História Minha complicada || Em revisão - Capítulo 37


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Colegial, Comedia, Festa, Originais, Romance, Tragedia, Violencia, Wolf Kawaii
Exibições 114
Palavras 888
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oi gente

Por favor leiam 💚

Eu sei, eu demorei demais, mas como eu já tinha falado no capítulo anterior eu tô com muitos problemas ultimamente e isso tá prejudicando a minha mente, concentração, criatividade enfim tudo.

Era para mim ter postado esse cap a dois dias atrás, mas meu spirit -não sei o de vocês - tá bugando muito, eu não tô conseguindo entrar na minha conta pelo navegador e isso está me enchendo a paciência, por isso postei esse capítulo pelo aplicativo do spirit. Sá merda.

Eu falei para vocês que iria ter cinco capítulos para acabar a fic, mas eu mudei um pouco e a probabilidade e de ter apenas mais dois caps, esses capítulos vão ser tipo um resumo do que aconteceu.

Me desculpem ter que acabar a fic assim tão rápido mas as coisas não estão facilitando muito pro meu lado, bom... espero que me perdoem e tudo, eu sei que tem gente que gosta da fic e vive demonstrando isso pelos comentários, e sério, eu amo vocês 💚

Boa leitura

Capítulo 37 - Where is she?


P.O.V Luke

Ainda me lembro de como me senti quando contei minha decisão para a Rangel, meu coração estava praticamente se despedaçando em pequenos pedaços a cada olhar que nós trocávamos enquanto eu contava para ela, eu não conseguia acreditar que seria pai aos 19 anos, a Stacy me contou tudo e eu não consegui acreditar, ela me disse que os pais dela não aceitariam que ela cuidasse de uma criança sozinha e ela começou a chorar na minha frente desesperadamente, eu não sabia oque fazer, na verdade não sabia como reagir e a notícia e a pressão que eu mesmo estava pondo em mim me fez falar que eu voltaria para ela.

Na manhã seguinte, depois que contei a notícia para a Rangel me senti ainda mais péssimo quando abri meus olhos e percebi que ela não estava lá e que tudo não era um pesadelo, eu teria que ir a casa dos pais da Stacy falar sobre tudo que aconteceu, não entendi porque a garota estava com toda aquela pressa para contarmos logo aos pais dela, quando desci para tomar café tive uma surpresa ao ver a Rangel sentada à mesa, ela mexia no celular distraída sentada ao lado do Charlie, ela estava péssima, dava para perceber por conta das olheiras abaixo de seus olhos que mostravam que ela não passou a noite bem, ver ela daquele jeito me deixou ainda pior e quando Charlie perguntou para a garota se ela estava bem e ela respondeu que sim aquilo acabou comigo, era difícil saber que eu era o causador daquilo, que eu tinha feito aquilo com ela, que eu quebrei minha promessa de nunca a machucar, eu não sabia se deveria falar com ela depois de tudo, ela não parecia querer falar comigo então por isso decidi ficar quieto, a cada gole em meu café eu levantava meu olhar para encara-la e ver se tinha alguma expressão em seu rosto enquanto ela conversava com o irmão, mais nada, nada poderia ler oque ela estava sentindo naquele momento.

Na tarde do mesmo dia tive que sair as cinco horas para conseguir chegar a tempo na casa dos pais da Stacy, a preguiça me dominava e tive que tomar alguns remédios para fazer minha cabeça parar de doer. Os pais da Stacy eram bem legais, diferente dela, eles nos deram dicas de como ser bons pais, eu poderia estar balançando à cabeça fingindo estar prestando atenção em alguma palavra que eles estavam falando, mas a minha mente só conseguia pensar em uma coisa, em uma pessoa, nela. Quando terminamos de conversar com o Anthony e a Jasmin - pais da Stacy - fui para casa, já estava escuro, se não me engano passava das sete da noite, quando cheguei em casa não vi a Rangel, a porta de seu quarto estava aberta mas ela não estava em lugar algum.

No dia seguinte tive que ir para a casa do Math junto com o Charlie, o Math tinha quebrado a perna jogando bola e nós fomos fazer compania para ele, antes de sair continuei não vendo a Rangel, a dúvida me corroeu por dentro e eu acabei perguntando para o Charlie onde ela estava, ele falou que a loira disse que foi dormir na casa da Molly oque me preocupou já que a garota havia me convidado para ir a uma festa que um amigo dela ia dar, mesmo estando na casa de um amigo que estava todo fodido tive que ligar para a Molly, liguei várias e várias vezes e só caía na caixa postal, alguma coisa estava me preocupando e uma dor tomara conta do meu peito, ignorei a dor achando que era angústia ou algo do tipo por tudo que eu estava passando.

Depois de ficar pelo menos umas duas horas na casa do Math conversando sobre como ele quebrou a perna e sobre a garota que o Charlie estava saindo fomos embora, já que o Charlie que estava dirigindo com o seu carro e estava quase no horário para tocar o último sinal na escola em que a Rangel estava decidi-mos ir busca-la, eu tentei falar para o Charlie que era melhor irmos pra casa já que eu sabia que a Rangel não iria entrar no mesmo carro que eu, mas o Charlie ignorou minhas súplicas e dirigiu até os grandes portões da escola, como calculado o sinal tocou cinco minutos depois que chegamos, logo uma multidão de pessoas tomou conta da frente da escola, tentei encontrar uma pequena adolescente com cabelo loiro e andar desajeitado mas nada, eu e Charlie saímos do carro para tentar envontra-la, a multidão ia diminuindo e poucas pessoas iam saindo pelos portões até que eu avistei a Molly, ela estava conversando com a garota punk que já foi em casa, mas nada da Rangel, eu fui até elas e olhei para a Molly e para as pessoas que passavam ao mesmo tempo

  - cadê a Rangel? -perguntei a olhando, ela franziu o cenho e deu uma risada seca

  - não sei, ela não veio para a escola hoje, não tenho notícias dela à um dia- a morena me respondeu, eu ri e cruzei meus braços

  - Molly ela dormiu na sua casa, como você não sabe dela à um dia? -perguntei

  - não, ela não dormiu lá em casa.


Notas Finais


Ainda não parei com a mania de parar na melhor parte. Sorry.

Até o próximo capítulo, Bjus


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...