História Meus 102 Desejos Sexuais - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Lemon, Original, Romance, Sexo, Yaoi
Exibições 86
Palavras 2.705
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Suspense, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Cá estou com uma nova fanfic minha. É a primeira vez que escrevo sobre algo tão intenso como isso, que irá ser praticamente sobre alguém viciado em sexo :v
Espero sinceramente que gostem e que não achem o personagem tão estranho quanto parece ser. A história irá ser contada, praticamente, em terceira pessoal, pois acho sua forma mais fácil e menos enjoativa.
Estou muito animada com está fic porque estava com essa ideia na cabeça já a algum tempo, enfim, espero que gostem e acompanhem a história.

Capítulo 1 - Ninfomaníaco


"Um desejo incansável, insaciável e acima de tudo... tão deliciosamente viciante. Não era capaz de parar... talvez nem quisesse parar. Não é minha culpa que seja um monstro, como costumam me chamar, adoro fazer isso e vou continuar a fazer. Porque afinal, quem liga para o que os outros pensam?" com esses pensamentos, estava a fazer sexo pela terceira vez com a mesma pessoa, não tinha culpa, adorava a sensação de tê-la. Estava a quebrar sua própria regra de que não podia ficar com a mesma pessoa mais que duas vezes, mas pouco se importava.

Os gemidos dela estavam por ser abafados pela mão do rapaz, que falava para fazer pouco barulho, pois logo alguém poderia entrar na sala, mas isso não significava que iria diminuir o ritmo ou as estocadas que dava incessantemente na moça. A mesa em que ela se apoiava rangia de acordo com os  movimentos que davam e não podia evitar de também adorar aquilo, a sensação de poder serem pegos a qualquer momento acabava por excita-los ainda mais, explicar aquele momento pra alguém iria ser o ponto alto de sua semana em que quase não ficara com ninguém para poder chamar a atenção daquele que agora, fazia sexo selvagem com ela.

- Se continuar... a fazer nesse ritmo... ah! Não aguentarei, nhg, muito tempo... ah! - Tentou falar entre os gemidos e o barulho da mesa que acabava ir para frente e pra trás.

- Que tal apenas ficar-te de boca fechada? Ajudaria imenso. - Propôs.

- Não consigo... hum... mais aguentar... - Avisou, então sentiu os movimentos aumentarem e algum tempo depois daquilo chegaram ao clímax juntos. 

Mesmo querendo mais, sabia que a menina não aguentaria, pois assim que saiu dela, a viu cair de joelhos e ficar assim por um tempo ainda estando ofegante. Os dois se olharam e sorriram, sabiam que era apenas mais uma foda casual e que não estavam apaixonados e não queriam ser um casal, se consideravam apenas farinha do mesmo saco.

- Por que demorastes tanto a pedir minha ajuda com seu "probleminha"? Sabes bem que não quero que andes a comer aquelas putas. Só de pensar já tenho arrepios. - Disse a menina ainda tentando regular a respiração e ao mesmo tempo se arrumando para estar mais apresentável para a próxima aula.

- Não posso fazer nada, estavas a me provocar demasiado e apenas cansei-me de lhe ver parecer no cio. - Afirmou colocando sua blusa que havia largado no chão anteriormente. - Isso não vai voltar a acontecer, já quebrei a minha regra com isto, não posso me apegar, sabes bem disso.

- Eu sei, eu sei. Contenta-te com a mão então ingrato. - Falou com um ar divertido e finalmente se levantou, claro com a ajuda dele. - Isto foi o que então? Uma foda de despedida ou algo do tipo?

- É... podemos chamar assim... até mais então Terry. - A garota sorriu e a observou mais uma vez, ela provinha de belas curvas naturais, seios demasiados grandes, um  lindo par de olhos azuis, uma pele branca, cabelos encaracolados e morenos. - Sinceramente, como ainda não tens um namorado? És muito bonita para estares sem ninguém.

- O que é isso? Estás se declarando pra mim ou algo do tipo? - Brincou e ambos foram andando em direção a porta. - Desculpe mas infelizmente não tenho muita sorte no quesito amor, prefiro as fodas casuais. 

- A sério, deveria parar de andar com caras como eu. Nunca vais encontrar pessoas que prestam procurando em lugares errados. - Afirmou quando os dois estavam do lado de fora da sala.

- Okay, então quando nos virmos novamente, estarei com um ótimo namorado! E iremos transar todos os dias! - Ambos riram e se olharam por uma última vez. - Até mais Alex.

- Até mais Terry. - Foram andando por lados opostos do corredor e de longe ele viu sua amiga de infância a sorrir maliciosamente em sua direção.

- Estavas novamente a iludir garotinhas inocentes? - Indagou aquela com um visual um tanto inusitado para uma personalidade tão animada quanto a dela.

- Aquela ali, de inocente, só tens o rosto. - E viu como a menina ria abertamente com o que falara. - Já disse que não precisas aguardar a mim enquanto estou a fazer essas coisas.

- É que eu gosto do calor que produz logo depois do sexo. Também conhecido como tesão. - Afirmou abraçando-o. - Sinceramente, sei tudo sobre você, mas o que mais me assusta é o fato de que ainda não encontraste ninguém com queiras ficar a sério.

- Estou a procurar a pessoa certa nos cantos errados, só isso. Mas não é como se quisesse encontra-lá, acho que ficaria extremamente decepcionada caso conhecesse alguém como eu.

- Acho você bem interessante... em vários quesitos. - Falou pensativa com a mão no queixo. - Não entendo como estás sempre acompanhado e ao mesmo tão sozinho.

- Não vamos falar disso de novo. Vou acabar lembrando-me de coisas desnecessárias.

- Desculpe-me, vamos andando então, podemos chegar a tempo de algum lanche dessente no refeitório. 

Os dois então caminharam até o local que, nesse horário estaria vazio. Ainda não entendia como Emily achava ele tão fascinante, eram amigos a mais de dez anos, haviam se conhecido graças a um amigo em comum que partilhavam, mas que agora não se falavam mais. De início pensou que seria alguma gótica estranha que apreciava a morte e se cortava por motivos fúteis que obviamente não se resolveriam por esses meios, mas era mais uma consequência por julgar pela aparência. 

O cabelo preto totalmente jogado para o lado esquerdo, contra a pele excessivamente pálida, acompanhado pelo lábio superior de roxo e o inferior de preto, roupas com mangas longas pretas e calças roxas. Era uma combinação estranha, sim, com certeza, poucas pessoas se aproximariam dela por vontade própria, ainda mais quando viam as tatuagens, várias delas sendo como se tivessem a costurado, inclusive uma passando verticalmente pelo seu rosto, ou até mesmo piercings que tinha na orelha, língua, umbigo e até mesmo nos mamilos e vagina.

Com essa aparência, nunca iria ter pensado que ela na verdade era uma pessoa totalmente... não havia definição, era simplesmente incrível, alguém que você quisesse a todo o custo que ficasse perto. Que alegrava seu dia só por uma troca de palavras e que sempre estava ao seu lado, a qualquer custo.

"A única que não quis fazer sexo comigo... e mesmo depois de todos esses anos, não mostrou um sentimento por mim... na verdade por ninguém." nem ele mesmo sabia se a mantinha por perto simplesmente pela sua amizade, ou por algum motivo que ele próprio se negava a aceitar, alguém finalmente não o quis, que nos momentos em que esteve mais acessível, ou quando tivesse tomado demasiado álcool, simplesmente dissesse não aos pedidos de sexo e coisas que agora tinha vergonha sussurradas ao ouvido da amiga.

Na verdade não sentia nada por ela. Não tinha vontade de fazer nada com ela, nem mesmo tinha tido uma única fantasia com ela, talvez por medo de perde-la, mas mesmo assim, depois de três anos vendo que não iria tê-la, desistiu e assim a amiga vinha acobertando-o quando era pego por alguém, servindo de um belo álibi nas horas em que precisava.

- Então... - Tirou da mochila em forma de sapo que levava consigo um pequeno caderno e riscou o nome da Terry. - Você ainda tem opções pelo que estou a ver, você pode tentar novamente com a Clarrisse ou pegar a novata transferida que está cursando Medicina, chama Letícia, a decisão é sua.

- Já disse para parar de usar esta mochila ridícula...

- Ah, mas eu gosto tanto dela, foste tu que me deste quando eramos mais novos.

- É eu sei, por isto estou a falar para parares de usar. - Reclamou. - Estás muito velha para este tipo de coisa.

- Quem decide o que usar, sou eu! 

- Gritas de novo e arranco-lhe a língua. - Bufou sentado-se na mesa do refeitório que, em si havia poucas pessoas. - Quantas meninas faltam para a lista acabar?

- Hum... - Emily começou a contar e sua expressão ficou preocupada. - Menos de treze! Não tinha ideia que faltavam tão poucas! Vou ter que sair e perguntar coisas vergonhosas as meninas do campo novamente... 

Era assim que funcionavam as coisas, muitas  vezes sua amiga que arrumava sua lista de encontro com as meninas, saía por aí pelo campos da universidade a perguntar se iriam querer ficar com um amigo dela, muitas aceitavam e entravam naquela lista louca, o que era ótimo já que Alex era péssimo em decorar os nomes das pessoas.

- Acho que não será necessário... vai ter que deitaste este caderninho fora. - Alertou e viu como seu olhar e como sua expressão ficaram surpresas.

- Por que? Sempre tivemos isso. Ou será que... aceitares a minha ideia? - Animou-se e começou a entrar em seu próprio mundo, falando coisas que ao ver de Alex eram totalmente desconexas.

- Alô, Terra chamando Emily, tudo bem com você? Não entre em seu mundo estranho de novo.

- Ah, desculpe... estava a imaginar se você seria o passivo ou ativo de uma relação, mas é obvio que seria o ativo... mas pensando bem.... alguém podeira... ah! Só de pensar nestas coisas tenho vontade de fazer fanards! - Falou em um tom mais alto.

- Pare de dizer coisas que não entendo, já falei para não fazeres coisas de mim as minhas costas.

- Não se preocupe foram só umas três... talvez sete imagens suas com outros garotos. - Com esta informação, que ao ver dele era completamente desnecessária revirou os olhos.

Haviam conversado disso anteriormente, mas a amiga estava apenas a brincar, não esperou de forma alguma que ele seguisse o conselho um tanto inusitado dela.

 

FLASHBACK

 

Era mais uma das noites em que tinha ido na casa do amigo afogar as mágoas, eram quase quatro da manhã quando Emily vinha bater-lhe a porta completamente bêbada e ainda levando consigo mais garrafas de cerveja, na qual acabaram-se e lá foram-se comprar mais em pleno sábado as seis da manhã.

Andavam na rua cambaleando e rindo histericamente por terem visto alguém tentando entrar em uma loja e batido com a cara na porta de vidro, estava frio mas devido ao demasiado consumo de álcool não sentiam, nem reparavam quando seus hálitos saíam da boca a aparecer. 

- Ei... Alex, você deveria ficar definitivamente com alguma dessas - Soluçou no meio da frase e então arrotou. - com alguma dessas meninas com quem transas. 

- Elas são apenas vadias Emily. - Afirmou batendo levemente nas costas delas que tossia devido a tentar fazer algo engraçado como tentar arrotar o alfabeto.

- Mas então uma hora as meninas irão acabar. - Afirmou. 

- Se acabar então ficarei no cio para sempre, me contentando com a mão e sites pornôs. - A menina riu abertamente e quando colocou as mãos em seu próprio rosto vendo como estava quente.

- Sabe você é a pessoa com as mais diversas histórias e com certeza a mais experiente na cama mas... aposto que nunca havia ficado com alguém do mesmo sexo. - Falou ainda rindo.

- Não são muitos meninos que querem somente uma trepada casual. - Afirmou virando a última garrafa que tinha trago na mão, ouvindo a amiga reclamar dizendo que era pra ter dividido. - Mas pensando bem... talvez aconteça que são menos frescos.

- Ahn? Como assim "menos frescos"?

- Uma vez, tentei ficar com aquela... como ela se chama mesmo? Enfim não importa, quando fui toca-la ela disse; "Que nojo eu não quero você toque no meu corpo!" - Falou tentando imitar a voz daquela menina que se manteve no anonimato.

- Foi como eu disse, suas histórias são sempre divertidas.

- Só quero dizer que talvez os garotos não tenham esse tipo de reação quando o tocarmos.

- Ou seja, pretende entrar no mundo yaoi e se tornar um uke com estilo seme, ou um seme totalmente sádico. 

Alex olhou para a amiga bêbada do seu lado falando de coisas que não entendia, enquanto ela tentava lhe explicar, sabia que não estava inventando, pois ela não iria ter toda esta criatividade, então por fim, descobriu que no mundo meninas com alguns parafusos a menos liam, escreviam, desenhavam ou até mesmo viam coisas homossexuais, mas não qualquer um, apenas aquele que tinha homens... pegando outros homens. Achou aquela ideia um tanto, como deveria falar? Inesperada? É talvez fosse a palavra certa, mas mesmo assim, era engraçado.

- Então estavas a fazer todos os tipos de personagens nas suas histórias - 

- Fanfics! - Disse irritada e ainda assim tonta.

- Okay, fanfics, com a minha personalidade?!

- Sim! - Exclamou feliz por ter tirado o peso das costas e finalmente contado o seu maior segredo ao seu melhor amigo.

- Exclua essas coisas agora antes que seja preso por algum crime homicida por sua culpa. - Ameaçou.

- São meus tesouros! Você nunca entenderia! 

Acabaram por brigar um pouco, mas não rendeu em nada suas ameaças ou perseguições tentando pegar seu celular no qual soube que era por onde postava suas coisas.

- Não se preocupe aqui diz que qualquer coincidência com a realidade é apenas mero acaso! - Disse rindo e desviando da garrafa de cerveja vazia que seu amigo tacara em sua direção.

- Pouco me importa! Eu sei que sou eu nesta porra! Apagas esta merda de uma vez!

- Nunca!

 

FIM DO FLASHBACK

 

- Já sabes quem irá ser seu próximo "alvo"?

- Nem sei se estou a levar isto a sério... mas quem sabe. - Olhou em volta e apontou para qualquer um aleatoriamente que passava por ali. - Aquele?

- Hum... é bonitinho.

- Sabes como se chama?

- Acho que era... Léo... algo do tipo, sei que cursa Marketing igual tu. - Encarou o garoto que passava ao lado da mesa onde se sentavam. 

- Quem é aquele que está ao seu lado? Talvez seja seu namorado?

- Não não, dá última vez que nos vimos estavas solteiro. Ainda admiro essa sua "grande" habilidade de esqueceres nomes, rostos e datas. - Falou ironicamente.

- E eu lhe admiro por gravares coisas tão insignificantes como estas. Enfim, de toda a forma deseja-me sorte.

- Vais começares agora? - Perguntou deixando bem claro o quanto estava animada com aquilo.

- Não perco tempo para programar uma boa foda. - Confiante se levantou e foi em direção ao menino de olhos castanhos, sardas e cabelo bagunçado que logo o notou. - Oi você é o Léo, certo?

- Ah... sim sou eu... - Disse deixando seu olhar entre o chão e o amigo ao seu lado que recebeu um olhar nada amigável de Alex.

- Léo eu acho que eu já vou indo, te vejo mais tarde. - Falou deixando-o sozinho as pressas sob o olhar que parecia pedir desesperadamente para que ficasse.

- Então fiquei sabendo que também estás a cursar Marketing.

- Sim... - Apertou os cadernos que carregava contra o próprio peito.

- Poderia passar lá em casa mais tarde? Estou com algumas dúvidas mas todos os meus amigos também não entenderam a matéria e me falaram que você era bom nisso.- Blefou, era claramente uma aposta que havia feito e pelo visto acertado quando viu o rapaz corar pelo elogio que havia recebido.

- Não sou tão bom...

- Enfim, desejaria ter você a me ensinar esse tipo de coisa. Então lhe passarei o endereço mais tarde pode ser? - Um pouco hesitante o menino abriu a boca tentando lhe dar uma resposta que por algum tempo tardou, mas logo depois veio um "Sim!" que foi recebido com um sorriso por ambos. - Então espero que possas me ensinar tudo o que sabes.

- V-Vou tentar. - Afirmou com a voz vacilante. 

Sabia que estava a falar com o homem mais mulherengo da universidade, que provavelmente agora parecia querer explorar outras áreas... também podia escutar uma voz a fundo na sua cabeça falando-lhe que iriam fazer muitas coisas, nenhuma delas incluía o estudo. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Kissus :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...