História Mine - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Candice Swanepoel, Maxwell Andrade, Thiago Silva, Zlatan Ibrahimovic
Personagens Candice Swanepoel, Zlatan Ibrahimović
Exibições 521
Palavras 1.070
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eu amei essa foto do capitulo!
Boa Leitura!

Capítulo 13 - Capitulo 13


Fanfic / Fanfiction Mine - Capítulo 13 - Capitulo 13

Fiquei mais algum tempo na praia com meu pai e depois fomos para casa. Sabe quando você não se sente a vontade? Eu estava me sentindo assim. Não era a casa muito menos as pessoas, o problema estava em mim, eu estava me sentindo sufocada com a nova noticia então resolvi dar uma volta na cidade.

Trancoso era tranquilo, poucas pessoas transitando todo mundo conhecia todo mundo, as crianças corriam livremente. Fui até a sorveteria para me distrair com um picolé.

- Oi Dona Lurdes... – cumprimento a dona do estabelecimento.

- Oi Joana... cadê sua mãe? – ela pergunta sorridente.

- Ficou em casa. – digo.

- E ai, vai querer picolé de que? – ela pergunta.

Olho os sabores escritos na parede e escolho de jabuticaba.

- Jabuticaba. – digo.

Ela prontamente pega o meu picolé e eu pago.

Me sento num dos banquinhos que haviam por ali mesmo e logo ganho a companhia do neto dela. O simpático Gabriel se senta ao meu lado com o seu picolé de manga.

- Joana, você fica de olho nele rapidinho enquanto eu vou aqui do lado? – Dona Lurdes me pergunta.

- Claro. – digo e olho para o pequeno ao meu lado.

Gabriel devia ter uns dois anos mais era bem esperto e arteiro.

- De que é? – ele pergunta apontando para o meu picolé.

- Jabuticaba. – digo.

Ele fica olhando para o meu picolé.

- Quer experimentar? – pergunto.

Ele balança a cabeça positivamente.

Estico o meu braço e ele coloca a boca no meu picolé. Aquilo foi tão fofo e engraçado que eu sorri involuntariamente.

- Quer trocar o meu pelo seu? – pergunto a ele.

Ele faz que não com o dedo mais não larga meu picolé. Eu dou risada com aquilo.

- Joana. – ouço a voz de minha mãe me chamar.

Olho para frente e vejo ela como celular apontado para nós.

- Sorria. – ela pede.

Minha mãe e a sua mania de tirar fotos. Sorrio como ela pediu e sinto Gabriel tentar tirar o picolé das minhas mãos.

Deixo ele pegar o meu e pego o dele.

- Trocamos. – digo e ele ri.

- Já está ensaiando em? – minha mãe pergunta.

- Mãe. – repreendo ela.

Ela coloca a mão na boca e ri.

- Seu marido está te ligando feito um louco... eu fiquei preocupada com tantas ligações e resolvi vir atrás de você. – ela fala vindo até mim.

Zlatan deve estar pirando lá porque eu não atendi.

- Quando eu terminar eu ligo para ele. – digo.

- Muita posse envolvida. – minha mãe comenta.

Reviro os olhos.

- É só o jeito dele. – digo.

- Você sabe o que eu penso sobre isso. – ela diz.

Apenas ignoro.

Termino o meu picolé e Gabriel faz o mesmo. No final das costas ele estava todo melecado.

- Vem, eu vou limpar você. – digo rindo.

Pego ele no colo e o levo até a pia. Lavo o rosto dele e parte do tronco que estava todo melecado.

- Pronto. – digo quando termino.

Coloco ele no chão e ele sai correndo.

- Vai ligar para o louco do seu marido. – minha mãe pede.

- Você está apressada... – digo.

- Vai contar a ele hoje? – ela pergunta.

- Não, primeiro vou fazer um exame de sangue e depois eu conto. – digo.

Vou adiar isso até não poder mais.

- Se você demorar para fazer isso, eu juro que faço. – ela diz.

Dou risada.

- Do jeito que você adora ele e pelo entrosamento de vocês... – digo rindo.

- Eu ligo e falo: ela está gravida. – ela diz dando de ombros.

Dou risada.

- Vou ligar para ele. – digo.

Volto para a praia e depois de ficar uns cinco minutos sentada, eu resolvo ligar para Zlatan. Ele atende no primeiro toque.

- O que você estava fazendo que não me atendeu? – ele pergunta irritado.

- Estou muito bem Zlatan e você? Está lidando bem com os coleguinhas? – pergunto.

- Não me venha com gracinhas. – ele me repreende.

Ok, ele não está para brincadeiras.

- Desculpa, ok? Primeiro eu estava comendo, depois estava conversando com minha mãe, depois fui dar uma volta na praia... fui a sorveteria e eu acabei esquecendo do celular. – me justifico.

- Qual a dificuldade de colocar o celular no bolso? – ele pergunta.

- Ai Zlatan, eu já entendi... já me desculpei. – digo.

Ele suspira.

- Ainda estou irritado com você e isso só irá melhorar quando você estiver perto de mim. – ele diz.

Sorrio com o jeito dele de se declarar.

- Daqui a alguns dias eu estarei ai para curar esse seu humor de cão. – digo.

Ele ri.

- O que tanto conversava com sua mãe que te fez esquecer o celular? – ele pergunta.

- Nada. – respondo rapidamente.

Droga.

- Nada? Essa resposta me soou estranha. – ele diz.

Por que diabos eu tinha que ficar nervosa e responder rapidamente?

- Apenas coisas de mulher. – tento concertar a burrada.

- Hum... ainda estou achando estranho. – ele diz.

- Não tem nada de estranho. – digo.

- Tem certeza? – ele questiona.

- Nossa Zlatan, tem horas que você é desconfiado demais. – tento contornar a situação.

- Você me deu um motivo para desconfiar. – ele rebate.

- Os meninos vão aos jogos? – pergunto tentando mudar de assunto.

- Não mude de assunto. – ele diz.

- Só quero saber. – digo.

- Eu irei querer saber disso quando você chegar. Sim, eles irão vir. – ele diz.

- Corro o risco de encontrar Helena? – pergunto.

Eu e ela nos evitávamos desde aquela discussão, mais mantínhamos um “acordo de não agressão”.

- Sim, provavelmente no estádio. – ele diz.

Reviro os olhos.

- Espero que quando eu sai do campo eu não veja vocês duas como capa de revista. – ele diz.

Dou risada.

- Querido, se ela começar eu não vou ficar calada. – digo.

- E o exemplo que vocês tanto cobram pros meninos?

- Cala a boca sueco. – digo e ele ri.

- Nada de brigas. – ele fala.

- Isso não depende só de mim. – rebato.

- Ela não irá fazer nada, então não provoque. – ele me avisa.

- Oi? Eu nunca provoquei ela, pelo o que eu me lembro foi ela que andou dizendo que eu cheirava a leite e blá, blá, blá. – digo.

- Calma, foi só uma brincadeira. Está de TPM, é? – ele pergunta rindo.

Com toda certeza eu não estou de TPM.

- Vai se concentrar na Euro, vai! – digo.

Conversamos mais um pouco e depois desligamos.

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado....
Será que teremos uma briga nas arquibancadas?
Como será que ela vai contar ao futuro papai a novidade?
E o baby, menino ou menina? Façam suas apostas!
Bjsss!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...