História Meu Vício, Minha Sangue-Ruim - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Draco Malfoy, Hermione Granger, Narcissa Black Malfoy, Scorpius Malfoy
Tags Dramione
Visualizações 495
Palavras 1.582
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Fantasia, Hentai, Magia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Estupro, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi, oi, leitoras!
Bom ! Tem gente que deve está pensando se Hermione vai perdoar o Draco, por que se for, para avisar que vão parar de ler.
Bom isto é uma Fanfiction, uma história fictícia que minha mente maníaca imaginou, assim como Bruxos, Vampiros, não existem. Então eu não vou puxar para realidade, pois isso infelizmente não é uma realidade então leiam uma história de Tomione, Hamione...enfim..não quero ser chata nem nada, mas estão me mandando no privado, eu deixei avisado que o conteúdo seria tenso.
Agradeço a quem acompanha e que esteja gostando da historia, espero que continuem a acompanhar!
Boa leitura.!

Capítulo 5 - Capítulo 5- Após a Segunda Guerra Bruxa


Fanfic / Fanfiction Meu Vício, Minha Sangue-Ruim - Capítulo 5 - Capítulo 5- Após a Segunda Guerra Bruxa


 4 meses depois da Guerra Bruxa


            Quatro meses haviam se passado, Harry Potter conseguiu vencer o mestiço imundo. Tudo havia acabado, mas todos do Ministério fizeram de tudo para prender todos os Comensais.

Meu pai havia sido preso cinco dias antes de tentarmos fugir e foi condenado ao beijo do dementador, eu e minha mãe tivemos que assistir a tudo. Ver o corpo falecido de meu pai causou mais dor ainda.

Minha mãe foi condenada a cumprir serviços comunitários ao Ministério em troca de sua liberdade. E eu como não havia feito nada, fiquei preso por alguns dias em Azkaban  e fui forçado pelo Ministério para concluir os estudos em Hogwarts.

Eles queriam me observar, eu sabia muito bem disso, minha mãe disse para eu me afastar de Hermione o máximo possível, que provavelmente ela voltaria para terminar os estudos. Ela me fez o favor de não me denunciar ao Ministério em troca do aborto. Eu tinha duas pessoas que eu amava mortas.

Meu pai, que por mais frio que ele seja me amava da forma dele e eu do meu jeito o amava também.

E meu filho ou filha que nem conheci, mas já amava !

Eu havia acabado de acordar, levantei da cama quentinha contra gosto, resmungando e xingando até Merlin que não tinha nada haver com isso. Eu seria motivo de chacota. 

-Draco! - minha mãe me gritou do andar de baixo, Bufei.

-Já vou - gritei no mesmo tom.

-Já está atrasado, o trem pode sair sem você...

-Talvez seja essa a minha idéia -Murmurei pra mim mesmo.

-Pare de ser orgulhoso, só esse ano e acabou meu filho, precisa ir!

-Eles querem me vigiar.

- Exato! E por isso, irá estudar. Acabar seus estudos e...- sua voz desapareceu, talvez a palavra certa morreu no meio

-E o que ? Vou viver sobre a Herança de meu pai e avô até ir a falência e morrer !

-Não fale isso meu filho, você pode recomeçar.

-O que mãe? Sou um fracassado, eu perdi a mulher que eu aba para sempre, perdi um filho que nem ao menos conheci...meu pai foi morto por me salvar. Como vou recomeçar? Acabou mãe!

Pego minha mala e vou em direção a porta.

Eu não  queria voltar isso era fato, toda minha vida estava em ruínas, tudo o que eu podia viver foi acabado, tudo culpa daquele Mestiço imundo, e eu !

Ele por ter ameaçado me matar para fazer meus pais aceitarem ser fiéis a ele.

E eu, por nunca fazer a coisa certa!

Chegando a plataforma eu me encontrei com Blásio e Theodore! Meu melhores amigos.

- Cadê a Pan ?- perguntei.

- Daqui a pouco ela chega!- falou Theo com desdém.

-O que que tá pegando ?- perguntei irônico.

Ele e Pansy namoravam, mas antes da Guerra começar, ele a viu traindo com o Weasley, sim com o ruivo do trio de ouro, o cara que a MINHA Hermione foi ou é apaixonada, irmão de Ginevera Weasley, melhor amigo do Potter, esse Weasley.

Mas Theo não consegue aceitar que Pansy só namorava ele de fachada para está com o Weasley.

- Cara, desde o dia em que começaram o namoro, você sabia que ela era a fim do pobretão, supera isso !

- Você superou a Granger?- perguntou Theo, olhei para Blásio o fuzilando com o olhar.

-Devo ter deixado escapar!- disse com uma cara de cachorro abandonado - Eu estava chapado.

-Relaxa! Não vou falar nada!- falou Theo me deixando mais aliviado. Começamos a caMinhar a caminho da entrada do trem e então me deparo com Granger.

Mas ela não estava como eu imaginava.

Ela está linda, sua pele estava mais radiante, seus cabelos caiam em cascatas até as costas, ela estava virada de costas para mim, rindo para a Weasley fêmea e Lovegood.

Porém o que mais me assustou foi ver sua barriga, ela acariciava a barriga e abraçava em forma de proteção  ela deveria está no final da gravidez, ela estava enorme.

Então a realidade me bate a porta, ela não abortou, não tinha tempo, ela já estava com uma leve ondulação desde a última vez que transamos. Senti meu rosto ficar vermelho, e meu punho fechar.

-Cara, não disse que a Granger havia abortado ?

-Era exatamente isso o que eu estava imaginando - falei irritado indo em sua direção.

Ela sorria, radiante,suas amigas tocavam em sua barriga e do nada riam abobalhadas.

Quando ela me viu seu sorriso morreu imediatamente, aquilo me fez parar um pouco e caminhar um pouco mais calmo. Ela tinha raiva e decepção nos olhos. Aquilo me machucou.

-Por que não contou?- perguntei, não me importava se Lovegood e a ruiva não soubessem do que eu estava falando.

-Do que você está falando ?

-Do meu filho que você carrega na barriga, você deixou bem claro que abortaria nem se quer me disse quando faria isso...nem se quer me alertou que havia mudado de idéia.- eu não gritava, eu falava em um tom alto suficiente para que só nós três conseguíssemos ouvir.

-Cara, se acalma, ela tá gravida- disse Blásio chegando atrás de mim junto com Theo que batia em meu ombro tentando me acalmar.

-Eu te avisei Malfoy! Eu te enviei cartas! E nenhuma delas desde a primeira em que eu avisava que estava indo a clínica abortar, a outra me arrependo, eu enviei mesmo você não merecendo saber ...

-Eu não recebi carta alguma...

- Ah, claro, não me venha com suas mentiras Malfoy, relaxa, não quero que assuma nada...-ela ia se afastar 

-Hermione...-puxei seu braço.

-É Granger, Malfoy!-ela down oh puxando seu braço de volta e voltando a caminhar, a ruiva seguiu a amiga sem pensar, porém uma loira com olhos azuis ficou me olhando.

- Você a ama, não é? - perguntou ela para mim, eu a olhei como se fosse uma aberração, ela apenas sorriu e se aproximou- Não pense que tudo acabou. Do jeito que ela fala,estava você pode ter uma chance de concertar tudo.

- E como sabe disso ?- perguntei rude.

-Desde quando ela ouviu o coração do bebê, ela se emocionou, e a partir do momento, ela quis te manter informando, mesmo depois de tudo o que fez. Vai de vagar! Os hormônios da gravidez podem ajudar, mas também podem atrapalhar -ela falava tudo como se tivesse chorando, ela sorriu olhando para Blásio que acenou para a menina meio desajeitado, e então ela se virou caminhando lentamente até a porta do trem.

-Eu acho que ela tem razão - falou Theo.

- Como assim ?- perguntei.

-Você a estuprou, tirou a virgindade dela sem ela ao menos saber como foi, e mesmo assim, depois disso tudo, ela te enviou várias cartas te informando tudo. Se ela realmente estivesse com ódio não iria te falar.

-Mas ...com o eu nunca soube das cartas ?

Blásio pois as mãos no queixo pensativo e então seus olhos se arregalaram.

- Sua mãe... no Natal eu a vi escondendo uma carta que estava em seu nome.

-Merda...como vou pega-las?-resmunguei - Não dá tempo de procurar, o trem está quase partindo.

- Eu sei onde está vou buscar, me esperem aqui!

Blásio aparatou e depois de algumas horas apareceu, o trem já estava quase partindo, ele estava com os envelopes na mão,porém não parou para falar comigo, foi correndo direto para o trem e eu e Theo o seguindo.

Procurando um vagão vazio, e Blásio me entregou os envelopes. E comecei a ler o primero do aborto.

"Malfoy. 

 Amanhã irei a clínica para abortar , sei que não vai me responder, mas não faço questão "


Ela havia sido muito seca nessa carta, nem ao menos me disse onde era, ou a hora. Ela realmente queria que eu não a impedisse. Abri a segunda.

"Malfoy.

    Na carta anterior, eu havia lhe informado do aborto, mas quando cheguei a clínica para checar o mês da criança me fizeram ouvir seu coração , ele batia tão forte.

Me desculpe, mas eu não irei abortar, mas não irei te denunciar...estou apaixonada "


"Malfoy.

         Hoje estou de 4 meses, tentei ver o sexo, porém, ele ou ela, não abria a perna, o bebê está saudável não tem nada de errado."


"Querido Malfoy.

         Não me respondeu a última carga, temo não está recebendo, hoje faço seis meses de gravidez, fui ao médico e descobri que é uma menina.

Dei o nome a ela de Alexandra, nome da minha falecida avó. Dentro do envelope tem as fotos da ultrassonografia."


A última carta tinha sido recente, provavelmente ela deve está no sétimo mês de gestação.

Sinto meus olhos pesarem e pego as imagens, era um monte de borrāo mesmo não entendendo muito, pude ver onde está a posicionada as costelas e aí identifico a cabeça. Levanto o olhar com lagrimas nos olhos, Blásio e Theo me olhavam preocupados.

-É uma menina -falei choroso e bobo- É minha garotinha- falei chorando mais ainda.Blásio e Theo sorriam para mim, e então vejo um vulto de enormes cabelos castanhos levanto correndo e vejo Granger entrando em uma cabine não tão distante da onde eu estava. Será que ela havia me visto chorar?

Porém aquilo não me importava, eu só estive feliz assim quando Hermione havia me dito que estava grávida, e agora sei que sou pai. Sou pai de uma menina, minha Alexandra. Minha filha, o papai promete que fará de tudo para conquistar sua mãe.

Eu vou te conquistar Hermione Granger, você voltará a ser minha, só que dessa vez, você que irá me querer. Sem Maldição ! Dessa vez, Farei do jeito certo.

- O que houve Draco ?- perguntou Blásio.

- Hermione !

-O que tem ela?- perguntou Theo.

-Vou conquista lá, por mais difícil que seja, farei de tudo, e vou precisar da ajuda de vocês.

- Cara não força a barra, vai de vagar.

- E eu vou, vou fazer do jeito certo !


Hermione Granger, você será minha!




Notas Finais


Ps: Alexandra (Alex) sou eu *-* a Herdeira Malfoy <3
Óbvio que eu tinha que aparecer!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...