História Midnight City •GumLee• - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hora de Aventura
Personagens Conde de Limãograb, Finn, Fionna, Gunter, Hudson Abadder, Jake, Lady Íris, Marshall Lee, Mordomo Menta, Principe Chiclete, Príncipe de Fogo, Rainha Gelada
Exibições 190
Palavras 1.479
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - Eu não consigo melhorar.


Fanfic / Fanfiction Midnight City •GumLee• - Capítulo 10 - Eu não consigo melhorar.

Aquilo havia deixado Marshall bastante seguro de si.

Então apenas deixou a mente limpa e se alegou ao ter conseguido se excitar, até mesmo ter um orgasmo e gozar.

Limpou-se de seu gozo e vestiu uma roupa confortável. Talvez devesse chamar Gumball para sua casa, já que o menor não havia o visitado desde que Marshall havia chegado.

No entanto, seu apartamento estava uma porcaria e todo bagunçado. Tudo fora do lugar, com caixas de pizza, de comida chinesa e os recipientes plásticos dos hambúrgueres congelados que comprava à todo momento no mercado. Parecia o apartamento de um universitário louco por louras bronzeadas.

Suspirou, seguindo para a dispensa e pegando um saco de lixo no armário, o abrindo e começou a pegar todos as porcarias velhas que achava pela casa. Havia muita mais coisa do que pensava ter.

Caixas velhas, camisinhas cheias de ar, restos de caixas de comida, fitas adesivas usadas e mais um monte de lixo. Colocava tudo dentro do saco de lixo e quando finalmente havia recolhido tudo de todos os cômodos parecia ser outro apartamento.

Juntou no mesmo saco de lixo, o lixo da cozinha e do banheiro, logo saindo pela porta da sala e andando pelo corredor do andar até uma pequena portinha na parede que dava para um túnel, do depósito de lixo.

E lá, passou alguém inesperado, para Marshall.

Flamme, acompanhado de Fionna.

O moreno fechou a pequena porta do lixo e os olhou de canto.

-Marshall! - Fionna disse, com um sorriso. -Fiquei sabendo que veio morar aqui... Isso é tão legal!

Marshall apenas deu de ombros.

-O que estão fazendo aqui? - perguntou, o moreno.

-Viemos ver o Gumball. - Flamme dizia, sem muita cerimônia, até mesmo um pouco seco.

-Ele foi para o trabalho. - Marshall respondeu. -E está com a confeitaria cheia, não sei se ele conseguiria falar com vocês.

Fionna fez uma expressão desapontada e um bico, mas logo sorriu.

-Voltamos outro dia, não é, querido? - Fionna dizia, olhando para Flamme.

-É... - Flamme parecia aéreo, encarando Marshall com ódio.

Esse seria o momento perfeito para uma provocação.

Marshall deu um meio sorriso.

-Bom, com certeza o Flamme conhece bem os horários livres do Gumball, não conhece? Estava transando com ele até poucos dias atrás... - O moreno dizia em tom provocante.

Flamme o agarrou pela gola da camisa, com raiva. A feição de Marshall se tornou séria e concentrada.

-Pare de falar merda, seu lixo. - Flamme ditava.

Fionna tentava nos separar, um pouco assustada.

-Solte ele, Flamme! Não perca tempo! - A loira suplicava.

-É, Flamme, me solta, aí você poupa suas mãos para bater na bunda da Fionna, transando com ela pensando no Bubba... - Marshall apenas se fazia a provocar.

Flamme o soltou com força, abrindo um sorriso desafiador.

-Então sugiro que não me bata também, aí não machuca suas mãos e pode se masturbar pensando no Gumball. - Flamme realmente havia jogado à altura. Uns sete metros abaixo do nível do mar.

Marshall desfez seu sorriso, apenas para encarar o ruivo. Fionna parecia não dar a mínima para o que Marshall dizia sobre a traição de Flamme, estava totalmente cega de amor.

Então cada um deu as costas um para o outro. Marshall realmente tinha muito o que fazer, precisava arrumar o chiqueiro que chamava de casa.

Foi diretamente até a cozinha e colocou toda a louça dentro da lavadora e abriu todas as janelas da casa, tirando o cheiro de casa velha. Parecia que havia um animal morto ali.

Se sentiu como uma empregada, jogando seu monte de roupas sujas dentro da máquina de lavar e a colocando para lavar tudo, após ler um manual de instruções online.

Conseguiu arrumar sua cama, varrer a casa toda e passar aspirador de pó no carpete, até mesmo lavou o banheiro e passou pano no sofá enorme de couro, tirou o pó da maioria dos móveis.

Sua casa passou de um chiqueiro para uma pensão legal. O antigo cheiro de morte deu lugar para um cheiro de produto de limpeza.

Depois de tudo conseguiu entender as roupas no varal e guardar a louça, e de tanto tempo que ficou arrumando a casa, nem mesmo percebeu o monte de mensagens no seu celular.

|Marshall|

Gumball:
Ei...
[16:00]

Gumball:
Podemos sair pra comer num food truck depois do meu trabalho?
[16:05]

Gumball:
Vc podia vir me encontrar aqui, né?
[16:10]

Gumball:
Vc dormiu? Hmm... Eu quero conversar com vc. Acorda aí.
[16:45]

Gumball:
Está me evitando, Marshall?
[18:00]

Gumball:
Estou sendo ignorado por Marshall Abadeer Lee, mas que honra.
[18:35]

Gumball:
Agora é oficial, Marshall, cadê vc?
[18:47]

Gumball:
Vou fechar a confeitaria daqui quarenta minutos...
[19:00]

Gumball realmente achou que estava sendo ignorado? Que inocente da parte dele... Era até fofo.

Marshall:
Desculpa, bebê. Estava arrumando meu apartamento. Isso aqui estava um lixo, sabia?
[19:01]

Gumball:
Finalmente, tem como passar aqui? Queria sair com vc hj à noite.
[19:01]

Marshall:
Claro... Eu passo aí logo... Só preciso terminar umas coisas. É rápido.
[19:01]

Gumball:
Se for jogo online, eu vou te matar, Marshall.
[19:02]

Marshall:
Lol, relaxa, rosinha. Logo logo estou aí, me espere.
[19:02]

Gumball:
Te espero, Marsh. XoXo.
[19:04]

Então seria assim, realmente. Sairia com Gumball hoje.

Fui rapidamente para o banheiro, tomando um banho rápido e um pouco agressivo, acabei deixando minha pele avermelhada por conta da força que esfreguei a esponja.

Me sequei o mais rápido que pude e corri para o meu quarto, vestindo calças apertadas jeans azul escuro e uma regata preta, com uma camisa xadrez vermelha, aberta, botas de cano baixo e uma touca meio pesada, cinza.

Então saí de casa o mais rápido que pude e tranquei a porta, guardando a chave no mesmo bolso que o celular, descendo pelo elevador e aguardando até que as portas se abrissem.

Era uma descida silenciosa, lenta e macia.

Logo que as portas se abriram e eu vi a entrada do prédio, saí rapidamente e sem cerimônias para a rua. Estava cheia, iluminada e gelada.

Não tive que andar muito até ver o pequeno rosado fechando a porta da confeitaria e guardando as chaves numa pequena mochila que estava em sua mão.

Quando seus olhos pararam em mim, seu rosto se iluminou em um lindo sorriso.

~∆~∆~∆~∆~∆~∆~∆~∆~∆~

Gumball o abraçou pelo pescoço e o beijou ali mesmo, no meio da calçada, no meio de diversos indivíduos concentrados em seus celulares e em suas rotinas.

Mas os dois estavam ali um para o outro quebrando todas as regras que poderiam quebrar.

E só se separaram pela falta de ar, pois poderiam permanecer ali até o fim dos tempos.

-Foda-se a saída... Só vamos para casa... - Gumball sussurrava ao pé do ouvido de Marshall. -Eu quero dar para você.

Aquilo fez Marshall se arrepiar mas... Não se excitou.

Um pequeno desespero interno correu por sua espinha e por um segundo não soube como agir. Então apenas beijou a testa do menor.

-Vamos... Vamos para a minha casa, o que acha?

Gumball assentiu, e os dois foram calmos até a entrada do prédio, até o elevador, até o andar e até a porta do apartamento de Marshall.

No entanto, ao entrarem no apartamento e seguirem até o quarto de Marshall, Gumball parecia ter virado outra pessoa, empurrou o moreno para cima da cama, arriou de quatro sobre seu corpo e o beijou intensamente, suas mãos percorriam todo o corpo de Marshall, com um fervor descomunal.

No entanto, o moreno tentava acompanhar o ritmo, tentando ficar excitado, fazia o máximo que podia, sentindo todo o corpo de Gumball.

As mãos do maior percorriam a bunda de seu parceiro, apertando-a com força e  arranhando.

Gumball já se encontrava num estado sôfrego de excitação, esfregava seu membro duro na perna esquerda de Marshall.

Logo, Gumball levantou-se parcialmente, tirando sua camisa e a de Marshall, deixando ambos com o tronco nu.

E voltou a beijar Marshall com a mesma selvageria anterior.

Mas mesmo que Marshall estivesse amando aquilo, não se sentia enrijecer.

E foi quando Gumball correu a mão até seu membro, que Marshall se sentiu um inseto.

-Marsh...? - Gumball sussurrou. -O que foi? Não tá gostando...? Não to fazendo isso direito? Tá estressado? Tem algo te incomodando...?

-N-não é isso... - Marshall se sentou, encarando Gumball. -Eu só... Não consigo...

-Mas... e hoje...? Você não estava fingindo, não é?

-Não...! É que... Eu tomei um chá... - Marshall estava tão envergonhado que queria apenas fugir dali. -Acho que foi isso que me fez conseguir ficar duro...

Gumball suspirou, se aproximando de Marshall e segurando sua mão.

-Então meio que... Não funciona...? - o rosado perguntou.

-É... Eu não entendo muito bem o motivo...

Ao contrário da expectativa de Marshall, Gumball apenas sorriu, lhe dando um beijo no pescoço e deitando ao seu lado.

-Vamos resolver isso juntos... - Sussurrou. -Vamos dar um jeito...




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...