História Meu Segredo - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Chaz Somers, Christian Beadles, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Justin Bieber, Pattie Mallette, Ryan Butler
Tags American Horror Story, Chaz Somers, Christian Beadles, Espíritos, Justin Bieber, Poison Dylan, Ryan Butler, Sobrenatural, Terror, Vampiros
Visualizações 27
Palavras 1.597
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey peoples, voltei!!
Finalmente!
Trouxe esse capitulo cheio de emoções, muitos acontecimentos em um só capitulo KAKAKAAKA
Mas, okay.
Espero realmente que gostem, pode ser que tenha uns errinhos de português, porque não sou das melhores escritoras KAKAKAKA

Deixe seu comentario! <33

Bjos da Secret <3

Capítulo 7 - It's no over.


Fanfic / Fanfiction Meu Segredo - Capítulo 7 - It's no over.

- Poison. - Uma voz atrás de mim fez com que virasse-me rapidamente.

-Ryan. - suspirei aliviada ao vê-lo ali. Ryan agarrou seu filho que até o momento estava desesperado e o colocou no colo.

-Vamos! Vou leva-la de volta a sua casa. - ele tocou meu ombro suavemente.

-Mas... E os fantasmas? - gaguejei.

-Justin vai explicar depois, precisamos ir. - Ryan se aproximou e agarrou minha cintura e com Kevin no outro braço começou a correr em uma velocidade sobre humana, a cidade perante meus olhos era apenas um borrão, me agarrei a Ryan com firmeza enquanto meus pés pareciam flutuar. A corrida durou cerca de 45 minutos até pararmos na minha rua de frente pra minha casa, o olhei boquiaberta.

-Uau! Isso é incrível! - Ryan riu e passou por mim indo para dentro da minha casa. Corri atrás dele e encontrei Justin lá parado em frente a porta. 
Seus olhos se fixaram nos meus e ele abriu um sorriso magnifico e veio na minha direção me abraçando com força. Minha cabeça encostada em seu peitoral me trazia a sensação de segurança.

-Fiquei preocupado! - ele disse afagando meus cabelos. E me apertando cada vez mais em seus braços, era tudo que eu precisava naquele momento.

-Eu...- Não consegui dizer mais nada, a partir daquele momento já estava perdida em lagrimas e soluços que guardei desde o momento que fugi da casa de Ryan.

-Hey, estamos bem! - Justin me puxou pra dentro de casa e fechou a porta novamente e voltou a me abraçar.

-Estava com tanto medo...E quando eu vi o Jason...Ele é igual a você, só que cruel.- Eu não tinha palavras para expressar quem era Jason Bieber, ele era um sádico, maluco, psicopata e naquele momento eu só pensava em quanto estava com medo de que ele pudesse chegar perto de mim ou de alguém que amo.

-Eu te garanto que comparado a ele, sou um anjo. - Então da cozinha veio Andy com os cabelos loiros presos em um rabo de cavalo e um corte na testa, Ryan veio logo depois com Kevin ao seu lado que segurava um pote de sorvete de flocos. Me aproximei da minha amiga e a abracei com força.

-Que bom que está viva! O que aconteceu lá?- A felicidade preencheu meu peito, estavam todos ali, bem. Sentia uma sensação estranha no peito, como se algo ruim fosse acontecer, como se me dessem várias facadas.

-Jason...Ele ia nos matar, mas por algum motivo ele não matou.- Andy me olhou com os olhos verdes confusos. Minhas suspeitas estavam aumentando e aquela sensação no meu peito estava me torturando.

-Isso é algum plano, ele é cruel, seja lá o que ele está tramando, fiquem atentos! - disse Justin. O barulho de vidro se estilhaçando no andar de cima foi tão alto que todos correram rapidamente para saber o que estava acontecendo, ao chegar na porta do meu quarto, tinha alguém jogado no chão.

-Mãe? - corri até ela, sua pele estava pálida e gelada, os lábios roxos e os olhos agora sem vida.
Balancei seu corpo gritando por ela desesperadamente. -Por favor mãe! Não me deixe sozinha! - Ao lado de mamãe havia um papel, agarrei-o com ódio e li as palavras com dificuldade pelas lagrimas que embaçavam meus olhos.

"Não acabou,Poison!"

MALDITO!! EU IRIA MATAR JASON BIEBER,NEM QUE FOSSE A ULTIMA COISA QUE FIZESSE NA VIDA.

-Poison, vem! - Justin me chamou. Fiquei ali fingindo que ele não existia, a culpa de toda aquela merda era dele, sua aproximação, sua maldição, isso a matou e eu não o perdoaria.

-MÃE! ABRE ESSES OLHOS! VOCÊ NÃO PODE ME DEIXAR AQUI, NÃO POSSO FICAR SOZINHA!

-Poison.

-VOCÊ ME DEVE ISSO, VOCÊ MENTIU PRA MIM! TODOS ESTÃO MENTINDO PRA MIM.  - Senti Justin agarrar a minha cintura e me puxar para fora do quarto enquanto me debatia e gritava.
Ao chegar no quarto do lado, ele me colocou no chão.

-A CULPA É SUA! SE VOCÊ NÃO TIVESSE ENTRADO NA MINHA VIDA ELA AINDA ESTARIA AQUI!

-NÃO ELA, NÃO ESTARIA! PORQUE MESMO SE NÃO TIVESSE ME CONHECIDO, EU E VOCÊ ESTAMOS LIGADOS, JASON MATARIA TODOS E VOCÊ IRIA JUNTO.

-DEIXASSE ELE ME MATAR!

-NÃO POSSO!

-POR QUE?

- PORQUE SE VOCÊ MORRE, EU MORRO. PODE COLOCAR A CULPA DE TUDO EM MIM, PODE QUERER SE AFASTAR,MAS NÃO VOU DEIXAR VOCÊ MORRER,ESTOU LIGADO A VOCÊ ATÉ O DIA QUE VOCÊ PARTIR E ISSO QUER DIZER QUE EU TE AMO,ME CHAME DO QUE QUISER,ME BATA,MAS NÃO VAI MUDAR OS MEUS SENTIMENTOS PORQUE EU NASCI PRA TE AMAR,EU VIVO PRA ISSO! - ele berrou. Eu estava cega pelo ódio, as palavras ainda não tinham sido processadas.

-VOCÊ ME AFASTOU QUANDO CHEGUEI! 

-MAS PORQUE ACHAVA QUE IA SER MELHOR PRA VOCÊ,DROGA!EU NUNCA QUIS SER MAL, ME TORNEI ALGUÉM AMARGURADO A MUITOS ANOS, NEM ANDY ME RECONHECIA, AI VOCÊ CHEGOU E DROGA! NEM ERA PRA VOCÊ MORAR AQUI!

-SAI DAQUI! NÃO QUERO MAIS OLHAR PRA VOCÊ! SE ANTES A GENTE TINHA ALGUM TIPO DE AMIZADE, ACABOU!- proferi as palavras com ódio e Justin saiu batendo a porta com força, escutei o barulho de coisas sendo jogadas no chão e deixei as lágrimas escaparem preenchendo o quarto com meus soluços de tristeza e medo.
Eu sempre fui tão corajosa, nunca temia quase nada, tinha explicações, tinha provas que comprovavam tudo que eu precisava, mas depois que Justin Bieber entrou na minha vida, eu tinha medo de tudo ao meu redor, tinha medo até dele, medo do mundo em que ele vivia, medo de ser como ele.
A porta se abriu e Andy entrou com cautela, deixou uma jarra de água e comida sob o criado mudo, Kevin estava atras dela me espiando com os olhinhos tristes. Imediatamente, ele veio na minha direção e me abraçou.

-Você precisa de alguma coisa Poison? - ela me olhou com a expressão triste, quase como pena, estava um caco, fui atacada, perdi minha mãe e briguei com Justin em um curto intervalo de tempo. Eu estava devastada, exaurida, estava mal  e as coisas tendiam a piorar.

-Preciso de silencio Andy. Por favor, me deixe sozinha. -Andy forçou um sorriso e saiu. Deixei que mais lágrimas caíssem e por algum motivo me senti sem ar, comecei a procurar por ar desesperadamente.

As palavras na minha cabeça ecoavam " Não acabou, Poison", derrubei o jarro que Andy trouxera a pouco fazendo um barulho alto, sentia que cada vez mais eu estava incapacitada. 

-Justin. - sussurrei ao cair no chão, sentia como se o mundo ao meu redor rodasse, senti não ter mais forças quando ele entrou no quarto.

-Poison.- tentei procurar por ar, tentei falar, mas não conseguia. - Deve ser Jason, tem que ter algum saquinho de bruxa por aqui. Resista! - tentei ao máximo respirar, mas estava impossível é como se não existisse oxigênio. Andy e Ryan entraram no quarto correndo e começaram a procurar o tal saquinho de bruxa com Justin.
Joguei meu corpo de lado para ver Justin revirar o quarto até achar um saquinho marrom dentro do meu travesseiro, ele sumiu rapidamente e eu apaguei.

...

Acordei com um solavanco, me sentei sobre o colchão e respirei fundo. Aquilo tinha sido real? 
Olhei para meu lado e Justin estava ali, me olhando com preocupação.

-O que faz aqui? - perguntei enojada. Mesmo ele tendo me salvado, ainda demoraria muito para que eu o perdoasse por tudo que me aconteceu, por tudo que ele me fez passar desde que entrou na minha vida.

-Eu não sai desde que... - ele não completou, olhou pra mim e aproximou-se tocando minha bochecha.

-Tive medo de que...perdesse você.

-Ah ta.- com o tom mais irônico possível eu queria afasta-lo, eu não o compreendia, uma hora ele me afastava  e outra me queria viva e por perto e aquele joguinho iria acabar me matando e o manter longe era a melhor forma de sobreviver.
Me levantei e segui até a porta. Justin até tentou me impedir, porém sem êxito.

-Onde você vai? -perguntou em um tom de voz que julguei ser autoridade.

-Para sala ou não posso? - Mesmo sendo mentira, Justin parecia ter acreditado, mas quando me virei para sair percebi que estava totalmente enganada.

-Está mentindo! Seu coração esta acelerado.- ele disse um pouco mais algo.

-Eu quero andar por ai.

-Mas não pode sair da casa.- bufei frustrada. Eu costumava sair por ai o tempo todo quando estava brava, era mais como uma forma de tomar decisões e tudo mais, uma forma de me acalmar.

- Justin, eu não vou aguentar. - desabei. As lagrimas vieram novamente e eu já não me importava com a raiva, só queria a segurança que eu sentia sempre que ele estava por perto. 
Justin me envolveu em seus braços e beijou meus cabelos.

-Não fica assim, sou péssimo em aconselhar uma garota. -Nossa briga parecia ter acabado ali. Eu não queria mais discutir e ele também não.

-Não me diga.- ironizei fazendo-o rir.

-Titio.- Kevin entrou no quarto correndo e sorrindo.

-Eai garotão. - Justin sorriu. Ele realmente parecia gostar de crianças, principalmente de Kevin, mas quem não gostaria? Kevin era a criança mais animada que eu conheci e estava passando por uma situação difícil, mas mesmo assim não deixava de sorrir.

-Papai quer que você vá até o porão. - o garoto dizia enquanto segurava uma maçã que ele mordeu logo depois.

-Você fica com ele? - Justin se virou em minha direção e eu assenti. Então ele beijou minha testa e mexeu nos cabelos de Kevin antes de sair.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...