História Minas Clubistas - Capítulo 18


Escrita por: ~ e ~minadopoldi

Postado
Categorias Diego Ribas da Cunha, Paolo Guerrero, Rafael Sóbis
Personagens Diego Ribas da Cunha, Paolo Guerrero, Personagens Originais, Rafael Sóbis
Tags Balbuena, Diego Ribas, Dudu, Egídio, Felipe Vizeu, Fernando Prass, Gatito Fernández, Guilherme Arana, Gustavo Scarpa, Léo Cittadini, Lucas Pratto, Paolo Guerrero, Rafael, Willian Bigode, Yuri, Zeca
Visualizações 90
Palavras 976
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Esporte, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiiiie *-*
Obrigada pelos comentários do capítulo anterior!
Vistam preto e bora pro enterro.

Capítulo 18 - O Poder do Bigode Nunca Falha - Willian Bigode


Fanfic / Fanfiction Minas Clubistas - Capítulo 18 - O Poder do Bigode Nunca Falha - Willian Bigode

Destruidores de Clubismo

Bigode: Sabem qual a pior coisa?

Dudu: Não ter o que comer.

Egídio: Não saber cruzar?

Guilherme Arana: @Egídio isso aí já é normal na sua vida né

Fernando Prass: Esquecer aonde deixou a chave do carro.

Felipe Vizeu: Alzheimer o nome.

Gustavo Scarpa: Kkkkkkkkkk melhor pessoa.

Rafael Sóbis: Ser trocado por importado

Bigode: Nada dos itens citados acima.

Diego: Trocar o nome da mina na hora H

Guerrero: Isso aí é vacilo Diego.

Bigode: Pior coisa é fila de banco.

Yuri: Odeio, ainda bem que uso bankline

Fernando Prass: Não confio não.

Balbuena: Não foi você que conheceu sua mina no banco?

Bigode: Foi. Só que hoje ela não tá aqui.

Léo Cittadini: Quando você vai chamar ela pra sair?

Bigode: Vamos sair hoje a noite.

Gustavo Scarpa: Honra o bigode, Bigode.

Rafael: Trocadilho 8/10

Amantes do Rival

Débora: Hoje é dia do Bigode fazer depósito e eu estou de folga, lágrimas.

Paula: Tu tá querendo mexer na poupança do meu jogador?

Eu tenho ciúmes.

Renata: Paula sendo a Paula.

Luma: Uma bunda daquela, como não querer da uma pegada de leve?

Lucielle: É disso que o povo gosta.

Mariana: É isso que o povo quer.

Antonella: Vocês não vão sair não?

Débora: Vamos, depois do treino aliás, eu vou me arrumar bem linda pra ele.

Luma: Pega na bunda dele.

Débora: Você acha que não? Ata

Willian Bigode e Débora se conheceram no banco, local de trabalho da moça, o atacante ia sempre ali depositar seu dinheiro na poupança, a espera aquele dia era enorme, e Willian já estava irritado, ele tinha outros compromissos, e estava atrasado. Quando finalmente foi atendido, fez algumas reclamações com a menina que já tinha acostumado com essa situação frequente. No final do depósito do jogador, ela de forma rápida e discreta escreveu seu nome e telefone no comprovante do rapaz, Bigode achou a atitude um pouco inusitada e divertida, e naquela mesma noite mandou uma mensagem para a bancária perguntando se ela sempre fazia isso.

Finalmente depois de muito papo e tentativas de encaixar agenda, o casal poderia ter seu primeiro encontro de uma forma decente, Willian sabia exatamente o que fazer, um programa aprova de erros, não tinha como dá errado.

O atacante buscou Débora exatamente às 18:00 horas como tinham combinado com antecedência, a moça, ela estava deslumbrante, usava um vestido vermelho que deixava suas curvas bem marcadas, uma maquiagem leve e salto baixo, o atacante prendeu a respiração quando viu o quão bela ela estava.

- Débora você tá deslumbrante.

- Você também. – Ela dá um beijo em seu rosto. – Aonde vamos?

- Assistir uma peça de teatro, li críticas muito boas, então achei que seria uma boa.

- Nunca imaginei que você gostava de teatro.

- É algo que quase ninguém sabe. – Ele ri.

Eles quase não conversaram durante o caminho, mas conseguiam se entender ali no silêncio mesmo, apenas com a troca de olhares que aconteça de forma natural. A peça de teatro foi realmente boa e os dois saíram empolgados comentando com entusiasmo sobre a comédia.

- Espero que goste de comida japonesa. – Ele diz.

- Adoro.

E eles vão para um restaurante japonês que ficava ali próximo, e depois do gelo inicial ser quebrado, os dois não paravam de falar um instante se quer, eles tinham vários pontos em comum, e aproveitavam disso para explorar a conversa, por vez ou outra existia uma gracinha que arrancavam risos de um e do outro.

- Droga. – Willian reclama depois de derrubar pela terceira vez seu sushi. – Eu odeio esses pauzinho do caramba. – A garota ri com vontade.

- Se continuar nesse ritmo saímos daqui amanhã. – Ela pega com seu Rash o sushi que ele tentava comer e põe na boca nele.

- Você faz parecer fácil. – Diz assim que engole o bolinho.

- Mas é fácil. – Ela pega um e brinca no ar, e leva a boca.

- Discordo, acho muito difícil. – Ele encara Débora com vontade. – Você deveria me ensinar.

Débora apenas ri do embaraço de Bigode, e deixa ele tentar mais vezes, e em meio aos risos ele percebeu que era aquela menina que ele queria sempre ao seu lado.

Ele levou a garota pra casa, embora quisesse mesmo não larga-la nunca mais.

- Deby, me diverti demais, paguei micão, mas adorei a noite.

- Confesso que achei divertido sua cara de bravo Will, adorei muito a noite, podíamos repetir mais vezes. – Ela sorri.

- Também.

Do lado de fora do carro, Willian Bigode acompanha Débora até a porta de sua casa, e ali encostados na porta se despedem com um beijo intenso e demorado.

Amantes do Rival

Débora: Aí porra, nunca achei que ia gostar tanto de ir no teatro!!! Tô morrendo.

Luana: Conta tudo, e rápido que eu tô comendo

Renata: Desembucha peste.

Tay: Estou sentindo que algo morreu.

Débora: Morreu, já era, fim de linha.

Vocês imaginam Willian Bigode bravo com um sushi? Kkkkkkk seria cômico se não fosse trágico, but, real, fora isso, tudo normal.

Gabi: Eu quero saber é se vocês trocaram saliva, isso sim.

Lucielle: Você acha que não?

Luma: Se não teve troca nem mata o clubismo

Débora: Claro que teve.

Destruidores de Clubismo

Dudu: É a terceira vez que saio do sofá pra comer alguma coisa e nada do @Bigode aparecer.

Egídio: Não sei pra onde vai toda essa comida!

Gatito: Ouvi umas @ falando que vai pro rabetão.

Guilherme Arana: NOSSAAAAAAA!!!! SE É AGENTE FALANDO DA BUNDA DELAS É UM ABSURDO.

Fernando Prass: a gente* não mata o português.

Bigode: Cheguei lixos.

Guerrero: Diz aí lixo, como foi?

Diego: Sou um lixo, mas sou aquele que se destaca pela beleza #prass

Zeca: Fala fala e não deixe pra depois.

Bigode: Vamos pular os detalhes que vocês não precisam saber, e mandar a real. O PODER DO BIGODE NÃO FALHA.


Notas Finais


Espero que tenham gostado e deixem aquele comentário 10/10 de sempre que nós amamos 😍
Até a próxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...