História Mil Cortes de Papel - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Black Veil Brides (BVB), Hayley Williams
Personagens Andrew "Andy" Biersack, Ashley Purdy, Hayley Williams, Jeremy "Jinxx" Ferguson
Visualizações 56
Palavras 2.104
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Shoujo (Romântico)
Avisos: Mutilação, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Ok..ok eu de novo mais é importante.

Primeiro: esse capítulo ficou maior do que eu esperava e por isso terá mais uma 3° parte

Segundo: Não odeiem o Andy... Vocês vão entende-lo no decorrer da história

Terceiro: Eu vou sim fazer uma segunda temporada dessa história :-)

Quarta: tenho mais umas histórias com essa mesma temática

Quinata é ultima ( juro que é a última ): vejam minhas outras histórias prometo que não iram se arrepender :-)

Aproveitem ❤ ( E sei sou muito chata 😛 )

Capítulo 28 - Isso não está acontecendo...


Eu engasguei em voz alta e deixei cair o alfinete. Eu rapidamente agarrei meu pulso com a outra mão e segurou-o com força para impedi-lo de sagrar mais. Eu não queria me prejudicar.Eu realmente não queria. Eu estava em pausa, congelada. Eu nunca tinha me cortado antes. Com as mãos trêmulas e uma mente curiosa, eu tirei minha mão para olhar para o dano. O sangue foi escorrendo em linha reta e, ao vê-lo, entrei em pânico. Eu não queria isso. Eu estava fazendo isso novamente. Sério? Eu estava prejudicando a mim mesma por um menino, de novo? Eu não quero ser essa pessoa mais. Eu não quero ser o tipo de pessoa cujo mundo desaba por causa de um cara. Eu não poderia ser essa pessoa, de novo não. Eu superei Vic e o que aconteceu entre nós. Eu estava seguindo em frente, e eu me machuquei por outra pessoa. Assim como com Vic parecia o fim do mundo, mas eu sabia melhor agora. Eu sabia que a dor não iria durar para sempre. Eu não poderia continuar fazendo isso para mim mesma. Eu limpei o sangue para torná-lo ir embora, mas quando eu fiz, mais apareceu. Eu fiz isso de novo, mas ainda assim o sangue estava sendo rápidamente revelado, quando eu limpava podia ver direito o estrago, os cortes não estavam ao longo do braço, mais , em uma pequna área circular, parece que eu mais cortei um por cima do outro. Eu limpei de novo, mas novamente o sangue estava rápidamente escorrendo pelo meu braço.



"Não, não, pare com isso, por favor."Eu sussurrei. 



Eu não quero mais isso. Eu estava em pânico. E se eu cortei uma veia? E se não parar de sangrar? Eu cobri meu pulso novamente e me levantei, vendo melhor as machas de sangue em minha roupa. Eu preciso de ajuda, cruzei os braços de uma maneira que escondesse as manchas em minha camisa. Saí do quarto e me dirigi pelo corredor em direção ao escritório do Doutor Carlile, felizmente o corredor estava vazio. Eu não estava perturbada pelo fato de que eu estaria falando com ele após o meu voto não falar. Eu só queria que o sangramento parasse. Eu não conseguia ficar calma. Quando cheguei à porta do escritório estava aberta e Doutor Carlile estava sentado ali, sem fazer nada, mas parecendo estar imerso em pensamentos. Ele olhou para cima quando ele me viu lá. 



"Ajude-me, por favor."Eu disse em uma voz calma. 



Ele pareceu confuso por um momento. Eu descruzei meus braços e tirei a minha mão do meu pulso e seus olhos foram imediatamente para as manchas em minha roupa. Ele se levantou rapidamente e se aproximou. Ele agarrou meu braço, examinando-o. 



"Venha comigo."Ele disse simplesmente. 



Ele manteve a mão no meu braço e me levou para o corredor. O que é agora? Eu iria ser jogada na unidade de terapia intensiva? O simples pensamento me aterrorizava. Eu não parei para pensar sobre as consequências de me machucar. Claro, no momento parecia uma ótima idéia, mas realmente não era. Doutor Carlile me levou até um lance de escadas e em uma sala de tratamento. Todos os tipos de equipamentos médicos cobriam as paredes. Ele me levou para uma macae parou de andar, ele me fez sentar na maca e foi até vários conjuntos de gavetas. Ele passou por várias gavetas até encontrar toalhetes de álcool para limpar a minha mão e camisa que tinha sangue sobre , então começou a limpar meu pulso. Eu vacilei, apertando meu queixo como pequenas ondas de dor passou por meu pulso. O algodão embebido em álcool ardia muito. Eu realmente não me dou bem com a dor. 



"Por que você fez isso?"Perguntou Doutor Carlile. 



"Eu estava chateada."Eu disse. 



"Por quê?"Ele perguntou rapidamente. 


Ele continuou a limpeza das ferida, agora que estão limpos vi que não eram muito fundos, pelo menos não fundos o suficiente para ter que levar pontos. Mesmo assim, ainda sangrou muito. Então, novamente, mesmo os mais rasos cortes podem sangrar muito.



"Porque ... Eu ouvi você e Andy falando." Eu disse. 



Não havia nenhum ponto para ficar quieta agora. Eu não tinha nada a esconder mais, especialmente desde que eu sabia que Andy tinha ido até ele para dizer-lhe meus pensamentos. 



"Certo." Ele disse. 



Isso era tudo que ele tinha a dizer? Eu senti como se eu merecesse algum tipo de explicação. 



"Sim, certo. Por que você o fez fazer isso?"Perguntei. 



"Porque você não fala com ninguém, mas eu podia ver a partir do segundo em que eu vi vocês dois juntos, que ele poderia levá-la a falar. "Ele disse. 



"Isso não é certo. Você é um médico, você não deveria ter feito isso. "Eu disse. 



"Eu sei, moralmente está errado, mas ele concordou em me ajudar. Realmente foi apenas para seu bem."Ele disse. 



"Ele mentiu para mim. Como mentir para mim uma e outra vez me ajudaria a ficar bem ?"Perguntei. 



"Se serve de consolo, eu posso lhe garantir que ele se sentia mal sobre isso. "Ele disse. 



"Besteira. "Eu bati. 



Ele suspirou quando ele soltou meu pulso para encontrar uma bandagem. Ele balançou a cabeça, como se eu fosse uma criança que simplesmente não entendia. 



"Não é besteira em tudo. Ele se sentia culpado sobre o que ele estava fazendo. "Ele disse. 



"Então por que ele não parou? "Perguntei. 



"Porque ele sabia que se ele voltasse atrás em nosso acordo significava passar menos tempo com você. "Ele explicou. 



Eu não disse nada. Eu só não sabia mais em que acreditar. Eu não sabia quem estava dizendo a verdade ou não. Eu certamente não confiava no homem que está na minha frente. 



"Eu realmente confiava em Andy e ele mentiu. Ele ser meu amigo foi uma mentira."Eu disse. 



"Talvez tenha começado dessa maneira. Eu disse a ele para ser seu amigo. Eu não lhe disse para beijar você. "Ele disse, o que me deixou pensando. 



Ele estava certo sobre isso. Ele nunca ddissea Andy para ir mais longe comigo, ou talvez ele fez, ou talvez eu não tenha nenhuma porra de idéia, porque eu não podia confiar mais em uma sequer palavra de ninguém. 



"Eu só não sei o que era real eo que era uma mentira . "Eu disse calmamente. 



"Andy ... "ele fez uma pausa," ... é uma pessoa genuína. " 



"Não, ele não é. Se ele fosse, então, ele não teria mentido para mim. "Eu disse. 



"Ele tinha suas razões. "Ele disse simplesmente. 



"Não importa agora, porém, não é? "Perguntei.



"Não, não importa. Eu não esperava que a amizade de vocês fosse ir além de uma amizade, e por isso é melhor você e Andy não verem um ao outro mais."Ele disse. 



Eu realmente não gostei do que ele disse. Tão irritada como quanto eu estava com Andy, eu odiava o pensamento de não vê-lo. Mais uma vez, como de costume, eu estava confusa sobre o que eu estava sentindo. 



"De qualquer forma, você se machucou, porque você estava cchateada. Mas por que você parou?"Ele perguntou. 



Ele soltou meu braço e eu olhei para meu pulso agora enfaixado.



"Porque ...." Eu murmurei. 



"Eu estou tentando ajuda-la aqui." Ele disse. 



Eu suspirei, cedendo porquê eu estava cheia do silêncio.



"Porque eu não queria continuar a me machucar cada vez que algo ruim acontece." Eu disse a ele.



"Então você tomou a decisão de não prejudicar a si mesma?" Ele perguntou . 



Eu balancei a cabeça sem dizer nada. 



"Quando você se cortou, você estava pensando em quere morrer?" Ele perguntou. 



"Não." Eu disse a verdade. 



"Você quer morrer?" Perguntou. 



Eu pensei sobre isso por alguns segundos. 



"Não." Eu disse com um aceno de cabeça. 



"Bom. Estou contente de ver você tomou essa decisão por conta própria. "Ele disse.



"O que isso significa para mim agora embora?"Perguntei.



Ansiedade foi fabricado em meu coração com a pergunta. 



"Hoje foi emocionalmente desgastante para você. Talvez vamos discutir isso amanhã. "Ele disse. 



" Ok."



Eu não demorei a aceitar. Eu ainda estava com medo da mudança, então eu estava completamente bem em adiar a conversa por um tempo. Não muito mais foi dito entre Doutor Carlile e eu. Ele me disse que tinha que cortar minhas unhas pois estavam grandes e poderia ser um risco, e após ele cortar ele me levou de volta para o meu quarto e eu tive o prazer de descobrir que ele não iria me mover para a intensiva. Eu acho que depois da nossa conversa, ele percebeu que eu não iria me machucar novamente, o que eu não faria. Foi uma coisa horrível de fazer e absolutamente nenhum ponto positivo vieram dela. Ele levou o alfinete de mim, e eu estava completamente bem com. Eu não preciso mais dele. Eu não precisava, em primeiro lugar. Ele deixou-me sozinha depois disso, e eu não queria ficar no meu quarto por muito tempo. Meus pensamentos tinham viajado de volta para Andy. 


Eu ainda estava tão confusa. Eu não sabia qual partes de nossas conversas eram reais e qual partes eram falsas. Eu não sabia o que era a verdade e o que era mentiras. Eu foi tão rápida para mandar Andy embora quando ele veio aqui mais cedo. Eu não quero que isso seja uma outra situação como a com Vic onde não tinha encerramento. Eu precisava de respostas, então eu fui à procura de Andy. Eu só tinha que falar com ele. Ele pode ser demitido por beijar um paciente assim que eu precisava vê-lo hoje antes que isso acontecesse. Eu não encontrá-lo pelos corredores ou na sala de jantar ou na sala de recreação. Eu não vê-lo através das janelas. Eu parei no salão principal, olhando para à esquerda e à direita, pensando no que fazer a seguir. Meu olhar caiu sobre a porta que dava para a unidade do intensiva. Lembrei-me de Andy me dizendo que a sala dos funcionários é por essas portas. Eu sabia que não era permitido ir lá, mas eu realmente não me preocupava com as regras neste momento. Dirigi-me à porta, em seguida, virei lentamente a maçaneta, como se o menor ruído me faria ser pega. Eu abri, rapidamente entrei e fechei a porta atrás de mim. Olhei para o corredor. Eu notei a mudança na atmosfera imediatamente. Onde fico eu sempre pensei que era frio e sombrio, mas em comparação com este lugar, parecia quente e convidativo. O corredor era longo e estreito. Tudo era incrivelmente branco. Eu podia ouvir choro no corredor. Claro, onde fico eu ouvia choro também, mas esse choro era doloroso de ouvir e ecoou pelo corredor. Eu meio que queria virar e ir embora, mas eu precisava eencontrar Andy e obter a minha explicação. 



Eu andei pelo corredor, olhando para cada porta a procura da sala dos funcionários. Eu realmente quero que ele esteja lá. Eu finalmente achei a sala no meio caminho pelo corredor. Na porta estava escrito claramente "apenas para o pessoal". Olhei pela janela na porta. Havia algumas pessoas lá dentro, mas nada de Andy. Suspirei e continuei andando pelo corredor. Eu acho que vou ter que esperar e ver o que acontece. Eu nem estava inteiramente certa se eu queria realmente vê-lo. Sim, eu queria uma explicação, mas ele me machucou muito por isso há a outra metade de mim que não queria. 



Eu andei pelo corredor com um pouco de pressa, porque eu não quero ser pega aqui. Cerca de uma sala do caminho de volta para o corredor principal, parei quando vi algo com o canto do meu olho. Eu dei alguns passos para trás e olhei para a porta. Era uma porta comum como todas as outros, mas a coisa que notei foi no chão não; a pequena, e fina linha vermelha na parte inferior da mesma. Olhei para ela e a linha tornou-se mais visível. Foi quando eu percebi o que era. Um líquido vermelho escorrendo por de debaixo da porta. Meu deus. Isso é ?!?. É sangue.


Vi sangue no chão da intensiva, então é claro que minha mente saltou para a pior conclusão possível. Alguém tinha se ferido, e como o meu recente sentido da vida não é tão ruim, eu queria ajudar. Eu abri a porta rapidamente, pronta para avaliar os danos e pronta para chamar alguém para ajudar. Preparei-me para ver um estranho, mas a visão me chocou e me traumatizado mais do que eu alguma vez na vida pensei que  possível. Meu coração se apertou e senti como se estivesse estourando para fora do meu peito. Minha respiração ficou completamente parada como ansiedade e pânico encheu-me mais do que nunca. Uma linha de sangue escorria pelo chão para onde eu estava de pé. 



Notas Finais


Comentem 😍 (sério comentem eu amo todos seus comentários)
E a última partr desse capítulo juro que posto amanhã
xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...