História Midnight City •GumLee• - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hora de Aventura
Personagens Conde de Limãograb, Finn, Fionna, Gunter, Hudson Abadder, Jake, Lady Íris, Marshall Lee, Mordomo Menta, Principe Chiclete, Príncipe de Fogo, Rainha Gelada
Exibições 197
Palavras 1.268
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 11 - Eu tenho ceteza


Fanfic / Fanfiction Midnight City •GumLee• - Capítulo 11 - Eu tenho ceteza

-Gumball... - Marshall sussurrou, ainda sentado, o encarando. O menor estava deitado ao seu lado.

-Marshall... - o rosado sorriu levemente.

-Eu... Me sinto mais... Leve, com você sabendo do meu... - ele fez uma pausa. -... Problema, e... Não quero que a noite acabe assim... Não me sinto tão seguro assim, mas... Eu quero...

-Tentar novamente? - Gumball se sentou ao lado do moreno, segurando sua mão.

-Se você estiver confortável com isso... - Marshall combinou, encarando sua mão dada à de Gumball e depois nos olhos violetas de seu parceiro. -Talvez devêssemos ir com calma...

-Hmm... Eu concordo com você... - Gumball sorriu, lhe dando um beijo na nuca. -Eu quero tentar novamente...

-Mas... Você tem certeza? Sabe que a maior chance é de... Não funcionar... Você sabe...

-Não pense tanto nisso Marshall... Vamos com calma e com todas as tentativas que precisarmos... Eu sei do que eu quero com você, Marsh, eu realmente sei. - Gumball subiu ao seu colo, acariciando seu pescoço. -Eu tenho toda a certeza.

Marshall segurou delicadamente o queixo de Bubba, o aproximando e tomando seus lábios com calma. Processando tudo que acontecia. A carícia que um lábio exercia sobre o outro e as pequenas mordidas que Marshall dava no lábio inferior de Gumball, como se fosse uma brincadeira pequena.

Processou o momento em que Gumball tinha sua língua sobre a de Marshall, lhe acariciando e valsando (N/A: acabei de inventar essa palavra e significa valsar, tipo, dançar valsa aksamsk) lentamente, tendo entre os dois a calidez e quietude tímida e entregue do desejo mútuo e pacífico de ter o outro para si.

Se não desse certo, estaria tudo bem. Tentariam novamente.

Marshall passeava as mãos pelo abdome de Gumball, apenas vestido de quentura, enquanto o menor se concentrava em estimular o membro de Marshall, rebolando por cima de sua pélvis e desabotoando sua calça, deixando-a ali por um tempo.

O moreno virou-se, invertendo as posições, agora, Gumball estava deitado e Marshall sobre seu corpo com menos de um palmo de distância. Beijava a pele alva do pescoço de Bubba, mordendo-a com leveza e deixando pequenos chupões que saltariam em roxos mais tarde.

Bubba segurou o rosto de Marshall, o deixando à poucos milímetros de distância ao seu.

-Eu te amo, Marshall... - O menor sussurrou. -Eu te amo...

Nenhuma outra palavra foi necessária após aquilo, Marshall apenas o beijou calorosamente, apaixonadamente.

Lhe dava tudo que havia de si e desabotoava a calça de Gumball, invadindo-a por trás e segurando a pele macia de sua bunda.

Gumball soltou um gemido baixo e tímido, e teve uma surpresa feliz.

Marshall recostava sua pélvis sobre a do menor.

Estava excitado.

Um sorriu para o outro, antes de Gumball enroscar o dedão do pé no cós da calça do moreno e tirá-la completamente com cuidado, tento uma pequena visão de sua boxer preta.

Marshall beijava o pescoço do menor, ao segurar em sua calça apertada e a tirar sem pressa, revelando uma calcinha short cor de rosa, que ficava pequena por conta de sua excitação, da qual, seu membro escapava da peça de roupa.

O moreno riu levemente ao ver a peça e depois encarar o rosto envergonhado do menor abaixo de si.

-O que é isso, Bubba...?

-Estou usando para te seduzir... - Gumball respondeu, divertido.

-Pelo visto... - Marshall baixou os lábios até o pescoço do menor, sorrindo. -Está dando certo...

Bubba o beijou, profundamente, enquanto o moreno já o livrava de sua última peça de roupa rosada, estando assim, com o corpo totalmente livre.

Marshall beijou seu queixo e Gumball resmungou baixo, segurando o último tecido que cobria o corpo de Marshall.

-Estou em desvantagem. - O rosado dizia, com um bico cômico e infantil. -Isso não é justo, sabe...? - Sussurrou.

-Então faça justiça, Gumb...

Bubba deu um sorriso traquina, derrubando Marshall na cama e ficando por cima novamente, puxando sua peça íntima e a tirando completamente, se enfiou entre as pernas de Marshall, que se encontravam separadas e com os joelhos dobrados, tendo seu rosto aproximado ao membro de Marshall.

Passeou com os lábios na pele de seu falo rijo, encontrando o rosto de Marshall em timidez, virado para o lado.

O menor segurou-lhe o membro com firmeza e delicadeza, fazendo movimentos de ida e volta, o masturbando num ritmo lento e prazeroso.

Sem muita cerimônia, Gumball, já preso em prazer, levou a boca aberta para o membro de Marshall, o tendo dentro da boca com leveza e delicadeza, chupando com cuidado e vontade notável.

Fazia movimentos de ida e volta e arrancava gemidos baixos de Marshall.

Marshall estava se sentindo inteiro, naquele ato. Inteiro e se quebrando em mil pedaços. Era o que mais havia esperado em sua vida, estar com Gumball.

E após poucos minutos naquilo, Marshall chegou ao ápice, com um arrepio lhe correndo a espinha e se despejando, gozando nos lábios de Gumball.

No entanto, mesmo após o orgasmo, Marshall ainda se sentia excitado e sua mente se focava em dar prazer à Gumball, que estava à engolir o líquido que Marshall soltara.

O moreno o beijou, deixando-o deitado abaixo de si, a cabeça do menor estava deitada ao lado contrário da cabeceira da cama e não faltava muito para que pendesse para fora.

No entanto, durante aquele ato, não era apenas Marshall que se sentia privilegiado. Realmente não. Isso porque Gumball, quando se dava para qualquer um, não fazia nada de prazer mútuo, estava lá apenas para causar prazer e não receber.

E com Marshall aquilo era diferente. Havia uma gama de sentimentos profundos envolvidos e um prazer enorme estava tomando conta do menor, Marshall lhe causava todos os tipos de sensações boas.

Quando Gumball caiu em si, após refletir um momento sobre suas desastrosas relações sexuais anteriores, Marshall já estava a lhe chupar seu membro.

O rosado soltou um gemido alto ao sentí-lo. Gemido que não foi o único, definitivamente.

Um gemido atrás do outro de puro prazer e luxúria, queria Marshall dentro de si o quanto antes.

-Marshall... - Gumball sussurrou. -Me fode logo...

Marshall levantou o rosto, com os lábios ensalivados, sorriu levemente e puxou o menor para mais perto de si, com delicadeza.

Gumball abriu as pernas ao redor do corpo de Marshall, enquanto o moreno ajeitava seu membro na pequena entrada de Bubba.

E o penetrou lentamente, vendo o menor fechar os olhos com força e soltar um gemido baixo e contínuo.

Marshall tomou seus lábios e o beijou, acariciando suas pernas enquanto entrava cada vez mais no menor.

Fez isso até que estivesse totalmente dentro de Gumball.

Começou com movimentos lentos, dando investidas certeiras, pareciam ter sido ensaiadas, de tão perfeitas, no ponto máximo de prazer de Gumball.

O menor gemia alto, gritava com o prazer e os gemidos entrecortados se seguiram repetidamente em elevada altura com o aumento da velocidade de Marshall.

Bubba literalmente gritava o nome de Marshall e algumas palavras desconexas, revelando sua vontade de que seu parceiro não parasse por nem mesmo um segundo.

E já no meio daquele ritmo pesado, rápido, ambos gozaram, ao mesmo tempo, Gumball melava o próprio abdome e o de Marshall, enquanto o maior se desfizera no interior do rosado.

Então voltaram para perto da cabeceira da cama, bagunçada, deitando suas cabeças nos travesseiros.

Gumball abraçou o maior pelo pescoço, encarando os olhos cansados e satisfeitos, o beijou rapidamente e sorriu.

-Não quero parecer patético mas... - sussurrou. -... Você... Esse... Foi o melhor sexo que já fiz, sério...

Marshall riu levemente junto de Gumball, beijou e testa do menor e afagou sua nuca até que caíssem em sono.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...