História Mi Corazón Es Tuyo - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias MasterChef Brasil
Personagens Henrique Fogaça, Paola Carosella
Tags Farosella
Visualizações 292
Palavras 2.091
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá! Mais um capítulo pra vcs. Desculpe a demora, eu estava um pouco sem criatividade para escrever ele, por se um capítulo, difícil. Espero que vocês gostem. Deixe o seu
comentário ai embaixo. 😉❤

Capítulo 30 - Farosella Is Real


Fanfic / Fanfiction Mi Corazón Es Tuyo - Capítulo 30 - Farosella Is Real

Henrique ficou paralisado e um tanto surpresa, com a declaração dela, ele nunca imaginaria que ela pedisse algo assim a ele. Não para aquele momento dificil da reconciliação que o casal tiveram.

- Henrique está tudo bem? - Paola indagou vendo a feição surpresa do tatuado. Ele não respondeu à pergunta da morena, apenas puxou ela para sí celando para mais um beijo, como se tivesse agradecendo a ela. Ele se separou dos lábios dela, e a fitou os olhos de fogo da Argentina que iluminava com as inúmeras velas que tinha espalhado pelo grande quarto.

- Você tem certeza, que quer isso? - Ele finalmente encarou ela, e ela com um sorriso triunfador no rosto, respondeu com toda a sua segurança...

- Eu nunca tive tanta, certeza. - Completou ela com um brilho no seus olhos e deixando escorregar uma de suas lágrima ao meio á seu sorriso.

Ele segurou o rosto da mesma e ela fechou os olhos permitindo para mais um beijo, um beijo delicado, se apossando nos dela no qual exprorava a paixão, magia e desejo. Paola abraçava ele, e ele retribuia, eles ficaram alguns minutos abraçandos, como se estivesse presente em alguma morada. Era tanto amor que ambos sentiam um pelo outro que o coração do casal disparava frenéticamente, acho que uma pessoa poderia morrer do coração num momento desses. Eles começaram trocavar várias carícias e ele começou a beija-lo com ternura, o seu ombro seguindo para o pescoço, e ela suspirava com o seus toques. Eles se encaram novamente e ela lentamente sem tirar os olhos dele começou a desabotoar a camisa do tatuado com ajuda dele, claro. Ela abriu toda a sua camisa, tomando a sua visão de sua vida, as inúmeras e belas tatuagens de Henrique. Ela observou por alguns segundos, fascinada, como ele conseguiar ter aqueles inúmeros de desenhos. Ela acariciou lentamente o seu peito nu, e sua pele estava quente, e ele estremecia com cada toque, dela. Agora ele vez dele, Henrique começou a tirar o sobretudo que a morena usava delicadamente, sem perder tempo ele tira caindo sobre o pés da morena. Ela por sua vez se vira segurando o seus delicados fios de cabelo e Henrique começou a descer lentamente o zíper do vestido que a mesma usava, fazendo escorregar em câmera lenta do corpo macio de Paola, caindo até seus pés descalços, dando amostra de sua bela lingerie preta. Com os olhos repleto de desejo, o tatuado começou a venerar cada parte do corpo da Argentina.

- Você é tão linda, meu amor. - Diz ele admirando a beleza de Paola e ela sorria toda vermelha, envergonhada.

Eles se beijavam com muito amor e Henrique por sua vez conduziu devagarinho Paola até a direção da cama deitando delicadamente; Ambos não tirava o contato do olhar um do outro. Ele tirou o resto da roupa que mantinha sobre o corpo dele, ficando só com uma cueca box e a companhia de seus desenhos. Paola já estava pronta para se entregar para o amor da sua vida, e finalmente se sentir amada por ele.

- Me ame olhando no fundo dos meus olhos. - Ela diz e Henrique morreu de amores com mais uma declaração dela. Ele apenas concordou fazendo ela se sentir cada vez mais amada por ele.

- Só relaxe! - Ele pediu e ela acentiu concorcodando olhando no fundo dos olhos dele como uma resposta já dita.

Eles se beijaram agora com urgência e fevor, com um fogo ardente de paixão. Henrique começou a beijar a cada parte do corpo da Argentina. Ele começou a seguir lentamente no seu colo do seu seios, as suas mãos seguia para a coxa da mesma continuava a procura da busca indo em direção às nadegas apertando fortemente. E ela gemia com cada toque dele. Ele seguiu para o abdômen dela, ele a beijava e ela sentia o prazer vindo até ela. Paola por sua vez voltou a sua posição normal sentando na cama deixando ela em seu colo fazendo senti-lo mais precionada contra o corpo dele e no mastro do homem que já estava duro. Eles voltaram a se beijar como se fosse a única coisa que eles pediram. A mão do mesmo começou a deslizar nas costas da Argentina, tendo então a facilidade de desabotoar o desfecho do seu sutiã que a mesma usava. Ele apenas desabotou tendo então amostra do mamilos fartos da morena, ele começou a chupar e mordiscar, com vontade, e ela sussurrava provocando alguns gemidos e prazer. Eles voltaram a se encarar por alguns segundos e ele olhava profundamente nos olhos da morena no qual transbordava, amor, paixão e luxúria. Ela novamente deitou delicadamente na cama, e sem tirar a troca de olhar, Henrique tira lentamente a calcinha que a Argentina usava. A mesma já sentia uma sensação inebriante, aquele prazer que a mesma escondia dentro de sí, e aquilo já tinha tornando uma necessidade a ela. Cada parte do corpo de Paola, respondia os toques dele, com sua mãos ela podia sentir a humidade e pronta pra ele. Eles se beijaram, e em seguida Henrique começou a liberar o seu membro mastro duro, abrindo então as pernas da morena, tendo então a facilidade de penetrar o seu membro na intimidade de Paola que já estava encharcada. Ele penetrou-se de uma só vez, sem mexer, esperando que o corpo da mesma se acostumasse com seu tamanho. Eles se encaravam como se eles já estivesse fazendo amor olhando um no olho do outro. Então sem mais delongas, Henrique por sua vez começou um movimento de vai e vem, devagarinho e aos poucos foi aumentando a intensidade dos movimentos na íntimidade de Paola. E a mesma acabou inclinando a suas costas, assim dando mais acesso a ele. Paola por sua vez começou a gemer com as dores que viam até ela.

- Você quer que eu pare? - Ele perguntou encarando a feição, dela.

- Não! Por favor, não pare… - Ela sussurrou com a voz fraca entregando o seu olhar a ele, com respiração ofegante e abafado.

Henrique continuou os movimentos, agora masturbando a Argentina. Para que ela se senti-se mais a vontade. Paola então se deixou se levar pela aquela prazerosa sensação que arrebatou o seu corpo por inteiro. Novamente Henrique começou a entrar dentro dela, mais fundo, estocando, agora de movimentos de sobe e desce. Ele com as mãos nos quadris dela ajudava-a ate chegar ao seu ritmo, perfeito. Ele empurrou mais para dentro dela, causando um barulho entre pele contra pele e a mesma acabou agarrando os lençóis com suas unhas. Bastou mais algumas estocadas e Paola sentiu o prazer dentro de sí como nunca sentia antes, e ela acabou causando arranhões agora na costa do tatuado. O sangue de ambos bombeavam juntos em todas as áreas. Ela gozou e gritou de prazer e Henrique gemim incontrolávelmente. É por fim, casal expliodiu ao ápice juntos, tendo então ela uma série de esparmos, enquanto ele se liberava dentro dela. O casal os fizeram desabar, e Henrique acolheu em seus braços. Enquanto tentava regular a suas, respirações. Paola estava deitanda nos braços de Henrique que por sua vez as envolvia por completo. Tinhas o seus corpos ainda colados na posição que estavam, podia ver a expressão em seus rostos cansados.

- Obrigado por isso! - E finalmente algumas palavras resolveram sair da boca da Argentina encarando com o seus olhos achocolatados agradecendo a ele.

- Eu que tenho que agradecer por você estar aqui comigo. - Diz ele por completo e ela sorria.

- Sabe que eu tenho medo, agora?

- Do que?

- Medo de sair do seus braços, e nunca mais na minha vida inteira sentir o que eu sinto quando estou com você.

- Quando você percebe que quer passar o resto da sua vida com alguém, você começa o mais rápido possível. Eu quero passar o resto da minha vida com você. - Diz ele e algumas lágrimas de Paola começou a deslizar involuntariamente.

- Yo te amo! - Ela com os olhos fechado susurrou em espanhol, deitada em seu peito.

- Eu também te amo! - Finalizou ele.

Henrique beijou o topo da cabeça dela, e finalmente apagaram, e as últimas palavras foram descritas pelos último momento. Aquele momento que poderia ser descrito por ele como uma realização do seus sonhos, de ter a mulher da sua vida em seus braços o fazia se sentir pleno, e realizado. 

O dia amamanheceu em Atibaia, e alguns raios de sol adentrava pela janela. O dia que o casal passaram ali foram cansativos, então Paola e Henrique não voltaram no mesmo dia para a casa. Após passar a noite no lugar no qual os jovens mesmo hospedaram, eles decidiram aproveitar antes de voltar para o seus turbulentos trabalho, e o seus filhos. Paola estava no banheiro com um roupão branco, enquanto prendia o seus fios cabelo em um coque, e acabou se admirando no espelho. Os olhos da mesma ainda brilhavam como um diamante rara. Ela sorria, ao mesmo tempo ela se sentia plena, como a sua pele e seu corpo, e até mesmo o seu coração. Ela ficou alguns minutos encarando o espelho a sua frente relembrando o momento na noite anterior com Henrique. Era tanto amor no peito, que ela não sabía expressar em gesto, em palavras. Parecia que aquilo era só um sonho, mas era a realidade do sonho que ela nunca se quer imaginou. O tatuado via por trás da mesma e acabou desviando o seu olhar no espelho saindo dos seus devidos pensamentos, e se virando encarando o olhar a dele.

- O que a senhorita está pensando, hein?  - Ele Indagou com os corpos colado junto ao dela. Enquanto ela envolvia seus braços em sua nuca.

- Em nós , em tudo o que aconteceu.

- Você não gostou? - Perguntou ele.

- Muito! Foi maravilhoso, foi a melhor coisa que aconteceu em minha vida. É principalmente ter você ao meu lado novamente. - Completou.

- Você não sabe como eu fico feliz em ouvir isso. Afinal a gente tem que agradecer aqueles santos diabinho. - Diz ele fazendo a mesma rir.

- A gente tem que ter uma conversa séria com eles. - Diz ela se saindo do seu corpo junto ao dele e novamente encarando o espelho a sua frente.

- Antes da gente resolver os nosso problemas, eu preciso fazer isso. - Ele virou ela se chocando os dois corpos juntos novamente, enquanto a mesma se encostava na pia. Ele acabou tomando os lábios dela e beijando com ânsia. Paola retribuia como desejo, e com ternura. Henrique amava os beijo da Argentina, era doce, mas também, suculento, no qual era viciante. Ambos queria mais, queria aproveitar aquele momento como se fosse o último. Eles se separam e Paola decidiu fazer algo, que a mesma pensou em sua cabeça. Ela pegou um batom eu sua bolsa que estava em cima da privada que a mesma havia deixando. É relembrou um dos momentos que havia conversando com Ana, sobre os fãs que shippava o casal, então ela decidiu fazer algo um pouco, crichê. Ela mostrou o batom ao tatuado mas ele acabou no entendo aonde ela queria chegar.

- Não vai dizer que você vai passar isso em mim. - Ele perguntou divertido vendo ela com o batom em mãos.

- Poderia neh? - Ela falou irônica. - Ela se virou fitando o espelho. - Mas, no! - É começou a escrever algo e o tatuado não entendia os códigos que a mesma escrevia. Ela voltou encarar o tatuado e deu o batom para que ele terminasse. Ela ajudou para que ele finalizasse, e por fim terminaram o código.

"Farosella is real."

Eles dois encaram o espelho com as mãos dadas e ela deitada em seu ombro. Eles sorriam, admirando o pequeno crichê. Se Ana visse aquilo concerteza ela iria berrar no ouvindo da Argentina, e a mesma iria ter que aguentar os berros da menor. Paola então começou explicar para o tatuado o que significava, pois ele não entendia o significado. Ele começou a gargalhar junto a mesma com a criatividade daquilo, que agora se tornou algo a mais pra eles. Mas para os fãs que shippava, se tornou só uma coisa da cabeçinha deles, uma imaginação. Mas na verdade tudo aquilo era real, Farosella Is real, no qual eles nem imaginava. O casal finalmente saíram do banheiro, deixando aquilo escrito, como se estivesse gravado num troco de uma árvore, deixando eternizado para sempre. Eles aproveitaram os últimos minutos e ambos deixaram a casa, mas eles não queria encarar a realidade, mas precisava. Pois precisava esclarecer tudo com os filhos o plano que os jovens mesmo elaborou. 


Notas Finais


EITA QUE PAOLA DESVENDOU O SEU FOGO 🔥🔥🔥🔥 ESSE MOMENTO É NOSSO, BRASIL 🎉🎉🎉🎆🎆🎆🎆❤
Cometem ai, nunca pedi nada! 🙈😂


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...