História Minha doce tentação. - Capítulo 3


Escrita por: ~ e ~LiviaTamera

Postado
Categorias Agustín Bernasconi, Carolina Kopelioff, Karol Sevilla, Lionel Ferro, Ruggero Pasquarelli, Sou Luna
Personagens Agustín Bernasconi, Carolina Kopelioff, Gaston, Karol Sevilla, Lionel Ferro, Luna Valente, Matteo, Nico, Nina, Personagens Originais, Ruggero Pasquarelli
Tags Amor, Amor Proibido, Lutteo, Ódio, Romance, Ruggarol, Sexo, Sou Luna, Soy Luna
Visualizações 238
Palavras 1.031
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Hentai, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Tia Liv na área🐰
Bom, vamos ao capitulo.💠
Siga meu perfil – https://spiritfanfics.com/perfil/liviatamera

Capítulo 3 - Ah Luninha... Você não devia fazer isso.


Dias depois... Matteo narrativa on.

Estava jogando videogame na sala. Não era uma coisa a qual eu fazia muito, mais quando estava sozinho em casa, eu só tinha duas opções: Jogar videogame, ou ficar no maior tédio do mundo.

"Seria mais fácil se eu soubesse jogar... Mais não sei, então só o que me resta é desistir, ou comer um sanduíche de mortadela."

Sorrio de meus pensamentos, e me aconchego ainda mais, no sofá vermelho da sala.

Não sou uma pessoa muito crítica, mais acredito que minha mãe seja a única mulher que tem um sofá vermelho na sala, com almofadas verdes claras e escuras. Eu adorava o antigo sofá, ele era marrom e tinha grandes almofadas pretas, mais desde que nos mudamos para cá, ela decidiu mudar isso. Então comprou um sofá novo, almofadadas novas, e tentou fazer parecer que estávamos vivendo outra vida...

Pego meu celular do bolso, logo assim que eu sinto o leve vibrar do meu celular no mesmo. Ligo o botão da tela, e fito a mensagem de meu amigo, Gaston Perida.

Oi cara, eu estou chegando na sua casa hoje, por volta das nove horas. Me aguarde, estou super ansioso para sairmos e pegarmos várias garotas! Só espero que não leve sua irmã, a Luna pode ser gostosa, mais se vai me matar se eu chegar perto dela, não a leve.

Bufo em reação ao que li. Gaston Perida era um pegador, assim como eu, mais quando se tratava de minha tentação. Luna. Eu era diferente, eu a protegia, sabia como os caras, -meus amigos - eram, então tentava protege-la, a proteger de pessoas como eu. Porém esse foi meu erro, ao faze-la ficar tão perto de mim e tão intima só para ser protegida, eu acabei vendo nela o que não queria que eles viessem. Seu corpo, ingenuidade, inocência e delicadeza. Uma combinação perfeita do que um "homem que não presta" gosta de ter.

"Ela não tem culpa de ser gostosa, mas e eu...? Eu tenho culpa de deseja-la, de quere-la tanto?"

– Droga Matteo! Com tantas mulheres nesse mundo, você foi querer justamente naquela a qual você não pode, e nem deve desejar?! Perfeito, eu sou um perfeito idiota! – Passo meus dedos pelos fios negros de meus cabelos, e respiro fundo jogando com força o controle do videogame no chão. – Eu vou esquecer essa menina, vou sair com o Gaston, e vou pegar todas as garotas que eu quiser e conseguir como sempre, ai vou voltar a ser o velho pegador de antes, e esse maldito tesão que sinto por ela, ira sumir...

Coloco as palavras para fora, pois guarda-las para mim me sufocava, e matava-me aos poucos por dentro.  

Levanto daquele sofá e ando até a parte de cima, onde ficam os quartos. Estava sozinho, pois meus pais saíram e provavelmente levaram a minha doce tentação junto já que desde as 07 : 30 da manhã, ela não dava sinais de estar em casa.

Andava meio distraído, perdido entre pensamentos, e perguntas sem respostas lógicas em minha cabeça. Parei a frendo do quarto de Luna ao ouvir alguns arfes baixos, juntamente de gemidos mais altos. Escutar aquilo me paralisou, então aproveitei a leve abertura da porta, que não esta fechada e espiei para dentro do local.

Minha linda irmãzinha estava se tocando enquanto gemia, bem, Luna esta ao menos se tocando. Eu podia ver claramente a elevação que seu dedo fazia antes de entrar na vagina que ainda era coberta pelo tecido fino de uma calcinha rosa, com um desenho de um ursinho panda comendo bambu na frente.

Aquela visão me excitou no mesmo instante. Minha doce menininha usava bem aqueles dedinhos que tinha, mais eu queria ver mais... Porém a sua calcinha me empedia.

"Ah Luninha... Você não devia fazer isso com seus dedos, meu pênis ficaria muito melhor no lugar deles, e garanto. Isso nos daria muito, mais muito prazer mesmo."

Ainda admirava aquela cena, bela e excitante, e como ela não parecia ter notado minha presença lá, eu decidi me satisfazer também.

Levei as mãos até minhas calças, e as baixei rapidamente e sem fazer muito barulho com o zíper. Baixei junto a cueca box azul que usava, e observei a cena rápida de meu membro saltando duríssimo para fora do tecido. Eu estava tão duro que meu "amiguinho" chegava a doer. Estava grosso, muito grosso, e também duro. Prontinho, agora eu já podia bater uma para minha doce menininha.

– Isso é para você, Luninha. 

Sussurei as palavras bauxainho para ela não ouvir, e comecei a acariciar todo o meu órgão, fazendo leves vai e vem com as mãos, enquanto ainda vidraça os olhos nela. Luna gemia. Seus gemidos eram mais que excitantes, eram música para mim, e meu amiguinho que queria se enterrar entre suas pernas e sentir seu interior quentinho e apertado.

Não demorou muito para vir a minha mente a imagem daquelas suas mãozinhas delicadas e macias, tocando-me uma bela punheta. Eu mesmo atentando, já não conseguia controlar a vontade de gemer, e deixava escapar alguns gemidos. Luna levou uma das mãos ao seio esquerdo, e o apertou por cima da roupa gemendo ainda mais alto sem parar de se acariciar.

Estava quase no meu limite, faltava muito pouco para atingir o meu belo e grandioso orgasmo, mais faltava algo. Queria vê-la gozar primeiro.

Luna se contraia toda na cama enquanto gemia sem medo de ser ouvida por alguém. E então enfim, realizou meu desejo naquele instante. Gozou e gemeu deliciosamente tirando a mão suja da calcinha.

– Han... Matteo... Como te quero...

Gozei no mesmo instante espalhando minha porra pelas minhas calças, e um pouco no carpete da entrada de seu quarto, e então só ai eu percebi o que ela gemeu. Meu nome. 

"Ela se masturba para mim? Desde quando? Ela era inocente... Não era?"

Tentei raciocinar novamente, e respirar de novo. Ela estava s tocando para mim, ou era para outro garoto que por pura coincidência da vida se chamava Matteo? 

Respirava ainda ofegante, enquanto tentava abotoar minhas calças suja daquele líquido branco, e sair de lá. 

Por que você? Pergunta número um que me asombrava. Por que tantas coisas que eu não posso controlar? Pergunta número dois.

– Matteo? O que esta fazendo ai?

Fito a pessoa, e entro em pânico. Estava totalmente fodido nesse instante.


Notas Finais


Xau Xau ...🐰💠
Tia Liv já vai💗🐰
Espero que tenham gostado, e comentem.💠💗


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...