História Million Reasons - Capítulo 32


Escrita por: ~ e ~LudyVicky

Postado
Categorias Malhação
Visualizações 279
Palavras 2.104
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura amo vcs e qualquer já sabe comete e favorite eu e a Ludmila estamos amando cada dia mais escrever pra vcs.

Capítulo 32 - Você é tão especial pra mim,Guto.


Fanfic / Fanfiction Million Reasons - Capítulo 32 - Você é tão especial pra mim,Guto.

-- Tem certeza? - disse Guto. -- Tenho. - disse Benê abrindo os olhos. O motorista de Guto chegou, e abraçou Benê, deu um beijo em sua testa e foi pra casa. Benê fez o mesmo. Benê  acorda  depois  de se lembrar da noite maravilhosa que teve com Guto, ela tomou  um banho, pôs uma roupa, arrumou o cabelo e tomou café mas viu que tava sozinha em casa. Julinho estava na casa do amiguinho  dele e Josefina na casa de Roney. Benê  pegou sua mochila e foi dar  uma volta, na verdade, ela ia pra casa do Guto, ela queria ver ele, ela queria  sentir o cheiro dele. Benê  foi andando porque achava mais fácil. Chegando  no prédio de Guto porteiro anunciou  e Benê  subiu com uma expressão mega feliz. Ela subiu no elevador com um sorriso lindo no rosto  quando  chegou  apertou a campainha  e Bete atendeu: -- Entra querida. - disse  Bete sorrindo. -- O Guto  tá lá em cima. - disse Bete.   -- Vou lá. - disse Benê. Benê vai devagar pra fazer uma surpresa, ela abre porta do quarto colocou a mochila  do lado do piano, Guto estava despojado só com  o calção e sem camisa, Benê ficou tímida  mas mesmo  assim ela foi se aproximando quando chegou perto dele o abraçou por trás. -- Bom dia, Guto. - disse Benê abraçada em Guto e sorrindo. -- Benê! Bom dia!  - disse Guto sorrindo e tomando um breve susto. -- Que susto, porque não avisou que vinha? - disse Guto sorrindo e se virando para Benê. -- Porque eu queria fazer uma surpresa! - disse Benê sorrindo. -- Conseguiu! Nossa que saudade que eu tava de você! - disse Guto entrelaçando os braços na cintura de Benê e dando vários selinhos na mesma. Benê sorriu. -- Também estava com saudades. - disse Benê e suas mãos estavam no tórax de Guto, a mesma nem havia percebido nada. -- Seu cheiro, seu jeito, você. - disse Guto fitando Benê e beijando no canto da boca da mesma. Guto beijou o outro canto e logo beijou a boca da garota, a mesma retribuiu a ação, o clima começou a esquentar principalmente com Guto sem camisa, Benê sentiu suas costas baterem de leve na parede fria, a mão de Guto queria descer para pegá-la no colo, mas antes que isso acontecesse, Guto parou o beijo. -- Desculpa, desculpa sei que foi errado isso aqui, você me disse ontem. - disse Guto. -- Guto tá tudo bem, eu sei que às vezes a gente meio que quase passa dos limites mas, tá tudo bem, só peço que me espere, por favor. - disse Benê beijando o rosto do namorado. -- Eu vou esperar você. - disse Guto sorrindo de lado. Guto sabia que com Benê seria tudo diferente, ela era delicada, e seria sua primeira vez, então ele teria que ter paciência. -- Já tomou café? - disse Guto. -- Já sim! Mas e você? Já tomou café? - disse Benê. -- Ainda não. - disse Guto. -- Então vai logo, tem que se alimentar direito. - disse Benê puxando o namorado - Vou te fazer companhia - disse Benê. - Eu quero, só deixa eu colocar uma roupa. - disse Guto.   Benê espera o namorado se vestir, quando Guto terminou  ele desceu  com Benê pra tomar café.   - Bom dia mãe. - disse Guto. - Bom dia filho. - disse Bete. Benê sentou-se a mesa pra fazer companhia pro Guto e pra dona Bete.   - Querida não vai tomar café  não?  - disse Bete. -  Eu já tomei já. - disse Benê. - Guto meu filho  vou precisar dar uma saída vê se você  se comporta! - disse Bete. - Tá bom. - disse Guto. Bete logo saiu, deixando Guto e Benê sozinhos. O silêncio tomou conta do local. - Guto você ainda tá com aquele anel ou você  deu mesmo pra Samantha? - disse Benê. Guto apenas se levantou e saiu dali. Benê abaixou sua cabeça, estava triste, achou que havia deixado o namorado com raiva. Guto volta com uma caixinha nas mãos e se ajoelha pra poder ver o rosto da namorada. - Amor? Você acha mesmo que eu iria dar o seu anel pra Samantha? O nosso anel de compromisso? Claro que não, eu amo você, eu quero ficar com você. - disse Guto fazendo Benê levantar a cabeça e olhar pra ele sorrindo de lado. Guto colocou o anel no dedo delicado de Benê. - Eu te amo. - disse Guto se aproximando de Benê. - Eu também te amo. - disse Benê beijando Guto Benê estava muito feliz   em saber que o menino  que ela sempre amou a amava também.. - Guto e você tá bem? - disse Benê. - Sim estou, to bem melhor, agora com você aqui. - disse Guto. - Fico feliz com isso. - disse Benê. Guto sorriu. - Nunca vivi um amor tão puro assim Benê, você é tão boa, tão inteligente, tão inocente. - disse Guto olhando Benê. Benê apenas sorriu de lado. - É lindo o jeito que você lida com as palavras, leva tudo ao pé da letra às vezes, mas isso te torna especial, isso te torna diferente, mas eu amo esse diferente, porque foi por essa Benê  que eu me apaixonei. - disse Guto sorrindo de lado pra Benê. Benê estava com os olhos marejados – Guto, apesar de termos brigado e quase termos terminado,  eu te amo muito, você faz eu me sentir importante. - disse Benê enquanto as lágrimas rolavam. – Não chora estamos juntos de novo eu não  vou nunca mais brigar com você, vamos tentar ficar de boa Benê. - disse Guto chegando perto de Benê. – Você é tão especial pra mim Guto. - disse Benê. – E você pra mim, Benê. - disse Guto beijando a mão da namorada. Afonso chegou em casa, ele estava bêbado, tinha ido pra noitada. – Elizabete! - chamava ele. – Benê fica no corredor tá? - disse Guto levando Benê até o corredor. – Guto per… - Benê foi interrompida por Guto. – Shh Benê, só fica aqui, por favor. - disse Guto indo de encontro ao pai. – Bom dia, Augusto. - disse Afonso ainda bêbado. – O que pensa que tá fazendo? - disse Guto. – Vou dormir, cadê sua mãe? - disse Afonso. – Vai embora. - disse o pianista um pouco nervoso. – Eu não devo ter ouvido direito.  - gritou. – Essa casa deixou de ser sua desde quando descobrimos suas falcatruas! - disse Guto alterado. – Olha aqui garoto você não vai me impedir de ficar aqui, sua mãe não lhe deu a devida educação! - disse Afonso. – Minha mãe me educou sim, e muito bem, coisa que o senhor não fez! - disse Guto e neste momento o mesmo levou um soco do pai que não parou. Afonso continuou batendo em Guto, ele dava golpes na barriga do mesmo, e socos no rosto do filho, que caiu no chão machucado e desacordado, seu rosto  sangrava muito. Benê ouviu o barulho da confusão e saiu correndo pra ajudar.   – GUTO! - gritou a mesma vendo o namorado caído no chão. – O que você tá fazendo aqui garota? - indagou Afonso. – PORQUE O SENHOR FEZ ISSO COM ELE? - disse Benê chegando perto de Afonso e gritando. – Porque ele mereceu, e vê se não se mete garota! - disse Afonso empurrando Benê que caiu no chão, e acabou batendo o braço na quina do móvel. Afonso saiu da casa apressado. – Guto, por favor acorda. - disse Benê querendo chorar até que o namorado acorda. – Benê, foge. - disse Guto com dificuldade. – Não vou sair daqui, o seu pai já foi, e olha o seu estado, eu vou cuidar de você, se apoia em mim. - disse Benê ajudando o namorado a se levantar e o levando até o quarto dele. – Onde fica a caixa de primeiros socorros Guto? - disse Benê um pouco desesperada. – Tá no guarda roupa Benê, segunda gaveta. - disse Guto se sentando na cama com dificuldade, devido aos hematomas em sua barriga. Benê pegou a caixinha e foi até Guto. – Ai meu Deus, ele te bateu muito. - disse Benê limpando os machucados do rosto de Guto. – Ai, ai! - reclamava Guto. Benê passou a pomada na bochecha de Guto e logo depois passou no canto da boca. – Ai Benê! - reclamou Guto. – Desculpa, tô tendo cuidado. - disse Benê ainda limpando os machucados e passando pomada. – Obrigado por cuidar de mim. - disse Guto. – Era o mínimo que eu poderia fazer, você ficou comigo no hospital, você sempre cuidou de mim também, e eu não quero te ver mal. - disse Benê. Guto apenas sorriu de lado. Benê terminou de passar no rosto e fez os curativos. – Onde mais você machucou? - perguntou Benê. – Na barriga e no peito. - disse Guto. Benê estava um pouco sem graça, mas precisava ajudar Guto, então levantou a camisa dele tirando-a , começou a massagear o local que estava dolorido e roxo com um creme de arnica, ela estava completamente sem graça,Guto sentia as mãos delicadas de Benê e às vezes reclamava da dor, mas elas eram tão macias que ele apenas fechou os olhos e sentiu aquela sensação boa. – Guto, deita aí, fica melhor pra você se recuperar. - disse Benê terminando de passar o creme. – Obrigado, de verdade. - disse Guto se deitando na cama. Benê ajeitou os travesseiros, e apoiou a cabeça de Guto, beijou a testa do mesmo. – Eu te amo. - disse Benê sorrindo de lado. – Eu também te amo. - disse Guto. Benê olhou seu braço que doía, mas ela não disse nada a Guto. – Você tá bem? - indagou Guto. – Tô sim. - disse Benê disfarçado e sorrindo de lado. Benê bem que tentou não chorar mas quando ela viu Guto todo machucado ela não conteve as lágrimas, deitou-se na cama junto com Guto e virou o rosto pra não ver ele,e como é não era besta, chamou Benê pra perto dele. –Benê olha pra mim - disse Guto pegando na mão da mesma. Benê tentou disfarçar as lágrimas mas era impossível, porque só de olhar pra ele, Benê chorava. – Oi - disse Benê. – Não chora por favor, olha pra mim, eu vou ficar bem, logo passa. - disse Guto. Benê queria abraçar o garoto mas se ela abraçasse ele ia sentir dor. –Me dói ver você desse jeito. - disse Benê, fazendo carinho no rosto do Guto. –Benê pode ficar mais próxima, tá doendo mas não precisa ficar tão distante não. - disse Guto. Benê ficou bem próximo do Guto então a única coisa que ela podia fazer era ficar com a cabeça apoiada no pescoço dele, ela deu um beijo no pescoço do garoto que fez ele se arrepiar. – Quer que eu pegue uma coberta pra gente assistir um filme? - disse Benê tímida. – Eu quero sim. - disse Guto. Benê pegou o cobertor e cobriu o Guto. – Qual filme que a gente vai assistir? - disse Benê. –Pode ser terror. - disse Guto. - Eu tenho um pouco de medo mas tudo bem. - disse Benê. Guto e Benê começaram a assistir o filme, Benê se aconchegou mais em Guto nas cenas fortes de terror. Bete chegou em casa e chamou por Guto, o mesmo não atendeu de primeira então ela foi ver no quarto do filho Bete subiu as escada entrou no quarto do mesmo e viu Benê cochilando e Guto tava acordado - GUTO MEU FILHO O QUE OUVE COM VOCÊ - Disse Bete Benê acorda assustada Benê ia contar pra Bete ocorrido mais ñ saia ela começou sentir a crise de ansiedade Guto tava com dor mais ver sua namorada daquele jeito fez com que o Guto abracasse mesma - Calma não fica nervosa eu vou conta pra minha mãe o que ouve. Benê tava inda muito nervosa o mesmo pegou na mão da garota.. - mãe o Afonso chego bêbado aki em casa procurando pela senhora é eu Disse que ele ñ tinha o direito de vir aki ai ele me agradiu - Disse Guto - E QUEM FOI QUE CUIDOU DE VOCÊ - DISSE BETE AINDA ALTERADA - A Benê mãe ela que cuidou de mim Já pensou se vc tivesse completamente sozinho seu pai ia te matar eu vou matar aquele desgraçado Benê minha querida obrigada por esta aqui com meu filho - DISSE Bete ( bete saiu do quarto ) - Benê obrigada por você ta aqui comigo - Disse Guto Benê retribuir o mesmo com um selinho. era entorno de 14h Bete estava preparado o almoço.


Notas Finais


Amo vcs... Boa leitura.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...