História Milk - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Fifth Harmony, One Direction, Zayn Malik
Personagens Ariana Grande, Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Tags Ariana Grande, Fifth Harmony, Harry Styles, Larry, Liam Payne, Little Mix, Louis Tomlinson, Niall Horan, One Direction, Perrie Edwards, Zariana, Zayn Malik, Zerrie
Visualizações 299
Palavras 1.690
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ao ver os 13 capítulos -novo record aqui, socorro-, eu não me aguentei e tive que voltar o mais rápido possivel.
Muito obrigado amores, amo vocês viu?
Agora, segurem os forninhos.
Boa Leitura.

Capítulo 21 - 21. Milk


Fanfic / Fanfiction Milk - Capítulo 21 - 21. Milk

October 11, 2012

 

Amor, você não sabe que tem o que eu preciso
Tão bonita da cabeça aos pés
Venha, venha aqui,
Yeah
Oh, eu só quero te mostrar para todos meus amigos
Fazê-los babarem em seus queixos
Amor seja minha esta noite, minha esta noite
Amor seja minha esta noite
Yeah
E se você-ê-ê
Você me quiser també-é-ém
Vamos fazer um avanço-o-o
Yeah
Então, me diga garota se cada vez que nos
Toc-a-a-amos
Você sente esse tipo de emoçã-ã-ão
Amor diga sim, sim, sim
Sim, sim, sim
Se você não quiser ir com calma
E quiser apenas me levar para casa
Amor diga sim
E me deixe beijá-la

One Direction – Kiss You

 

Enrolei os cabelos em uma toalha e caminhei em direção ao quarto, mas quase caí para trás ao abrir a porta.

 

— Que porra é essa? Festa do pijama? – arregalei os olhos.

— Você vai a um encontro, viemos lhe ajudar a se vestir. – Holly respondeu sorridente.

— Eu pensava que só você me ajudaria. – resmunguei ao olhar as quatro meninas, minha mãe, meu irmão, a moça da padaria da esquina e o porteiro que segurava várias roupas nas mãos.

— Estou muito decepcionada por você não ter me contado Ally. – minha mãe reclamou cruzando os braços. – principalmente por se tratar do Zain.

— É Zayn mãe, e eu não contei para evitar essa baderna. - bufei - Oi Dona Anna. – sorri para a senhora sorridente que sempre me dava desconto nas baguetes.

— Cale a boca e senta aí, precisamos te deixar no mínimo apresentável. – James puxou meu braço e me empurrou na cama.

— Obrigada pelo elogio. – encolhi os ombros ao ver todos se aproximarem de mim. Alguém me ajuda.

 

(...)

 

Zayn

“Não posso subir. Estou parado em frente a saída dos funcionários na rua de trás do hotel, pedi a um funcionário para te buscar, e não se preocupe, ele não vai contar nada a ninguém."

 

— Acho que vou ter um enfarte. – sentei no sofá com a mão sobre o coração, tentando acalmar-me após essa mensagem, mas de nada adiantou, pois em seguida, ouvi três batidas na porta.

— Odeio quando as pessoas batem três vezes, penso que o demônio está do outro lado da porta. – Holly com certeza tem um parafuso a menos.

— Enfarte o caralho. – James puxou-me fazendo levantar. – Primeiro você vai para o encontro, depois tem um enfarte. Agora abre a boca. – ergui a sobrancelha e abri a boca, sentindo James tacar uns cinco mentos lá dentro. – Não reclama, você não pode estar com bafo, agora vai. – Abriu a porta e me empurrou me fazendo quase cair em cima do funcionário que esperava-me. – Chave, celular, camisinha, boa sorte, tchau. – entregou-me os objetos, acenou e fechou a porta.

— Vamos senhorita? – engoli em seco. Assenti e fui atrás do mesmo.

 

(...)

 

Respira Allyson, não tropeça e não surta. Não surta o caralho, como não surtar com Zayn Malik encostado no carro, com calça jeans, tênis branco da Nike e uma jaqueta de couro por cima de uma blusa branca? Típico estilo Badboy de fanfic. Acho que vou vomitar os mentos, que inclusive, me deixou com um hálito de menta que dá para se sentir a dois metros de distância. Vamos lá Allyson, é só atravessar a porta de vidro e encontrar Zayn. Cheirei minha axila para confirmar se estava cheirosa ou não – recebendo um olhar estranho do funcionário – e abri a porta.

 

— Oi. – senti um frio atravessar todo meu corpo ao vê-lo olhar-me de cima a baixo, SOCORRO DEUS.- Está bonita. – ok, retiro todos os xingamentos que direcionei a Holly pela escolha do vestido preto, jaqueta vermelha e saltos pretos. – Vamos? – agradeci por ter aberto a porta e acomodei-me no banco pondo o cinto de segurança em seguida. A viagem se passou em silêncio, mas não um silêncio confortável, pelo menos por minha parte, já que tinha que esfregar minhas mãos suadas na barra do vestido a cada cinco minutos.

Depois de quase vinte minutos, o carro parou em frente a um restaurante de comida italiana, Princi. Só a fachada dele com certeza valia mais que minha casa e meu guarda-roupa junto. Mas tinha um problema.

 

— Comida italiana? – encarei apreensiva o restaurante a minha frente.

— Sim, não gosta?

— Claro que gosto, sou descendente de italiano. – sorri vendo Zayn fazer o mesmo e tirar o cinto de segurança. A questão é que eu + restaurante fino = vai dar merda. Tirei o cinto e desci depois de Zayn abrir a porta, senhoras e senhores, alguns BadBoys são cavaleiros; eu não sabia se estava tremendo de frio, ou de medo. Entramos no restaurante  recebendo olhares de algumas pessoas, e não galera, não é porque eu era a mais linda do restaurante, e sim, por estar ao lado de quem eu estou, a realidade doí; fomos levados para uma mesa ao fundo em que não era possível ver o resto do restaurante e vice versa. Fizemos nossos pedidos – pedi macarrão à carbonara, imaginando que seria o prato que causaria menos bagunça – e Zayn pediu algum prato com nome esquisito, só sei que tinha frango.

 

— Então, como foi á divulgação? – quebrei o silêncio após o garçom ter ido embora

— Foi bom, nós sempre nos surpreendemos com o sucesso que fazemos na América do Norte, principalmente no Estados Unidos.

— Sucesso? As meninas de lá amam vocês, todas as meninas do meu bairro eram fãs de vocês. – inclusive eu. – e olha que Boca Raton é mais desconhecido que Plutão. – Zayn deu um sorriso de canto. – ficarão em Londres por quanto tempo?

— Na verdade, só até amanhã. – arregalei levemente os olhos. – Iremos para a América do Sul e depois vamos voltar para Londres para cantar no programa.

— Programa? Vocês irão cantar no The X Factor?

— Sim. – sorriu, caralho esse cara tem os dentes mais brancos que leite, péssima comparação mas revelem, eu estou nervosa.

— Que legal, que música? – perguntei entusiasmada, vou ver One Direction ao vivo novamente, viva os deuses dos unicórnios.

— Little Things. – respondeu como se fosse uma música qualquer, o que me deu vontade de gritar, e eu realmente gritei.

— Little Things? Eu amo essa música. – tampei minha boca ao ver o garçom que passava por nós parar me olhando estranho e Zayn segurar a risada. – É, quer dizer, ela é muito boa.

— Então você conhece nossas músicas? – Zayn cruzou os braços encostando-se na cadeira, ele ficava está tão lindo.

— Claro que sim, você acha que eu moro aonde? Em Júpiter? – e também sei a biografia de cada um de vocês, onde nasceram, hospital e horário. Prazer Zain – que é fresco e prefere que escrevam com Y – Javadd Malik, Bradford, (West Yorkshire na Inglaterra), hospital St.Luke ás 10:00 da manhã. Mas ele não precisava saber disso. – E inclusive, Little Things é uma das, se não a melhor, música de vocês.

— Tudo bem, não me olhe com esse olhar de “você tem algum tipo de problema mental?” – eu não duvidava que ele tinha. Antes que eu pudesse responder algo uma garçonete chegou com os pedidos, mas acho que ela esqueceu de sair já que continuou curvada sobre a mesa, com os peitos na cara de Zayn, até eu fingir uma tosse e ela sair, mas claro, sem antes bater “sem querer” a bunda – cheia de silicone – em seu braço. Ergui a sobrancelha para Zayn. – Vamos comer? – desviou o olhar para o prato em sua frente, fiz o mesmo, não faça merda Allyson, não faça merda. Dei a primeira garfada enquanto ouvia Zayn falar algo sobre o novo CD, e eu juro que queria prestar atenção, mas me concentrava em não me sujar e nem sujar-lo de espaguete, mas tudo foi em vão, quando ao ouvir a datar do possível lançamento do novo CD, minha emoção e distração foi tão grande, que no segundo seguinte, só vi Zayn com o nariz sujo de molho e um fio de espaguete deslizando pelo mesmo, CARALHO E-U-S-Ó-F-A-Ç-O-M-E-R-D-A.

 

— Ai meu Deus, desculpa Zayn, não foi minha intenção. – peguei alguns guardanapos e tentei limpar-lo mas ele foi mais rápido e em poucos segundos –graças a Deus- ele já estava limpo. – Acho que essa é uma péssima hora para contar que eu não me dou bem em restaurantes, principalmente os de ricos? – perguntei com receio, vendo Zayn erguer a sobrancelha. – E que esse é um dos motivos por eu detestar restaurantes?

— Detestar? Por que não me falou antes? Eu te levava para, sei lá, comer um hambúrguer? – tentei me explicar mas Zayn levantou-se subitamente. – Vou pagar a conta e vamos para outro local. – Zayn começou a tirar algumas notas da carteira.

— O que? Não precisa- me interrompeu.

— Vem, vamos. – Zayn pegou minha mão –ele pegou na minha fucking mão-  e logo já estávamos dentro do carro a caminho de sei lá onde.

 

(...)

 

Joguei o papel que venho junto com o Hot Dog no lixo e corri em direção a um escorregador que havia na praça deserta em que Zayn me levou; um fato sobre mim: eu sou muito infantil, até na frente do crush.

 

— Escorregador? Sério? – Zayn riu parando em frente ao final do escorregador.

— Prefere me balançar no balanço?

— Adoro escorregadores. – dei risada e em seguida dei impulso para descer. Eu esperava que Zayn saísse da frente, mas isso não aconteceu, resultado final: Zayn caído na areia e eu por cima dele –de novo-.

— To começando a achar que você cai em cima de mim de propósito. – não respondi, foquei meu olhar em seus lábios que semana atrás, quase beijaram-me. Zayn também se calou, olhei para cima e vi seu olhar direcionado em meus lábios, que a cada segundo aproximavam-se dos seus. Antes que eu pudesse falar algo maravilhoso finalmente aconteceu, se vocês estão pensando em beijo, galera, EU ESTOU OFICIALMENTE BEIJANDO ZAYN MALIK, E NÃO PRECISEI APONTAR UMA ARMA NELE PARA ISSO OCORRER.

Fechei os olhos e quando senti sua língua em contato com a minha, sinto meu corpo estremecer. Nossas bocas se moviam em sincronia, e eu desejava que esse momento nunca acabasse, mas o maldito ar me faltou fazendo-me afastar vagarosamente dele. Ao abrir os olhos, encontrei o olhar de Zayn fixamente em mim me deixando constrangida.

 

— Você está cheirando a molho carbonara. – é, eu realmente não sou romântica


Notas Finais


Acho que mereço alguns comentários por esse capítulo né?
Desculpe qualquer erro ortográfico.
Continuem votando -caso não tenham votado no capítulo anterior-
Beijos e até sexta(agora é sério).


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...