando. Com quem? Nathaniel. Ele era a única pessoa que me entendia e eu o amava muito na época... Mas perto do meu aniversário de 16 anos nós tivemos uma briga e terminamos. Eu não fiquei muito abalada, mas mudei completamente. Digamos que acabei virado um Castiel versão feminina, mas tinha meu lado gentil ainda com as pessoas.

Enfim, vamos ao atual... Eu estava na aula de ciências, sentada atrás de Lysandre, o melhor amigo ds Castiel. Era totalmente o oposto de Castiel e também cunhado da minha melhor amiga, Rosalya. Desenhava algumas coisas sem sentido no meu caderno para me distrair. O sinal tocou e os alunos saíram para o almoço.

Permaneci sentada na sala e esperei Rosalya voltar com o lanche e minha guitarra. Fiquei olhando pela janela da sala, já impaciente. Acabei notando que havia um tipo de bloco de notas em cima da mesa na minha frente. Seria do Castiel? Claro que não, ele não escrevia, só tocava. Cheguei a conclusão que deveria ser de Lysandre. Peguei o bloco de notas e guardei no bolso da minha calça. Eu não queria me meter na vida dele, então eu não iria olhar as anotações dele.

Rosalya entrou na sala completamente atrapalhada e jogou a guitarra para mim. Me sentei novamente em cima da mesa e comecei a tocar um pouco de Wiged Skull.

– Enfim, como estão as coisas? Sei que não temos a quarta aula juntas, então quero saber como vão as coisas entre você e o Nathaniel.

– Eu tenho falado com ele, mas não iremos voltar. Não vai dar certo.

– Entendo, bom, você já se interessou por outro?

– Não. Eu só estou interessada por alguém se eu começar a corar quando falo com ela.

– Você é realmente estranha – ela riu da minha cara.

– Como vão as coisas com o Leigh?

– Entre nós dois vai bem, mas ele anda preocupado com o Lysandre.

– Aconteceu alguma coisa com ele?

– Não. É que ele está agindo estranho.

– Estranho? Como? – parei de tomar por um momento.

– Ele anda mais feliz.

– Ele não estaria apaixonado por alguém?

– Já pensamos nisso, mas a questão é: quem?

– Em falar nele, ele esqueceu o bloco aqui já sala – retirei o objeto do meu bolso e coloquei em cima da mesa.

– Você não leu, leu?

– Claro que não – a porta da sala de ciências se abriu e o cabelo platinado me fez calar a boca.

– Lysandre, por que não está com Castiel? – Rosalya perguntou surpresa.

– Eu juro que deixei meu bloco de notas aqui, vocês o viram? – ele olhou para minha mão – V-você não o leu, leu?

– Relaxa, eu não faria isso – sorri e entreguei o bloco para Lysandre que estava mais nervoso do que Rosalya no primeiro encontro com Leigh – Fala uma música – falei olhando para ele com um olhar desafiador.

– Numb.

– Boa escolha! – comecei a tocar um trecho na guitarra e logo o vi aplaudindo.

– Você é incrível, não quer entrar na minha banda?

– Não sei não, não gosto de público. Só tem você?

– Eu canto e componho as músicas com o Castiel que é o guitarrista e Nathaniel é o baterista.

– Castiel e Nathaniel juntos?

– Eles não se falam direito.

– Então você escreve as músicas nesse bloco? – perguntei curiosa.

– Sim, por quê?

– Eu poderia ver alguma? – ele me olhou com reprovação e se aproximou de mim.

– Vá no clube de jardinagem, eu te mostro uma – ele sussurrou no meu ouvido. Senti meu rosto arder – Obrigado mais uma vez pelo bloco. Até logo – ele acenou e saiu da sala.

– Viu como ele está diferente?! Ele nunca fala assim com uma garota – acabei ignorando o que ela falou e fiquei repassando na minha cabeça o que ele havia sussurrado com aquela voz sedutora – Você está vermelha!

– E-estou?

– Você gostou dele! – ele falou alto demais.

– Fala mais baixo! – coloquei a mão na boca dela.

– Calma. Só estava brincando.

– Brincando? Eu gostei dele.

– Sério?

– Calma. Foi só um "eu achei interessante".

– Entendi.

– Agora com licença.

– Vai encontrar ele, não vai?

– Eu não disse nada – falei saindo da sala sorridente.

Caminhei pelos corredores animada e acabei esbarrando em Castiel. Ele me empurrou antes que eu pudesse me desculpar e foi embora. Ignorei e segui até o clube de jardinagem. Lysandre estava sentado na fonte escrevendo.

– Oh, você veio.

– Claro que eu vim, não poderia essa oportunidade – sorri timidamente e me sentei ao lado dele.

– Eu queria te conhecer melhor.

– Por que eu?

– Porque... – o rosto dele ficou vermelho – P-porque eu achei você interessante – ele gaguejou e eu soltei uma risada meio tímida.

– Eu estava brincando.

– Oh... – ele riu timidamente.

– Eu posso te ouvir cantar?

– Não ria, por favor.

– Por que eu riria?

– Poderia escolher uma música?

– Thinking Out Loud, Ed Sheeran. Sempre achei que essa música combinava com você.

– Por que?

– Não sei. Só acho.

– Certo – ele sorriu e começou a cantar um trecho da música. Sua voz era agradável. Eu podia ficar escutando por horas sem me cansar.

Lysandre me olhava nos olhos enquanto cantava e corava às vezes. Consequentemente du também acabava corando, mas não era nada grave. Ele terminou de cantar e eu aplaudi de um jeito escandaloso.

– Incrível.

– Obrigado, mas não é ora tanto.

– Como não? Sua voz é ótima.

– Vou acabar acreditando se você continuar – ele sorriu para mim.

– Lysandre – ouvi uma voz familiar e logo revirei meus olhos.

– O que faz aqui, Castiel? – Lysandre perguntou confuso.

– Achou outro guitarrista?

– Sim.

– Quem?

– Fernanda – ele sorriu enquanto olhava para mim.

– Ela? – ele apontou para mim com ódio em seu olhar.

– Algum problema?

– Não acha que ela vai acabar atrapalhando?

– Ela é ótima, por que atrapalharia? – Castiel olhou para mim novamente reprovando-me.

– Tanto faz. Não tenho tempo para isso. Vai me ajudar a arrumar o quarto ou vai ficar com sua namorada?

– Não somos namorados – falei já impaciente com a ignorância dele.

– Você fala?

– Quer ver o quanto eu sei falar?

– Olha, a anã se irritou – ele continuou debochando de mim.

– Castiel, já chega, não? – Lysandre falou aumentando a voz – Vamos arrumar o quarto. Tchau, Fernanda.

Os dois saíram do clube dd jardinagem e eu aproveitei para chutar a árvore enquanto ninguém estava vendo. Eu odiava aquele garoto com todas as minhas forças. Principalmente por ele me zoar por ter 1,47 de altura.

Quem liga? Fui para o meu quarto e tranquei a porta. Fiquei assistindo séries no meu notebook e acabei caindo no sono.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...