História Mil Cortes de Papel - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Black Veil Brides (BVB), Hayley Williams
Personagens Andrew "Andy" Biersack, Ashley Purdy, Hayley Williams, Jeremy "Jinxx" Ferguson
Exibições 38
Palavras 2.422
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Shoujo (Romântico)
Avisos: Mutilação, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - Ashley Purdy


Fanfic / Fanfiction Mil Cortes de Papel - Capítulo 6 - Ashley Purdy

Eu sobrevivi a meu primeiro dia aqui e acordei no dia seguinte com uma sensação sombria. Às vezes as pessoas me dizem que se eu dormir, então eu vou acordar me sentindo melhor, ou, no mínimo, diferente. Eles dizem que os meus problemas vão parecer estar em um mundo distante, mas eu não sinto nada diferente.Minhas opiniões não havia mudado. Meu coração ainda dói. E eu ainda não quero estar aqui ou em qualquer lugar.Deitei na cama por um tempo imaginando quanto tempo eu seria mantida aqui. Não foi me dado um período de tempo.Talvez gostaria de perguntar a meu novo companheiro,Andy.

Andy não veio ao meu quarto esta manhã. Em vez disso, eu fui recebida por uma mulher de cabelo louro e, provavelmente, em seus trinta e poucos anos. Eu não pegar o seu nome porque ela não me disse. Ela me levou para comer o café da manhã e esperou nas proximidades impaciente enquanto eu silenciosamente comi cereais. Meu apetite ainda estava perdido, mas meu estômago estava me implorando para preenchê-lo com alguma coisa, então eu forcei-me comer. A mulher parecia completamente desinteressada em mim. Era óbvio que ela estava simplesmente fazendo isso porque era seu trabalho. Ela provavelmente queria lidar com algo mais importante do que uma adolescente que queria morrer. Através do silêncio constrangedor , eu tinha que admitir que parte de mim queria Andy aqui. Ele encheu o silêncio e eu tenho a sensação de que ele realmente queria estar aqui, como se ele gostasse de falar comigo, ou falar em geral.

Não fiquei surpresa que ele não estava aqui embora. Ele tinha ficado aqui bastante tempo na noite passada, então eu não esperava que ele estivesse aqui agora. Tenho certeza que ele tem uma vida para viver, que não incluia lidar com uma adolescente deprimida como eu. Depois do almoço a senhora me deixou na sala de recreação sem uma palavra. Olhei ao redor da sala,me  perguntando se alguém poderia vir e me dizer o que eu deveria fazer. Espiando ao redor da sala, vi um círculo de cadeiras. A maioria deles foram ocupados por pessoas vestindo as mesmas roupas que eu. Um deles foi ocupado por um homem que eu conheci ontem, mas não conseguia lembrar o nome, mas pelo o que eu me lembrava era o terapeuta de grupo. Isso explicava tudo. Hoje foi dia de terapia em grupo.

"Ah, Hayley. É bom vê-la. ", Disse o terapeuta. 

Eu estava na porta, contemplando a sala, o único movimento que eu queria fazer  era me virar e caminhar na direção oposta.

"Eu não sei se você se lembra, mas meu nome é Jeremy McKinnon. Você esta um pouco atrasada, mas tudo bem. Por que você não tomar um banco? "Ele disse.

Suspirei profundamente antes de fazer lentamente o meu caminho através da sala para um dos lugares vagos.Todos na sala parecia ser adolescente, exceto o terapeuta. Eu me perguntava a quanto tempo cada um deles estavam aqui. Alguns deles estavam olhando em volta nervosamente, o que me fez pensar que talvez eles eram novos. Alguns outros parecia entediados, e até mesmo casual, talvez eles estivessem aqui por um bom tempo.

"Ok, então, onde estávamos ... Jenna, que gostaria de compartilhar com o grupo porque você está aqui ? "Jeremy perguntou gentilmente.

Eu segui o olhar de Jeremy e o vi olhando para uma menina com cabelos loiros e olhos brilhantes.Fiquei imaginando o por que ela estava aqui. Ela parecia muito com uma daquelas garotas popular da escola para estar em um lugar como este. Ela parecia o tipo de garota que tinha tudo o que queria na vida, ou pelo menos o acesso a ele.

 "Um ..." ela começou, em seguida, deixou escapar um suspiro. 

"Está tudo bem, tomar o seu tempo.", Disse Jeremy.

A menina olhou para o grupo com uma careta. 


"Uh ... Eu só, eu não sei, eu só conseguia ferir as pessoas, como as pessoas que eu amo. Eu deixa-las desapontadas comigo ou eu faria coisas ruins para elas uma e outra vez. Era como se eu não pudesse deixar de fazê-lo, e eu não queria ... "Ela parou.

Todo mundo ficou em silêncio enquanto ela recordou de seus atos.Foi intenso aqui. Eu me senti desconfortável. Eu não podia ver-me abrindo para esses estranhos como ela estava.

"Então, muitas pessoas ficaram feridas por mim, então comecei a me machucar, como fisicamente", disse ela.

Ela cruzou os braços, escondendo as ataduras em torno de seus pulsos antes de continuar:

"Um dia eu fui longe demais e agora estou aqui." 

Entre minha tristeza e amargura por estar aqui, senti uma pontada de culpa por meus sentimentos anteriores sobre ela . Eu acho que você não pode julgar um livro pela capa. 

"Mhmm, e eu sei que há muitas pessoas nesta sala que passaram pelo mesmo tipo de coisa," Jeremy falou. 

Houve uma rodada de acenos de grupo.

" Jenna, você disse que foi longe demais, isso significa que você não tinha a intenção de fazê-lo? Que você não quis ir tão longe como você fez?" Ele disse.


Eu olhei para Jenna, que estava encarando o chão, ela encolheu os ombros, mas acenou com a cabeça, ao mesmo tempo.

"Levante a mão, quem lamenta o que fez para si mesmo? " Jeremy perguntou. 

Todo mundo levanta as mãos;todos, exceto eu. Eu era realmente muito diferente de todos eles? Eles se arrependeram. De repente eu me senti tão deposta. Eu pensei que haveria um monte de gente aqui, assim como eu, mas talvez não. O cara ao meu lado inclinou-se para mais perto de mim. 

"Você deveria apenas concordar. Dessa forma, eles vão pensar que você não está louca e iram deixa-la sair mais cedo. "O menino sussurrou. "

"Ei, Ashley, não sussurrar na terapia em grupo por favor. ", Disse Jeremy antes de virar para o resto do grupo." Ok, então , como podemos ver aqui, um monte de pessoas têm tido segundos pensamentos, de certo modo o que vocês estão sentindo é completamente normal e posso assegurar-lhes, todos os pacientes que sairam daqui lamenta o que eles fizeram também. Eles levantaram as mãos também, e eles superou o arrependimento. Eles superaram o que fizeram com eles e vocês também podem. A prova está bem aqui.Olhe ao seu redor, olhe para a pessoa ao seu lado, cada um de vocês pode ficar melhor e perceber que o que você fez para vós não foi a melhor solução. Esse é apenas o primeiro passo para melhorar. "

Revirei os olhos. Jeremy não pode falar por todos. Como ele iria saber como nos sentimos ou como iríamos no futuro? Ele não faz. Ele não pode generalizar a todos nós assim. Notei Jeremy me observar quando eu revirei os olhos.

"Hayley, você não concorda?" Ele perguntou. 

Eu não disse nada. Essa coisa toda era ridícula. 

"Você não levantou a sua mão, então isso significa que você está certa sobre sua decisão de tentar tirar sua própria vida?" Ele perguntou. 

Silêncio. Não havia nada além de silêncio na sala. Todos os olhos estavam em mim. Essa foi outra razão pela qual eu não estava falando. Eu não ia deixar que outros quinze estranhos saber informações pessoais sobre mim. 

"Você quer fazer isso de novo?" Ele perguntou.

Sim.

"Você quer dizer ao grupo por que está aqui? Ou mesmo algo sobre si mesma? "Ele perguntou.

Eu poderia dizer pelo seu tom de voz que ele estava desistindo. Bom. 

"Ok, bem, talvez da próxima vez então. Quem mais gostaria de compartilhar algo com o grupo? "Jeremy perguntou.

Depois disso, eu não ouvi o resto das conversas. Tive a sensação de que algumas pessoas estavam irritadas por eu não falar. Talvez tenha sido fora do comum aqui. Certamente houve outros que não iria cair para a falsidade do local.

Será que eles realmente pensam que os terapeutas ligaria para nós se não recebessem um salário no final da semana? A sessão correu por cerca de uma hora e eu estava morrendo de tédio. Eu estava muito preocupada com o que estava acontecendo na minha cabeça. Como eu poderia ouvir e apoiar essas outras pessoas quando eu não poderia mesmo lidar com meus próprios problemas? Talvez isso me fez egoísta, mas não havia nada que eu pudesse fazer sobre isso. Finalmente, tudo estava acabado. Eu sai daqui antes de ter que suportar outras sessões. Talvez o que Ashley disse estava certo. Talvez eu tivesse que ceder e fingir que estou bem. Minha teimosia não queria dar a equipe aqui a satisfação de ter me 'curado'. Gostaria apenas de guardar para mim por agora.Eles vão ter que desistir e me deixar sair algum dia. Eles não podem me manter aqui para sempre.


Saí da sala de recreação para encontrar Andy ali de pé, encostado em uma parede.Olhei em volta, nervosamente. Nenhum dos outros tinha pessoas vigiando-os. Eu acho que eles não eram tão novos quanto eu. 

"Hey, você teve uma boa sessão?",Perguntou Andy.

Dei de ombros descuidadamente.


"Eu acho que elas não são para todos." Ele acrescentou. 

Eu balancei a cabeça. 

"Então v-"

"Ei, você." Alguém interrompeu Andy.

 Virei-me e vi o cara de antes, Ashley, olhando para mim. Dei-lhe um olhar curioso. 

"Você levantou-se contra eles!" Ele exclamou:"Você realmente se levantou contra eles." 

"Você pode fazê-lo, você sabe. Você já está um passo mais perto.Você não vai deixá-los fazer a lavagem cerebral em você para você pensar que está tudo bem. Você pode fazê-lo por todos nós. "Ele disse.


Ele estava praticamente radiante. A maneira como ele falou com tanto entusiasmo tinha me feito sentir um pouco intimidada. Olhei para Andy nervosamente. Ele tinha a mesma expressão confusa que eu provavelmente tinha.

"Você é uma prodígio. Você pode mostrar-lhes. Você pode terminá-lo, você pode terminá-lo por todos nós. Se você se matar aqui será a prova de que todos podem. "Ele falou rapidamente. 

Fiquei chocada e horrorizada com suas palavras. Para mim, era como se fosse aprovado eu querer me machucar, mas um completo estranho me dizendo me deixou atordoada. 

"Hey! É o suficiente. "Disse Andy,dando um passo à frente. 

Outras pessoas; funcionários e pacientes, estavam assistindo esta pessoa falar.

"Não, você não para-la. Eles estão tentando nos suprimir!Você levantou-se contra eles Hayley. Mostre-lhes que eles estão errados!"Ashley gritou.

Ele me queria matar-me para provar um ponto?,Jeremy foi rápido para intervir quando ele percebeu o que estava acontecendo. 

"Ashley, venha comigo." Ele disse calmamente e tomou-o pelo braço. 

O menino não iria silenciosamente embora. Ele caiu para a frente para mim e Jeremy foi obrigado a agarrá-lo e puxá-lo de volta. Outro membro da equipe o ajudou e eu fiquei ali com os olhos arregalados como arrastaram o menino lutando pelo corredor. 

"Você não pode me manter aqui por mais tempo!" Ashley gritou: "Eu tenho direitos! Mostre-lhes que eles estão errados, garota!Mostre-lhes! " 

Eu não sabia o que fazer ou dizer. Ashley era claramente instável, mais do que eu, e provavelmente mais do que os outros pacientes que estão ao redor. Jeremy e o outro membro da equipe levou-o por outra porta; um que eu não tinha passado por antes. 

"Ok todos, de volta para seus quartos. Sem lentidão. "Um dos membros da equipe do sexo feminino disse.

A multidão se dissipou e eu fui deixada com Andy, que olhou para mim.

 "Você está bem?" Ele me perguntou.

Eu balancei a cabeça rapidamente. O que veio a seguir? As coisas que Ashley disse estava errado? Ele estava indo para me convencer a não fazer o que Ashley disse?Eu sabia que era impossível me matar aqui. Não havia nenhuma maneira de fazê-lo.

 
"Bom." Ele disse simplesmente.

O que, nada ? Não vai me tranquilizar dizendo que tudo ficaria bem? Isso é o que meus pais faziam cada vez que algo deu errado. É o que eu esperaria do Jeremy ou o Dr. Carlile, mas Andy não fez isso.

 "Onde é que eles levá-lo?", Perguntei.

Apontei para a porta que Ashley tinha desaparecido.

"Para unidade intensiva. É onde as pessoas que estão em um risco imediato ficam, junto com as pessoas que podem ser um perigo para os outros, como ele esteve para você naquele momento. "Ele explicou.

Eu não sabia que havia diferentes unidades. Eu tinha tentado me matar, então porque não estava na unidade de terapia intensiva?

"Então ... onde estou?" Perguntei em voz baixa. 

"Com os pacientes em geral. Isso significa que seu terapeuta não acha que você está indo para ferir-se ou os outros. "Ele disse. 

Suponho que isso era verdade. Eu encontrei-me não querer me matar enquanto eu estava aqui.Quando eu fizer isso, vai ser do lado de fora em meus próprios termos. Então, novamente, se eu tivesse um colapso como Ashley acabou de ter? Eu iria ser colocada lá como ele foi? 

"Como é lá?", Perguntei.  

"Horrível ... há sempre pessoas chorando e gritando para ser soltas. A sala de almoço deles é por esse corredor. É ... apenas considerar-se sortuda que você está aqui e não lá. "Ele disse. 

Eu não quero ir para lá.'Intensiva' soou tão assustador. 

"Não se preocupe", disse Ele brilhantemente, "Contanto que você manter a calma, eles vão mantê-la aqui, e os outros ficam lá onde eles não podem machucar ninguém."



Eu simplesmente assentiu.Eu poderia manter a calma, eu acho. Pelo menos eu tinha certeza de que eu não estava a ponto de ter um colapso e dizer a alguém se matar. Não desejaria o sentimento a ninguém. Andy e eu andamos de volta para o meu quarto e, é claro, ele tagarelava.

"Desculpe, eu não estava aqui esta manhã. Eu estava ocupado fazendo outras coisas.Eu estou aqui quase todas as manhãs, mas está tudo bem, tipo,eu posso vir a tarde e ficar ate a noite. É quase hora do almoço também. Você quer almoçar? "Ele perguntou. 

Eu balancei a cabeça, não.

 "Você tomou café da manhã?" Ele perguntou.

 Eu balancei a cabeça. 

"Captain Crunch?" Ele perguntou.

E eu assenti novamente.

"Delicioso, certo?" Ele perguntou.

Mas eu apenas dei de ombros. Chegamos ao meu quarto e me virei para ele que estava balançando para frente e para trás em seus calcanhares. E agora? 

"Eu acho que ... Eu te vejo mais tarde." Eu disse calmamente.

"Oooh, eu sei tipo de voz e essa", disse ele em tom de provocação.

Eu fiz uma careta para ele, não tendo ideia do que ele estava falando.


"Isso é uma voz de 'Eu não quero ficar sozinha' ". "Ele disse. 


Ele estava errado. Eu gostava de ficar sozinha, às vezes, mas talvez, eu apenas talvez eu gostava de sua companhia neste lugar, porque ele me faz sentir normal. Isso não significa que eu não quero estar sozinha embora. 

"Eu não me importo em estar sozinha.Eu gosto do silêncio. "Eu disse, mas eu ainda estava incerta de minha declaração.

 Eu me senti desconfortável, então eu o deixei na porta e fui para o meu quarto. Sentei-me na cama com as pernas cruzadas, encostada na parede e olhando para a frente. Andy veio e sentou ao meu lado. Eu olhei para ele. 

"Às vezes eu só queria ficar sentado em silêncio também." Ele disse casualmente.


'Andy' e 'silêncio' eram duas palavras que eu não iria colocar juntas. Eu olhei para a frente novamente e nós dois ficamos aqui sentados, sem dizer uma única palavra.















Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...