História Minha Deliciosa Secretaria Estagiária - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ecchi, Hentai, Original, Romance, Yuri
Exibições 179
Palavras 1.011
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 7 - Sentimentos Invertidos


 Prometi que iria.

 Mais antes tinha que resolver algumas coisas com Suzan, verificar se ela ta bem que possa ir sem problemas. Quando voltei ao quarto, já tava de pé vestindo uma blusa grande que chegava até joelho, sua expressão era de alguém com muita dor cabeça e antes de sair fiz um chá ervas verdes para relaxar foi para sofá onde se deito ligo TV.

Marcela: Melhor agora...?

Suzan: Sim... Olha sinto muito se forcei mais você foi ótima para quem nunca tinha feito nada disso antes na vida... Hehehe... Chamei um táxi para leva-la para casa ok?

Marcela: Obrigada, mais somos amigas ainda?

Suzan: Eu sei que fui longe demais, mais não quero perder sua amizade já que nos encontramos depois de muito tempo. Pode contar comigo caso precise de ajuda ou de um bom emprego farei tudo por você ok?

Marcela: Pode deixar, acho que seu celular já era...

Suzan: Ah, aquele era só para emergências... Aqui esse e o meu novo numero ligue ou mande mensagens quando quiser... Vejo-te por ai amiga.

 Pelo menos com ela séria uma menos...

Bom que nossa amizade não foi abalada...

 Mais noite que tivemos não conseguiria esconder...

 Táxi tava esperando lado de fora da casa.

 Em vez de ir para casa, eu fui para parque vila lobos.

 Pelo transito que peguei... Acabei chegando na hora marcada.

 Procurei por ela até encontra-la sentada em um banco debaixo de uma arvore de frente grande riacho.

Marcela: Ei...

Jéssica: Ah, você veio que bom.

Marcela: Estou aqui...

Jéssica: Que fiz foi errado Marcela... Não era clima que eu esperava demonstrar para você... Mais como eu disse antes, meus sentimentos são verdadeiros por você.

Marcela: Lauren... Ela também deu em cima de mim, bem antes de você entrar... Eu não posso negar que esse jogo está indo longe demais... Se me amasse quando diz sei faria alguma coisa...

Jéssica: Tento... Mais algo dentro de mim me faz agir da aquela maneira como se fosse outra pessoa dentro de mim... São meros fetiches que tenho aprendi vendo na internet... Lindo aquele livro também...

Marcela: Cinquenta tons de cinza?

Jéssica: Exatamente... Mais não tão grotesco como ele faz, até peguei leve com você.

Marcela: Por que...? Acha que não aguento?

Jéssica: Nem comecei já tinha terminado... Quero fazer isso dar certo entre gente eu farei diferente dessa vez...

Marcela: Não é tão simples assim... Mais não posso negar que sinto dentro de mim e pior tem muitas duvidas sobre esse sentimento doido pulsando... Não posso aceitar nada agora sem pensar melhor sobre tudo isso entende?

Jéssica: Como assim...? Não é difícil, simples.

Marcela: Claro que não... De onde tiro isso? Eu tenho muitos problemas em minha vida Jéssica, não posso largar tudo cair de cabeça nesse sentimento... Que droga tudo tá se desmoronando... Tudo que penso agora em minha família e na minha mãe que faz horas sai de casa não voltei ainda... Meu pai aquele babaca se fizesse alguma coisa pra mudar nossa vida ele teria feito mais não só faz mais dividas e mais dividas uma atrás da outra e agora vem você... Pensei que melhoria revendo amiga que anos não vejo... Mais do nada cai essa bomba em cima de mim... Como disse sou uma pessoa não um brinquedo de prazer... Chega disso, acho melhor dar certo tempo nisso tudo deixar-me focar no meu trabalho ou estou fora... Essa minha ultima palavra.

 Acabei colocando ponto final...

 Mais não sei por que eu senti um aperto no coração... Parecia que fui duro demais com ela mais se não fizesse nada as coisas só iriam piorar cada vez mais. Com grana ainda tinha sobrando na carteira paguei táxi, voltei para casa por volta das seis horas da noite e faltava pouco para acabar domingo. Entrei fui falar com minha mãe tava a ver suas novelas, quando entrou no comercial notei sua expressão triste sem aquele brilho sempre dava a me ver chegando.

Marcela: Mãe, que foi?

Mãe: Nada querida... Onde estava?

Marcela: Só fui esfriar um pouco a cabeça mãe, tudo bem com senhora?

Mãe: Seu pai... Volto com aquilo outra vez... Mandeis seus irmãos para morar com a sua avó Ana...

Marcela: Não se preocupe mãe... Vamos dar um jeito nisso eu juro.

 Não podia ver minha mãe sofrendo por causa dos vícios meu pai, tava na hora de dar uma vida boa para ela tira-la desse buraco que agora viro grande pesadelo e eu sei isso era errado mais acabei aceitando trabalhar com Suzan também, ou seja, passo ter dois empregos semanais... As seis eu saia da empresa de Jéssica para estar lá oito horas e virava noite que tive mudar o meu horário de entrada para meio dia só que pioro ainda mais carga de trabalho...

 Não comia muito, apenas tomava café quase tempo toda para manter bem ligada no serviço sem perde foco do trabalho... Tanto passei tomar café com frequência até eu ficar viciada nele... Tava quase quatro noites sem pregar os olhos... Passei ter dor de cabeça tão forte que trancava porta do escritório para abafar barulho que vinha do lado de fora... Isso chamou atenção da Joyce.

 Joyce: Marcela... Ei Marcela para um pouco tá com cara que não dorme quatro dias se realmente está bem?

Marcela: Não se preocupe comigo... Eu estou b-bem...

 Não via hora meu turno terminar...

 Quando acabou dessa vez Joyce fecho escritório... Tinha saído pouco mais cedo do que previsto... Corri até próximo ônibus quando do nada tudo fica preto eu perdi a consciência cai... Sentia que minha respiração tava pesada, nem conseguia me levanta do chão... Quando minha visão volta ao normal tinha muita gente em volta de mim foi ai que escutei voz da Suzan... Bem fraquinha mais escutei... Paramédicos chegam.

 Era só isso que pude lembrar nessa hora...

 Pude senti picada da agulha... Algo quente corria pelas minhas veias eu não sei que era mais do nada comecei sentir muito sono... Quando fechei meus olhos já estava dentro da ambulância indo em direção ao hospital... Por fim acabei apagando de vez...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...