História Meu verdadeiro eu - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook
Visualizações 56
Palavras 4.655
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Violência, Yaoi
Avisos: Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


VOLTEIIIIIIIII MUAHAHAHAHA me amem :)
agora já podem começar a leitura ARMYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYS

Capítulo 1 - Capítulo único


Fanfic / Fanfiction Meu verdadeiro eu - Capítulo 1 - Capítulo único

Capítulo único:

- k...kookie. - Jimin grita atingindo seu orgasmo se sentindo preenchido pelo gozo do namorado. Jungkook se joga ao lado de Jimin na grama molhada do central parque de Seul. - kookie. - vira o rosto encarando o namorado. - já pode tirar essas algemas. - Jimin se senta na grama ficando de lado para o namorado tirar as algemas que tinha posto nele antes daquela loucura que haviam feito.

Jungkook se levanta esticando os braços para pegar seu casaco que não estava muito longe tirando do bolso a chave da algema. Segura no braço do namorado que geme de dor, afinal aquilo estava em seus pulsos a bastante tempo e o tinha machucado. Jungkook abre as algemas e tira dos pulsos do namorado que estavam vermelhos e machucados.

- eu te amo kookie. - encara o namorado com carinho.

- eu também te amo minnie. - e puxo Jimin para um beijo calmo. - agora vamos para casa que o Taichi está nos esperando.

Ano antes:

Jimin mexia no seu computador no escritório em que trabalhava analisando o currículo de algumas pessoas que pretendiam trabalhar ali.

- uau, isso que eu chamo de currículo. - diz olhando um dos currículos, na verdade o melhor deles.

- já selecionou os melhores? - Taehyung um colega do trabalho se aproxima olhando para a tela do computador de Jimin.

- na verdade ainda não. Está mais difícil do que pensei. - Jimin encara Taehyung.

- eu até ofereceria minha ajuda para você se não estivesse atolado de trabalho ChimChim.

- eu sei TaeTae. - ele sorri torto para o amigo.

- mais eu sei quem pode te ajudar com isso. - Tae olha ao redor e enfim acha a pessoa que estava procurando. - Jin hyung vem cá. - chama com as mãos.

Jin para sua conversa com seu namorado Namjoon que trabalhava no escritório também e vai até eles sorrindo.

- sim? - pergunta.

- você tem muito trabalho hoje? Porque o Jimin tá meio enrolado nos currículos. - aponta para o computador.

- eu não tenho muito trabalho. Posso te ajudar se quiser Chim. - sorri docemente para o mais novo.

- ah, obrigado Jin Hyung. - sorri. E assim todos voltam ao trabalho.

Enfim chega o horário do almoço, os meninos vão almoçar no mesmo restaurante de sempre.

- preciso ir num spa urgentemente. - diz Taehyung massageando seus próprios ombros.

- você precisa é de um homem isso sim. - Jimin debocha fazendo Jin ri.

- não deboche de mim só porque você tem um namorado. Mais você tem razão eu preciso mesmo de um homem - Tae faz beicinho ´´triste´´ brincando. Logo o garçom chega e eles fazem seu pedido. -  e então Jin como anda sua vida de casado?

- ainda não casamos Taehyung. - Jin sorri sem graça.

- mais não vai demorar muito para isso acontecer. - Jimin sorri para o amigo.

- vocês acham? - Jin os encara inseguro.

- achamos. - dizem em uníssono.

Jin sorri alegremente e logo seus pedidos chegam e eles começam a comer... Depois de terminar Jimin olha para o relógio em seu pulso e arregala os olhos com o horário.

- meninos eu tenho que ir. Vou sacar dinheiro no banco. - explica se levantando da cadeira soltando beijos pros meninos saindo apressado do estabelecimento.

Olha para o relógio novamente e bate os pés impacientemente esperando o sinal fecha para atravessar. Depois de alguns minutos o maldito sinal enfim fecha, Jimin atravessa depressa passando pelas várias pessoas que transitavam aquele horário. Anda mais um pouco e chega ao banco, entra passando pelos seguranças.

- aish. - pragueja vendo a longa fila que teria que pegar até o caixa eletrônico.

Jimin passa a mão no rosto e suspira indo para o final da fila...depois de alguns minutos final chegou sua vez.

- enfim. - ele sorri mais logo seu sorriso se desfaz quando vê o homem que tinha destruído sua família entra no banco.

´´o dia não pode ficar melhor´´. Pensou.

Balança a cabeça tirando seu cartão da carteira e colocando na máquina.

- olha só o que temos aqui, se não é Park Jimin. - Jimin se arrepia quando escuta aquela voz.

Jimin o ignora pega seu dinheiro o guarda e se vira para sair quando sente seu braço ser segurado. Jimin puxa seu braço com força sem olhar para trás e sai do banco mais aquele maldito homem o segue.

- vai me ignorar até quando Park? - grita fazendo Jimin parar.

- me deixe em paz Jinwoo. - se vira irritado.

- sabe que não pode fugir de mim para sempre não é? - sorri maldoso. - não pode fugir do seu destino para sempre.

- não chame isso de destino. - Jimin caminha até jinwoo. - não é destino. - para na frente dele - desista de mim enquanto há tempo. - aquilo soou ameaçador.

- está me ameaçando Park? Sabe com que está falando? - Jinwoo fica sério.

- sim, eu sei. - Jimin sorri e se vira saindo dali o mais rápido possível.

Depois de mais um dia cansativo de trabalho Jimin se permite enfim relaxar.

- essa cama deveria ser nomeada a ´´nona maravilha do mundo´´ - abraça seu travesseiro com os olhos fechados.

- Então eu deveria ser nomeado a décima? - Jimin abre os olhos assustado mais logo sorri vendo seu namorado sentado atrás de si.

- Kookie. - solta o travesseiro se sentando abraçando o namorado. - senti sua falta.

- Eu também meu mochi. - acaricia os cabelos sedosos do namorado. - e  então já se decidiu?

- Jungkook. - suspira se afastando do namorado. - eu não posso deixa tudo assim. - coça a cabeça.

- Jimin sabe que não podemos viver assim para sempre não é? Você sabe que eu to fazendo esforço máximo por nós dois.

- Eu sei kookie. - suspira com os olhos fechados pensando e finalmente abre os olhos o encarando. - tudo bem Jungkook, eu vou morar em Busan com você.

**

Jimin não achou que sua primeira semana em Busan seria tão monótona, Jungkook não ficava muito em casa e como o mesmo era novo da cidade não tinha feito nenhum amigo ainda. Estava tão solitário.

Então Jimin decidiu que aquela noite ia sair para conhecer Busan melhor já que Jungkook chegaria tarde como todos os dias.

- não sei como o kookie consegue trabalhar tanto sem chegar cansado. Eu não duraria um dia naquela empresa. - comentou colocando na cama a roupa que tinha escolhido para sair. - espero que o kookie não se irrite por eu sair a essa hora sozinho. Não quero brigar com ele. - liga a tv deixando em um canal qualquer e tira as roupas que vestia seguindo para o banheiro.

Entra no box e liga o chuveiro deixando a água molhar seu corpo magro porém definido Jimin não sabia se tinha feito bem em ter largado tudo para trás. Agora estava sem seus amigos e o pior sem emprego ele se sentia um imprestável naquela casa, precisa achar um emprego o quanto antes mais sempre que conversava com Jungkook sobre isso discutiam Jungkook não queria que Jimin trabalhasse pois o dinheiro que ganhava sustentava os dois muito bem e Jimin já estava cansado da mesma conversa de sempre, aquilo já estava o enchendo.

Jimin termina de tomar seu banho pega a toalha em pendurada se enxuga se enrolando em seguida e volta para o quarto onde veste rapidamente sua roupa e arruma os cabelos lisos.

- mais um corpo esfaqueado foi encontrado hoje de manhã nas ruas de Busan. - conta repórter. 

- aigoo esse país tá a cada dia mais violento. - desliga a tv sem nem ao menos esperar o repórter falar o nome da vitima. Jinwoo.

**

Jimin já caminhava a alguns minutos a rua, ele observava alguns casais perto de uma barraca de keran pang conversando animados com seu parceiro. Jimin suspira e segue seu caminho antes de sair de casa ele tinha decidido aonde iria naquela noite numa balada precisa espairecer um pouco ele sabia que Jungkook não ia gosta nem um pouco daquilo mais no momento Jimin não se importava só queria se divertir mesmo que sozinho e quem sabe arranja um amigo.

Assim que chega no local pega a fila e demora alguns minutos para entrar. Já lá dentro Jimin sorri vendo várias pessoas dançando loucamente e rindo com seus amigos algumas mulheres dançavam em cima de um pequeno palco com uma barra de ferro no centro. Ele segue para o bar e pede uma bebida logo o barman trás um copo com uísque, Jimin bebe tudo de vez.

- ei vai com calma bonitinho. - diz o barman fazendo Jimin ri.

- pode deixa. - pisca para ele e sai indo para a pista de dança. Jimin não queria saber de nada só queria dança até o amanhecer.

Ao som de uma música eletrônica Jimin mexia seu corpo no ritmo da música mais para de dança quando de repente a música para e tudo fica num completo escuro. Uma mulher grita assustada com o apagão de repente e o Dj fala algo no microfone.

- houve um apagão em toda cidade. - o Dj explica. Todos vão saindo do local murmurando alguma coisa e Jimin só consegue pensar em o quão azarado ele é.

- em pleno o dia que eu decido sair de casa acontece isso. - ri irônico passando pelas pessoas saindo. Do lado de fora as pessoas voltavam para sua casas no completo breu, Jimin coça a cabeça e se vira caminhando na direção da casa.

As ruas que antes estava animada e repleta de pessoa agora estava abandonada e Jimin sozinho novamente.

- droga,droga,droga. - pragueja passando por um beco.

- não por favor. - um sussurro faz Jimin parar e vira a cabeça encarando o beco escuro. - eu não fiz nada. - uma voz masculina diz. Jimin poderia seguir seu caminho para não se meter em problemas mais a sua curiosidade era grande demais para ele fazer isso.

Uma risada alta é ouvida fazendo Jimin se arrepia da cabeça aos pés.

- sério que não lembra? sério que não se lembra do que fez com ele? - alguém pergunta.

Qualquer pessoa em plena consciência iria sair correndo dali mais não Jimin ele vira e se aproxima calmamente do beco escuro para escutar a conversa, pega seu celular do bolso pronto para ligar para polícia.

- eu não fiz nada, você fez. não, não por favor não faça isso. - o homem chora quando o outro ri levando a faca que estava em mãos ao pescoço do homem.

O coração de Jimin acelera quando ele vê com ajuda da luz do celular a faca coberta por luvas nas mãos daquele homem.

- por favor não me mate. - o homem emplora.

- deveria ter pensado antes de ter feito o que fez com ele. - e então o assassino crava a faca no pescoço do homem e Jimin grita derrubando o celular chamando atenção e antes que ele corra o assassino o puxa para o beco.

As lágrimas já caiam dos seus olhos, ele se debatia tentando se soltar dos braços do assassino em vão.  

- o que está fazendo aqui meu mochi? - e Jimin viu seu mundo parar quando ouviu aquela voz e devagar os braços que o rodeavam o soltaram. - me diga Jimin o que está fazendo na rua uma hora dessas sem a minha permissão?

- Jungkook?! - Jimin encara o namorado sem acredita que era ele realmente ali. - Jungkook o que você fez? - sua voz quase falha.

Jimin não podia acredita no que estava vendo, aquele não era jungkook, aquele não podia ser seu namorado ele se negava a acreditar no que seus próprios olhos viam.

- olá meu mochi. - Jungkook tinha um sorriso sádico nos lábios enquanto se aproximava do namorado. Ele parecia outra pessoa, tinha mudado da água para o vinho.

- Jung...kookie o que está acontecendo? - e pela primeira vez Jimin sentiu medo dele. - o que você fez?

Jungkook não o responde só continua se aproximando, Jimin dá passos para trás até que tropeça no corpo do homem que Jungkook havia matado e cai em cima da poça de sangue que tinha se formado no chão.

A rua estava deserta aquela hora e Jimin sozinho com seu namorado assassino.

- Jungkook estou com medo. - chorou baixinho fechando os olhos desejando que tudo aquilo não passasse de um pesadelo.

- não precisa ter medo meu mochi. - Jungkook se abaixa ficando de frente para Jimin que fecha os olhos com medo. - não irei te machucar amor. - passa uma das mãos coberta pela luva no rosto de Jimin que se arrepia de medo. - eu nunca te machucaria. - se levanta. - vamos sair daqui antes que a luz volte, vamos para casa. - se curva pegando na mão de Jimin o levantando. Jimin não sabia o que fazer ou pensar naquele momento então resolve o obedecer com medo do que poderia acontecer consigo.

**

Jimin estava sentada na cama do seu quarto olhando para baixo enquanto Jungkook tirava toda a roupa ficando somente de cueca.

- irei me livra de tudo isso. - diz tirando as luvas das mãos pegando as roupas do chão levando até o banheiro. - sei que está assustado mochi. Sei que está pensando que eu sou um assassino, mas quero que saiba que aquele homem mereceu aquilo. - sai do baixo se abaixando na frente do namorado. Jungkook segura no queixo de Jimin levantando sua cabeça delicadamente e sorri vendo como Jimin continuava lindo mesmo com o rosto molhado por suas lágrimas e uma expressão triste a assustada no rosto.

Jungkook admitia que era um pouco sádico.

- porque fez aquilo Jungkook? - Jimin sussurra um pouco acanhado desviando seu olhar do namorado. Jungkook suspira se levantando se sentando ao lado do menor.

- Jimin. - suspira. - eu nunca te contei sobre o meu passado.

- como não Kookie? - arregala os olhos virando o rosto para encarar Jungkook. - quando nós conhecemos v…

- eu menti. - diz fazendo Jimin cala a boca imediatamente.

- o que? - pergunta sem acreditar.

- tudo aquilo que lhe contei foi uma grande mentira. - olha no fundo dos olhos de Jimin. - eu não sou órfão. - diz fazendo Jimin perder o ar. - Jimin, eu te amo mais que tudo nessa vida miserável e não quero que me odei pelo o que eu fiz hoje. Eu tive um motivo para fazer aquilo.

- qual foi o motivo Jungkook?

Jungkook o encara sem expressão e decide contar lhe sua história.

**

Jungkook tinha somente 10 anos quando tudo aquilo aconteceu. Era um dia de verão, as crianças brincavam pelo parque correndo de um lado para o outro Jungkook poderia está ali brincando com eles mais não, estava trancada naquela maldita casa como sempre. Jungkook só queria ser uma criança normal como qualquer outra que podia sair de casa nos finais de tarde ou de semana para brincar mais não, era proibido de fazer tal coisa.

- sua vagabunda. - Chul soo pai de Jungkook dá um tapa forte no rosto da sua esposa que cai no chão.

Era todo dia assim, brigas constantes que deixavam Jungkook sem dormi preocupado com sua mãe por mais que a mesma não ligasse para si somente para suas drogas Jungkook mesmo tão novo tentava defende lá o que lhe rendia belos roxos pelo corpo.

- sua vadia drogada. - Chul soo grita jogando toda a droga que estava na mesinha da sala no chão. - você e esse garoto imprestável merecem a morte.  

Hee na ri com os olhos fechados, estava drogada como sempre.

- só a gente Chul soo? - leva outro tapa por dizer aquilo. Jungkook não aguentava mais ver aquilo e decide intervir.

- APPA! - grita correndo até ele tomando a frente da sua mãe que iria levar um murro dessa vez. O pobre menino cai no chão sentindo dor pelo murro que havia levado. Jungkook se segura para não chorar.

- garoto idiota. - grita levantando a mãos mais uma vez para bater nele mais desiste. - não vale a pena ir para cadeia por causa de porcos como vocês dois. - leva as mãos até sua calça tirando o cinto a abrindo. - tenho o servicinho para essa sua boquinha novamente Jungkook.

Jungkook não segura mais seu choro. Novamente iria ser obrigado a fazer aquilo, e sua mãe não faria nada. Outra vez.

**

- Jungkookie. - Jimin chorava depois de ouvi aquela história. - o que fizeram com você?! - se joga nos braços do maior o abraçando com força. - eu sinto muito, eu sinto muito… - chora.

- você não me deixou terminar a história. - Jungkook diz friamente e Jimin se afasta o encara. Jungkook não tinha nenhuma expressão no rosto. Podia ser confundido com um boneco de cera.

**

Alguns anos se passaram desde que os primeiros abusos de Jungkook haviam começado. Agora ele já tinha 15 anos e estava no colegial, Jungkook sempre foi um menino quieto e calado. As pessoas não costumavam sentar ao seu lado na hora da merenda pois era considerado o estranhão da turma mais naquele dia um aluno novo o fez se sentir vivo pelo primeira vez quando se sentou ao seu lado.

- olá. - o menino sorri trazendo a atenção de Jungkook para si. Jungkook estava surpreso, ninguém falava com ele a não ser os professores e funcionários da escola.

- olá. - diz timidamente.

- sou novo por aqui. - sorri fofinho para ele.

Agora Jungkook entendia porque ele estava falando consigo.

Jungkook sorri sem mostra os dentes voltando sua atenção para a comida. Nunca tinha conversado com ninguém da sua idade, se sentia tão estranho.

- ah me desculpe, se estou incomodando eu posso sair. - se levantando pegando sua bandeja pronto para sair mais Jungkook o puxa fazendo - o sentar na cadeira novamente.

- não está incomodando. É só que… - olha para baixo tímido.

- você é meio solitário já reparei. - sorri. - as pessoas daqui não parecem querer se aproximar de você. - olham ao redor. Os alunos conversavam animadamente com seus amigos, numa mesa um pouco afastada os meninos que soavam Jungkook o observavam de longe.

- hrum.

- prazer me chamo Chul soo. - estende a mão para Jungkook que se afasta assim que ouve aquele nome. Ele tinha o mesmo nome do seu pai.

- pra..pra...prazer me...me...me chamo jung...kook - gagueja.

- que nome bonito você tem Jungkook. - sorri fofinho fazendo Jungkook sorri também. Jungkook não sabia mais naquele momento tinha se apaixonado pelo aluno novo.

**

- foi o seu primeiro amor? - Jimin funga.

- sim. - suspira. - e esse foi o meu maior erro. - Jimin temia pelo o que viria a seguir.

**

- Soo para com isso. - Jungkook tentando soltar sua mão da do amigo que o puxava pela escola.

- o inverno chegou Kookie vamos ver a neve. - o puxa e enfim chegam no lado de fora. A neve já caia devagarzinho e Chul soo corria de um lado para o outro pulando e rodando se divertindo com a neve que caia. - vamos brincar Kookie. - se abaixa fazendo uma bola de neve. - dúvida que eu te acerte daqui? - pergunta se afastando de Jungkook.

- dúvido. -  Jungkook cruza os braços divertido.

- somente observe. - levanta o braço e joga a bola em Jungkook que desvia. - EI ISSO NÃO VALE. - aponta.

- você nunca disse que eu não podia me mover. - dá de ombros se virando pronto para entra na escola mais um peso nas suas costas o derruba no chão de vez.

- você não respeita o seu Hyung? - Soo se levanta das costas do mais novo o ajudando a levantar.

- o meu Hyung também não respeita o Dongsaeng dele. - bate na calça tirando a neve dela. - e você só é mais velho por uma semana.

- eu ainda sim sou mais velho. - dá língua e corre para dentro da escola. Jungkook ri.

O tempo passa rápido depois que os dois voltam para a sala e logo o sinal bate avisando que era hora de ir para casa. A pior hora do dia para Jungkook.

- Kookie eu vou no banheiro já volto. - coloca sua mochila nas costas e sai da sala correndo.

Jungkook arruma seus livros na mochila e sai da sala que já estava vazia para esperar seu Hyung. Já tinha se passado 10 minutos e Soo não tinha voltado, Jungkook já estava preocupado não era possível que alguém demorasse tanto no banheiro então Jungkook vai até o banheiro mais para assim que vê um dos meninos que o atormentava desde criança parado na porta dele.

- vai usar o banheiro Jungkook? - o menino pergunta. Jungkook estranhou afinal nunca o chamavam pelo nome.

Jungkook só afirmou com a cabeça baixa e entrou no banheiro assim que o menino saiu da frente.

- isso, isso, bom garoto. - alguém geme.

Jungkook arregala os olhos quando ouve aquela voz e levanta a cabeça. Seus olhos se enchem de lágrimas quando ele vê o menino que sempre fez questão de o maltratar pressionando a cabeça do seu amigo contra seu pau.

- minha putinha é tão boa. - gemeu alto gozando na boca de Soo. Jungkook estava em choque. Porque seu amigo estava fazendo aquilo?

- Soo? - Jungkook sussurra sentindo as lágrimas descerem pelo seu rosto, chamando a atenção dos dois.

- JUNGKOOK?! - Soo levanta do chão limpando o canto da boca que escorria sémen. - Jungkook eu posso explicar. - sua voz embarga.

- hora, hora se não é o pequeno Jeon. - Chinhae ri cínico levantando suas calças, fechando. - veio apreciar a linda vista do seu amiguinho me pagando um boquete? - sorri maldoso.

- Chinhae não fale assim com ele por favor. - Soo diz acanhado sem coragem de encara o amigo.

- cale a boca vadia que eu não lhe dei permissão para falar. - se irrita. Soo se cala.

- Chinhae eu vou te matar. - Jungkook cerra os punhos trincando os dentes com ódio e disfarçadamente tira um canivete do bolso da sua calça.

- A é? - ri. - você não passa de um garotinho nerd e estranho abuso pelo pai. - Jungkook arregala os olhos. - o que? Pensou que eu não sabia? - ri. - quanta ingenuidade. - puxa Soo pelo braço e o joga no chão com força. - o seu amiguinho andou me contando muitas coisas. - sorri maldoso. Jungkook encara Soo.

- Soo voc...

- EU NÃO TIVE ESCOLHA TÁ BEM? - grita chorando. - se eu não fizesse o que ele mandasse ele te machucaria Kookie. - chora.

- quanto drama. - Chinhae revira os olhos.

- JÁ CHEGA. - Jungkook grita correndo na direção de Chinhae com os punhos levantados com o canivete em mãos pronto para matá - lo mais Soo toma a frente de Chinhae sendo golpeado na barriga.

Jungkook arregala os olhos, Chinhae também.

- você não é um monstro. - Soo diz com dificuldade. - voc..vo..cê… - cai mais Jungkook o segura.

- Soo, Soo não, não. - Jungkook se desespera.

- Jung… - nesse momento Chinhae sai correndo do banheiro os deixando para trás.

- shhh shhh vai ficar tudo bem não se preocupe vou te levar para o médico. - tira o canivete da barriga dele que grita fechando os olhos em seguida. - Soo não feche os olhos Soo por favor não. SOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO.

**

- eu o matei. - Jungkook continua sem expressão parecia está longe.

- você não teve culpa. Nenhum dos dois teve Kookie. - Jimin coloca suas mãos sobre as de Jungkook acariciando.

- eu o matei. - repete em frenesi. - eu o matei, eu o matei, eu o matei, EU O MATEI. SOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO. - grita desesperado colocando as mãos na cabeça levantando da cama. - não,não eu sou um monstro. EU SOU UM MONSTRO.

- NÃO VOCÊ NÃO É UM MONSTRO. - Jimin grita se levantando abraçando Jungkook por trás. - você não é um monstro meu amor, você não queria matá lo. Está tudo bem agora Kookie. - fecha os olhos. - não se culpe, não se culpe por favor.

- ele não foi o único que eu matei naquele dia Jimin. - tira as mãos de Jimin da sua cintura.

- o que?

**

Jungkook chegou atordoado em casa, tinha acabado de matar seu único e melhor amigo e o pior de tudo teve que fugir e o largar lá ou seria preso.

- porque demorou tanto hoje garoto? - seu pai pergunta sentado no sofá mais Jungkook o ignora querendo chegar logo em seu quarto se não fosse pelo pai que o parou no meio do caminho. Grande erro.

- eu o matei. - sussurra.

- fale alto garoto não consigo te escutar.

- EU O MATEI. - grita assustando o pai.

- NÃO GRITE GAROTO TÁ PENSANDO QUE É QUEM? - dá um tapa forte no rosto de Jungkook mais diferente do que ele pensou o menino não caiu. Não dessa vez.

Jungkook olhou para seu pai diretamente nos seus olhos sorrindo sadicamente. Chulsoo nunca tinha o visto sorri daquele jeito, parecia outra pessoa.

- você não deveria ter feito isso. - tira o canivete sujo de sangue da manga do casaco. - não deveria.

**

- nesse mesmo dia eu encontrei o corpo da minha omma jogada no quintal. Ela tinha tido uma overdose.

Jimin se distancia dele voltando a sentar na cama. Agora entendia porque Jungkook tinha matado aquele homem no beco, era um dos meninos da sua adolescência.

- eu não sei o que pensar Jungkook, tudo isso é tão perturbador. - passa as mãos nos cabelos.

- eu sei. Também ficaria assustado se descobrisse que meu namorado é um psicopata. - ri sem animo. - essa é a hora que você sai do quarto e me abandona. - encara Jimin sério.

- não Jungkook. - se levanta e caminha até ele. - eu nunca te abandonaria. Não depois de ouvi toda essa história. - leva as mãos até os cabelos dele e sorri. - você é um homem bom. - dá um selinho rápido nele.

- Eu te amo Mochi. - abaixa a cabeça um pouco grudando a testa com a de Jimin.

- eu também te amo Kookie. Você não vai mais passar por aquilo, nunca mais.

**

- Taichi não corra. - Jimin grita para o menino que corria do seu cachorro.

- Appa Taichi só tá blincano com o Bi. - aponta por cachorro que brincando com uma bolinha agora.

- eu sei meu amor mais tá na hora de você comer querido. - se aproxima do filho se abaixando na sua frente. - Appa Jungkook está nós esperando.

- Appa Jungkook? - sorri fechando os olhinhos como Jimin fazia.

- sim amor, vamos lá. - carrega o filho e caminha até Jungkook que estava na churrasqueira fazendo o típico churrasco Americano.

- APPAAAAAAAAAAAAAAAAAA! - Taichi balança os bracinhos pedindo colo para Jungkook que se afasta da churrasqueira e pega o filho no colo.

- oi meu amor. - dá um beijo na bochecha dele.

Jimin sorri vendo os dois homens da sua vida sorrindo lindamente, a melhor decisão que já tomaram na vida foi adotar aquele lindo menino. Taichi era o que faltava para completa os dois, agora sim eles estavam completos. Com seu bem mais precioso. Seu filho.









 

 

 


Notas Finais


ESPERO QUE TENHAM GOSTADOOOOOOOOOOO.

alguém mais odeia o pai do jk além de mim?
n sei se ficou tão bom mais oq vale é a intenção kkkkkkk obg pelas que leram a minha primeira oneshot.
HASTA LA VISTA.
obs: já tenho ideia pra mais 3 shots kkkkkk sou rápida ne? eu sei


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...