História Minha besta - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Kuroko no Basuke
Tags Aokise, Aokuro, Kuroko No Basket
Visualizações 69
Palavras 1.456
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Esporte, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 22 - Especial AkaKuro


Fanfic / Fanfiction Minha besta - Capítulo 22 - Especial AkaKuro

Depois que saíram da escola, Akashi convidou Kuroko para ir até a sua casa, o qual aceitou animado por finalmente conhecer os pais do namorado.

- Mas Akashi-kun… - O azulado chamou ele antes que entrassem na limusine.

- Algum problema? - Perguntou preocupado.

- E se… Eles não gostarem de mim? - O baixinho pareceu hesitante por um momento - Quer dizer, eles podem ficar com medo de mim…

- Tesuya… - O ruivo segurou o queixo do menor, olhando em seus olhos celestes - Vai dar tudo certo, e se não der… - Ele segurou a mão do namorado - Eu ainda vou estar do seu lado.

O menor sorriu encantado com as palavras do namorado, concordando confiante e entrou no belo carro preto.

- Vamos pra casa! - O avermelhado disse para o motorista que obedeceu prontamente.

Conforme o carro andava o azulzinho admirava a paisagem através do espelho, o ruivo apenas achava graça em como o seu namorado se encantava fácil com coisas tão simples.

Assim que passaram pelos grandes portões de ferro, Kuroko praticamente colou a cara no vidro, olhando o belo jardim com os olhos brilhando parecendo uma criança ao ver um parque de diversões.

- Pare o carro, nós vamos andando - O Seijuro pediu de repente.

- Tem certeza, Akashi-sama? - O motorista perguntou estranhando o pedido.

- Hai - O ruivo disse com um sorriso terno observando o amado que estava admirando a paisagem.

Desceram do carro e assim que o carro partiu, Kuroko saiu em disparada em direção ao grande jardim se jogando, literalmente, na grama. O azulzinho rolava de um lado para o outro, enquanto ria alegremente.

- Poxa… Parece até uma criança! - O ruivo disse rindo da situação do menor.

- Nhay, esse grama é tão macia! - O azulado disse se esfregando na grama - Que árvore é essa, Akashi-kun? - O azuladinho apontou para uma árvore com florzinhas rosas.

- Ah, essa é a minha favorita! - O Seijuro pôs a mão no tronco da árvore - É uma árvore de sakura.

- Ah, é a mesma que tem no pátio da escola! - O azulado exclamou lembrando das árvores rosadas da escola - Hummmmm, ela é tão cheirosa… - Disse cheirando as pequenas florzinhas em um galho da árvore.

- É sim, e tem muito mais pelo caminho - O avermelhado falou apontando para a pequena estrada que estava rodeada das belas cerejeiras.

Começaram a caminhada pelo enorme jardim, às vezes parando no meio do caminho para que o azulado pudesse se divertir um pouco em meio às mais diversas rosas.

- Seja bem-vindo de volta, Akashi-sama - O mordomo cumprimentou elegantemente - Oh, vejo que trouxe um convidado! Seja bem-vindo a residência Seijuro - Curvou levemente em reverência.

- Ah, Sebastian! - O azulado disse surpreso ao se dar conta de que aquele homem se tratava do mordomo da casa.

- Na verdade meu nome é Takano, é um prazer te conhecer…

- Kuroko Tesuya - O menor se apresentou se curvando.

- Fico feliz que o Akashi-sama tenha trazido um amigo, siga-me a Naomi-sama está esperando vocês na sala de jantar - Ele disse guiando ambos até a uma grande mesa.

Nela estava estava um bela mulher com um vestido branco delicado o qual fazia se destacar a comprida cabeleira vermelha, na qual havia um enfeite de flor de sakura em uma das laterais.

- Cheguei… - Akashi falou meio tenso por estar acompanhado do azulado.

- Seja bem-vindo de volta, querido - A mulher disse abraçando o filho - Oh, quem é ele? É um amigo seu? Até que enfim você trouxe alguém pra ca - Ele disse brincalhona olhando curiosa para o baixinho de cabelos azuis.

- Esse é aquele ´´amigo`` da escola que eu te falei - O ruivo disse fazendo ênfase na palavra amigo, o qual Kuroko estranhou, mas não deu importância - Oka-san esse é Kuroko, Kuroko esse é a minha Oka-san Naomi - Apresentou ambos.

- Ah, então você é o kuroko! Akashi falou tanto de você, você não fazia ideia de como eu queria te conhecer - Ela falou empolgada - E você tinha razão Akashi, ele é único! - A bela ruiva disse encarando o menor a sua frente.

- Você não está com medo de mim? - O azulzinho perguntou surpreso.

- Medo de você? - Ela riu um pouco pela ingenuidade do garoto - Eu sei que você é o namorado do meu filho, estou muito feliz em saber que ele arrumou um parceiro de confiança, e não, eu não tenho medo de você. Muito pelo contrário, eu te achei muito fofo! - Falou apertando as bochechas do azul claro que ficou corado.

- O-Oka-san, não faça isso… - O Seijuro disse tentando impedir que a mulher esmagasse as bochechas do seu namorado - Eu vou mostrar a casa pra ele - O maior falou puxando o companheiro para o seu quarto que ficava no segundo andar.

Kuroko sentou na cama grande e macia, observando cada canto daquele quarto que parecia ser algo da realeza.

- Não precisava me puxar daquele jeito - Ele disse neutro, mas depois deu um sorriso doce - Mas agradeço por se importar comigo.

O ruivo se aproximou do amado tocando o seu rosto que corou com o ato, mas ele não se moveu apenas se aproximou mais para sentir melhor aquela sensação.

- É impossível eu não me importar com você… - Puxou a nuca dele, trazendo para um beijo, que aos poucos foi se tornando ardente.

O modo como as línguas se tocavam fazia com algo quente subisse pelo baixo ventre de um jeito gostoso, mas muito viciante. De repente o vermelho parou olhando para o azulado.

- G-Gomen, eu...Não consegui me controlar - Disse envergonhado pelo o que tinha feito.

- Não se desculpe, eu quero você Akashi-kun… - O menor deitou na cama, ainda olhando firme pra ele - Eu quero agora…

O avermelhado se surpreendeu com tal pedido, mas não recusou, afinal queria isso tanto quanto ele. Roçou de leve os lábios rosados, abrindo a boca devagar começando um beijo lento e sensual.

O azul claro deu o sinal verde e o maior não perdeu tempo, quando se deram conta já haviam tirado toda a roupa.

Tocavam como nunca haviam feito, sentia o calor um do outro e a vontade de sentir conectados só aumentava.

Pararam por um instante, olhando um nos olhos do outro percebendo todos os detalhes do outro. O rosto corado, os olhos brilhando de excitação, tudo parecia fazer desejar mais e mais um ao outro.

O azulado deslizou a mão pelo abdômen firme do namorado e passou os dedos pelo seu membro. O ruivo estremeceu ao sentir os dedos finos e gelados passeando em sua intimidade.

O maior parou de apertar a sua coxa e escorregou para a sua intimidade, pressionando de leve a sua entrada fazendo o baixinho se remexer abaixo de si. Inseriu um dedo sentindo o calor em seu interior, fazendo movimentos lentos, enquanto o azulado gemia manhoso com os seus toques.

O azulzinho sentiu a ereção roçar em sua intimidade, estremeceu um pouco e o nervosismo tomou conta de si.

- Shhhhh...Vai ficar tudo bem, eu não vou te machucar… - O avermelhado disse docemente percebendo a agitação do amado.

- Nhay...Akashi-kun… - O menor gemeu quando o ruivo entrou dentro dele.

- Ahhh… Tesuya você é tão...Hum...Apertadinho… - O Seijuro disse já não tendo controle de suas palavras.

- N-Não… Fala assim… Ahhhh… - O azulado falou constrangido pelas palavras do namorado.

- Você é tão lindo… - Sussurrou ao pé do seu ouvido - Tão  macio… Amo quando você geme assim… - O vermelho disse já consumido pelo prazer, enquanto beijava cada parte daquele corpinho pequeno e macio.

Ele foi acelerando os movimentos aos poucos, logo eles estavam abraçados, os gemidos ecoavam pelo quarto, os movimentos estavam fundos e fortes, estavam chegando ao clímax.

- Akashi-kun… Nhay… M-Mais… - O baixinho pediu manhoso e com os rosto corado.

O maior não resistiu aquele pedido e gozou, enquanto o mais baixo ao sentir o líquido quente em seu interior acabou liberando nos lençóis.

O Seijuro deitou ao seu lado puxando o amado para o seu peito, enquanto recuperava o fôlego. De repente o menor começou a rir baixo.

- O que foi? - O ruivo perguntou estranhando a graça do namorado.

- Nada, eu me sinto tão feliz ao seu lado que tenho vontade de rir pra sempre - O mais baixo respondeu envergonhado, mas depois levantou o rosto vermelho e o encarou - Eu te amo, Akashi-kun…

- Eu também te amo… - Disse com um sorriso terno.

 


Notas Finais


Curtiu? Curtiu? Então deixa um comentário!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...