História Meus amigos não me amam como você. - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Tags Amor Doce, Armin, Maegi
Exibições 191
Palavras 1.794
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Espero que me perdoem pela demora, fiquei enrolada com a faculdade e o estágio.
Há alguns dias eu postei uma one shot que escrevi tem um tempo, vou colocar o link nas notas finais pra quem quiser dar uma lida :)

Espero que gostem esse capítulo, escrevi com o maior carinho.
~Xoxo.

Capítulo 19 - Pousada Luz do Sol


Fanfic / Fanfiction Meus amigos não me amam como você. - Capítulo 19 - Pousada Luz do Sol

POV: Maegi

 

Quinta-feira, 8h.

Estamos na aula de ciências, Armin tá quase dormindo do meu lado. Rosa e Alexy estão rabiscando um caderno, e eu tô tentando prestar atenção na aula. Confesso que tá difícil, viu? Mas não me resta escolha, as férias estão chegando e eu não quero ficar de recuperação.

Fiquei tão distraída com meus pensamentos que nem percebi que o Armin acordou e está rabiscando um papel agora, ele me passou o papel e eu pude ler a frase “Tenho novidades sobre você sabe o assunto, quer saber?”, respondi escrevendo “Claro que sim!” e devolvi o papel, ele sorriu e respondeu “conversamos em um local reservado então, no almoço”, li a resposta e dei um like pra ele com a mão.

A aula acabou, fui guardar minhas coisas no armário e segui pra segunda aula do dia: geografia, pra piorar ainda tive que aguentar a melosidade da Ambre pra cima do Kentin, não é que eu esteja com ciúmes, mas meu amigo merece coisa melhor, não é não?! Armin me mandou uma SMS dizendo que vamos conversar no terraço.

Quando acabou a aula eu corri pro terraço, estou muito curiosa sobre a novidade, espero que seja coisa boa! Subi as escadas e me deparei com os gêmeos olhando o horizonte, de costas pra mim.

- Olá! - falei.

- Olá, amiguinha! - Alexy falou me abraçando bem apertado, quase me sufocando.

- Ale-Alexy - mal consigo falar - nã-não consigo respi-pirar. - ele me largou e começou a rir.

- Vamos sentar. - Armin falou rindo, caminhamos até uns bancos próximos e sentamos. - bem, ontem a noite o detetive que contratei me ligou, contando que tem novidades. Ele já sabe de qual orfanato fomos adotados por Vitória e Arnaud. Ele me deu o nome e o endereço, - pegou um papel que estava no bolso e me deu - mas fica em uma cidade vizinha, umas duas horas de distância daqui.

- Puxa. - falei - Que legal, e o que vão fazer agora? - peguei o papel e comecei a ler.

- Pois é, é aí que você se encontra. - olhei pra ele curiosa - Nossos pais vão estranhar se nós dois sairmos da cidade de repente, juntos. Então nós tivemos uma ideia ontem...

- Você vai com o meu irmão, enquanto eu dou cobertura pra vocês dois daqui. - Alexy falou, cortando a fala do Armin.

- Oh… - confesso que me pegaram de surpresa.

- Você pode? - Armin perguntou.

- Bem, acho que sim. Mas meus pais não deixariam eu sair da cidade assim, mesmo que seja em uma cidade vizinha. - passei as mãos no cabelo, pensativa.

- Eu já disse, posso cobrir vocês. Vocês vão na sexta a tarde, dormem por lá e voltam no sábado a tarde. Nada suspeito. - Alexy falou super animado.

- Você ta sendo irônico, né? - ele balançou a cabeça de forma negativa - Meu Deus do céu. O que eu digo pra eles então?

- Você e Lety marcam de “dormir” lá em casa, - ele fez sinal de aspas na palavra dormir - mas na verdade só a Lety dorme lá, comigo! Fingimos que temos um trabalho, sei lá. E o Armin dormiria na casa de outro colega, hum… - ele colocou a mão no queixo pensando. - Ele pode “dormir” na casa do Castiel. - novamente ele usou as aspas. - Vamos lá, é o plano perfeito!

- Não posso negar, é perfeito mesmo. - Armin falou - E aí? Topa?

- Bem, claro. Só temos que inventar uma desculpa pra Lety. - falei.

- Deixa isso comigo. - Alexy falou. - Agora vou indo, vou falar com ela, até mais, pombinhos! - ele levantou e desceu as escadas.

- Espero que dê tudo certo… - falei.

- Vai dar sim. - Armin segurou minhas mãos e me beijou na testa, depois beijou minhas bochecas, a ponta do meu nariz e, por fim, me beijou nos lábios. Encurtamos o espaço entre nós no banco, coloquei minhas pernas por cima das pernas dele, enquanto ele apertava a mão na minha cintura e a outra me acariciava a nuca.

Ficamos desse jeito por mais um tempo e depois descemos pra nossas aulas.

Durante o resto do dia não aconteceu nada muito interessante, apenas planejamos melhor a viagem, horário e etc. Combinamos com a Lety de que era um assunto pessoal mas de muita importância e ela concordou em ajudar.

 

Sexta-feira, 16h.

Estamos na casa dos gêmeos, estou com minha mochila arrumada com uma muda de roupa pra usar amanhã e um pijama. Estou esperando o Armin acabar de arrumar a mochila e vamos partir no carro dele. Nos despedimos do Alexy, da Lety e dos pais dos gêmeos. Seguimos até o carro, colocamos as mochilas no banco de trás e seguimos viagem.

Pegamos um pouco de trânsito no começo e depois seguimos tranquilos, colocamos nossas músicas preferidas pra tocar e conversamos bastante, ele me contou sobre sua infância, me contou sobre como ele se sentiu depois que descobriu a verdade sobre a adoção, entre outras coisas.

Por volta das 18h30 chegamos em uma pousada chamada “Luz do Sol”, Armin alugou um quarto pra nós passarmos a noite. E só agora me toquei que vou dormir com ele… Meu Deus! Corri pro banheiro da recepção e lavei meu rosto na pia, de repente meu coração acelerou, minha respiração ficou mais forte...

- Calma, Maegi… - falei pra mim mesma e lavei meu rosto mais uma vez. Me olhei no espelho, encarei meu reflexo e respirei fundo e devagar, até me acalmar. Depois voltei para a recepção.

- O que houve? Achei que estava passando mal. - ele se aproximou de mim, preocupado.

- Estou bem… - sorri envergonhada, tentando manter a calma.

- Vamos, nosso quarto é o 13. - ele me levou pela mão até a entrada do quarto. [N/A: Link do quarto nas notas finais]

Entramos e vi que era uma suíte bem pequena, mas aconchegante, como ficaríamos por uma noite, está de bom tamanho. Armin sentou na ponta da cama e tirou os sapatos, colocou ao lado do pequeno guarda roupa que havia em frente a cama, ali também guardou a mochila. Fiz o mesmo, guardei minhas coisas e logo ouvimos batidas na porta.

- Deve ser o jantar que eu pedi pra trazerem. - ele levantou e atendeu, recebeu o jantar e colocou a bandeja em cima da cama. Me olhou e eu corei, estou meio envergonhada porque essa é a primeira vez que ficamos sozinhos de verdade.- Ta tudo bem? Estás vermelha igual o cabelo do Castiel. - ele riu

- Oh, desculpa! - coloquei as mãos no rosto. Ele se aproximou e afastou minhas mãos e me beijou.

Quando ele fez isso meu coração acelerou e eu fiquei nas pontas dos pés, retribui o beijo e enlacei meus braços em volta do pescoço dele, ele passou um braço por volta da minha cintura e me apertou contra si, quando ele fez isso, uma onda de arrepio passou pelo meu corpo, estremeci um pouco e ele me sentou na cama. Continuamos a nos beijar e ele sentou ao meu lado e foi me deitando aos poucos, ficando por cima de mim. Quando finalmente deitei, ele diminuiu a intensidade do beijo até virar um selinho, em seguida ele beijou minha testa.

- Vou tomar banho, pode me esperar pra jantar? - assenti e ele pegou uma toalha que estava no guarda roupa, pegou seu pijama já separado da mochila e seguiu pro banheiro.

- Meu Deus… - sussurrei e coloquei minhas mãos novamente no meu rosto. Comecei a lembrar dos toques dele no meu corpo e me arrepiei novamente, será que eu vou resistir essa noite? Levantei e peguei uma toalha, junto do meu pijama [N/A: Link do pijama dos dois nas notas finais] e esperei o Armin sair do banheiro. Ele saiu vestindo apenas um short com o símbolo do batman, hahahaha, ficou até muito fofo.

Comecei a rir sozinha.

- O que houve? To feio? - ele abriu os braços e se olhou.

- Claro que não! Adorei o short. - ri de novo e entrei no banheiro. Tomei banho rapidamente e coloquei meu pijama da mulher maravilha, parece até que combinamos. Sai do banheiro já rindo, ele me olhou e sorriu. - Parece que combinamos, não é?

- Pois é! - ele levantou e me deu um beijo.

Comemos o jantar, era um espaguete muito gostoso com refrigerante. Depois disso, Armin chamou a recepcionista para pegar a bandeja suja e eu fui escovar os dentes e deitei, ele fez o mesmo e deitou ao meu lado.

Ficamos nos olhando por um bom tempo, no silêncio das nossas respirações.

- Armin, eu… - ele colocou um dedo nos meus lábios, me calando.

- Não se preocupa, não vai rolar nada que você não queira. - e contornou meus lábios com o mesmo dedo, passou a mão para minha nuca e me beijou, me deixando quase em cima dele.

Passei a mão pelo seu peitoral nu e arranhei de leve, depois apertei, ele estava com as mãos em meus braços e depois as colocou na minha cintura, por debaixo da blusa do pijama, ele subiu as mãos e viu que eu estava sem sutiã e começou a explorar as áreas da minha costela, sem tocar nos meus seios, esse toque me arrepiou inteira. Ele nos virou e ficou por cima de mim. segurou minhas mãos juntas perto da cabeceira da cama, o que me fez esticar o corpo, ele sorriu e começou a beijar minha barriga, suspendeu minha blusa deixando só minha barriga a mostra e seguiu com as carícias enquanto eu suspirava. Depois disso me olhou como se me pedisse pra ter calma e subiu os beijos pros meus seios, por cima da blusa, beijou o centro de cada um, me arrepiando inteira, e passando as mãos por minhas coxas. Depois disso ele subiu os beijos pro meu pescoço e me beijou nos lábios, colocando as mãos pela minha cintura, ficando inteiramente por cima de mim, ai então pude sentir, literalmente - a excitação dele encostando na minha coxa.

- Armin… - disse entre os beijos.

- Eu sei. - ele finalizou o beijo bem devagar, saindo de cima de mim e seguiu até o banheiro.

Passei a mão pelo meu corpo inteiro e toquei meus seios, no local onde ele beijou, foi como se eu tivesse sentindo seu toque de novo. Coloquei as mãos no rosto, não estou acreditando que estou aqui com ele, está tudo perfeito. Ele voltou do banheiro e deitou ao meu lado de novo, dessa vez apenas me aconcheguei em seu peito e assim dormimos abraçados.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...