História Mil Cortes de Papel - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Black Veil Brides (BVB), Hayley Williams
Personagens Andrew "Andy" Biersack, Ashley Purdy, Hayley Williams, Jeremy "Jinxx" Ferguson
Exibições 18
Palavras 1.049
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Shoujo (Romântico)
Avisos: Mutilação, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Primeiro: Esse capítulo terá duas parte.
Segundo: Por favor, não leia este capítulo e nem a segunda parte dele se você se não pode lidar com auto-mutilação.
Terceiro: Não me me matem, ainda ter um final feliz....ou não... Ok obrigado e aproveitem :-)

Capítulo 27 - O que eu fiz...


Fanfic / Fanfiction Mil Cortes de Papel - Capítulo 27 - O que eu fiz...

A quantidade de traição que eu estava sentindo era demais para mim. Andy era a única pessoa que estava me dando esperança de que as coisas ficariam bem e que ainda é bom lá fora, no mundo, mas em um segundo tudo foi destruído. No começo eu não podia acreditar no que estava ouvindo. Eu não podia acreditar que ele realmente iria mentir para mim. Eu estava em choque. 


"Sinto muito, ok? Eu sinto Muito. Eu sei o que eu deveria fazer, mas eu ... eu não sei. Simplesmente aconteceu. "Andy falou. 


Eu não podia acreditar mais em qualquer coisa que saísse de sua boca. 


"Bem, isso não pode acontecer novamente. Você me disse que ela está ficando melhor, certo? Que ela vai estar pronta para sair em breve, certo ?"Perguntou o Dr.Carlile. 


Andy disse-lhe isso? O que mais Andy disse a disse ? Eu tenho compartilhado tanto com Andy e eu confie nele para não contar a ninguém. 



"Sim, sim. Está certo. Ela não quer se matar mais."Disse Andy. 



"Bom. Nós não queremos destruir tudo quando ela está tão perto de se recuperar, então eu preciso que você volte para ela agora e dizer-lhe que está tudo bem. Diga a ela que eu lhe dei um aviso e que você não está autorizado a continuar seu relacionamento, porque você não é. "Dr. Carlile disse severamente, e de repente eu o odiava tanto. 



"Eu não posso fazer isso."Andy argumentou. 



"Você pode e você vai. Aja como se tudo estivesse bem para que ela possa ficar melhor. Não podemos arriscar arruinar isso. "Disse o Dr. Carlile. 



Houve um silêncio por um momento. 



"Ok, eu vou falar com ela."Disse Andy. 



Isso me fez pensar. Ele iria sair da sala e eu queria escapar. Virei e corri de volta para o corredor. Eu voltei para o meu quarto e comecei a andar em círculos. Eu estava tão confusa. Como pude ser tão cega a isso? Como eu não tinha percebido que Andy estava contando tudo para o Dr. Carlile sobre mim? Claro que ele estava fazendo isso. Provavelmente era parte de seu trabalho. Eu me sinto doente. Assim, tão doente com esta nova informação. A porta se abriu e eu estava esperando por isso.Doutor Carlile disse para Andy falar comigo, e Andy obedeceu. Assim que o vi, comecei a chorar, soluçar, choramingar. Isso me acertou bem no coração. O choque foi demais. Eu realmente não entendo. 



"Hey, hey, está tudo bem, não chore pequena." Andy fechou a porta e chegou perto, mas eu dei um passo para trás. 



O pequeno apelido só me fez chorar mais.



"Você mentiu para mim." Eu choramingava. 



Ele parecia confuso, mas apenas por uma fração de segundo, então ele percebeu que eu ouvi a conversa. 



"Hayley, por favor-" 



"Eu nunca menti para você!" Eu gritei para ele: "Tudo o que eu disse, eu abriu o jogo e disse tudo, eu nunca,nem uma vez sequer, menti e você estava mentindo o tempo todo! "



" Eu ... eu ... "Ele gaguejou. 



Ele não tinha uma explicação, é claro. É difícil admitir ser um mentiroso. 



"Eu confiei em você, seu idiota! A única razão pela qual você realmente queria ser meu amigo era para que assim você poderia apresentar um relatório ao seu chefe! É nojento! "Eu praticamente gritei. 



" Não isso nã- " 



"Esqueça! Eu não quero ouvir isso. Eu não quero ouvir mais nada de você. Eu nem sequer quero você perto de mim agora! "Eu gritei.



Ele parecia tão surpreso. Meu silêncio, auto de fala mansa foi trancada e eu estava deixando cada pequena emoção para fora. 




"Eu sinto muito, pequena escu-"



"Cale a boca! E não me chame assim!!" Eu gritei:"Saia! Caia fora, eu te odeio por isso! A dor que você ta me causando é um milhão de vezes pior do que a que o Vic causou!! "



Ele parecia derrotado e eu não poderia ficar olhando para ele. Eu me virei, soluços escapando dos meus lábios. Na verdade, eu o amava e o que eu disse era inteiramente falso, pelo menos a última frase. Isso era tudo não importava agora. 



"Deixe-me sozinha." Eu disse mais calma com os dentes cerrados. 



Fechei os olhos com força, desejando que ele apenas se afastasse de mim. Tudo que eu ouvia era o silêncio e eu estava com muito medo de abrir os olhos. Lentamente, eu finalmente abri-los. Olhei para a porta. Ele tinha ido embora. Corri e fechei a porta com pressa para que eu pudesse ficar sozinha. Eu não podia acreditar nisso. Eu realmente não podia. Eu não entendia como ele poderia fazer isso para mim. Será que eu realmente ter essas más escolhas em pessoa e eu sempre escolher aqueles que acabam me machucando mais? Vic quebrou a minha confiança. Assim fez Andy, e eu não poderia lidar com isso. Senti vontade de gritar. Eu tinha vontade de bater algo. Eu estava soluçando incontrolavelmente. Minha mente estava nublada. Tantos pensamentos ruins estavam passando pela minha cabeça. Corri para o meu travesseiro esvazio o conteúdo nele no chão. Dois objetos cairam, eu caí de joelhos e peguei a flor de papel. Esperança? Fé? Não, eu não tinha nada disso agora. Ele fez esta flor estúpido para mim, mas era apenas mais uma de suas mentiras. Ele fez isso para se aproximar de mim. Eu rasgo em pedaços, sem me importar que esse tinha sido a coisa que me fez suportar longas e solitárias noites. Não importava para mim. Olhei para o alfinete. Eu desejava a ponta afiado. Eu estava tão irritada e chateada. Eu só precisava. Eu precisava de algo para parar o que eu estava sentindo. Eu precisava botar tudo para fora de alguma forma, por isso, sem pensar duas vezes, peguei o alfinete, e, então eu perfurei meu pulso e puxei para baixo rapidamente. Um raio de dor atravessou meu braço, apenas por um segundo, um mísero segundo, aliviou a dor, mas eu precisava de mais. Sem hesitar, repeti uma e outra vez, soluçando e reprimindo os gritos desesperados que implravam pra sair de minha garganta, até meu braço estar coberto de sangue, por um segundo minha cabeça voltou para o lugar e foi quando eu percebi o que fiz. Meu sangue escorria pelo braço e pingava em minha camisa, agora manchada. O que eu fiz ?!?


Notas Finais


A segunda parte vou postar provavelmente hoje. s2 xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...