História Miau? - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias B.A.P, Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens Daehyun, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V, Youngjae, Zelo
Tags Hopemin, Hybrid, Jihope, Namgi, Sugamon
Exibições 159
Palavras 924
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Fantasia, Fluffy, Lemon, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eu deveria ter atualizado essa fic há um bom tempo, porem como alguns de vocês devem saber a minha vida é uma correria que só. Pois bem, eu consegui um evento para fazer eeee!! vamos comemorar gente, pq esse evento é meu e de umas amigas, a gente organiza e não recebe ordens KKKKKKK... Enfim isso não interessa muito, tirando a parte de que como vou estar mais ocupada do que o normal, pode ser que eu demore só um pouquinho mais para att, vamos torcer para que não e.e

Espero que gostem, e para os que pediram eu vou estender ela um pouquinho mais, KKK na verdade não quero finalizar Miau gente, mas vou sim. hehehehe

Espero que gostem desse e não prometo, mas posso voltar com mais um capítulo ainda hoje. E PFVVV comentem. É isso, um beijo...

Capítulo 18 - Jung DaeHyun


Fanfic / Fanfiction Miau? - Capítulo 18 - Jung DaeHyun

Miau?

Capítulo 18 – Jung DaeHyun!

NamJoon era um homem paciente. Já era quando “conheceu” seu gatinho na lavanderia de seu antigo apartamento, imagine agora então. Com o passar dos anos ficou ainda mais, deverás, tinha uma cópia perfeita do seu gato Lua como filho. Seu sogro lhe advertiu que a paciência era a palavra chave para os com da sua família. Segundo ele, paciência na verdade era o tempero essencial que deveria reger o seu casamento.

E ele tinha razão.

Quando YoungJae aprontou a sua primeira peripécia pela primeira vez em sua vida, coube a NamJoon educar e dar-lhe a sua primeira bronca, isso claro a pedido de Lua. Seu coração doeu, estava nervoso e tremia por ter que ser ele a dar aquele sermão em seu pequeno filhote. Era dolorido. Quantas vezes não tinham dormido juntos, com YoungJae em seu colo na forma de um gatinho malhado, com os pelos nas cores branco, caramelo e preto. Quantas vezes não tinha dito ao seu bebê que não deixasse as orelhinhas à mostra na presença de humanos normais como ele. Tinha sido ele a fazer a sua primeira bola de lã para seu filho, tinha sido ele também que levou o primeiro arranhão, a primeira mordida, inclusive tinha sido ele o primeiro, por incrível que pareça, a perceber o primeiro cio do seu filho.

Como lhe doeu o coração esse dia. Seu menino estava crescendo e deixando a segurança de sua casa.

Achou que ia morrer quando um dia YoungJae trouxe para casa um filhote de raposa maior que ele, dizendo que aquele era Zelo, o seu novo namorado. Pensou na verdade que ia surtar, era um pai ciumento, não gostava do garoto que mais parecia um filhote de girafa do que qualquer outra coisa. Não gostava de nenhum deles;

YongGuk parecia mais um mafioso que seu colega de música, JongUp parecia que queria o comer com os olhos a cada vez que colocava seu olhar sobre seu filho, e HimChan parecia que queria o matar por não receber a mesma atenção que seu bebê recebia de todos os rapazes.

Não gostava de nenhum deles, não quando todos eram pretendentes e candidatos em potenciais, capazes de retirar o seu filho de casa e leva-lo embora para sempre.

Contudo havia uma exceção ai, sempre há uma exceção.

Jung DaeHyun.

O filhote de gato agradava demais NamJoon, tanto que vivia dizendo ao filho que ele deveria investir no rapaz. Era um gatinho muito fofo, educado e de boa família, o seu único defeito talvez fosse ser filho de Jung HoSeok, NamJoon achava que o que tinha lhe salvado era a “mãe dele” ser Jimin, sim o mesmo Jimin que o abandonou no passado. Para ele, DaeHyun tinha puxado toda a doçura e felicidade de seu pai Jimin.

E não pensem que depois de anos NamJoon tinha uma queda por seu ex-namorado. De fato ele não tinha mesmo. Era pouco o contato que tinha com a família, sabia apenas que HoSeok se revelou um hibrido anos mais tarde, que ele tinha um filho e que sua mentira quase custou seu casamento com Jimin.

– Filho, olha... –

– Nem vem NamJoon, se for para você começar com esse eu te avisei pode parar por ai. – Lua abraçava seu filhote de maneira protetiva, o pequeno estava na forma de gato e buscava alento nos braços de seu pai.

– Mas YoonGi meu amor, eu sempre soube que aquele filhote de girafa ia pisar no coração do nosso filho, eu avisei. Talvez se ele desse uma chance para o DaeHyun... – Lua olhou com os olhos carregados em ódio, estava sem paciência com o marido nos últimos dias. De dez palavras que NamJoon falava, queria fazer eles engolir as quinze.

– Ele não quer, já disse isso para você, ao invés de forçar porque não o escuta, é a escolha dele NamJoon não a sua. Seu egoísta, seu frio, seu idiota, seu estúpido, eu te odeio, maldita hora que me casei com você. Devolva a minha pureza. Seu... Seu... – O homem se calou na hora. Podia sentir seu coração em pedaços, na verdade era assim mesmo, seu coração estava em pedaços, frangalhos por assim dizer, era pai e amava o seu filho e só queria o bem dele, não achava estar falando nada demais para receber aquela enxurrada de insultos e ódio. Era um homem bom e achava ser um bom marido, contudo, segundo Lua não era nada disso.

Ouviu o timbre da campainha de sua casa tocar, sem falar nada ou sequer olhar para a face de seu marido pegou o molho de chaves sob a mesa que continha as chaves de sua residência e a de seu carro e foi até a porta. Ao abrir viu ele, o garoto que tanto gostava, e que o tinha até como filho.  NamJoon não costumava errar nas coisas do coração. O olhar de seu filho podia ainda ser de amizade para com JungDaeHyun, mas o de DaeHyun com certeza era de o de uma pessoa apaixonada. E ele tinha certeza que seria questão de tempo seu pequeno Jae se apaixonar loucamente por DaeHyun, isso se já não era.

– Jae! – DaeHyun correu na direção de seu filho que rapidamente se transformou em humano e o recebeu de braços abertos. NamJoon olhou para a cena com ternura, seu filho lembrava e muito o marido quando mais novo. Sorriu tímido e saiu deixando a porta aberta.

Deixou para trás seu filho, seu futuro genro e YoonGi, a quem por hora, pelo menos por hora.

Não queria chamar de seu marido.


Notas Finais


Pode ter erros.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...