História Meu Triângulo Amoroso - Capítulo 60


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Romance
Exibições 21
Palavras 1.075
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Fluffy, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Espero que gostem <3

Capítulo 60 - Ninho de Víboras


Meu deus Paola tem que saber da existência desse bilhete, espera ai, mais quando eu vim antes ele não estava aqui, e agora eu... Tomo um susto e fico pálido, Kimberly!!!

Só pode ter sido ela, Adam disse que não viu ninguém como ela entrar. Tenho que encontrar essa vadia novamente. Desço rápido e saio do prédio afim de tentar avistá-la novamente, mais tudo em vão.

Pego meu celular e ligo pra Paola

Ligação

― alo Paola?

― oi Jeremy

― tenho novidades, quando eu cheguei aqui no apartamento de Ana pra ver ser ela já tinha aparecido, me deparo com um bilhete que não estava antes, que mostra um bairro que fica muito distante daqui

― será que é um aviso? Mais quem iria fazer isso?

― não sei se estou certo mais eu tenho uma pista, Kimberly

― Kimberly? Mais o que ela tem haver com isso?

― pode ter tudo, Paola ela estava aqui no prédio, e o que é mais é estranho ela entrou aqui sem ser vista, porque ela queria entrar sem ser vista por ninguém ai tem

― você acha que ela pode ter alguma ligação com esse maníaco?

― não sei, mais tenho uma forte impressão que quando encontramos essa vadia, acharemos pistas sobre sua irmã...

Pov. Delegado Jerry

― chegamos, olha lá Bill vendendo suas coisas ilegais

Descemos do carro e se aproximamos da venda

― Bill, Bill não se esconda te vimos, saia ou o prenderemos

Ele sai com o rabinho entre as pernas

― olha chefe eu não tava vendendo nada demais

― me poupe de suas mentiras, sabia que podemos te prender agora por mercadorias ilegais?

― delegado Jerry não faça isso eu tenho filhos pra criar

― deixa de mentira Bill, você nem casado é

― mais um dia eu serei

― chega de gracinha, o algeme Arnold

[...]

Quando chegamos à delegacia...

― o que querem comigo?

― a pena por vender coisas fora da lei e principalmente você que só vende coisas pesadas é no mínimo, três anos de reclusão na CADEIA! Mais podemos esquecer esse erro seu

― pode eu faço qualquer coisa.

― bem, você terá que nos contar sobre a história do cianeto. Diz Arnold

Ele faz uma cara de quem não se agradou...

Pov. Paola

Depois que terminei de falar com Jeremy comecei a arrumar as malas. De repente Alex entra e olha pra malas e eu pegando minhas coisas

― hey, o que está fazendo?

― vou viajar hoje mesmo, se quiser vir comigo vem se não pode ficar por aqui mesmo

― você é inacreditável, está se comportando como uma criança

― Alex, você não sabe o que ta acontecendo? Minha irmã foi seqüestrada

― o que? Diz minha mãe que vinha passando pelo nosso quarto

Eu gelei nessa hora palavras faltaram...

― o que você disse a Ana foi seqüestrada é isso? Diz minha mãe se angustiando

― mãe foi maneira de falar eu...

― filha eu sei que está mentindo, e porque essas malas o que ta acontecendo me fala agora.

Sento na cama triste

― mãe viemos pra cá porque, eu tava sendo ameaçada por alguém que fez de tudo pra me matar e agora ela pegou Ana pra se vingar de mim.

Minha mãe desmaia nessa hora

― mãe, mãe por favor acorda mãee

[...]

Depois que minha mãe voltou a realidade ela continua abalada e nervosa

― eu preciso encontrá-la

― mãe eu vou voltar pra Nova York

― Paola eu te proíbo de voltar você não vai voltar

― é o que eu digo dona Ângela mais ela não me escuta

― nada do que vocês me disser vai mudar o que eu quero fazer

Continuo arrumando as minhas malas

― você tinha que ter nos contado antes Paola. Disse meu pai furioso

― pai eu não podia

― desarrume essa malas você não vai a lugar nenhum

― pai desista, nada me fará mudar de idéia

Quando meus pai saíram do quarto Alex continuava me olhando

― Paola eu ainda vou me arrepender de fazer isso. Ele levanta e pega suas roupas arrumando na mala

Eu sorri pra ele o beijei

Pov. Pessoa Misteriosa

― e agora o que vai ser vamos continuar brincando de baba é isso? Quando vai chegar a ação?

― calma, essa sua pressa ainda vai botar tudo a perder, vamos esperar Paola chegar aqui, eu sei que ela virá, a mesma jamais deixaria sua linda irmãzinha vadia ficar aprisionada por causa dela.

― não sei porque mais tenha impressão que Kimberly ainda vai nos dar dor de cabeça

― quanto a ela, se a mesma começar  a nos dar problema você tem ordens minha pra acabar com ela

Sorrio...

Pov. Delegado Jerry

― e ai Bill o gato comeu sua língua?

― eu não sei do que estão falando eu nunca vendi essa coisa ai

Arnold bate na mesa com as mãos

― confesse logo Bill pra quem você vendeu essa substancia?

― eu já disse que nunca vendi esse tipo de coisa na minha venda

― muito bem se não quer cooperar, Ulisses?

Entra o policial

― sim senhor

― leve esse meliante pra prisão

― esperem, eu vendi sim esse troço ai mais eu não posso dizer pra quem foi

― porque não eles estão te pagando pra isso?

― não, é que todos sabem que eu sou a única pessoa que vende isso, se eu contar serei morto

― a gente te coloca num programa pra proteção de testemunha

― nem vem não adianta de nada

― quer saber leve ele pra cela

...

― não sei não delegado Bill não vai querer abrir o bico

― deixa ele, tenho certeza que vai mudar de idéia logo, logo quando conhecer seus amiguinhos de cela

Pov. Paola

Depois que estávamos com as malas prontas, eu e Alex descemos as escadas, meus pais estavam nos esperando

― o que pretende Paola quando chegar lá? Eu acho um absurdo o que vai fazer diz meu pai

― pai eu to decidida

― esquece seu Miguel, depois que ela coloca uma coisa na cabeça é difícil de tirar

― e eu que no sei? Diz meu pai

Me despeço de minha mãe, pois meu pai continua revoltado comigo

Quando íamos entrando no taxi, meu pai vem até mim

― filha... Boa sorte eu te amo cuidado

― obrigada pai te amo

Saímos pro aeroporto...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...