História Minha Garota - Camren - Capítulo 51


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Visualizações 281
Palavras 1.157
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 51 - Tô gravida


Camila

Eu estava sentada proximo a porta, junto com todos que também estavam lá. Clara, Sinue, Mike, e sofi sentada no colo da Lauren.  Era de tarde. E eu  não parava em nenhum momento de observar as duas. Sofi sorria tão linda, Laur, toda vez me olhava quando isso acontecia.

Clara: É diferente, não ter vocês duas juntas. Não gostei muito, mas quando ela se refere a você passa a ser outra pessoa. Lauren é muito perdida, Camila. Não sabe as verdadeiras coisas a se pensar, vive por viver, pra passar o tempo.

—Não penso assim, Clara! —fiquei de pé ao lado da mesma que também olhava para as duas. Na verdade, formos até a casa da Clara, por que ela nos convidou para jantarmos todos juntos, só não sabia que meu namoro com Lauren acabou, ficou super constrangida com Lauren, que anunciou em alto e bom tom. Mas ela não me parecia nenhum pouco perdida. Eu só queria estar sozinha com ela. Não ter minha mãe observando minha passada e minha barriga de longe. Isso estar me irritando, mania de preocupação com tudo. —Ela é indecisa, mas sei que estamos apenas cuidado do tempo, e acredite ainda tem muito tempo para o tempo certo.

Clara: Você também é outra sonhadora, e estar ai , esperando ela vir falar com você. Eu vou lhe dizer querida, ou siga em frente, ou fique , bem distante dela. Voce vai se machucar escute sua ex sogra.

– Não estou te entendendo. Então eu posso declarar fim a tudo? Tipo: Seguir por conta de orgulho besta, infantil. Não devo lutar por nós?

Clara: Voce quem sabe! Sendo que se fosse eu em seu lugar, desistiria, ela cansa! Mas não acredite em Ariana, ela já sofreu muito com ela, e se tem alguém que ela não quer é ela. Eu sou mãe dela, e lhe digo com a mais verdade possível. Algo estar errado. Se quer mesmo, entender e pra você. Não fique so olhando.

Ela saiu me oferecendo seu desinteresse total em querer ser sogra. Não olhou para trás e eu encarei mama com exagero total. Lauren sentou ao meu lado a mesa. Mas não me olhou um minuto, eu não vi, nem se quer um desvio. Nada! Mike tentou brincar várias vezes mas apenas ela jantou sendo educada. Era Hora de ir até ela. Eu Fui.

Sofie : Ah não quero que você fique, eu vou morrer de saudades. — a menor dizia cruzando os braços e batendo o pé.

—Sofie, essa saudade também vai me matar. — ela me olhou com os olhinhos umedecidos. Lauren bufou. O problema dela é comigo e ela não nega.

— Também, Camzi. Eu vou ficar com minha avó. — lauren puxou seu bracinho beijando os cabelos da  outra que nem quis olha-la.

 — E eu já vou. —Falou impaciente levantando.

—o problema realmente é comigo né. Mas pra onde você tem que ir exatamente. —Me aproximei, ela apenas foi para o lado. — A gente pode conversar em outra lugar.

—Não. Por que não quero, olhe. Eu não me sinto empolgada ou apaixonada por você. Não sei o que foi, só sei , que não quero mas estar perto de você. —Colocou as mãos da calça surrada que pela misericórdia. A regata não cobria nada. O cabelo solto seduzindo ao vento...

—Eu to gravida!

Demoramos dez minutos, foram dez minutos mesmo. Para ela conseguir respirar fundo e se sentar novamente no mesmo toco de antes. Passou a mão no cabelo, impaciente. Olhava para os lados, cravando os olhos em minha mãe. Tampou a boca com as duas mãos, os olhos já se enchiam de lagrimas.

— O que porra é essa? —se jogou em minha frente, com uma distancia absurda, quis voar e me agarrar a seu pescoço e chupar seus lábios, que estavam rosados assim como ao redor de seus olhos, soltando todas as lagrimas que ela acumulava. —Diz que você não estar brincando. Diz que você só estar querendo me machucar.

—Lauren, é você quem me machuca ficando longe de mim. Babe... o que tem de errado? O que estar acontecendo com você. Eu não quero as saber do passado.

—Shiiiiiih ...— enconstou o indicador em meus lábios, passando as mão por meu tórax. Fiquei da altura da boca úmida. Não recuei selei de primeira. Ela entendeu e logo repousou seus  aveludados e quentes lábios nos meus. — Eu não vou ficar com você ...

—Me solta. — me livrei dela. empurrando-a pelo ombro.  —Estou com dois meses, se nem isso consegue me salvar. Desculpas o problema é você. Diz com quem você estar ficando de uma vez.

—Não estou ficando com ninguém. Nem quero! — O demais tinham retornado para dentro de casa. Foi o que vi, enquanto ela levava o celular que vibrava até o ouvido. —Não quero falar agora... Me liguei depois... Ok. — devolveu ao bolso. —Olha só. Eu vou me arrepender agora de tudo isso. Mas vou te dizer...  Não vai faltar nada para a criança, só que infelizmente não sei o que sinto por você, e eu preciso entender o que estar acontecendo. Eu vou passar um tempo fora, eu não saberia como reagir, diante de algo tão lindo. E não sei! Me sinto em completo desespero por ter a ideia que você não pode ser minha.

— CALA A BOCA! To cansada de você. Eu lembro da gente, você me pediu para voltar sangrando nos meus braços.  EU TO GRAVIDA! VOCE CONSEGUE ENTENDER ISSO. QUE UMA CRIANÇA E VAI SER NOSSA. EU AINDA POSSO E QUERO SER MÃE DA SOFIE. — gritava ao pulmões ... era o que meu coração pedia em meio desespero de não saber o que falar.

Sinu: Filha ... —Ouvi passos apressados e logo depois um abraço por trás. —Camila o que estar acontecendo.

Clara: Lauren, o que houve?— Ela segurou meu outro braços. Eu chorava e soluçava sem ar. Enquanto ela só me olhava. É de fato muito perturbada.

Sinue : Camila estar gravida. To entendendo que Lauren não vai participar. Voce é uma mulher feita. Isso só responde que você abusou da minha filha. Eu sempre achei você diferente, só não quis acreditar que poderia machucar tanto quem eu amo.

— Desculpe Sinue. — respondeu. Enxugou as lagrimas que também a sufocava eu sentia, seu peito estava descompassados.

Sinue:  Não desculpo não. Só mãe já me contou que você vai viajar, para estudar. É bom! Mas vou lhe avisar, não vai ser dependente de você em nada.

Clara : Sinu, estou aqui. Vai ser sim, eu dependo a partir de agora. Minha filha não responde por mim.

—Mae me tira daqui.

Sinue: Entenda lauren, você vai ser arrepender. Nem sempre a vida dá uma terceira chance.

–Com Licença.— Era tudo que ela tinha pra falar. Minhas pernas ainda tremiam, mas não de dor. Sim de muita excitação que tive que ser forte para resistir ao abraço e lábios habilidosos de uma Laur, que simplesmente seguiu para o carro sem nem falar com ninguém.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...