História Milk - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Fifth Harmony, One Direction, Zayn Malik
Personagens Ariana Grande, Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Tags Ariana Grande, Fifth Harmony, Harry Styles, Larry, Liam Payne, Little Mix, Louis Tomlinson, Niall Horan, One Direction, Perrie Edwards, Zariana, Zayn Malik, Zerrie
Visualizações 421
Palavras 1.360
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


ADICIONEI ALGUMAS PARTES (IMPORTANTES) AO CAPÍTULO, LEIAM POR FAVOR.
( Partes adicionadas estão lá no final dele )

Capítulo 10 - 10. Milk


 

September 25, 2012

 

O chão por debaixo dos meus pés está aberto
O jeito que aguentei firme
Com nada entre nós
A história da minha vida, a levo para casa
Dirijo a noite toda para mantê-la aquecida e o tempo
Está congelando (a história da, a história da)
A história da minha vida, dou esperança à ela.

One Direction – Story Of My Life

 

— Por que você me trouxe na casa da sua noiva? – sussurrei em frente á porta da casa que segundos depois foi aberta.

                                               

Perrie Edwards estava na minha frente e com uma cara nada boa.

 

— Hãm... então... Perrie, essa é Allyson, Allyson esta é a Perrie. – Zayn se pronunciou após minutos constrangedores de silêncio. Sorri para a mesma que continuava a me encarar fixamente desde quando abriu a porta.

Eu poderia dizer que este, estava sendo o melhor momento de toda a minha vida, que Perrie me abraçou sorrindo e me convidou para entrar, ela me trouxe café e biscoitos enquanto me dizia que o namoro dela e de Zayn era puro marketing e que e eu estava livre para ficar, casar, trepar e até ter filhos com ele, mas, nada disso aconteceu. Quando eu estava prestes a abrir a boca para dizer o quanto era um prazer conhecê-la – de um modo ou de outro, -porra era Perrie Edwards do Little Mix- senti minha cabeça virar repentinamente para o lado esquerdo e minha bochecha direita arder. Perrie Edwards acabou de me dar um tapa?

Quando vi, estava sendo segurada pela cintura por Zayn, que tentava nos deixar afastadas de alguma forma, uma da outra. O que? Só por que ela é famosa, namora Zayn Malik e com certeza seu banheiro é maior que meu quarto inteiro, eu não iria –tentar- revidar? Minha mãe é uma barraqueira de nascença, meu pai é praticamente um bipolar e meu irmão é gay, CLARO que eu iria revidar.

 

— Pelo amor, parem com isso antes que algum paparazzi, flagre-nos. – Zayn reclamou e soltou-me depois após eu parar de tentar livrar-me de seus braços – Podemos entrar para conversarmos?

— Ela não vai entrar na minha casa. – Perrie gritou e apontou-me um dedo. Controlei os milhares de palavrões ao ver Zayn bufar de impaciência.

— Perrie, eu a trouxe aqui para explicar tudo, mas com você agindo desse, fica possível.

— Explicar o que? Que você me traiu com ela? Não obrigada – cruzou os braços.

— Espere, o que? – perguntei.

— Eu não te trai. – Zayn gritou e passou as mãos pelos cabelos. Quem me dera isso fosse verdade.

— Gente, será que podemos entrar? – reclamei por conta do frio e os dois me olharam feio.

— Não me traiu? Então o que faziam ontem, juntos, na London Eye?

— Louis queria sair com uma amiga da Allyson, mas como ela não queria ir sozinha, ele chamou-me para fazer “companhia” para ela. Fomos na London Eye e só.

— Você tem medo de altura Zayn. – naquela altura, os dois já gritavam como se eu não estivesse ali, se eu não estivesse morrendo de frio, pegava uma pipoca e filmava essa típica discussão de novela mexicana.

— Eu sei, eu quase vomitei lá em cima.

— E o que isso tem haver?

— Eu sei lá, você que perguntou – antes que Perrie pudesse responde-lo, o som estridente de um telefone tocando saiu de dentro da casa, ele o ignorou e voltou a falar.

— Você achou que trazer ela aqui resolveria algo? Suas desculpas esfarrapadas já me encheram. Eu estou cansada de ser traída Zayn. – opa, quer dizer que ele já a traiu antes, isso ta melhor que Maria do Bairro.

— Não vamos voltar a esses assuntos Perrie. –Zayn sussurrou com uma possível intenção de não me fazer ouvir.

— Vai embora Zayn.

— Perrie – Perrie fechou a porta antes dele terminar a frase; ficamos do lado de fora em silencio.

— Eu. Eu vou lhe esperar no carro – falei e fui em direção ao mesmo visto que Zayn estava frustrado demais para responder-me.

 

(...)

 

— Me desculpa por ter feito você passar por isso.

 

Não esperava passar minha noite de Sexta assim; ao ser forçada a sair de casa a noite, eu esperava que o mesmo me levasse a um cinema ou a um parque, não á casa de sua noiva, muito menos levar a porra de um tapa.

 

— Perrie viu a matéria sobre nossa saída de ontem, surtou e quis terminar tudo. Eu pensei que te trazendo, e você explicando o que realmente aconteceu a faria mudar de ideia, mas, bem, não saiu como planejado. – olhou para minha bochecha que provavelmente estava vermelha, pois é galera, Perrie Edwards tem força.

 

Dei de ombros enquanto respondia a mensagem de James perguntando onde eu estava e por que a lasanha parecia carvão. Ouvi Zayn bufar enquanto parava o carro no sinal vermelho.

 

— Allyson, olhe para mim, por favor. – olhei para o mesmo que coçava a nuca. – sério, eu não sabia que ela iria reagir dessa forma, muito menos que lhe bateria, me desculpe. – respirei fundo.

— Da próxima vez que for me tirar de casa a força, pelo menos me diga aonde irá me levar. Principalmente se for para a casa de uma garota que nem me conhece e já me odeia. – olhei para frente e vi o sinal ficar verde.

 

(...)

 

Bufei enquanto procurava uma posição confortável no banco, não que o banco não fosse macio – carro de rico, até o chão é macio -, mas ficar mais de meia hora sentada na mesma posição deixou minha bunda quadrada. O caso, é que provavelmente, ficaríamos mais algumas horas dentro do carro por conta de um acidente envolvendo um caminhão de coca-cola e um de mentos, e não, infelizmente não houve uma explosão, apenas uma pista escorregadia e com a passagem bloqueada, minha noite está ficando cada vez melhor.

 

— Essa noite está saindo pior do que o esperado. – resmungou.

— Nem me diga, só de pensar que agora eu poderia estar vendo Bob Esponja.

— Bob Esponja? Sério? – me encarou com uma sobrancelha arqueada. – Minha irmã mais nova assiste Bob Esponja.

— Sério? Pelo menos ela tem bom gosto.

— A claro, por que ver uma esponja amarela falando e rindo é ter bom gosto. – revirou os olhos.

— Nós poderíamos jogar um jogo.

— Que jogo?

— Vinte perguntas. – respondi animada. – vai, você começa. – ele bufou e andou, finalmente, com o carro.

— Qual seu nome completo?

— Allyson Bella Luna Crosby.

— Bella Luna? – franziu o cenho. – é, peculiar.

— Falou o cara com um nome super normal. – revirei os olhos. – minha vez. – hora de ver se todos os “fatos de famosos” das revistas são verdadeiros. – super herói favorito?

— Batman e Lanterna verde.  Você ainda está brava comigo?

— Chateada apenas.

— E o que posso fazer para me desculpar?

— Ah não sei, me seguir no Twitter, me dar o seu telefone e me arranjar um encontro com o Zac Efron seria bom.

— Você está falando sério? – me encarou.

— Papai noel é real? - o encarei com um sorriso irônico. Ficamos em silêncio pelo restante da viagem, cada um perdido em seus pensamentos, bem, eu acho, já que eu imaginava Ian Somerhalder nú.

 

(...)

 

Fechei a porta lentamente tentando fazer o mínimo de barulho possível, estava tudo escuro, significando que todos já deveriam estar em suas respectivas camas.

 

Entrei no mini quarto que dividia com James, acendi a luz e notei que o mesmo estava vazio, joguei meu celular em cima da cama e fui em direção ao guarda-roupa trocar de roupa. Meu celular começou a piscar notificando uma mensagem. Abri a notificação do twitter e segurei um grito em minha garganta.

 

@zaynmalik1D acabou de seguir você.

 

Zayn lhe mandou uma mensagem.

 

"Não sei se você sabe, mas eu sempre acreditei no noel, o que é irônico já que minha religião não comemora natal.

 

Segue meu número, e a propósito, adorei suas publicações.”

 

O Grito que tanto segurava saiu de minha garganta fazendo minha mãe entrar no quarto correndo com um guarda-chuva em mãos.

 

— O que aconteceu? Onde está o estuprador?

 

Não a respondi e apenas corri para a janela a procura de um cara de estatura mediana, moreno, de terno e segurando – possivelmente – um buquê de flores. Minha mãe veio atrás.

 

— Allyson o que está acontecendo mulher?

— Eu tenho o número de Zayn Malik.

 


Notas Finais


Gente, gostaria de saber se vocês querem que eu "poste" foto das meninas?(Holly, Molly etc)
Vou tentar postar pelo menos 3 capítulos durante o carnaval.
Beijos e até o próximo
OBRIGADA PELOS COMENTÁRIOS E FAVORITOS <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...