História Minha felicidade - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Thomas Sangster
Tags Ficção Geral, Romance, Thomas Sangster
Exibições 17
Palavras 964
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - Seis


Se não fosse pelo toque de meu celular, anunciando que minha empresária me ligava, eu provavelmente só acordaria às onze horas da manhã, já que havia esquecido de ligar o despertador de meu celular. Devo admitir que isso acontecia com uma certa frequência. Perco a conta de quantas vezes já me atrasei ou deixei de ir à eventos, reuniões ou até mesmo algumas aulas da faculdade, tudo porque eu simplesmente esqueci de ativar o despertador. Atendi a ligação, ainda muito sonolenta e com as pálpebras pesadas, ameaçando se fecharem novamente. Carla, por sua vez, berrava ao telefone, anunciando que eu dispunha de exatos vinte minutos para me arrumar e estar de prontidão em seu escritório, caso contrário eu receberia um belíssimo sermão, e os de Carla eram simplesmente os piores. A obedeci, vestindo as mesmas roupas do dia anterior e indo até minha casa, que não era muito distante da de Alisson, que por dua vez, estava estirada em sua própria cama, roncando e mergulhando cada vez mais profundamente em um sono extremamente pesado. Provavelmente a garota só acordaria dali há várias horas e eu a invejava por isso.

Não tardou até que eu chegasse em minha casa e como eu ainda dispunha de vários minutos, tomei um rápido banho, vesti novas roupas e tomei o café da manhã mais rápido de toda a história. Pegando as chaves de meu carro, corri em direção à garagem de meu condomínio e liguei o veículo, seguindo apressadamente para o edifício empresarial onde localizava-se o escritório de Carla. A encontrei paquerando seu assistente, um australiano dos cabelos claros que parecia estar de certo desconfortável com aquilo. Minha empresária parecia não dar a mínima para isso e se atirava ainda mais em cima do homem. Pigarreei para que ela tivesse consciência de minha presença e com o gesto, atrai a atenção dos dois. O australiano me olhou com gratidão, ao passo que Carla me fuzilou com os olhos. 

- Olá, Carla. Bom, desculpe pelo atraso, mas cá estou e - falei, olhando o relógio de pulso - faltam dez minutos para a reunião. Podemos ir? 

- Claro que sim, Audrey - disse a mulher hispânica, rangendo os dentes de forma ameaçadora para mim - Eu só estava tendo uma conversa muitíssimo amigável com o Mason. Não é mesmo, Mason? 

O assistente concordou com a cabeça, olhando-me de soslaio para depois voltar a encarar os papéis em suas mãos, balançando a cabeça em negação para Carla e nos deixando a sós logo em seguida.

- Francamente, Audrey! - exclamou a mulher - Faltava pouco para eu e ele termos um maravilhoso jantar esta noite.

- Bom revê-la também, Carla - respondi com ironia na voz.

- Ah, por favor. Achei que demoraria mais. Sinceramente, pontualidade não é o seu forte.

- Que seja. Aqui estou eu e já que fez o favor de marcar uma reunião em plena manhã de sábado, façamos o favor de irmos logo - disse.

- Ok, o motorista já está nos esperando mesmo.

- Ei, por falar na reunião, já te disseram quem é o ator ou atriz com o qual eu darei uma entrevista e terei uma seção de fotos?

- Sim, sim, eles disseram, mas não lembro o nome. Só posso afirmar que é um ator britânico que, segundo a mulher que me comunicou, é muito bonito - respondeu Carla.

- Odeio seção de fotos!

- Vamos, querida, não será de todo ruim.

Suspirei. Pegamos o elevador do prédio e nos dirigimos para fora do edifício, onde um sedan preto e um motorista de prontidão nos esperavam. O homem abriu a porta do banco de trás para nós e nos conduziu até uma agência cuja fachada era de aparência vintage. Entramos no lugar e fomos recebidas por um homem muito apressado e com roupas da moda, que se apresentou como o figurinista. 

- Darling - falou de modo afetado, tomando-me pelos braços - Temos pouquíssimo tempo. Venha comigo, por favor, monamu.

Acompanhei o homem, que se apresentou como Alexander. Ele me guiou até o camarim lotado de mulheres que corriam de um lado para o outro, carregando roupas e acessórios em suas mãos. Uma delas parou à minha frente e pediu para que eu a seguisse. Me levou até uma espécie de penteadeira, onde começou a fazer minha maquiagem. Três outras moças vieram até nós e trataram de cuidar de  meu cabelo que, com o passar dos anos, tornou-se algo tão claro que não podia mais ser considerado castanho. Nenhuma delas tardou a me aprontar e quando meu cabelo e maquiagem já estavam prontos, Alexander mandou que eu vestisse a primeira roupa que havia sido posta na arara. Não demorei
a obedecê-lo e quando enfim já estava pronta, fui levada até uma sala com aspecto super clean, decorada em branco e cinza metálico. A mobília concedia ao lugar uma aparência estável e moderna.

Sentei-me em dos sofás de couro branco que lá haviam e esperei até que alguém chegasse e me desse as devidas instruções do que eu deveria fazer. Passei as mãos pela minha roupa - um vestido de gola e sem mangas na tonalidade azul real - já ficando impaciente. Então, escutei o barulho da porta sendo aberta. Virei-me para ver quem estrava, esperando me deparar com um entrevistador. No entanto, o que vi foi um homem alto de cabelos loiros e pele muito branca, que se virou para mim após fechar a porta. O choque inicial de vê-lo pela primeira vez foi grande e todas as lembranças de minha infância, época esta na qual eu era muito apaixonada por ele, vieram à tona, passando como um filme pela minha cabeça.

Ali estava, bem diante de mim o garoto por quem tive uma queda na infância. Ali estava Thomas Sangster. 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...