História Meus dois lados da vida - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Acnologia, Aquarius, Aries, Bacchus Groh, Bickslow, Cana Alberona, Câncer, Capricórnio, Carla (Charle), Charlie, Chelia Blendy, Elfman Strauss, Erza Scarlet, Evergreen, Gajeel Redfox, Gemini, Gildartz, Grandeeney, Grandine, Gray Fullbuster, Happy, Igneel, Jellal Fernandes, Jude Heartfilia, Juvia Lockser, Laxus Dreyar, Layla Heartfilia, Levy McGarden, Libra, Lisanna Strauss, Loki, Lucy Heartfilia, Macao Conbolt, Makarov Dreyar, Mavis Vermilion, Metalicana, Michelle Lobster, Minerva Orland, Mirajane Strauss, Nashi Dragneel, Natsu Dragneel, Pantherlily, Pisces, Rogue Cheney, Romeo Conbolt, Scorpio, Silver Fullbuster, Skiadrum, Sting Eucliffe, Tauros, Ultear Milkovich, Ur, Virgo, Weisslogia, Wendy Marvell, Yukino Aguria, Zeref
Visualizações 12
Palavras 4.744
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi, hoje é terça, tive prova e vou ter outra quinta... olha, talvez semana que vem eu não poste... ou talvez nem essa semana.
Bom, não vim aqui lamentar minha vida, trouxe aqui mais um cap para vocês lerem... muito obrigada pelos favoritos e por lerem a fic.... Boa leitura ;)

Capítulo 2 - Fizemos as pazes?


Antes:

Aries:.... "Professora existe magia?"... eu não sei, pode existir, mas pode também não existir....

Levy:... imaginem termos magia, e fazermos o que quisermos com ela. Poderíamos nos tornar heróis....

Juvia: É mas.... assim como teria gente usando o poder para o bem, teria pessoas usando o poder para o mal.

Erza: Vamos parar de falar disso?

 ... Estou arrumando uma pequena mochila, para ir à mansão...Saímos do colégio, e, lá estava o carro para nos levar na mansão....

Chegamos na mansão....Chegamos na sala de jantar. Todos estavam reunidos lá.

Lucy: Boa noite família

-Boa noite, Lucy

.....

Lucy: Jude, você pretende trancafiar a Mia pelo resto da vida dela?....

Jude: Eu sou seu pai! Eu exijo respeito!

Lucy: Pai? Não me faça rir, você se acha pai? Ok.... Eu vou ver como a Mia está....

Sting: Lucy!

Eileen: Pode ir Lucy...

...Não fiquei nem mais um segundo, subi as escadas e fui para o quarto da Mia...

Lucy: Gatinha... Não chora...

...Fui para o meu quarto e o Sting tava lá, sentado na minha cama...

Lucy:... Sting, eu tô cansada, prometo que amanhã falo com você...

...Ele saiu do quarto e fechou a porta... Me direcionei para a cama, deitei, desliguei o abajur e apaguei.

Agora:

Autora on:

Naquela noite, na mansão Heartfilia, um loiro ficou arrependido da forma como tratou sua irmã. Pois ela estava certa, nem ele tinha perdoado Jude, afinal, Jude não era seu pai para fazer o que fez, claro, o loiro tinha respeito por ele, mas Sting achava que ele não tinha o direito de fazer o que fez, nem mesmo com seus próprios filhos... foi... imperdoável.

Mas, mesmo sendo imperdoável, Jude pediu perdão ... "O que fazer? Como posso pedir para minha irmã, que foi quem mais sofreu, para perdoá-lo... se nem mesmo eu o perdoei?". Perguntava-se Sting. Ele tava deitado em sua cama com um braço por cima dos olhos.

Até que alguém bateu na porta...

Sting: Pode entrar- falou ainda pensativo.

Quando a porta se abriu, ele viu quem era... era Erza.

Erza: Sting...- ela falou hesitante, pensou até em não se meter no assunto, mas ela precisava. -  Você sabe que está errado, né?- perguntou com cuidado.

Sting: Sim....- falou com pesar- eu sei... fecha a porta, por favor?

Erza fechou a porta e se sentou na ponta da cama.

Erza: Pretende pedir desculpas?- perguntou olhando para o nada.

Sting: E ainda pergunta?- falou debochado.

Erza: Sim, ainda pergunto...- falou confiante- Você é.... confuso? É por aí...- falou pensativa.

Sting: Como assim?- perguntou confuso. 

Erza: Sting... Você é orgulhoso...- o loiro iria rebater, mas Erza falou antes dele- Isso você não pode negar... eu nunca sei quando você vai pedir desculpas ou não... A única que sempre sabe sobre como você está ou o que irá fazer em seguida, está no quarto ao lado magoada e se culpando pelo que aconteceu...- falou com pesar.

Sting: Eu sei que a culpa é minha, tá? Não preciso de sermão!- falou desgostoso.

Erza: Precisa sim!- falou firme- Você magoou a única pessoa que te entende de verdade, que sempre fica do seu lado... Você magoou a única pessoa que cuidou de você desde que Layla morreu.... Lucy é mais nova que você... mas ela sempre cuidou bem de ti. Nunca deixou de te apoiar, mesmo você estando errado. Ela sempre olhava o seu lado da história, mesmo que você fosse o culpado... Lucy sempre te apoio... Por que você não tentou ver pelo lado da Lucy?- nesse momento, Erza já estava falando duramente com Sting.

Sting: Eu não sei- murmurou e virou a cabeça para o lado, desse jeito seus cabelos cobriam seus olhos.

Erza: O que?- perguntou com mais raiva por não ter ouvido.

Sting: EU NÃO SEI- gritou olhando para ela novamente e deixando seus olhos à mostra.

Dava para ver as lágrimas acumuladas em seus olhos azuis.

Erza: Pois então descubra o por que, e, quando descobrir, vá lá e pessa perdão.- disse firme e fria.- Boa noite!- saiu do quarto e bateu a porta com força.

Sting limpou suas lágrimas, fechou os olhos e dormiu rapidamente.

Enquanto do lado de fora do quarto de Sting, Erza estava parada olhando para a parede. "Era preciso isso! Ele precisava acordar! Precisava enxergar o que não conseguia ver..." . Erza pensava com pesar, afinal, não era fácil ser fria e dura com sua própria família... mas era preciso! As vezes temos que guiar a pessoa no caminho certo... e se precisasse de um " puxão de orelha", ela estaria lá para fazê-lo. Era assim que Erza pensava.

Erza andou pelo o corredor e bateu em outra porta... A pessoa que estava no quarto deu permissão para que ela entrasse, e, assim ela fez...

Erza: Tudo bem?- perguntou com a voz calma.

Mia: Eu não sei- falou triste e abaixou a cabeça.

Erza: Você também com eu não sei... Vou começar a odiar essa frase.- resmungou baixinho.

Mia: Desculpe, mas poderia repetir? Eu não ouvi...- falou olhando para a ruiva.

Erza: Nada não...- falou desviando o olhar-  Só queria saber se estava tudo bem...

Mia: Erza- chamou-a- eu deveria pedir desculpas a eles?- perguntou triste.

Erza: Não, você não vai fazer isso, eles estão errados- falou firme.

Mia: Erza, eu quero dormir, estou com sono... Boa noite- falou e virou ao lado contrário da porta, onde estava Erza.

Erza: Boa noite.- falou e fechou a porta do quarto de Mia.

Por fim, a ruiva foi para o último quarto... bateu na porta e esperou. Nada. Bateu de novo e... nada.

Erza abriu a porta e viu que o quarto estava escuro... Então ela chegou a conclusão de que Lucy estava dormindo.

Fechou a porta e foi para seu quarto. Chegando lá, deu um alto suspiro. O dia tinha sido loooongo para Erza. Mas o dia ainda não tinha terminado, ainda não... ia resolver uma coisa antes de dormir.

A ruiva pegou o celular e ligou para a pessoa que iria amenizar esse clima tenso que ficou na família...

Ligação on:

- Oi

Oi, Erza?-

- tudo bem?

Vai logo ao assunto- falou com tédio.

- Como sabe que eu quero algo?- perguntou curiosa.

Estava óbvio- falou com mais tédio ainda.

Bom, eu sei por dois motivos... primeiro porque eu te conheço... Segundo, porque você não me ligaria às 22:54 da noite por nada...- falou como se fosse óbvio.

- Você.... poderia vir aqui amanhã e passar o fim de semana aqui? É que o clima tá meio tenso aqui na mansão- falou preocupada.

Deixa eu ver... Jude e Lucy... de novo?- perguntou depois de um suspiro.

- Olha, eu sei que é pedir demais, mas eu realmente preciso de ajuda....- disse calmamente.

Hm... tá. Eu e minhas irmãs vamos...- disse por fim.- mas, agora me deixa dormir...

- tá, boa noite...

Boa noite...-

Ligação off

Erza suspirou. Olhou para a cama, se deitou nela, apagou o abajur, fechou os olhos e dormiu. Dormiu após um looongo dia.

Autora off

Sting on:

Acordei, mas eu tava com preguiça e com a menor vontade de levantar... fiquei deitado na cama, até alguém bater na porta.

Sting: Entre...- disse com os olhos opacos.

???: Nossa! Mas você tá na pior mesmo em?- falou debochada.

Olhei para a pessoa e... Não podia acreditar que ela estava aqui...

Sting: Mariko?- falei surpreso.

Mariko: Eu em pessoa- falou divertida e apontando para si mesma.

Sting: Qual o motivo dessa vez?- perguntei entediado.

Mariko: O de sempre...- falou normalmente.- Mas você tá um trapo, em. Vai banhar e aproveita escova os dentes que da para sentir seu bafo de leão daqui.- falou tampando o nariz.

Suspirei. Me levantei e fui para o banheiro. Depois de terminar minha higiene, coloquei uma blusa azul e uma bermuda preta. Penteei meu cabelo e tava pronto.

Mariko: Bem melhor... Agora você vai tomar um café da manhã e depois... Você faz o que quiser... vai estar livre de mim.- falou alegre.

Suspirei novamente. Desci para tomar café e.... Não tinha uma alma viva ou morta na sala de jantar.

Mariko: Eles saíram... os únicos  que estão em casa são eu, você e a Mari...- informou-me e terminou a frase com tristeza na voz.

Sting: A Mari... tá melhor?- perguntei cuidadoso.

Mariko: De acordo com ela... Sim- falou com tristeza no olhar.

Sting: Ela sempre diz que está bem... mas nem sempre é verdade.- disse com pesar.

???: Acreditem, a última coisa que eu quero de vocês... É pena.- falou amarga. Desde quando ela tá aqui?

Mariko: Não estamos com... pena de você.- disse calma.

Sting: Só estamos preocupados...-disse calmo também.

???: Não tem o por que de estarem preocupados...- falou áspera.

Sting: Você sempre diz isso Mari, mas será mesmo que não precisamos nos preocupar?- falei impaciente.

Mari: Não, não precisam se preocupar.- falou impaciente também.

Mariko: Mari, tem algo de errado com você desde semana passada...- disse preocupada- eu não sei o que aconteceu, mas, você tem andada inquieta, fica no mundo da lua uns zilhões de vezes e outras coisas que eu esqueci... o que te aconteceu?- perguntou tentando entender.

Mari: Nada- falou fria- eu vou subir... qualquer coisa, tô no quarto da Lucy.- disse indo embora.

Suspirei e tomei meu café da manhã em silêncio... Mariko não falou uma palavra depois que a Mari subiu... essas meninas...

Terminei o café da manhã e voltei para o quarto. Resolvi dormir novamente, cai entre nós, eu sou muito preguiçoso.

Quebra de tempo

Acordei com uma ruiva raivosa me balançando com muita força... se ela é assim com raiva, imagine furiosa...

Sting: O que foi que eu fiz dessa vez?- perguntei sonolento.

Erza: Na verdade Sting, o que você não fez...- falou com mais raiva ainda.

Sting: Tá... reformulando a pergunta... o que foi que eu não fiz dessa vez?- perguntei entediado.

Erza: Está brincando com a minha cara?!- falou fria e cortante, com uma aurea maligna em volta dela. Que medo!

Sting: N-não E-Erza... e-eu só queria saber o que eu fiz...- falei com medo. Erza dá muito medo.

Erza: Acho bom mesmo- disse ficando tranquila e a áurea maligna foi embora...

Mariko: Sting, esclarecendo o que viemos fazer aqui, é.... Nós viemos para você pedir perdão para a Lucy.- disse calma.

Sting: Com a Lucy é... complicado.- falei melancólico.

Mariko: Nananinanao, eu não vim aqui para passar o fim de semana inteiro atoa, eu vim aqui para resolver uma briga de irmãos infantis! - falou autoritária.- Se bem que a Erza chamou a Mei para cuidar disso, não eu.- disse pensativa.

Erza: Quer saber? Cansei!- falou brava.- Sting, faz o que quiser! Eu desisto!-disse e saiu do quarto brava.

Mariko suspirou. Olhou para mim, fechou a porta e se sentou na cama.

Mariko: Sting, a Erza nos chamou porque o clima da casa tava tenso, amenizamos um pouco, mas não totalmente... Eu não queria vir- falou olhando para o nada e fez uma pausa- Mas, eu vim porque, primeiro, a Mari precisava sair de casa, aquela casa não faz bem à ela, porém eu sei que vamos voltar para lá quando o fim de semana acabar... para ser sincera, nem eu gosto daquela casa... Segundo, eu vim tentar resolver essa briga entre você e Lucy, já que, cá entre nós, Lucy não vai perdoar Jude tão cedo... Bom, se fosse eu... eu não perdoaria, mas a Lucy tá tentando.-falou calmamente.

Sting: De verdade Mariko, eu nem sei o por que que eu fiz aquilo... Ela tava certa, nem eu o perdoei...- falei triste olhando o nada.

Mariko: Sting, se você não suas ações, vai atrás de quem te conhece, para saber, qual foi seu verdadeiro motivo. Eu não te conheço tão bem quanto a Lucy, então eu não sei te dizer se você fez isso por respeito ao Jude ou por outro motivo...- continuou falando calmamente.

Sting: Obrigado, você é melhor que a Erza para dar conselho e também você não gritou ou falou frio comigo como ela, tô indo no quarto da Lucy...- falei calmamente.

Mariko: De nada, eu sempre acredito que uma conversa calma é melhor do que uma conversa gritando... a pessoa se abre mais com você quando você está calmo...- falou calmamente.

Sting: tô indo...- disse levantando da cama e caminhando rumo ao quarto de Lucy.

Chegando na porta do quarto dela... eu respirei fundo e bati. Lucy me deu permissão para entrar. Assim o fiz, entrei. Lucy estava deitada com uma blusa rosa com detalhes branco e um short curto preto... e a Mari tava deitada com ela na cama.

(A: Gente a Mari tá com a roupa da capa do cap anterior)

Sting: Lucy, podemos conversar?- falei sério.

Ela suspirou e pediu para a Mari se retirar do quarto e assim ela fez. Fechei a porta e sentei na cama dela... isso me fez lembrar de ontem a noite...

Lucy: Então, o que quer?- perguntou me olhando.

Sting: Perdão, de verdade, eu não sei por que fiz aquilo ontem e...- eu tava falando, mas ela me interrompeu.

Lucy: Tudo bem Sting, Jude não é seu pai, e, é por isso que você tem respeito com ele, você tem medo que ele te expulse dessa mansão, mas ele não pode porque... Bom você sabe... O seu motivo de ter feito aquilo, foi tentar evitar que "aquilo" acontecesse novamente comigo... Você tentou me proteger de novo e eu te agradeço.- disse olhando para o nada, com os olhos opacos.

É, eu acho que ela tem razão, por ser irmão dela, eu agi no automático e nem pensei direito no que fiz, talvez eu tivesse com medo de não conseguir protegê-la novamente... 

Sting: Como foi o passeio?- perguntei tentando mudar de assunto,e, deu certo.

Lucy: Foi legal, a Meiko....

Ela falou muita coisa...

Sting off

Erza on:

Enquanto as meninas iriam tomar sorvete, minha mãe e Jude iriam resolver uns problemas com o rei e eu iria ver meu namorado.

Fui de buzão até a casa dele, quando cheguei, toquei a campainha. Logo um adolescente de cabelos azuis, que estavam bagunçados, abriu a porta.

???: Erza?!- perguntou surpreso.

Erza: Pra que toda essa surpresa Jellal? Fez algo que não deveria?- perguntei duramente. Ele suspirou.

Jellal: Não Erza, eu acabei de acordar... meu cabelo ainda tá bagunçado...-respondeu corado. Ah,entendi!

Erza: Não vai me convidar para entrar?- perguntei divertida.

Jellal: Claro, senhorita Scarlet... Entre e fique à vontade.- disse debochadamente.

Erza: Muito obrigada senhor Fernandes... fico honrada pelo convite.- falei debochada.- Seu pai e Levy estão?

Jellal: Não, meu pai saiu para trabalhar e a Levy saiu para o shopping com a Juvia, disse que não voltaria tão cedo.- falou calmamente.

Erza: Hm...Então estamos sozinhos?- perguntei maliciosamente.

Jellal: Sim...- respondeu distraído.

Depois de me responder, eu o beijei, um beijo quente, nossas línguas batalhavam por espaço... e quem ganhou foi o Jellal, é, ele vai ficar por cima hoje...

É que nós fizemos um acordo, o acordo é: antes do sexo vamos dar um beijo bem excitante e quem vencer a batalha das línguas fica por cima. Claro que essa regra de ficar por cima não vale para as preliminares.

Fomos nos beijando até seu quarto, entramos e ele trancou a porta. Olhei para ele e ele olhou para mim. O empurrei na cama e....

Essa manhã foi MUITO boa.

Quebra de tempo

Cheguei na mansão e parece que minha mãe e Jude já chegaram. Daqui a pouco as meninas chega....

Subi para o segundo andar e a porta do quarto de Sting estava fechada. Fui lá ver se ele ia pedir desculpas ou não. Quando fui entrar Mariko apareceu do nada...

Erza: Quer me matar de susto?- perguntei com a mão no peito.

Mariko: Desculpe. Vamos entrar?- perguntou apontando a porta com a cabeça.

Fiz um aceno com a cabeça em sinal de positivo. Então entramos e... o engraçadinho tava dormindo.

Fui até ele e o sacudi com força....

(A: Bom o resto vocês sabem...)

Erza off

Meiko/Mei on:

Hoje eu fiz uma coisa bem difícil... eu consegui convencer, não só o meu pai, como as minhas irmãs, a irmos na mansão Heartfilia, claro que meu pai não iria, ele só tinha que deixar nos três irmos...

Convencer meu pai e a Mari foi fácil, o difícil foi a Mariko. Mas o que importa é que eu consegui.

A Erza pediu ajuda, então eu vou ajudá-la.

Cheguei na mansão e todos, menos Sting, estavam tomando café da manhã... onde aquele idiota se meteu?

Mei: Bom dia!- disse alegremente, só então todos na mesa perceberam minha presença e da minhas irmãs.

Bom dia-responderam todos.

Jude: Com todo o respeito, mas o que fazem aqui?- perguntou curioso.

Mari: Estamos aqui para resolvermos o problema de ontem à noite...- disse calmamente.

Não era para ela falar a verdade, era pra ela falar que estávamos de visita. O clima na mesa ficou tenso e eu olhei mortalmente para a Mari. Ela desviou o olhar.

Lucy: Então...eu e a Gatinha estamos indo...- falou calmamente.

Jude à olhou com raiva. Suspiro. Tô vendo que vai ser difícil.

Mei: Indo para aonde?-perguntei curiosa.

Mia: Tomar sorvete- respondeu animada.

Mei: Posso ir?- perguntei animada e Lucy acenou a cabeça em sinal de sim.- Que bom! Vão indo na frente que eu vou falar com a Mari rapidinho.

Elas foram na frente. A Mariko veio até mim e disse que ia ficar, eu falei que não tinha problema. Olhei para a Mari e a puxei para um canto da mansão que não teria ninguém.

Mei: Você é louca?!- perguntei incrédula- Não era para ter falado aquilo... Você deixou todos da mesa tensos.... Tem idéia do que fez?!- perguntei com raiva.

Ela abaixou a cabeça e a balançou em sinal de não.

Mei: Você acabou de deixar as coisas mais difíceis...- falei com raiva.- Eu vou sair com elas...- disse me referindo a Lucy e Mia- Você vai ficar e vai tomar cuidado com suas palavras... Entendeu?- falei taxativa.

A minha pergunta foi retórica, mas mesmo assim queria ouvir um "sim" sair da boca dela. Ela acenou com a cabeça positivamente. 

Eu levantei sua cabeça, que estava abaixada, olhei nos seus olhos e... dei um tapa na cara dela, quase deixando marca. Voltei a fazer a pergunta:

Mei: Você entendeu?- falei entre dentes- Quando eu falar com você, você me responde, já falei isso um milhão de vezes...- disse com muita raiva- Vou perguntar novamente... Você entendeu?- perguntei ríspida.

Mari: Sim- disse baixinho. Dei um tapa mais forte em seu rosto.

Mei: Fale mais alto... Entendeu?- perguntei mais ríspida ainda. Ela começou à chorar.

Mari: Sim- falou chorando.

Mei: Ótimo, eu já vou e engole esse choro.- falei com desprezo.

Ela limpou suas lágrimas e abaixou a cabeça novamente.

Mei: Você vai ficar no quarto da Lucy e não sairá de lá até que eu chegue, estamos entendidas?- perguntei duramente. 

Mari: Sim- disse com a cabeça ainda abaixada. Adoro isso, prova que ela tem medo de mim, que bom, as surras adiantaram...

Mei: Melhora essa sua cara e dê um jeito de esconder as marcas da minha mão.- disse duramente e sai do imenso corredor onde estávamos.

Sai da mansão e encontrei Lucy e Mia me esperando. Fui até elas. Antes de sairmos Eileen veio falar conosco.

Eileen: Meninas eu e Jude vamos ter uma reunião com o rei, e, Erza vai se encontrar com o Jellal. As pessoas que vão ficar na casa é Sting, Mariko, Mari e os empregados. Entenderam?- disse dócilmente.

Acenamos que sim e saímos da mansão. Andamos pela cidade e compramos os sorvetes. Lucy pediu um de chocolate, Mia um de napolitano e eu um de coco. 

Depois do sorvete voltamos para a mansão, quase na hora do almoço. Virgo,a governanta, veio me mostrar o meu quarto, que eu compartilharia com minhas irmãs.

De verdade, eu não gosto muito da Virgo... o motivo é que ela desconfia de mim, a rosada acha estranho a Mari abaixar a cabeça para mim quase toda vez que falo com ela... Por isso não gosto da Virgo.

Eu fui até o quarto de Lucy, mas não cheguei à entrar, a Mari estava do lado de fora do quarto, justamente o contrário do que mandei.

Ela me viu e abaixou sua cabeça, eu vi medo em seus olhos. Gostei disso, me fez me acalmar um pouco, mas ainda eu tava com muita raiva.

Olhei pro corredor e não tinha ninguém, ótimo! Peguei bruscamente em seu braço, à machucando, e comecei a puxá-la.

Puxei-a até nosso quarto, a Mariko não estava lá.... perfeito!

Tranquei a porta e olhou mortalmente para a Mari. Ela se encolheu e começou a tremer.

Mei: O que eu mandei você fazer Mari?- perguntei ríspida.

Mari: V-você m-mandou...- disse gaguejando, mas a interrompi com um tapa forte nas costas.

Mei: Não me responda! Você só fala quando eu mandar, me entendeu?- falei maléficamente.- Sabe, eu trouxe uma coisa de casa...- me dirigi à minha mala e peguei o meu chicote de montaria que tinha trago.... ele tem tiras.- Reconhece isso?- disse após mostrar à ela.

Ela começou a chorar e a tremer mais, Mari estava com medo... e ela tem motivos para estar....

Mari: Por f-favor....n-não faça i-isso... eles q-queriam p-privacidade para f-fazer às p-pazes.- disse com dificuldade por causa do medo e dos soluços.

Mei: Eu não falei que você só falaria quando eu mandasse?- disse mais furiosa ainda.- Tire a blusa Mari.- disse fria. Ela começou a se encolher mais e não fez o que mandei.- Eu mandei você tirar a blusa.- falei taxativa.- Você escolhe, você tira ou eu tiro. Mas só avisando, vai ser pior se eu for tirar.- falei ameaçadoramente.

Ela tirou sua blusa chorando muito.

Mei: Engole o choro!- falei taxativa.- Vire de  costas para mim.- disse friamente. Ela não fez... perdi o resto de minha paciência e com o chicote, bati fortemente em sua barriga, ela acabou gritando.- Cala a boca e vire de costas!- Mari não fez o que mandei.

 A peguei com brutalidade, joguei-a na cama, coloquei sua cabeça no travesseiro e comecei a chicotear suas costas com força.

O travesseiro abafava o som dos seus gritos. Ela gritava e se contorcia de dor. No total, foram 15 ou mais chicotadas, mas consegui descontar minha raiva.

A peguei pelos cabelos e olhei em seus olhos, suas lágrimas molharam o travesseiro todo, suas costas sangravam e ela me olhava com muito medo.

Sorri para ela, malignamente, não mostrando nenhum sinal de arrependimento.

Mei: Espero que tenha aprendido a lição.- falei calmamente.- Você vai banhar e vai fingir que está dormindo, hoje você não vai almoçar, na verdade, você não vai sair desse quarto hoje. Entendeu?

Mari: S-Sim.- disse entre os soluços. Dei outra chicotada em um dos ferimentos dela. Ela gemeu em resposta.

Mei: Você só me responde quando eu mandar sua vadia.- falei duramente.

Arrastei-a pelos cabelos até o banheiro, já que nosso quarto era suíte, coloquei a água no quente e liguei o chuveiro.  Tirei o restante de suas roupas e joguei-a na água fervente.

Quando a água entrou em contato com suas costas, ela deu um grito e tentou sair. Coloquei minha mão em sua boca e a empurrei para dentro da água novamente.

Seus gritos foram abafados por minha mão, ela começou a chorar e a tentar desesperadamente sair do chuveiro. Fechei o box e a empurrei na parede, ela gemeu de dor e me olhou ensaboando a bucha, no lado mais áspero.

Peguei a bucha e esfreguei seu corpo até os pés, deixei as costas por último. Peguei a bucha e junto com sabão, coloquei o álcool em gel que estava no banheiro.

Esfreguei suas costas com força, ela se contorcia e gritava de dor. Teve um momento que pensei que ela ia desmaiar, mas eu parei e a joguei na água novamente. Ela repetiu a mesma coisa do início, gritou de dor e tentou sair. Tampei sua boca novamente.

Mei: Pare de gritar- falei taxativa.- termine de se lavar.

Depois disso saí do boxe e a esperei no quarto.

Ela saiu do banheiro três minutos depois, estava tremendo e chorava muito. Ela foi se deitar sem roupa, mas eu intervi.

Mei: O que pensa que vai fazer?- foi uma pergunta retórica, e, dessa vez não queria ser respondida.- Eu vou escolher uma roupa para você e só então poderá dormir ou fingir dormir.

Peguei um short largo e uma blusa que é colada. Dei a ela para vestir. Mari vestiu com muita dificuldade, principalmente a blusa que colava em suas costas que sangravam.

Por fim, Mari se deitou e fechou os olhos.

Desci as escadas e fui até a sala de jantar, todos estavam lá.

Mei: Boa tarde!- disse animada.

-Boa tarde- respondeu todos.

Eileen: Meiko, se importa de chamar a Mari para o almoço?- perguntou educadamente.

Mei: Tia, a Mari disse que não estava com fome. Depois disso ela dormiu.- disse normalmente. Me sentei junto à eles na mesa.

Eileen: Sabe, a Mia me pediu uma coisa agora pouco....- começou a falar me olhando.- ela pediu para você dormir no quarto dela Meiko, o que acha?- perguntou me olhando.

Mei: Claro, eu aceito.- falei sorrindo.

Mia: Que bom! Eu tô muito feliz!- falou animada.

Quebra de tempo

Depois do almoço eu subi, coloquei meu chicote, sujo de sangue da Mari, em fundo falso da minha mala. Peguei minha mala e coloquei no quarto de Mia. Voltei no quarto onde Mari estava, puxei seus cabelos e olhei em seus olhos.

Mei: Você não vai falar um pio sobre nossas conversas, entendeu?- perguntei severamente. Com a cabeça, ela acenou positivamente.- Ótimo... e cumpra aquilo que mandei antes de virmos aqui, espero que tenha entendido.- disse fria e sai do quarto.

Fui até o quarto de Mia e fiquei conversando com ela, por um bom tempo...

Meiko off

Eileen on:

Eu estava passando pelo corredor, quando ouvi um grito, era da Mari. Não ouvi outro grito, até que 3 minutos depois, eu escutei a tranca da porta ser aberta. Me escondi no corredor para observar o que aconteceria, eu tava com um mau pressentimento.

Quem saiu do quarto foi a Meiko... Hm... Tem caroço nesse angu. Ela foi em direção a escadaria. Tenho que descer antes dela... já sei, ela deve estar indo a sala de jantar, afinal tá na hora do almoço.

Tem duas portas para a sala de jantar, a porta principal e a porta da "Segunda Escadaria". A "Segunda Escadaria" é uma passagem secreta criada por Layla, minha melhor amiga, nem Jude sabe dessa passagem. A mansão pode se chamar Heartfilia, mas antes essa era a mansão dos Ashley's.

Fui pela passagem secreta e cheguei antes da Meiko. A porta em que passei, era uma parede para os outros, que não sabiam da passagem. Eu tomei cuidado para ninguém me ver saindo, literalmente, da parede.

Quando Meiko chegou ela nos cumprimentou e nós a cumprimentamos.

Ela inventou uma história para explicar o por que da Mari não vir almoçar. Eu tô desconfiada! Eu não vou com a cara dessa menina desde o momento em que à conheci. E Virgo pensa a mesma coisa.

Quebra de tempo

Depois do almoço, escovei meus dentes e esperei um tempinho. O tempo da Meiko sai do quarto, para que eu e Virgo descobrirmos o que a Mari tanto esconde, pelo menos em sua relação entre ela e Meiko.

Entramos no quarto e ouvimos o choro baixinho da Mari. Fechamos a porta e nos aproximamos da cama.

Eileen: O que aconteceu Mari?- perguntei preocupada.

Ao me ouvir, ela tentou se levantar da cama, talvez para se afastar de mim, mas suas pernas falharam e ela gemeu de dor em quanto caia no chão.

Eu e Virgo corremos para ajudá-la, eu a peguei e coloquei-a na cama. Ela tava chorando muito. 

Virgo tocou em suas costas, já que ela estava deitada de lado, e ela quase gritou de dor, enquanto apertava firmemente minha mão.

Quando descobrimos a fonte da dor, tiramos sua blusa, ela tentou nos impedir, mas sem sucesso.

Mari quase gritou novamente enquanto tirávamos sua blusa, logo entendi o por que e fiquei horrorizada. Suas costas estavam cobertas de sangue, e, por causa disso, a blusa tinha colado no ferimento, o que acarretou em sua dor.

Analisei melhor os ferimentos.... isso foi feito com um chicote de tiras.... a Meiko foi a última a ver a Mari.... será que.... Não, não pode ser... ou será que pode?

Eileen: Oh, meu Kami! Mari! Quem fez isso com você?- perguntei preocupada. Ela não respondeu.- foi a Meiko, né?- não me respondeu de novo.- Mari eu sei que foi a Meiko.

Mari: Por favor, não fazem nada a respeito, eu imploro!- falou desesperada.

Virgo: Kami do céu! Então é verdade, foi a Meiko.- falou preocupada.

Eileen: Desculpe Mari, mas vamos sim fazer alguma coisa a respeito.- falei séria.

Ela se rastejou para fora da cama, no chão, ela se ajoelhou e olhou para nós com lágrimas nos olhos.

Mari: Eu imploro, não façam nada à respeito.- falou desesperada.-  Eu não quero levar uma surra pior que essa, por favor.

Eileen: Vamos fazer algo secretamente.- disse calma é séria.- Eu tenho um plano, a questão é: você irá aceitar, Mari?

Mari: Depende do plano.-falou duvidosa- Mas sempre lhe ouvirei, afinal, você foi uma das melhores amigas de minha mãe....

Contei meu plano à elas e a Mari aceitou, que bom! Cuidamos de seu ferimento e depois saímos do quarto. 

Eu fiz uma pequena ligação para meu cunhado, pai da Mari, ele colaborou depois de uma pequena ameaça minha.

Ótimo, tudo tá indo conforme o plano, falta só uma última coisa, que é fundamental para esse plano ser realizado. E eu vou resolver essa última coisa agora....

Eu prometi cuidar de sua herdeira Harumi, então é meu papel  salvá- la, mesmo da sua própria família....

E Layla estou cuidando de sua família, assim como o prometido. Porém, quando cheguei foi um pouco tarde, mas consegui salvar sua família das mãos "dela"....



Notas Finais


É isso pessoal, espero que tenham gostado. Muitos segredos que vão ser revelados.... Qual a ligação entre Eileen, Harumi e Layla?
Vocês só saberão na segunda temporada....
Bjs espero que tenham gostado. Até o próximo cap.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...