História Minha Companheira Sonserina - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter, Supernatural, The Originals, The Vampire Diaries
Visualizações 64
Palavras 1.047
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Ficção Científica, Luta, Magia, Romance e Novela, Saga, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 8 - Gritos


     Alex Granger


 Sonserina? Como aquele chapéu maluco teve coragem de me colocar justo na casa em que meus amigos mais odeiam? Eu deveria voltar lá e colocar fogo naquele pedaço de couro velho e maldito. Caminhei sob os aplausos da minha nova e o trajeto pareceu mais longo que o normal, me sentei e procurei na mesa da grifinoria encontrar minha irmã ou talvez algum dos meus amigos e por sorte os encontrei, sorri tentando receber algum tipo de apoio mas tudo que consegui foi ver suas expressões decepcionadas mas nada machucou mais do que ver minha própria irmã me virando a cara, como eu se eu tivesse algum tipo de culpa por ter sido colocada aqui.


- Oi me chama Pansy - disse uma garota me puxando em direção a seus amigos - Esses são Théo,  Blas, Astória e Draco - disse apontando para cada um que acenou sorrindo.


- Eu lembro de vocês duas no trem, espero que possamos ser amigas - digo sorrindo de forma tímida.


- Claro que sim - disseram as duas me abraçando e isso de certa forma me deixou mais tranquila e aliviada afinal seria horrível ficar sozinha em um local totalmente novo.


- Oi dononha quicante - digo me aproximando e o beijando na bochecha e senti quando ele enfiou o rosto na curva do meu pescoço e inspirou o cheiro como se quisesse guardar aquilo para sempre.


- Oi baixinha - disse pegando uma mecha do meu cabelo e novamente inspirando o cheiro, se não soubesse que ele é um veela e que sou sua companheira eu já teria o batido a muito tempo.


- Hey casal sentem aqui depois vocês arrumam um quarto - disse Theo sorrindo malicioso em nossa direção. 


- Isso ta me cheirando a falta de sexo - digo e sorrio satisfeita ao ver que ele acabou ficando um pouco corado fazendo todos rirem disso.


- HAHA muito engraçado - disse fazendo careta e as risadas apenas aumentaram. 


 Nosso pequeno momento de descontração é interrompido graças a diretora Minerva que resolveu dar mais um dos milhares e tediosos recados antes do início das aulas.


- Esse ano iremos nomear dois inspetores por casa assim faram as rondas em duplas e sem corrermos o risco de causar mais problemas que o comum - disse e nesse momento houveram vários murmuros animados e empolgados.


- Aposto que na grifinoria vai ser Hermione e Rony - cochichei para Blas que estava ao meu lado.


- Aposto em Harry e Hermione - apertei sua mão e fechamos acordo.


- Silêncio - no mesmo instante um silêncio mortal se instalou e assim ela prosseguiu - Na corvinal Luíza Collins e Tiago Fox - palmas controladas foram ouvidas - Lufa-Lufa serao Beatriz William e Vitor Stark - a mesa aplaudiu de forma mais animada que a anterior - Grifinoria teremos Hermione Granger e Ronald Wesley - palmas e gritos de comemoração tomaram conta do local - SILÊNCIO - Minerva gritou chamando a atenção de todos - E na Sonserina teremos Draco Malfoy e Alex Granger - nossa casa imediatamente se levantou entre gritos e aplausos de comemoração, é ruim admitir isso mas a casa das cobras sem dúvida é a mais animada em Hogwards. 


- Parece que você perdeu a aposta meu querido Blas - comentei sorrindo marota e percebi quando ele engoliu seco mas eu sei que ele nunca iria admitir isso em voz alta.


- O que você quer? - perguntou levantando uma sobrancelha enquanto colocava comida em seu prato assim que o banquete teve início. 


- Ainda não sei mas quando descobrir te aviso - pisquei um olho e tive a impressão de ouvir um rosnado vindo de Draco mas resolvi ignorar, Théo parece também ter ouvido já que sussurrou algo que pareceu o fazer relaxar um pouco.


 O jantar ocorreu de forma totalmente animada e pude fazer novos amigos. Talvez a guerra tenha ensinado os sonserinos a serem ou pelo menos tentarem ao máximo tentar ser pessoas melhores.  Logo após o término do banquete todos fomos em direção aos dormitórios e por sorte vou dividir o quarto com Pansy e Astória e confesso que adorei saber disso. Tomei um banho, troquei de roupa e me joguei na cama a única coisa que poderia me ajudar era uma boa noite de sono.



     Quebra de tempo



 Acordo no meio da noite ouvindo gritos altos vindo do quarto de Draco que tem o privilégio de ter um quarto exclusivo. As meninas continuam dormindo e isso indica que fui a única acordar com os gritos, me levanto sem me importar por meu pijama ser curtinho e vou andando em direção ao quarto de Draco e vejo que seus amigos acordaram com o barulho.


- Eu cuido dele vão atrás de ajuda - digo e eles me olham assustados.


- Não é uma boa idéia - Théo tenta me convencer do contrário mas não o deixo prosseguir.


- Escutem aqui vocês dois - digo assumindo uma postura séria e isso pareceu os assustar - Eu já sei de todo esse lance de veela e companheira então ou voces vão agora buscar ajuda ou vou me certificar de que vocês não tenham filhos. Estamos entendidos? - ao terminar de dizer vejo os dois acenando em concordância e depois sumirem correndo.


 Entrei no quarto e agora os gritos estavam mais altos e era possível ver em sua expressão que a dor era insuportável, coloquei um feitiço silenciador e me aproximei da cama, e ele estava ardendo em febre.


- Hey vai ficar tudo bem Draco - toquei sua testa e imediatamente ele abriu os olhos.


- A. Alex? - perguntou me olhando confuso e não posso culpar o coitado por isso afinal eu praticamente invadi seu quarto.


- Fica quietinho, Théo e Blas foram buscar ajuda - digo me sentando e vejo quando ele coloca a cabeça em cima da minha coxa e sem perceber começo a fazer carinho em seus cabelos loiros.


- Como você está?  - perguntei tentando o distrair.


- Melhor,  depois que você chegou a dor simplesmente passou - confessou se levantando e me puxando para se deitar  sobre seu peito.  Não sei quando ou quanto tempo se passou mas acabamos adormecendo ali mesmo abracadinhos enquanto esperávamos ajuda mas ela nunca veio,  e agradeço a isso porque a partir desse momento minha vida mudaria totalmente e para muito melhor. 


Notas Finais


Estava sem nada para fazer então capítulo quentinho, espero que gostem...

Comentem o que acharam !!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...