História Meu Triângulo Amoroso - Capítulo 61


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Romance
Exibições 15
Palavras 1.328
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Fluffy, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Hey girls espero que gostem bjossss♥♥♥♥

Capítulo 61 - Ocultação de Testemunha...


Fanfic / Fanfiction Meu Triângulo Amoroso - Capítulo 61 - Ocultação de Testemunha...

Depois que chegamos ao aeroporto, nosso vôo já estava quase saindo entramos logo no avião.

― lá vamos nos de novo. Diz Alex sorrindo

Eu sorrio pra ele, e de repente sinto o bebe chutar, eu sorrio e Alex coloca a mão em minha barriga

― olha eu aceitei vim com você Paola mais de maneira alguma vou aceitar você se arriscando ouviu?

― não se preocupe, eu vou ter cuidado, por ele. Olho pra minha barriga

[...]

Depois de uma longa viagem chegamos a New York city novamente, eu estava feliz de regressar apesar de tudo foi aqui onde tive muitas alegrias.

Fomo ao apartamento de Ana e logo na entrada vimos Jeremy conversando com o porteiro

― Paola Alex que bom ver vocês. Ele nos abraça

― Adam você viu Ana sair com alguém?

― não, eu não vi ela sair, simplesmente sumiu.

― e Kimberly? Perguntei

― não sei daquela vadia. Disse Jeremy

― vocês tiveram um rolo você não sabe onde ela fica ou gosta de ficar?

― espera tem sim, um cassino de jogo ela gosta de freqüentar esses lugares.

― eu quero ir lá

― a noite eu te levo lá, é essa as horas que ela se encontra.

Depois eu e Alex fomos pra casa dos pais dele, ele estava morrendo de saudade da mãe dele.

Quando chegamos lá, aquela linda mansão parecia não ser a mesma, estava sei lá sem vida, por mais que a estivesse sendo cuidada, parecia que alegria que tinha lá foi embora.

Abrimos a porta e entramos demos de cara com a mãe de Alex fumando?

― mãe o que é isso deu pra fumar agora?

Ela se espanta

― Alex, o que está fazendo aqui, eu pensei que não lembra-se mais que tem uma mãe, foi embora e nem se despediu de mim.

― você agora deu pra fumar é isso?

― eu não devo explicações da minha vida mais pra ninguém que se dane a sociedade que se dane o Frederick que se dane todos.

Eu fique chocada com essa nova Sarah ela é arrogante, e mais chata.

― e você Paola ta cuidando bem do meu... Já sabem o sexo?

― optamos por saber no dia do nascimento. Fico sorrindo

De repente entra Emma segurando um espanador de pó

― Paola? Ela vem até mim e nos abraçamos

― oi Emma to de volta

― que bom, eu estava morrendo de saudade e o David também vai nos visitar

― você já sabe Ana sumiu

Ela fica pálida percebo um suor descendo de sua testa

― Ana? Como assim?

― pois é eu estou muito preocupada. Digo triste

― eu tenho que continuar meu serviço foi ótimo te rever

Ela sai

― Paola vamos eu não tenho mais nada o que fazer aqui. Eu e Alex saímos

Pegamos um taxi e quando chegamos ao seu apartamento ele deita sobre a cama

― o que foi amor?

― minha mãe, ela ta se comportando muito estranho Paola, e meu pai eu nem sei o que ele anda fazendo da vida, realmente minha família se separou cada um foi pro seu lado

― não fica assim só basta eu estar angustiada

― eu não queria isso, você grávida do nosso primeiro filho e ao invés de estarmos sendo felizes fazendo compras indo a grupos estamos aqui sofrendo um com problemas mais que o outro.

Eu baixei a cabeça e respirei fundo

Alex esta mais que certo

Pov. Pessoa misteriosa

Eu chego ao esconderijo

― tenho mais noticias, uma ótima e uma péssima

― comece por a boa

― Paola nossa ratazana chegou ao cativeiro e...

― e?

― Bill foi preso

― o que? Aquele desgraçado, se ele abrir a boca estamos ferrado

― o que vamos fazer agora?

― você vai ter que... Executá-lo

― mais como vou passar por toda aquela manada de policiais?

― pela noite você irá lá e terminara com o serviço...

Pov. Delegado Jerry

― chefe o preso, Bill Courtney está querendo falar com o senhor

― traga-o até aqui

Parece que Bill resolveu abrir o bico

― ora, ora Bill o que tem pra me falar

― eu acho que não tenho outra escolha né, mais se eu contar você me solta?

― é claro

― bem eu recebi apenas um frasco do veneno, mais não foi porque eu tenha pedido, me pediram pra conseguir esse frasco, eu parei de vender ele porque, sabia que poderia me encrencar com vocês...

― corta essa Bill, diga logo pra quem você vendeu essa porcaria?

― foi para...

― delegado, delegado... Entra Ulisses o guarda

― o que foi? Não vê que estou resolvendo esse assunto

― o senhor precisa vir rápido está acontecendo um assalto e tem varios reféns entre eles crianças e idosos temos que ir pra lá urgente

― mais o Arnold não pode resolver isso?

― foi ele mesmo que chamou o senhor a situação lá ta ficando tensa

― escute Bill, essa conversa não acabou aqui você vai voltar pra sela mais, quando me contar eu te libero...

Pov. Paola

Eu estava me arrumando, pedi que Alex não fosse, ele estava triste por causa da família, e eu resolvi ir com Jeremy.

De repente tocam a campainha, eu atendo e vejo que é Jeremy

― Jeremy que bom que veio e ai vamos?

― vamos, e o Alex?

― ele não vai

Eu e Jeremy saímos de carro até o tal cassino, e quando chegamos lá a primeira cara que eu vi foi a de Kimberly

― olha lá a vagabunda

― se ela tiver algum envolvimento com  desaparecimento de Ana vamos saber agora. Descemos do carro, e quando chegamos lá ela viu a gente e tentou correr, mais Jeremy a segurou, pelos braços.

― o que vocês querem comigo me solta seu bruto

― cadê a Ana Kimberly? Falo, ela me olha assustada

Pov. Emma

― mamãe, cadê o tio Jamie ele não apareceu o dia todo

― deve esta no emprego meu bem

De repente ele entra

― Jamie, já sabe da nova?

― que nova? Sou um homem ocupado não tenho tempo pra besteiras

― sabe até agora eu não consigo entender, como você é namorado da Ana e não sabe que ela sumiu...

Ele me olha assustado

― o que? Ana sumiu?

Pov. Pessoa misteriosa

Saio pra delegacia, trago no carro tudo o que eu preciso pra fazer um crime perfeito

Paro meu carro um pouco afastado da delegacia pra não levantar suspeita

 Pego as cordas, a fita e a faca. Me aproximo de uma grande arvore e subo jogo a corda e ela se prende, eu começo a escalar a delegacia. Consigo me aproximar de uma janela, está trancada eu pego meu cortador de vidro e faço um pequeno buraco conseguindo destrancar a mesma. Quando finalmente entro, começo a caminha pelos corredores com cuidado, de repente avisto um policial chegando, eu me escondo atrás de uma parede e ele passa, continuo andando. E quando chego a uma sala que abro vejo Bill em uma sela, sozinho perfeito. Chego até a sela, e arrombo o cadeado da sela, bem devagar pra ele não acordar, pego a fita em meu bolso devagar, e coloco em sua boca rápido, ele acorda de uma vez e tenta gritar mais tudo em vão.

― oi querido Bill, é muito bom revê-lo, sabe aquele veneno que você nos vendeu foi muito eficiente, uma aplicada nas veias de Abigail e ela dormiu bem rapidinho até agora ela dorme.

Ele murmurava e eu sorrio com isso.

― mais sabe, você sabe demais, você precisa assim como Abigail dormi, é você tem trabalhado muito, é merecido um descanso não, agora vamos, vamos acabar logo com isso, é pro seu bem, assim você da um descanso pra policia... Adeus querido Bill dorme com os anjinhos. Num ato de ligeireza lhe dou um golpe, e o mesmo não parava de se contorcer...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...