História Mi dulce Sol - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Feia Mais Bela, A Madrasta, A Usurpadora, Angélica Vale, Betty, A Feia, Jaime Camil
Personagens Aldo Domenzaín, Alicia Ferreira, Angélica Vale, Beatriz "Betty" Aurora Pinzón Solano, Fernando Mendiola, Jaime Camil, Julieta Solís de Padilla, Letícia "Lety" Padilha Solís, Márcia Vilarroel, Omar Carvarral, Personagens Originais, Tomás Moura Gutiérrez
Tags A Feia Mais Bela, A Usurpadora, Adultério, Angélica Vale, Drama, Ferlety, Jaime Camil, Romance, Sol, Valecamil
Exibições 16
Palavras 1.012
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hello td beleza? Espero que sim!
Galera, eh agora que história começa de verdade! 😚😚😘😙 amo vocês
Boa leitura

Capítulo 9 - Os primeiros traços do quebra-cabeças


Fanfic / Fanfiction Mi dulce Sol - Capítulo 9 - Os primeiros traços do quebra-cabeças

- Olá. - digo.

- Boa tarde senhorita Sol.

- Bom, eu vim para tratar daquele assunto que falamos.

- Sim, é claro.

- Eu sou uma mulher muito... digamos que atarefada, então não me faça perder muito tempo aqui, ok?

- Sim. Me acompanhe.

Ele me conduziu até uma sala e me mostrou alguns documentos que eu teria que assinar. Li tudinho, depois assinei. Chegaram alguns familiares dele e nos sentamos para ver o testamento.

- Bem, senhores, hoje vamos falar de um assunto muito importante. Creio que todos vocês estão muito curiosos e confusos para saber o por que de tudo isso, antes de tudo só peço que tenham calma. Nós preferimos avisar pessoalmente o assunto. O senhor Oscar Vila Nova faleceu há alguns dias.

- O QUE? Como assim? Meu filho não! - a mãe dele começa a chorar.

- Calma, dona Luz.

- Cala a boca sua maldita! Você matou meu filho, você!

- Senhoras! Por favor, dona Luz! Nós encontramos o corpo ontem... infelizmente é uma grande perda. Um economista fiel, sincero e honesto como ele não é da noite pro dia que conseguimos.

- Você preocupado com cargos? Ele morreu... meu filho morreu e como eu não soube disso? Ele disse que faria uma viajem...

- Bem, exatamente. Mas ele parece ter morrido de envenenamento.

Engulo seco. Envenenamento? Imagina se eu fosse acusada por...

- Senhorita Sol?

- Ahn... oi?

- Como eu dizia, a senhora não sabe se ele tinha algum inimigo que pudesse...

- O meu ma... ex-marido nunca teve nenhum inimigo. E não insinue que eu tive alguma coisa haver com isso, pois eu sei o que cada um aqui está pensando agora.

- Calma senhorita.

- Tô calma.

Tô calma, merda!

- Bom, vamos logo ao ponto. Ele escreveu da seguinte maneira: "Meus amigos, família, Sol... minha Sol, você foi a melhor coisa que já aconteceu pra mim, eu nem como explicar isso. Se eu já estiver morto, quero que saiba que absolutamente tudo o que tenho será seu, pois a minha infidelidade com você não tem perdão, não tem como comprar o seu perdão. Por isso deixo todas as minhas ações na empresa, meu cargo, minha casa, meus móveis e imóveis, além dos meus outros bens, pois sei o quanto te fiz sofrer, e agora quero que você seja feliz, pelo o menos com o que eu posso te proporcionar. Mamãe, eu deixo a casa pra você. Isa, minha maninha, te deixo meu apartamento e meus dois carros que comprei... e ao resto da família não deixo nada, pois vocês são uns hipócritas! Sol, lá do céu ou do inferno, eu quero que você seja feliz e aproveite tudo o qie eu não quis aproveitar desse dinheiro. Adeus. Oscar Vila Nova."

- Oh meu filho. - Luz chora assustadoramente.

- Senhores, ao todo de dinheiro são 24.872.344.987 reais que ele deixou.

Esgasguei.

- Essa quantia... é sua, senhorita Sol.

- Minha?

- Sim. Esses 'outros bens' que o falecido comentou, é esse dinheiro.

Oh. My. God!

- Mas...

- Vontade dele.

- Como isso pôde acontecer!? Meu irmão tava doido ou o quê?

- Senhorita Isabella, a senhorita tem dois carros e o apartamento de luxo do senhor Oscar.

- Isso é pouco! O Oscar era um imbecil.

Não sei por que, mas a Luz deu uma bofetada na cara da Isabella que me deixou zonza só de ver.

- Senhoras! - disse o advogado. - Chame o segurança, rápido!

- Advogado, já que assinei, ouvi e até presenciei certas coisas, posso ir embora?

- Sim.

- Até que enfim.

Meu Deus! ¡Yo estou bilionaria! ¡Caray! ¡No lo puedo creer! Tô bilionária! Uhuuu!!! O que eu vou fazer com esse dinheiro? Bom, eu vou investir na empresa, é claro, e vou também... iiii tenho que pensar, pensar muito! Ah já sei. É lá mesmo que eu vou pensar.

- Mamãe! - diz Luna.

- O que foi, meu amor?

- Eu queria viajar, tô muito sozinha nessa casa. Nem pra festas me convidam mais.

- Fica tranquila, minha vida, vamos viajar mês que vem.

- Mês que vem? Que demora!

- Sim, vamos só eu e você. A... aquela pessoa não vai nos atrapalhar.

- Que bom, porque eu odeio a Sol!

- Ela não agrada a ninguém mesmo. Mas esquece essa ingrata. Vamos no quarto de costura pra falarmos mais dessa viajem.

- Sim! - sorri eufórica.

- Então quando vai ser libertado?

- Senhor Fernando, sua conta já está liberada desde que o senhor voltou.

- Então eu fiquei sem carro, sem nada por engano?

- Perdões senhor, mas...

- Não tem problema. Simplesmente não pagarei a conta desse mês.

- Ok senhor. Que fique por conta da casa.

- Agora é possível? Sol deve ter pensado que eu era pobre. Mas... ela me tratou normal... ou sei lá. Ai..

Sol. Sol Vale Solis, tô louco pra te ver! Deixa só eu ajeitar umas coisinhas lá na empresa.

Meu telefone toca.

- Alô?

- Oi amor, eu....

- Rodrigo, cala a sua boca! Terminou, acabou, não temos mais nada! Se você continuar me ligando eu chamo a Polícia!

- Ok, ok. Eu... só ia dizer que aceito a sua decisão e...

- Já disse. Então tchau! - desligo em sua cara. - Eu não preciso mais de você! Agora eu tenho 24 bilhões! - começo a comemorar.

Sury entra na sala.

- Sury, vem cá. - digo.

- Sim?

- Vem tomar uma comigo!

A convido porque sei que ela tem bom senso e não confunde as coisas comigo. Nossa relação profissional é super excelente.

- Ok. - sorriu. - Posso perguntar a que brindamos?

- Ao nosso sucesso! A empresa Vale Solis, agora é a mais rica, produtiva e bem sucedida do país! Agora eu não preciso mais de nada e de ninguém. E quer saber? Chega de casamentos!

- Que bom, senhora!

- Bom não, ótimo!

Rimos.

- Então a nova empresa é essa mesmo? Tem certeza?

- Sim, sim chefe.

- Então obrigado. - desliga. - É, Fernando, se prepare, sua nova empresa a chamada Vale Solís, agora faz parte da sua vida também.

Disca o número.

- Rogério.

- Sim senhor.

- Já que você tem certeza do que diz, avise ao Fernando que amanhã mesmo ele começa a trabalhar com a Vale Solís.

- Sim senhor. Vocês não irão se arrepender.


Notas Finais


Que, que isso eim? Brincadeira nova! Quando bater 1000 views eu vou fazer uma surpresinha!
#COMENTEMQUEQUEISSOEIM #QUEQUEISSOEIM #MIDULCESOL #SOLGOSTOSA #FERNANDOSEULINDO #TOAMANDOMIDULCESOL #CONECTADOSCOMMIDULCESOL

Deixe seu hashtag!😍😍😍


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...