História Min Yoongi - O amor é uma tragédia para mim - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), NU'EST
Personagens Aron, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Minhyun, Personagens Originais, Rap Monster, Ren, Suga, V
Tags Suga, Yoongi, Yoonjin, Yoonkook, Yoonmin
Exibições 29
Palavras 5.490
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Harem, Hentai, Lemon, Poesias, Romance e Novela, Seinen, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oie desculpem a demora
Essa capítulo tá bem grande eu acho, mas foi necessário isso.

Obrigada a ~JujubaArmyJiin - JinRainhaDaPohaToda- Júlia Alvarenga duarte *o*
~YuiLemes- Lu Lemes❤
~Jinhwan__Oppa - Thalia_Yuky S2
~JeonJullia- Anna Jullia Xavier ^.^
~naebangtan- Julia ~.~
~SayoPlay- Samara S2
~yuang-yuki - Clan Impossibile -Jung yuang yuki (를 가브리엘라) *o*
quanta Julia senhor '-' adorooo

Obrigada pelos favs amo vocês S2 S2

Capítulo 24 - Ren


Fanfic / Fanfiction Min Yoongi - O amor é uma tragédia para mim - Capítulo 24 - Ren

P.O.V  Ren~~

-Jimin onde você vai assim? Todo arrumado, nós não marcamos nada pra hoje, onde você está indo?

-Se você estivesse em casa saberia.

-Ah deixa disso Minie, eu já disse que estava com o Jr, me diz onde você vai?

-Vou ver meu hyung, está satisfeito agora?

-O que? Você vai ver ele depois de tudo que ele fez pra você?

-Sim eu vou, ele é meu irmão, e eu quero ver ele agora, então sai da minha frente, eu preciso ir.

-Você não Jimin, eu não deixo.

-Desculpa Ren mas eu vou sim e não vai ser você quem vai me impedir.

-Minie não vai por favor.!

-Desculpa Ren, mas foi você mesmo que causou isso.

Depois de nossa mini discussão após eu ter voltado pra casa, Jimin me empurrou de sua frente e entrou no elevador me deixando pra trás, preocupado e sem reação alguma. Como ele pode querer ver aquele irmão dele depois de tudo o que ele lhe fez? Não entendo você Jimin, não entendo.

 

Desculpem parece que ainda não me apresentei a vocês, meu nome é Choi Minki, mas alguns me chamam de Ren, no caso Jimin e minha "baba", tenho 19 e moro com meu pai, ou melhor morava, nós não temos um bom relacionamento, então ir morar com o Jimin foi uma ideia de gênio que eu tive, e que veio em boa hora, não aguentava mais ter que discutir com meu Appa. Como sabem eu moro em LA, mas eu não nasci aqui, nasci na Coreia e morei lá até meus 14 anos, depois nos mudamos para cá, eu não queria, mas meu appa disse que era o melhor, assim eu não iria ficar depressivo e descontrolado por causa da morte da minha Omma. Já tinha feito um ano que ela tinha falecido quando nos mudamos pra cá, meu pai não vendeu nossa casa da Coreia então eu ainda posso ir lá e visitar o túmulo de minha Omma sempre que tiver tempo.

Depois que me mudei para cá comecei o ensino médio, eu era o exemplo da escola no tempo, sempre com as melhores notas, não que isso tenha mudado, sempre bem comportado e cumprindo as regras e tudo mais, mas quando eu entrei no segundo ano me envolvi numa briga, a primeira que não fosse com meu pai, quebrei o nariz do garoto com quem eu briguei e deixei ele todo roxo, não consegui controlar minha agressividade e isso só foi ficando pior, desde então não tenha um dia da semana que eu não arrume confusão com alguém na faculdade que eu faço junto a Jimin. No dia que ele chegou e ficou na mesma turma que eu, todas as meninas tiveram sua atenção tomada por ele, um garoto tímido e indefeso, até mesmo alguns meninos ficaram de olho nele, como se fossem lobos atrás da presa, já eu, eu não gostei nada dele, pelo fato dele ser inocente e indefeso, isso me irritava, pois me lembrava de mim mesmo no passado.

Ele parecia um cachorrinho abandonado com a cabeça baixa em frente a sala, mas ai o professor pediu que ele se apresentasse, foi quando ele levantou a cabeça e eu olhei bem o seu rosto, eu não conseguia parar de encara-lo, Park Jimin, foi como ele se apresentou, ele passeou seus olhos pela sala e parou, me encarando, ficou me olhando nos olhos por alguns segundos e depois sorriu, um sorriso duplo, seus olhos viraram crescentes, acabei virando a cara pra ele, ele me deixava irritado, muito irritado. Fiquei olhando pela janela, "Você pode se sentar ao lado do Choi Jimin", minha atenção foi toda para essas palavras do professor, eu não queria aquele cachorrinho sem dono sentado do meu lado, "O que? Nem pensar, mande ele sentar ai na frente mesmo, tem duas carteiras vazias ai", foi o que eu disse e o professor que me repreendeu por isso, "Eu sou a autoridade aqui Choi fique quieto, Jimin vá sentisse ao lado dele", "ótimo agora vou ter que aturar esse ser do meu lado", eu disse essas palavras baixo, mas o o tal Jimin ouviu quando se sentou ao meu lado, "Choi né? Prazer Jimin, você é engraçado, espero que sejamos amigos", foi a primeira coisa que ele me disse quando nos conhecemos, ele estendeu a mão para mim com um sorriso, mas eu nem olhei para ele, levei meu olhar ao quadro da sala, "Tch, não fale comigo imbecil",  e essas foram as minhas primeiras palavras a ele, ele só riu de mim e disse que eu lembrava alguém que ele conhecia, sim, isso me deixou irritado, não queria que eu lembrasse ninguém que aquele ser conhecia.

No final dos primeiros tempos de aula, antes daquele maldito professor que eu adoro sair da sala ele me deu a maravilhosa tarefa de mostrar a faculdade toda para o Jimin e ficar com ele por uma semana até ele se acostumar, resultado, passei o intervalo inteiro com um filhotinho de cachorro me seguindo pra todo canto, e eu não podia reclamar, eu iria ganhar 50 pontos nas três matérias daquele professor, só por ficar uma semana com esse ser, mas claro que tinha um porém, eu só iria ganhar esse pontos se eu conseguisse passar pelo menos dois dias sem brigar, para não assustar o cachorrinho, dois dias, foi moleza, mas ter ele me seguindo pra todo lado, tentando puxar assunto comigo, dizendo coisas sem sentindo de como ele estava feliz de ter finalmente saído de casa, coisas que no começo eu não entendia.

Nos dois primeiros dias eu dei vários cortes nele, tratava ele mal para faze-lo se afastar de mim, sumia de sua vista e ele ficava me procurando por todos os lados, mas ele insistia que queria por que queria ser meu amigo. Tá, ele vivia dizendo com eu era engraçado e divertido, me acostumei com isso, mas no segundo dia na saída ele disse que eu era gentil, quando eu disse que era o melhor pra ele se afastar de mim, ninguém além da minha mãe tinha me dito que eu era gentil, e ouvir isso da boca do Jimin me fez ficar inquieto em relação a ele, então decidi que tentaria falar normal com ele no outro dia, em vão, pois quando eu cheguei na classe ele estava conversando com umas meninas que estavam sentadas na frente, ele nem me viu chegar, e nem foi correndo na minha direção como fez nos dois primeiros dias, por algum motivo isso me deixou irritado, quando ele veio falar comigo, após o professor entra na sala e mandar os alunos se sentarem, eu ignorei ele de novo. No intervalo ele veio atrás de mim como sempre, eu fui pegar algo pra mim comer e ele ficou em uma das mesas me esperando, algumas meninas estavam sentadas ao lado dele, então foi mais uma desculpa pra mim sair dali.

Eu fiquei andando pelo jardim de trás, ninguém ia lar e eu sabia disso por que eu inventei uma história que deixasse as pessoas que com medo do lugar, já que era o lugar onde eu ia no tempo livre, quando eu estivesse lá não queria mais ninguém ali. Eu estava sentado olhando as flores que eu cuidava, me deixaram responsável por elas quando descobriram que foi eu que inventei a história, assim não contariam aos alunos que era apenas algo que eu tinha inventado e o lugar seria só meu, eu me levantei para pegar uma rosa, mas aquele imbecil surgiu do nada e esbarrou em mim derramando meio litros de refrigerante em mim, e claro que eu não iria deixar por isso mesmo, até por que eu sabia que ele tinha feito aquilo de propósito.

~Pirou filho da p*? o que você pensa que está fazendo? Por que não vai fuder com seus amigos e me deixa em paz.

Eu disse essas palavras e fui empurrando ele para trás, até por que não queria que ele caísse me cima das minhas flores.

~Qual é Choi, eu só quero brincar um pouquinho com você, cadê aquela putinha que vive atrás de você agora hein? Ele é seu novo brinquedinho de sexo?

~Do que você está falando Baek, ninguém fica atrás de mim, e se ficasse isso com certeza não seria da sua conta.

~Qual era mesmo o nome da cadela? Ah é, Park Jimin, essa é a vadiazinha que você está pegando agora não é Choi?

Eu realmente não sabia de quem ele estava falando, mas quando ele disse que era o Jimin eu não me segurei e avancei em cima dele, comecei a lhe vários socos quando ele caiu no chão, mas ele logo inverteu nossas posições, ficando por cima de mim e me dando uma sequência de socos.

~Olha só você defendendo sua nova vadia, isso não é do seu feitio Choi, o que aconteceu? Se apaixonou é?

~Cala a boca seu merda, você não sabe do que esta falando, eu não gosto daquele garoto, ele é só um imbecil que apareceu pra me encher a paciência.

Eu dei um soco nele, e ele me levantou pela gola da camisa, me deixando em pé de frente pra ele, quando olhei por trás do mesmo, lá estava ele, Jimin, paralisado, "ah perfeito, com certeza ele deve ter ouvido o que eu disse, pelo menos assim vou me livrar dele", esse foi o pensamento que eu tive ao ver ali chorando com os punhos serrados.

~SOLTA ELE AGORA.

Isso Jimin gritando com Baek batendo em suas costas, o jeito que ele batia nele me da muita vontade rir, parecia uma garotinha, eu ria enquanto Baek ainda me segurava pela gola da camisa, até que ele me soltou para ir pra cima de Jimin.

~Olha se não é a sua vadiazinha Choi, parece que ela veio salvar você não é?

~Deixa ele seu desgraçado, Ren você está bem.

Disse Jimin olhando pra mim, Ren, em toda minha vida só duas pessoas me chamavam assim, e uma dessas já não estava comigo, então como o Jimin poderia saber o meu apelido? Até hoje ele não me disse como sabia do meu apelido, com o tempo eu esqueci de lhe perguntar sobre isso. Fui tirado dos meus pensamentos quando Baek segurou Jimin no queixo o levantando.

~Até que você não é tão feio pra ser a nova puta do Choi não é?

Não estava mais aguentando aquele babaca, quando ele segurou no Jimin foi o gatilho para mim avançar nele novamente, ficamos rolando no chão, um depositando socos no outro, e estava fora de mim e preocupado com a outra pessoa que estava ali. Depois de uns minutos o sinal soou e ele saiu de cima de mim, me deixando jogado no chão e Jimin veio correndo até mim.

~Dessa vez você teve sorte, se não eu teria te matado, acho bom você tomar cuidado com esse dai Park, ele não é coisa boa, e não se iluda muito, ele com certeza vai deixar você, assim como fez comigo.

Senti vontade de ir atrás dele e lhe dar mais socos pelas merdas que ele falou, mas eu estava acabado e com um Jimin chorando sem saber o que fazer, eu comecei a rir e ele me ajudou a levantar e me sentou num banco que tinha ali, ele tentou me levar pra enfermaria e eu não deixei, então ele tirou a própria camisa e começou a tentar parar o sangramento do meu rosto, ele chorava cada vez mais, e eu só conseguia rir dele, ele apertou a camisa sobre o sangramento do meu nariz me fazendo sentir dor.

~Ei isso doi.

~VOCÊ É UM IDIOTA SABIA, COMO VOCÊ PODE FICAR RINDO DESSE JEITO, ISSO NÃO É UMA BRINCADEIRA, ELE PODERIA TER FEITO ALGO PIOR COM VOCÊ.

~Uou calma, não precisa gritar comigo também né...

Pela primeira vez desde que conheci Jimin vi ele gritando e alterando a voz, além de ficar chorando e cuidando de mim ao mesmo tempo, não sabia que ele se importava tanto assim comigo naquele tempo.

~Mas o que você está fazendo aqui Jimin, como você me encontrou? Ninguém nunca vem aqui além de mim.

Ele limpou as lágrimas que caiam antes de falar e continuou a limpa o sangue do meu rosto.

~Eu fiquei esperando você como você mandou, mas aquelas meninas já estavam me deixando estressado e você não voltava logo e eu já estava sentindo a sua falta.

~Você sentiu minha falta?

~Sim, eu senti, então elas começaram a falar que você não era boa companhia e que eu deveria me afastar de você.

~Aquelas fofoqueiras, mas elas tem razão Jimin. Mas continua.

~Elas continuaram e disseram que você era o garoto que mais brigava aqui, sempre se metia em confusão, toda semana, e sempre pegava suspensão, mas nunca era expulso por que é filho do diretor, isso verdade Ren?

~É, é verdade sim Jimin.

~É eu percebi ao ver vocês rolando no chão hoje.

~Tá continua, você ainda não disse como me encontrou.

~Elas ficaram só falando mal de você, e como não voltava eu disse que iria procurar por você, elas tentaram me impedir e disse que você deveria estar em outra briga, então eu sai de lá e fui procurar você, quando eu perto do último corredor eu perguntei pra um menino que eu conheço se ele tinha visto você e ele disse que você tinha vindo pra cá já tinha umas meia hora, e quando eu cheguei vocês estavam no chão, e você estava apanhando pra ele.

~Então foi isso... você então devi ter ouvido tudo o que eu disse a ele não é?

~Eu ouvi sim.

Ele me contou tudo enquanto limpava meus machucados, quando eu perguntei se ele tinha ouvido tudo o que eu disse e ele assentiu nós ficamos calados e ele continuou cuidando dos meus machucados, quando ele estava terminando eu segurei em suas mãos e perguntei.

~Jimin? Se você ouviu por que ficou aqui cuidando de mim? Por que não foi embora?

~Por que eu gosto de você Ren, se eu fiquei cuidando de você é por que eu estava preocupadoeu nunca iria embora e deixaria você aqui nesse estado.

Quando ouvi essas palavras saindo da boca dele eu sabia que se ele continuasse do meu lado meus "inimigos" iriam começar a perseguir ele, e eu de certa forma não queria que isso acontecesse.

~Eu quero você se afaste de mim Jimin, eu sei era pra mim ficar com você por uma semana, mas assim vai ser melhor, entendeu? Me desculpe, eu não queria que você visse uma cena daquelas, mas essa é a minha realidade, essa é a minha vida e eu não quero que você se envolva nesse tipo de situação.

~Não...não, eu não vou fazer isso.

~Jimin você é louco por acaso? Ele pode ir atrás de você também, você pode se machucar por minha causa.

~Eu não me importo, eu disse desde o começo que seria seu amigo e é isso o que eu vou fazer, e se você tentar me afastar de você, eu vou continuar te seguindo pra todo lado, não me importo de levar uma surra junto de você, eu só quero ser seu amigo Ren, será que isso é pedir muito?

Eu fiquei calado por um tempo pensando no que ele estava falando, eu tinha começado a querer ele como amigo, mas era perigoso. Ele levantou e foi até um torneira e lavou sua camisa e depois pra onde eu estava e começou a limpar o sangue que já estava saindo do meu nariz de novo, nós ficamos nos encarando e ele riu pra mim, pronto desisto, foi o que eu pensei na hora.

~Você venceu, nós podemos sim ser amigos, mas com uma condição.

~Sério? Eu faço qualquer coisa.

~Ótimo, se você quer ser meu amigo você só tem que fazer uma coisa.

~O que é Ren fala logo.

~Calma, não é nada de mais você só vai ter que ser meu amigo.

~Ue, mas não é isso o que eu estou querendo desde que cheguei aqui?

~Pera, você não entendeu, eu quero você só como meu amigo, meu só meu, você não vai poder ser amigo de mais ninguém só meu entendeu?

~Ren você está dizendo que eu não posso ser amigo de mais ninguém só seu? É isso?

~É isso mesmo, você só poderá conversar comigo, só vai andar comigo, comer comigo, fazer seus trabalhos comigo, conversar sobre seus problemas comigo e entre outras coisas, eai? Ainda tem certeza que quer ser meu amigo?

Ele ficou me olhando com um enorme O na boca e depois começou a rir do nada e eu comecei a ri junto dele.

~Ren é só isso?

~Como assim só isso? Você ouviu o que eu disse Jimin? Você não vai poder falar com mais ninguém.

~Claro que eu ouvi. Mas se você disse isso pra mim fazer desistir da nossa amizade, acho bom desistir senhor Choi, por que agora você vai ter que me aturar pro resto da vida.

Ele disse isso dando gargalhadas e pulou em cima de mim me dando um abraço apertado, meu coração acelerou nessa hora, não estava mais ligando pra dor que aquele abraço estava me causando, eu só queria ficar ali naquele abraço, ele era muito indefeso, não que agora não seja, mas eu senti que se não saísse daquele abraço acabaria fazendo alguma besteira que pudesse lhe afastar de mim, e eu tinha razão de me controlar e me afastar, afinal eu não sabia nada dele, e eu queria saber e perder ele naquela hora séria uma péssima ideia.

Como não dava mais para irmos as aulas  já que já tinha passado muito tempo desde que o sinal soou, nós ficamos ali no jardim conversando sobre coisas aleatórias até soar o outro sinal para voltarmos para a classe. Estávamos falando sobre meu pai quando o sinal soou e nos levantamos pra ir pra a sala.

~Vem eu ajudo você Ren.

~Jimin por que você fica me chamando de Ren?

~Por que esse é o seu apelido oras.

~Sim, disso eu sei, mas como Você sabe disso?

~Ah por que quando nos éramos...

~Éramos o que?

~N-nada Ren vamos logo se não vamos nos atrasar e eu não quero perder mais uma aula.

Ele disse mudando de assunto e até hoje é assim, quando eu tento perguntar como ele sabe do meu apelido ele vem e começa a mudar de assunto, sempre fugindo e não me dando uma resposta sobre isso, hoje em dia eu já não pergunto mais, mas não como se eu ainda não estivesse curioso sobre isso.

Hoje já fazem mais de três meses que nos conhecemos, e eu sempre me meto em confusão, isso não mudou até hoje, e eu nem sei se algum dia vai. Na minha última briga eu peguei duas semanas de suspensão, e acabei apenas passando os dias estudando em casa, afinal se tinha uma coisa que não tinha mudado era minha atenção ao estudos, no segundo dia de suspensão eu recebi eu ligação um tanto estranha me pedindo para encontrar com alguém as duas da tarde num dos shoppings não muito longe de casa, e eu fui, não tenho medo dessas coisas e sei me defender, na verdade eu estava mais curioso pra saber quem era a tal pessoa, foi quando eu cheguei no shopping e dei de cara com um rosto que não me era familiar, mas quando a pessoa sorriu pra mim eu já sabia quem era, nunca me esqueceria daquele sorriso e eu sabia que era impossível aquilo ser verdade, aquela pessoa não podia estar ali na minha frente e muito menos bem.

Eu fiquei o olhando até lágrimas escorreram pelos meus olhos e eu me aproximei da pessoa e disse, "é você mesmo?", ele assentiu balançando a cabeça positivamente, num impulso eu comecei a abraçar ele enquanto chorava em seu abraço, ele me puxou até um carro, nós entramos e ele me levou até sua casa, eu só conseguia chorar, não acreditava no que estava vendo, entramos na casa e eu não conseguia soltar o braço dele, estava com medo e confuso, ele me deixou sentado no sofá e foi pegar água com açúcar para me acalmar.

~É você mesmo?

~Sim sou eu Minki.

~Mas como? Como isso é possível? Eu fui no seu enterro.

~É uma longa história, mas eu não morri e eu estou aqui agora.

~O que aconteceu? Como você sobreviveu?

~Eu consegui escapar, mas tinha outra pessoa comigo além do JungKook, e essa pessoa foi quem morreu, eu sabia que se descobrissem que aquele não era eu, iriam dar um jeito de me achar e me apagar de vez, por isso eu deixei meus pertences sobre o cadáver daquele jovem e espalhei meu sangue sobre ele, eu tirei o JungKook do carro me certificando de que ele estava bem naquele dia, depois eu fugi, consegui ajuda de umas pessoas que eu conhecia e elas me ajudaram a sair do país.

~Eu não acredito nisso, por que não me procurou, eu podia ter ajudado você com isso e, e...

~Minki calma, se acalma, era muito perigoso e eu não queria você metido nisso.

~Mas Jong você, seu rosto... o que aconteceu com seu rosto? Por que está assim? Esse não é você.

~Eu sei, mas esse sou eu agora, no dia do acidente eu fiquei com uma queimadura no rosto, e como  uma das pessoas que me ajudaram a fugir tinha acabado de se formar em cirurgia plástica eu aceitei ser sua primeira cobaia, e ele me ajudou a mudar meu rosto, a queimadura sumiu assim como meu antigo eu.

~Mas reconheci você, seu sorriso... o seu sorriso não mudou, por eu reconheci você.

~Eu pedi que a pessoa não mudasse meu sorriso, era a única coisa que eu queria deixar igual.

~Mas por que? Isso não é perigoso pra você? Por que não mudou o seu sorriso?

~Por sua causa Choi, eu sabia que você não esqueceria meu sorriso e me reconheceria quando eu aparecesse para você.

~Por mim?

~Sim, você sempre vivia dizendo que amava meu sorriso, e que era o que iluminava seu dia, por isso não mudei ele.

~Mas e se alguém além de mim reconhecer você? Você vai estar em perigo de novo não é?

~Na verdade não, eu já apareci pra outras pessoas e nenhuma delas me reconheceu.

~Já? E era alguém que eu conheço?

~JungKook, eu apareci pra ele, mas ele não me reconheceu, eu até falei com ele, mas como minha voz também mudou por que cresci mais, ele não me reconheceu, mas ele ficou me olhando  muito, como se estivesse tentando lembrar de alguma coisa.

~JungKook-hyung? Ele está morando aqui não é? Eu vi ele algumas vezes na rua, mas eu nunca tive coragem de ir falar com ele, e talvez ele nem lembre de mim também.

~Sim está, não só ele, mas todos os que estavam envolvidos no que aconteceu.

~Espera, como assim todos?

~Isso mesmo que você ouviu, todos, os dois que faltavam estão aqui, se mudaram pra cá pouco tempo, e um deles é o culpado de tudo, é por isso que eu apareci pra você, eu finalmente vou por meu plano em ação. Já fazem cinco anos e meio que isso aconteceu, é a hora perfeita pra mim voltar dos mortos.

~O que? Como assim plano? Você pretende se vingar por tudo é isso?

~Isso mesmo, eu não quero mais ficar me escondendo, quero voltar a falar com meus antigos amigos, e inocentar os que foram culpados por tudo injustamente, vou por o verdadeiro culpado atrás das grades.

~Eu entendo, mas você tem tomar cuidado, e eu quero ajudar você com isso.

~É por isso que apareci para você, eu quero que você me ajude com isso, assim o irmão dele não vai ser mais uma ameaça para ele, e ele vai poder ser livre assim como os outros.

~Então é mesmo quem eu estou pensando o culpado? Eu sabia, eu sempre achei a relação de irmão deles complicada, mas fazer isso com o próprio irmão...Eu vou ajudar você com isso, e faremos ele pagar por tudo.

~Obrigado Ren, eu amo você.

Ai esta, ele foi uma das pessoa que me deu esse apelido, e ele não estava mais morto, e sim vivo bem ali na minha frente. Chorei mais quando eu disse meu apelido e que me amava, ele me abraçou forte e eu disse que o amava também, ele disse que já sabia disso a muito tempo, disse que sabia que eu o amava, e que eu nunca tive coragem de contar isso diretamente a ele, ele me beijou e eu retribui. Senti todos os sentimentos que eu lutei tanto pra esquecer durante um ano e meio voltar pra mim como um tiro, ele ali me beijando e dizendo que me amava e que sentiu minha falta, era como se tudo o que aconteceu não tivesse passado de um pesadelo, o acidente, o enterro dele, era como se tudo tivesse sido somente isso, um pesadelo.

Depois dele ter me contado tudo o que aconteceu e com quem ele ficou todo esse tempo já tinha anoitecido e ele disse que eu precisava ir pra casa ou meu pai ficaria preocupado. Eu disse que ficaria com ele, mas ele insistiu que eu deveria ir, pedi que ele fosse pra minha casa então e ele assentiu, chegamos na minha casa por volta da onze e meia da noite, eu nunca durmia fora de casa, mesmo sendo do jeito que eu sou, eu sempre chegava em casa no horário e nunca dormia na casa dos outros sem avisar meu pai, ou pedir sua permissão, nós não nos dávamos bem, mas não era como se não conversássemos, sempre na hora do jantar ele exigia que eu contasse como tinha sido meu dia, e até mesmo das brigas que eu tinha na faculdade, isso era rotina e eu não reclama, até por que era a única hora que eu e meu nos dávamos "bem", por assim dizer.

Quando cheguei em casa meu pai estava me esperando, queria conversar sobre a minha suspensão como sempre, pedi que JongHyun entrasse, ele cumprimentou meu pai e eu disse que outra hora conversaria com ele, mas Jong disse que não iríamos subir, e sim que ficaríamos com meu pai e lhe contaríamos tudo, fiquei surpreso com essa decisão dele, e meu pai nos olhava sem entender nada, nos sentamos de frente para meu e Jong começou a lhe contar tudo, ele e meu pai sempre se davam bem quando ele ia pra minha casa na Coreia, então quando meu pai soube quem ele era começou a chorar, uma coisa que eu não achei que iria acontecer, eles ficaram abraçados e chorando um no ombro do outro por bastante tempo. Depois que todos se acalmaram nós subimos e fomos tomar um banho para irmos dormir, ele dormiu comigo no meu quarto. Na manhã seguinte nós saímos para ver onde o culpado estava morando e Jong me pediu para não o chamar mais assim e sim de Jr, era assim que o chamavam agora e eu assenti. No final do dia, nós acabamos virando namorados, eu fiquei meio em dúvidas se aceitava ou não namorar com ele, claro que antes isso era tudo o que eu mais queria, mas o tempo passa e eu não sabia se o que eu sentia por ele ainda era a mesma coisa, mas mesmo assim aceitei, e agora nós somos namorados, contamos ao meu pai, ele ficou feliz por nós o que eu estranhei muito, mas ele também parecia triste por isso, meu pai sempre soube minha opção sexual e nunca me julgou por isso, na verdade ele me dava apoio, mas mesmo assim nossa relação de pai e filho não era tão boa.

Quando a acabou minha suspensão e eu voltei pra faculdade já tinha que responder um questionário de perguntas que o professor tinha passado, como eu estudei em casa no meu longo tempo vago, eu respondi tudo na boa, era em dupla então eu fiz com o Jimin, ele parecia não ter estudado nada, ele é meio lerdo pra essas coisas, e também eu sabia bem o motivo dele não ter estudado nada, li num noticiário que o boy grup favorito dele tinha lançado um álbum e esse com certeza deveria ser o motivo da falta de atenção as aulas. No intervalo eu fiquei enchendo a paciência dele como sempre faço, e sempre era sobre a virgindade dele, mas o que ele não sabe é que eu também sou virgem, eu já fiquei com várias pessoas, mas nunca passou de beijos e amassos, e esse foi o motivo deu ter terminado com Baek quando nós namorávamos, ele sempre queria algo a mais, mas eu nunca me senti confortável pra fazer sexo com ele, por isso acabei dando um fora nele, e até hoje ele me odeia por isso.

Eu estava numa praça perto da faculdade com Jimin lhe enchendo, mas do nada ele saiu de perto de mim para ir falar com alguém, e ele não tirava o olho desse alguém, que muito pálido, eu não gostei nada daquilo, o Jimin era pra ser só meu amigo, mas ai ele virou amigo do tal de Minhyun e depois apareceu esse cara que ele disse que era vizinho dele, ninguém nunca teve coragem de ficar e ser vizinho dele, e agora me apareci esse ser pra irritar.

Aconteceram tantas coisas depois que eu voltei pra faculdade, até o irmão do Jimin tinha parecido, depois que o Jimin saiu com ele, ele não me deu noticias e eu fiquei preocupado , eu sabia o que o Jimin tinha passado com ele, então eu liguei uma vez e ele não atendeu, eu deixei passar, depois mandei várias mensagens e ele não me respondeu nenhuma, eu comecei a ficar desesperado, falei até com meu pai, e ele disse que devia estar tudo bem e que eu não devia me preocupar. Mas era do irmão do Jimin que se tratava, eu lhe mandei mais mensagens e nada comecei a chorar de novo, e nisso fui lembrando de tudo o que nós já tínhamos passado juntos, as promessas que nós fizemos, o que não direi agora, quem sabe outra hora, lembrei das confusões que eu me meti e o Jimin tava lá pra limpar sempre o meu sangue, lembrei de tudo, tudo mesmo, e isso só me fez chorar mais, e nada dele dar noticias.

Quando foi na manhã seguinte ele me respondeu, meu coração acelerou e eu tive que conter as lágrimas, quando vi ele na frente da faculdade e ele estava bem, eu chorei, chorei e chorei, e foi assim por um bom tempo. Foi ai que eu tive certeza do quanto ele é importante pra mim e que eu não suportaria o perder, no final do dia nós fomos pra casa dele e eu disse que passaria a morar com ele, claro que no começo ele não aceitou, mas depois cedeu, eu não contei isso pro Jr ainda, e eu não sei como ele vai reagir a isso quando eu contar, mas por enquanto assim esta bom.

Quando foi no outro dia eu amanheci com o Jimin abraçado a mim, confesso que meu coração acelerou quando eu vi essa cena, mas eu tinha combinado de sair com o Jr pra ajudar ele com os preparativos do tal plano,nós passamos o dia fora, o Jimin me ligou, mas eu não podia atender então deixei o celular desligado o resto do dia. Quando nós terminamos tudo eu voltei pra casa do Jimin, e minha também agora, eu falei com ele mas ele não falou comigo, ele estava se arrumando para sair, quando eu perguntei onde ele iria e ele me disse que iria ver o irmão, meu coração apertou, ele não podia estar fazendo isso comigo, eu comecei a morar com ele justamente pra evitar que eles se vissem e ele vai direto pros braços do irmão? Comecei a chorar quando ele entrou naquele elevador sem dizer mais nada, eu voltei pro quarto e chorei, fiquei esperando ele voltar, eu queria ir atrás dele, mas eu não sabia onde ele estava, então deitei na cama e fiquei olhando pro teto enquanto algumas lágrimas escapavam. Já eram duas da manhã e ele ainda não tinha voltado, minha preocupação só aumentou e eu não podia fazer nada, depois de duas e meia eu cai no sono e só acordei no outro dia, Jimin não tinha chegado ainda e já eram cinco e meia, me arrumei e fiquei esperando dar a hora de ir para a faculdade, quando deu a hora eu sai e fui junto com Minhyun pra mesma...

~Jimin você me paga por fazer isso comigo de novo.~ Com esse pensamento fui para as aulas

 

~~Continua...~~


Notas Finais


Ufa terminei
Desculpem o atraso
Gente ( se alguém for ler isso) eu tava pensando em fazer um extra com os meninos respondendo a perguntas de você
Então se alguém tiver alguma pergunta e estiver curioso sobre algo que possa ser revelado por favor deixe seu comentário Ok ;)

talvez amanhã eu atualize o passado e minha outra fic Ok

pra quem está chegando agora esse é o link da fic onde eu conto o passado dessa aqui Ok
https://spiritfanfics.com/historia/oaeutpmi--inicio-passado-o-comeco-6986071

e quem quiser ler a outra fic, ela é sobre um jogo com ídolos deem uma olhada
https://spiritfanfics.com/historia/jogos-insanos-com-idolos-do-kpop-7066798


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...