História Meus irmãos Bangtan - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Personagens Originais
Tags Bangtan Boys, Bts, Jeon Jungkook, Jung Hoseok, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Kim Taehyung, Park Jimin
Exibições 381
Palavras 2.060
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Famí­lia, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oieeeee *-*

Capítulo 32 - Você me jurou amor...


 Sentia sua respiração ainda próxima ao meu pescoço. Não conseguia me mover, paralisei legal.

 Depois de alguns segundos ele saiu e me encarou.

- Não vai falar nada? Parece que eu domei esse leãozinho bravo não é mesmo? - ele disse me olhando.

- S-sai de p-perto de mim - disse quase chorando.

 Por incrível que pareça, por todo esse tempo, eu já havia esquecido meu ''tio''. Mas... Como esse idiota do Sehun me faz lembrar ele? Eu me senti quando eu estava em meu quarto, no Brasil, a noite. Era madrugada. E sentia alguém cheirar meu pescoço enquanto eu dormia...

*~ FlashBack ON ~*

 Já é tarde da madrugada, estou quase adormecendo, aquele babaca ainda não voltou pra casa. Com certeza vai chegar bêbado.

 Virei pro lado e fechei meus olhos, o sono insistia em fugir de mim, eu estava conseguindo dormir quando sinto uma respiração perto do meu pescoço e um cheiro fortíssimo de bebida.

- Sai - disse levantando da cama e empurrando meu ''tio'' de perto de mim.

- Vem aqui meu amor, eu não vou fazer nada que você não goste. Ou vou? - ele disse chegando perto de mim.

 Aquela altura do campeonato eu já estava apavorada, sofria em silêncio. Por quê não corria pra cozinha e pegava uma faca? Por que não tenho alguma coisa pra me defender em baixo do meu travesseiro? Simples, por que se não eu apanhava.

 Ele me jogou na cama e tentava me beijar, eu virava o rosto e ele me lambia, aquele cara me causava nojo. Meu pijama? Já estava jogado, totalmente rasgado aos pés da cama de casal. Minha lingerie? Depois de alguns segundos, foi pro mesmo caminho. Ele começou a tirar sua roupa, já estava completamente nu, subiu em cima de mim e tampou minha boca.

 Eu ao menos pensava em gritar, minha vontade de sair dali por conta própria era maior do que gritar. Eu estava chorando descontroladamente. Ele me batia, puxava meus cabelos, minhas mãos? Estavam presas à cabeceira da cama. Como ele fez isso? Não faço a mínima ideia. Seus olhos olhavam fixamente pros meus. Eu chorava muito, não queria isso, aliás: Quem iria querer?

 Sem avisos, ele penetrou com muita força, gemeu de prazer enquanto eu, simples, chorava, meus gemidos abafados eram de dor, minha voz? Estava completamente falha. Ele gemia descontroladamente de prazer, eu me sentia completamente rasgada, sentia pontadas dolorosas, algum líquido escorria entre minhas pernas sujando completamente as roupas de cama, era sangue.

 Ele tirou sua mão imunda de minha boca, me fazendo chorar ainda mais, segurou meu rosto com sua mão, e começou a me beijar, eu tentava virar meu rosto, mas a cada tentativa um tapa, um puxão de cabelo, uma mordida, um chupão, uma lambida. Eu estava totalmente apavorada. 

Quem diria, uma pessoa, um FAMILIAR seu, uma pessoa que você deveria confiar, estar fazendo isso com você?

*~ FlashBack OFF ~*

 Todas essas memórias passeavam pela minha cabeça, Sehun ainda me encarava, ele me lembrava aquele homem nojento, o meu famoso ''tio''.

- SAI DE PERTO DE MIM SEU IDIOTA! - gritei e corri pra mesa da professora - Por favor, me deixa ir ao banheiro... - implorei.

- Claro minha querida - ela disse ainda assustada 

 Corri o mais rápido possível para o banheiro, entrei e me apoiei na bancada da pia.

- Por quê eu só sofro? Eu odeio minha vida! - disse baixinho 

 Comecei a chorar descontroladamente, por quê? Era a única pergunta que vagava pela minha cabeça. Eu finalmente me adaptei a Coréia, achei alguém que me ama, meus irmãos são maravilhosos, tenho uma melhor amiga que me entende, por quê a vida é tão injusta? A gente aprende com os erros não é mesmo? Mas, que tantos erros eu cometi? Eu sei, eu sou um ser humano, eu erro, afinal: Todo mundo erra.

Depois de ficar um tempo nadando em meus pensamentos, voltei pra sala, todos me olharam assustados.

- V-você tá bem? - Mi perguntou.

- Tô sim, na saída a gente conversa tá? - respondi.

- Claro, agora vai pro seu lugar... 

- Sim Omma. - disse e ela deu risada.

 Sentei em meu lugar e um bilhete voou por cima do meu ombro, parando em cima de meu caderno:

'' Eu te assustei tanto assim? O que aconteceu? Talvez... Eu te lembre seu tio?''

''' Quem diria, a garota que chutou meus bagos ano passado, com medinho do Sehun? Só pode ser brincadeira!''

 - Professora tão jogando bilhetinho aqui - disse alto.

- Quem foi _____ S/N? - a professora perguntou vindo em minha direção.

- Provavelmente Sehun e Jay Park. - disse entregando o bilhete a professora.

 Me assustei? Óbvio. Como esse praga conhece meu ''tio''?

- Sehun e Jay Park, a letra do bilhete é compatível com a letra do caderno de vocês dois. Pra coordenação agora! Na minha aula, vocês não ficam - a mais velha disse.

 Sorri vitoriosa e escutei Jay Park sussurrar em meu ouvido:

- Você tá ferrada!

 A aula de artes passou, próxima tortura: Português. Pra mim não é tortura, só que não é a 8ª maravilha do mundo, eu até gosto de português, é interessante. 

A aula acabou, o sinal bateu. Sunny foi a primeira á sair da sala, um dia de aula se passou e Sunny nem olhou pra minha cara? É isso mesmo produção? O que essa vadia tá aprontando...

 Sempre saio por último, guardei meus materiais, quando estavam quase todos fora da sala, me levantei e fui em direção á porta, Sehun e Jay Park entraram na mesma hora que eu estava saindo.

- Olha só, a gatinha que ferrou a gente... Tsc Tsc... - Sehun disse.

- É isso mesmo, e a mesma ''gatinha'' que ferrou vocês, vai surrar um por um se vocês não me deixarem passar. - disse nervosa.

- Hoje passa minha querida, mas me aguarde, quando você menos esperar, vai estar na minha mão, fazendo tudo o que eu quero. - Jay Park disse sorrindo.

- O dia que isso acontecer, eu vou estar muito bêbada e muito fumada, ou seja, o dia de SÃO NUNCA - botei firmeza no ''SÃO NUNCA'' e sai da sala.

 Retirei a chave do carro e o celular da bolsa, estava saindo da entrada da escola (tá isso ficou meio estranho) quando vejo Sunny e Mark Tuan, mais conhecido como Minha Propriedade, se comendo no capô do MEU carro. Enquanto eles se comiam, vi os meus sete irmãos chegando e Jimin indo pra cima dos dois, antes de isso acontecer, andei rápido e cheguei no carro e encarei os dois.

- Muito bonito Mark Tuan. - disse batendo palmas.

- N-não é isso que você está pensando amor - Mark disse empurrando Sunny.

- Acabou o ''Amor'' Mark. - disse destrancando o carro.

 Passe a maior vergonha, a escola toda presenciou isso. Jimin? Não acreditou em mim, agora aguenta o chifre. Eu? Fui iludida, eu sou realmente uma trouxa, amei o Mark com todas as minhas forças e agora... fui traída, tantas mulheres pra ele pegar mas não!'' Sunny, tem que ser a Sunny, a pior inimiga da minha namorada'' Mark deveria estar pensando.

 Eu abri a porta, Jimin havia parado no meio do caminho ele já estava chorando, seu rosto vermelho de raiva. Taehyung e Hoseok correram e levaram Jimin de volta pra perto dos outros. Eu estava entrando, quando disse.

- Ah, e você Sunny: quando eu acabar de comer, acho que você também vai querer meus restos. - disse.

 Mark havia me dado um anel quando completamos 2 meses de namoro, parei, me encostei na porta e levantei a mão, admirei o anel e soltei um sorriso bobo lembrando de meus momentos com Mark. Me desencostei, retirei o anel da minha mão, caminhei até Sunny e peguei a mão dela com a maior delicadeza do mundo e coloquei o anel no dedo anelar da mão direita dela.

- Felicidades ao casal - disse sorrindo

 Meus olhos marejavam, minha vontade era de matar os dois ali mesmo, na frente da escola toda. Todos me olhavam levando chifre. Alguns riam, alguns zombavam de Mark, alguns gritavam: '' Ele não te merece _____ S/N!'' '' Como você conseguiu perder ela Tuan? Seu idiota!''. 

- Você me jurou amor Tuan. - disse segurando minhas lágrimas.

- P-po f-favor me perdoa ______ S/N! E-eu te amo, v-volta pra mim! E-eu a-amo v-você ______ S/N! - Mark disse se ajoelhando.

 Meus irmãos permaneciam presentes, a escola toda também, deixei uma lágrima cair, mas logo limpei a mesma.

- Mark levanta. - disse firme - MARK LEVANTA! - gritei.

- Eu não mereço ficar na mesma altura que você, eu rebaixei meu nível! Eu não te mereço _____ S/N - Mark disse chorando.

- Eu te amo Mark, eu nunca vou deixar de te amar! - disse e dei um beijo na testa dele. - E você Sunny, minha vingança esta apenas começando - disse sorrindo.

 Entrei no carro e fui em direção ao apartamento do Mark.

- MERDA! MERDA! MERDA! - Gritava e batia minhas mãos no volante enquanto chorava.

 Cheguei no apartamento, abri a porta, arrumei minhas roupas em uma mala, peguei todo o que era meu. Antes de sair escrevi um bilhete:

'' Mark, os últimos meses ao seu lado foram realmente perfeitos, nossas noites, nossos ''encontros'', nossas festas, nossos momentos juntos sempre vão ser inesquecíveis. Eu amo muito você, não vou chorar com nosso término, vou permanecer forte. Meu amor por você nunca foi passageiro. Eu vou superar, espero que você também supere.

 Não me procure, apenas saiba que aonde eu esteja, eu estarei bem, forte, estarei sendo eu mesma. Sempre vou estar do seu lado, mesmo você não me vendo.

                        Eu ainda amo você.

_______ S/N. ''

 Dei uma ultima olhada no lugar, peguei Misty no colo, peguei as chaves do carro, a mala com minhas coisas e sai do apartamento. Tranquei e deixei as chaves com o porteiro e fui em direção a garagem. Quando eu entrei no carro pensei : ''E agora? Pra onde eu vou?''.

 Na hora Jin me mandou uma mensagem:

 " Querida, não me responda, apenas venha pra casa, você deve estar cansada depois de tudo o que aconteceu, e do jeito que você é, aposto que não vai mais morar com o Tuan."

 Misty estava inquieta no banco do lado.

- Nós vamos pra casa agora pequena - disse chorando acariciando o topo da cabeça de Misty.

 Liguei o carro e fui em direção a casa dos meninos. Quando cheguei respirei fundo. Sai do carro com Mysti no colo, peguei minha mala com as roupas e toquei a campainha.

- Oi querida... - Jin disse me abraçando.

 Comecei a chorar, os soluços tomavam conta de meu corpo. Misty se debatia em meu colo então Hoseok apareceu. Tomou Misty e minha mala. Abracei ainda mais forte o Jin.

- Por quê Jin? Eu me entreguei completamente á ele. - disse chorando ainda mais.

- Shhhh. Aposto que ele era gay - Jin disse acariciando meus cabelos me fazendo rir.

- Só você mesmo... - disse abraçando mais uma vez Jin.

- Entra, você mora aqui agora. - Jin disse rindo.

 Entrei e peguei minha mala na sala. Fui pro meu quarto e me joguei na cama, abracei o travesseiro e comecei a chorar.

- Para _____ S/N! Ele não merece suas lágrimas, não mesmo! - disse pra mim mesma.

 Fui arrumar minhas roupas no closet, separei um short curto com estampas tipo camuflagem, e peguei um moletom preto. Estava esfriando. Tranquei a porta do quarto e entrei no banheiro. Liguei o chuveiro na água quente, quente não, fervendo. Era tudo o que eu precisava. Tomei um banho e lavei meus cabelos, chorava muito enquanto a água caia sobre o meu corpo. Me enrolei na toalha, me vesti e sequei meus cabelos. Desci descalça e tudo estava tudo como no dia em que eu fui embora, ninguém mudou nada, meu quarto estava do mesmo jeito. Tudo estava com era antes.

 Desci as escadas e Jimin estava de pé, com os olhinhos vermelhos. Corri e pulei no colo dele, ele já chorava sobre meu moletom, segurava minhas pernas e me contraia sobre seu corpo.

- Eu vou vingar a gente. - sussurrei no ouvido de Jimin enquanto chorava.

*~ Continua... ~*


Notas Finais


Obrigado por lerem e obrigado pelo carinho *-*
Saranghae *-*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...