História Meu Triângulo Amoroso - Capítulo 59


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Romance
Exibições 20
Palavras 957
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Fluffy, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 59 - Brincando com Fogo


Fanfic / Fanfiction Meu Triângulo Amoroso - Capítulo 59 - Brincando com Fogo

― bem Jerry temos que ter alguma prova

O telefone toca...

― delegado Jerry falando

.............

― quem era Jerry?

― lembra daqueles exames que Rick tratou de mandar fazer na falecida?

― sim que não deu em nada pelo jeito

― ai que você se engana, acabei de receber um telefonema do laboratório de pesquisa do FBI, rose conseguiu detectar uma substancia adivinha do que?

― cianeto

― exatamente, a substancia mais letal que mata em questão de minutos.

― pelo que vejo não vai ser muito difícil de identificar quem foi o vendedor dessa substancia já que esse veneno só se encontra em um lugar de toda Nova York...

― prepare o carro pelo jeito vamos fazer uma visitinha ao nosso velho amigo Bill...

Pov. Paola

― como assim Paola não vamos voltar.

― Alex eu vou voltar hoje eu recebi uma ligação do celular de Ana e ela realmente foi seqüestrada o que espera que eu faça?

― que você conte a verdade pro seus pais, e eles resolvam, e você os ajudasse sem precisar de se envolver

― você não ta entendendo Alex, eles querem a mim

― ah quer dizer que você prefere dar sua vida e a do nosso filho?

― também não é assim Alex

― então me explica, a gente volta pra lá e o que acontece mais? Sua irmã é liberada e você fica?

Choro...

Eu realmente não sei o que fazer, Alex tem razão, eu desligo a ligação e fico pensando o que fazer. Jeremy é isso foi pedir ajuda ele

Pego meu celular e disco o numero dele

Ligação

― oi Jeremy?

― Paola? Que surpresa

― Jeremy preciso da sua ajuda

― claro em que?

― como você sabe eu vim pra cá porque estava sendo ameaçada, Jeremy aconteceu uma coisa terrível, essa pessoa seqüestrou Ana.

― o que??? Ana?

― qual o espanto?

― eu procurei ela hoje e Adam o porteiro me disse que ela sumiu desde ontem

― Jeremy me ajuda a procurar minha irmã?

― você vai voltar?

― sim, por mais que Alex não ache certo

― eu ajudo sim, isso me interessa muito conta comigo

Pov. Pessoa misteriosa

― acho que vocês perderam o juízo se mostrar assim para aquela vadia. Diz Kimberly

― relaxa Kimberly se nos se mostramos é porque temos tudo planejado

― pois é Kimberly, eu deixei que ela nos vê-se porque afinal de contas mortos não falam não é mesmo? (risadas)

Kimberly nos olha perplexa

― vocês vão matar Ana?

― bem nos não... Você?

― E-eu? Eu não posso

― claro que pode esse é seu primeiro passo pra entrar oficialmente pra nossa rebelião

― vocês me dão medo as vezes, eu só queria me vingar do Jeremy, e da Paola, mais não assim

― qual é Kimberly vai querer abandonar o navio? Lembre-se que nossa primeira regra é que ninguém sai vivo desse esquema, depois que se entra não tem mais como sair...

Pov. Kimberly

Depois que saio do nosso esconderijo, saio com meu carro. Meu deus eu estou encurralada, eu estou em um abismo e não consigo mais sair, do jeito que conheci eles, sei que eles não tem nada o que perder. E com essa noticia que eu vou ter que machucar Ana me deixa nervosa, eu não posso fazer nada, ela nunca me fez nada eu nem conheço ela. Acho que sei como me livrar dessa obrigação de ter que machucar Ana, é arriscado, mais eu não sou assassina. Sigo até o apartamento de Ana, vou deixar uma pista lá.

Quando chego lá tomo cuidado pra não ser vista, subo até o apartamento, tomo cuidado pra não ser vista, pego um papel e escrevo não vou escrever exatamente o endereço onde fica nosso esconderijo, vou apenas escrever mais ou menos qual é o bairro que eles estão.

Depois que faço tudo isso, deixo empurro mais ou menos deixando uma borda do papel a mostra para que percebam a existência dele ali. Saio novamente tomando o maior cuidado, quando consigo sair do prédio esbarro em alguém. Quando olho me deparo com Jeremy

― Kimberly? Sabia que um dia se encontraríamos de novo sua desgraçada

Fico sem fôlego, ele pega em meu braço com força

― me solta

― você vai me pagar por ter me enganado naquele dia

― o que vai fazer comigo? Me solta Jeremy, você se comportou como um cafajeste comigo me usou depois me jogou fora, o que eu fiz foi pouco você deveria estar morto

Ele me machuca mais ainda

― você tem sorte da gente ta aqui, porque se não, eu ia te dar uma coça.

Dou um soco em seu braço e me solto

― covarde. Digo e saio rápido

Pov. Jeremy

Desgraçada, ela ainda vai me pagar. Mais o que ela tava fazendo aqui? Amiga? Ela nunca teve amigas, e muito menos que morassem aqui.

Vou ate onde o Adam está

― ô Adam você viu essa moça que saiu agora em que apartamento ela subiu?

Ele faz uma cara feia

― que moça?

― uma moça, loira, 1,70 usando uma calça jeans blusa preta e uma jaqueta preta?

― me desculpe mais essa moça não vi ela entrar não

Estranho isso.

― eu vou subir no apartamento de Ana pra ver se ela ta lá

Quando subo tento abrir a porta mais ainda continua trancada. O que eu faço realmente Paola está certa Ana foi seqüestrada eu tenho que achá-la, de repente vejo uma coisinha branca na brecha da porta, me abaixo e puxo, vejo que é um papel escrita um endereço de um bairro que fica quase no fim de Nova York, mais o que significa isso? Será alguma pista?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...