História Mil acasos - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Christian Figueiredo, Felipe Castanhari, Gustavo Stockler (Nomegusta), Igor Cavalari (Igão Underground), Júlio Cocielo, Kéfera Buchmann, Lucas "Luba" Feuerschütte, Lucas "T3ddy" Olioti, Lucas Lira (Invento na Hora), Maria Júlia Trindade, Mauro Nakada, Patricia "Pathy" dos Reis, Rafael "CellBit" Lange, Rebecca "Becca" Tobin, Whindersson Nunes
Personagens Christian Figueiredo, Felipe Castanhari, Gustavo Stockler, Igor Cavalari, Júlio Cocielo, Kéfera Buchmann, Lucas "LubaTV", Lucas Lira, Lucas Olioti, Maria Júlia Trindade, Mauro Nakada, Patricia "Pathy" dos Reis, Personagens Originais, Rafael "CellBit" Lange, Rebecca "Becca" Tobin, Whindersson Nunes
Tags Christian Figueiredo, Etc, Hey Mica, Julio Cocielo, Kéfera, Micaela, Youtube, Youtuber
Exibições 99
Palavras 2.102
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Visual Novel
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá querido leitor.
E consegui cumprir minha promessa, cá está um capítulo novo e fresquinho, só peço que preparem o coração de vocês!
Obrigada a todos que acompanham ♥
Espero que gostem e que tenham uma boa leitura.
Beijos e abraços.

Capítulo 14 - Capítulo 14


Pov. Micaela

Assim que terminei de almoçar resolvi ligar para minha mãe, ela atendeu no terceiro toque.

– Oi filha!

– Oi mãe.

– Eu te liguei, mas você estava dormindo.

– O papai falou. - Comentei rindo.

– Então, quer jantar conosco? - Ela perguntou animada.

– Claro mãe, vai ser muito bom sair com vocês.

– Fico feliz em saber, passamos aí as 19h30min.

– O.K. mãe.

– Beijos meu amor.

– Beijos mãe!

Desliguei o celular e voltei para a sala.

– Vocês achariam ruim se eu convidasse Angélica, Jorge e André para o almoço de amanhã? - Perguntei.

– Claro que não Mica, você deve chamar sua mãe. - Respondeu Laura sorrindo.

– Filha, independente de qualquer coisa eu quero que se de bom com a família da sua mãe, e quando você a verá de novo? Quando for pra Porto Alegre? - Meu pai perguntou.

Sorri e agradeci a eles.

Amanhã farei um almoço para comemorar a formatura.

– Está tudo certo para amanhã? - Meu pai perguntou.

– Tudo pai.

(…)

– Então a gente se vê amanhã, princesa? - Júlio perguntou.

– Sim amor, vou sair com a minha mãe daqui a pouco.

– Tudo bem então!

– Vai sair com o Igor?

– Não, ele vai vir aqui e vamos ficar jogando.

– Então tá bom! - Falei – Tenho que desligar, vou me arrumar agora amore!

– Ta bom princesa, depois me manda foto.

– Ta bom. - Dei risada.

– Tchau Mica, te amo!

– Tchau Julinho, também te amo.

Coloquei o celular na cama e fui escolher uma roupa, demorei uns cinco minutos na frente do guarda-roupa e escolhi um vestido preto simples, um sapato preto de salto baixo e um colar para completar. Fiz um rabo de cavalo frouxo e passei apenas um rímel e um batom. Sem muito exagero, até porque minha mãe não é do tipo que se produz toda para sair.

Tirei uma foto e mandei pro Júlio como ele tinha pedido, e ele respondeu: “Certeza que só vai sair com a sua mãe? Ta linda de mais <3”

Olhei a hora e já era 19h15min, fui até a sala e fiquei brincando com o Miguel.

– Coisa mais linda da minha vida! - Falei apertando as bochechas dele.

Ele começou a rir e se jogar para trás.

– Vidinha, para com isso. - Falei rindo.

– Nossa Micaela, como você educa ele em. - Laura falou rindo.

– Muito bem né. - Falei rindo. - Não sei brigar com essa coisa mais fofa do mundo.

– Já percebi, mas um dia vai ter que fazer isso. - Ela respondeu rindo.

– Eu sou a madrinha, sirvo para mimar esta criança. - Falei rindo.

– Mauro, acho que nosso filho vai ser muito desobediente. - Laura falou rindo.

– Porque meu amor? - Meu pai perguntou.

– Por que a Micaela mima demais ele.

Meu pai caiu na risada, e Laura também. Ela não conseguia fingir estar braba comigo por muito tempo.

Meu celular começou a tocar, atendi e minha mãe disse que estavam me esperando. Me despedi da Laura e do meu pai.

– Tchau meu anjinho! - Falei enchendo o Miguel de beijo.

Ele dava risada e me agarrou.

– O que eu faço agora? - Perguntei rindo.

Laura começou a rir e foi pegar ele, mas acabou levando um tapa.

– MIGUEL! - Falei séria. - Não pode.

Ele começou a chorar, porque eu nunca gritei com ele.

– Desculpa meu amor. - Falei desesperada balançando ele.

Meu pai começou a rir e foi pegar o Miguel, e assim que foi pro colo do meu pai parou de chorar.

– Seu falso, faz eu me desesperar a toa. - Falei rindo.

– Vai mimar ele. - Laura falou.

– Não mimo mais essa criaturinha.

Laura caiu na risada e meu pai também, peguei minha bolsa e desci.

– Boa noite, desculpa a demora. - Falei sorrindo.

– Boa noite filha, sem problemas. - Minha mãe retribuiu o sorriso.

– O Miguel não queria me deixar vir. - Falei rindo.

– Miguel? - André perguntou curioso.

– Sim, meu meio irmão e afilhado. - Respondi sorrindo.

– Então Mauro teve outro filho? - Jorge perguntou.

– Sim, não só teve “outro” filho como casará mês que vem.

– Parabéns para o meu velho amigo.

“Como ele consegue ser tão falso assim? Era o melhor amigo do meu pai e fez de tudo para que minha mãe se separasse dele para poder ficar com ela. Tudo bem Micaela, não brigue com esse idiota está noite, você é melhor que ele.”

Sorri em resposta.

– Vamos? - Minha mãe perguntou.

– Claro. - Respondi.

Entramos no carro e fomos para um restaurante japonês. Nos sentamos em uma mesa mais afastada, minha mãe e Jorge de frente para mim e André.

– Como andam as coisas, filha? - Minha mãe perguntou.

– Por onde quer que eu comece? - Perguntei rindo.

– Pelo seu canal. - André respondeu sorrindo.

Meu meio irmão ficou muito lindo desde a última vez que o vi, cortou os cabelos loiros e fez um topete, os olhos castanhos agora brilham toda vez que sorri, ficou mais alto e encorpou (provavelmente está fazendo academia).

– Você assiste? - Perguntei.

– Claro.

– Sério? Nossa, fico muito feliz em saber. - Falei animada. - O meu canal no YouTube está as mil maravilhas.

– Que bom filha, e já arrumou emprego?

– Sim mãe, na Lumiére.

– Lumiére? - Minha mãe perguntou animada.

Concordei com a cabeça, chegou um garçom e anotou nossos pedidos.

– Que incrível filha, fico tão feliz por saber que está indo bem na vida.

– E namorado, conseguiu arrumar algum Micaela? - Jorge perguntou provocando.

– Sim Jorge, inclusive o André conheceu ele ontem. - Respondi sorrindo.

Jorge olhou para o André descrente.

– Verdade, um rapaz bacana. - André falou.

– Vocês iram conhecê-lo amanhã. - Falei sorrindo. - Aliás, amanhã farei um almoço para comemorar minha formatura e gostaria muito que vocês fossem.

– Claro que iremos. - Minha mãe falou.

Continuamos conversando até nosso pedido chegar, e nesse mesmo instante o Mauro Nakada passou pela nossa mesa e parou para me cumprimentar, e como estava na ponta ficou fácil sair.

– Maurinho! - Falei lhe dando um abraço.

– Que bom te ver Iolanda! - Ele falou rindo. - Desculpa não ter ido na sua formatura.

– Não, tudo bem. - Falei. - E como está seu pai?

– Está bem, foi só um susto.

– Que bom! - Falei sorrindo. - Vai lá em casa amanhã?

– Claro!

– Ah, Mauro, essa é minha mãe, Jorge e André. - Falei.

Mauro os cumprimentou e foi embora.

– Só uma pergunta Mica. - André falou.

– Sim?

– A Maju Trindade estará na sua festa amanhã?

– Você gosta dela? - Perguntei rindo.

– Sim.

– Estará!

– Filha, seu amigo lhe chamou de Iolanda. - Minha mãe comentou sorrindo.

– Sim, eles costumam me chamar assim. - Falei. - Mãe, porque Iolanda?

– Por causa da sua avó.

– Isso eu sei mãe, mas quero saber o real motivo.

– A verdade é que antes quando estava grávida de você, tive algumas complicações e minha mãe sempre quis uma neta com o nome dela. - Minha mãe falou. - Seu pai ficou desesperado quando a Doutora Aline nos disse que eu poderia perder o bebê e então seu pai prometeu que se ficasse tudo bem com nós duas, a filha dele se chamaria Iolanda, mas ele já tinha escolhido o nome Micaela e para não desfazer a promessa apenas acrescentou Iolanda ao seu nome.

– E porque foi tão difícil assim para você me contar isso? - Perguntei.

– Não sei, acho que deveria ter contado faz muito tempo.

Jorge e minha mãe se levantaram para ir pagar a conta, enquanto eu e André iriamos esperar por eles no carro.

– Micaela, eu quero me desculpar com você por ter sido tão cruel e ter feito da sua vida um inferno quando morávamos juntos. - André falou sério.

– Não ter porque se desculpar, você era uma criança.

– Uma criança horrível, e só hoje vejo que as coisas podiam ser diferentes.

– Podiam ter sido mesmo, mas podemos ser amigos agora.

– Só se você me desculpar.

– Desculpo.

Ele então sorriu e me abraçou, retribui o abraço. É difícil de acreditar que André tem apenas 16 anos e já é maior que eu.

– Vai passar as férias lá em casa. - Ele convidou.

– Vou ver o que posso fazer. - Falei rindo.

Ele deu risada e minha mãe chegou, Jorge logo chegou e fomos embora. O caminho de volta foi um total silêncio, e Jorge parecia estar muito irritado.

– Foi muito bom ter jantado com vocês. - Falei antes de sair do carro.

– Tá, tá. - Jorge falou cuspindo. - Desce logo.

– JORGE! - Minha mãe falou.

– Sem problemas mãe, eu não me importo com o que ele fala. - Respondi o deixando irritado.

Desci do carro e ele veio atrás de mim e segurou meu braço forte me fazendo virar para olhá-lo.

– Olha aqui garota, você pensa…

– FICA LONGE DA MINHA FILHA, JORGE! - Meu pai falou vermelho de raiva.

Jorge levou um susto e me soltou.

– Escuta aqui seu ogro, eu só te convidei para minha formatura e fui simpática com você durante toda a noite por causa da minha mãe, o mínimo que você deveria fazer era me respeitar, mas vejo que continua o mesmo monstro que sempre foi. - Falei irritada. - Já contou para a sua mulher o que tentou fazer comigo?

Todos ficaram me olhando sem entender.

– Eu nunca me importei de ser tratada mal, o real motivo que me fez vir para Osasco foi por você ser um nojento. - Falei.

– O que esse cafajeste tentou fazer com você Micaela? - Meu pai perguntou.

– Conta para o seu velho amigo, Jorge.

– CALA A BOCA SUA IDIOTA.

Me irritei e lhe dei um tapa forte na cara, minha mão ficou marcada.

– Além de ter seduzido minha mãe para se separar do meu pai, tentou me agarrar uma tarde em que estava sozinha, por sorte Angélica chegou e você me deu um bofete na cara dizendo que eu estava tentando sei lá o que com você.

Meu pai não esperou eu terminar de falar e partiu para cima do Jorge, os dois caíram no chão e meu pai dava socos nele tão fortes que achei que fosse quebrar alguma coisa, corri para separar a briga, consegui tirar meu pai de cima do Jorge e puxei para longe.

– EU QUERO QUE VOCÊ FIQUE BEM LONGE DA MINHA FILHA E DA MINHA CASA, OUVIU BEM? - Meu pai gritou.

Jorge apenas assentiu, estava todo roxo e machucado.

– André, entra no carro, porque hoje mesmo vamos voltar para Porto Alegre. - Minha mãe falou. - E Jorge, eu só quero você em casa para pegar suas coisas.

– Angélica, você não pode…

– Eu posso fazer o que eu quiser, quero você longe dos meus filhos. - Ela falava vermelha – E da minha casa.

– Você vai se arrepender sua ordinária. - Ele falou olhando com ódio para mim.

Cheguei perto dele e lhe dei um chute em suas partes íntimas o que o fez cair no chão, abaixei e lhe dei outro tapa.

André olhava vermelho de raiva tudo aquilo.

– Então era por isso que me pedia para ser tão ruim com ela? - André perguntou. - Porque ela não queria nada com você?

– Filho…

– EU NÃO SOU SEU FILHO, VOCÊ ME DA NOJO.

Jorge arregalou os olhos.

– Vai embora daqui seu verme. - Falei.

Ele me olhou com tanto ódio que meu pai me abraçou.

– Eu tenho vergonha de ser seu filho e de um dia ter me espelhado em você. - André falou.

Minha mãe estava chorando, Laura desceu com o Miguel no colo.

– Laura, volta lá para cima. - Falei

– O que está acontecendo aqui? - Ela perguntou.

– Depois eu te conto meu amor, só volta lá para cima. - Meu pai falou.

Laura concordou e voltou.

– Filha, me desculpa por tudo. - Minha mãe falou chorando ao me abraçar.

Comecei a chorar junto com ela e apenas concordei.

– Vai ser uma pena não poder comemorar com você amanhã.

Balancei a cabeça e ela me abraçou novamente. Meu pai pediu desculpa para o André por ter batido no pai dele, e André falou que se meu pai não tivesse batido no Jorge, ele bateria.

Eles se despediram e foram embora, Jorge chamou um táxi e foi em seguida.

Meu pai me abraçou e subimos até o nosso apartamento.

– O que aconteceu lá em baixo? - Laura perguntou.

Meu pai contou toda a história para ela, o que fez ela ficar abalada e me abraçar e ficar me fazendo carinho.

– Porque você não me contou isso antes? - Meu pai perguntou.

– Eu não sei, acho que por medo. - Respondi.

Meu pai me abraçou e começou a chorar junto comigo, Laura se juntou ao abraço.


Notas Finais


Olá caro leitor, espero que tenha gostado do capítulo.
Não esqueça de deixar seu comentário, aceito criticas (desde que críticas construtivas que venham contribuir com a fic).
Obs.: Não escrevo para fantasmas.
Beijocas.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...