História Minha Guardiã - Camren - Capítulo 41


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camren, Drama, Romance
Visualizações 1.063
Palavras 2.465
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Visual Novel
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 41 - 41


Lauren caminhou cautelosamente até o único corredor daquele apartamento e abriu a primeira porta deparando-se com um quarto espaçoso, concluiu que aquele era o quarto em que ela e Camila dormiam antes. Fechou a porta e abriu a que estava em frente, dessa vez, era o banheiro. Andou um pouco mais para frente, havia uma porta marron ali e ao abrir notou que era uma biblioteca, pensou por um momento com dúvidas, talvez a idéia de colocar uma biblioteca tivesse sobre saído especificamente dela mesma. Fechou a porta marron e olhou mais para frente onde notou que havia apenas uma porta a ser aberta, foi de encontro a mesma e quando a abriu, deu de cara com um escritório grande e organizado. Suspirou frustada, fechou àquela porta do escritório no qual não sabia a quem pertencia e apressou os passos até a cozinha onde possivelmente Camila estaria.

— Camila... — Chamou aproximando-se da cozinha. — Aqui há somente um quarto...Pensei que teria um outro por... — Lauren cessou sua fala ao deparar-se com a cena assim que entrou na cozinha. Camila estava com as duas mãos apoiadas sobre a mesa e sua cabeça se mantinha baixa, deixando com que todo seu rosto fosse coberto pelos fios castanhos. O coração de Lauren disparou ao ouvi-la fungar, e inconscientemente fora se aproximando.

— Você...Você tá chorando?

Camila levantou seu corpo e levou com rapidez a mão até o coração.

— Meu Deus Lauren! — Seu peito subiu instantaneamente, a presença repentina de Lauren acabou por se tornar um ótimo mobil para um susto.

Lauren cerrou seus olhos conforme se aproximava da latina, quando estava próxima o suficiente pôde enfim notar os olhos da mesma vermelhos. Não sabia oque pensar sobre aquilo, mas algo a intrigou, ela devia, e tinha que perguntar.

— Porque você está chorando? Foi algo que eu fiz? se foi, eu sinto mui...

— Não, não. — Camila negou imediatamente para tal besteita. Foi em passos lentos até a pia e lavou seu rosto, passando logo em seguida um pequeno guardanapo pela pele molhada. — Você não fez nada. Eu estava cortando cebolas para fazer algo bom para jantarmos e meus olhos começaram a arder. Você sabe, cebolas...

Só então Lauren notou os legumes postos sobre a mesa junto à uma pequena porção de cebolas cortadas. Se sentiu patética por pensar ter culpa sobre alguma coisa, realmente não se lembrava de ter feito algo brutalmente ruim para Camila.

— Ah... - Riu sem graça. — Você deve estar cansada, não precisa fazer nada.

— Não se preocupe. — Camila tranquilizou retornando para próximo da mesa, mas para sua surpresa, Lauren ficou em seu caminho.

— Talvez você não deva se preocupar com isso. Nós podemos pedir algo do hotel mesmo. — Propôs dando de ombros.

— É que...

— Comida Italiana! — Exclamou alegre e por um momento Camila se permitiu sorrir. — Eu amo comida italiana. Minha mãe disse que você gosta também.

— Perguntou sobre mim para sua mãe? — Perguntou sem esconder sua animação. Lauren a encarou com cenho franzido e corou.

— Não! Quer dizer, por um lado sim, ela sempre me falava de você, o básico. — Explicou. — Aliás, eu não viria para Nova York juntamente com você se não conhecesse pelo menos um por cento do que você é.

Camila assentiu e continou a encarar Lauren, em silêncio.

— Porque está me encarando? — Perguntou desconfortável. Se sentiu minúscula ao ter os olhos de Camila por tanto tempo sobre si. Sabia que acima de tudo, Camila a conhecia, mas do seu ponto de vista, aquilo ainda era estranho. Contudo, seu desconforto era somente por conta da sua falta de informações, da sua curiosadade e dúvidas, ela não sabia oque passava na cabeça de Camila quando seus olhos eram colocados sobre ela.

— Você disse um por cento...Gostaria de conhecer o resto? — A latina perguntou, mas fora delicada enquanto à isso.

— É pra isso que estou aqui. — Lauren respondeu nervosa, algo que não passou despercebido pelos olhos de Camila que suspirou e decidiu por um fim naquele assunto. Ela já havia ultrapassado uma linha que não devia ser ultrapassada por enquanto, precisava ser paciente, só não sabia como poderia fazer tal coisa.

— Você... — Hesitou por um momento. — Pensou sobre oque o Doutor Simon disse?

— Sobre quê assunto?

O consultório moderno trazia consigo um clima pacífico. A vidraça que presenteava uma visão privilegiada do norte de londres, deixava tudo mais caloroso. Sentada na cadeira confortável, Lauren encarava o doutor do outro lado da mesa que até então, assinava com rapidez um documento. Camila, assim como Clara, se mantinham em pé um pouco mais atrás, apenas observando.

Certo... — Doutor Simon murmurou assim que finalizou a assinatura e arrastou o documento pela mesa até que estivesse em frente a Lauren. — Agora você tem total permissão para ir para casa. — Sorriu.

Lauren segurou o papel sobre suas mãos e virou brevemente seu rosto para olhar a mãe enquanto um sorriso animado enfeitava seus lábios. Camila não pôde deixar de perceber aquilo, e sem que percebesse, sorriu junto a outra.

As recomendações que tenho para você já foram ditas, exceto a terapia. — Disse o homem, atraindo novamente atenções.

Terapia? — Lauren indagou confusa.

Sim, na verdade, seria bom para você depois de tudo que passou. Mas como disse, são apenas recomendações. — Lauren acompanhou o movimento das mãos dele ao tirar um pequeno cartão de uma caixinha que estava na mesa. — Esse é o número de uma amiga e excelente profissional em Nova York. Caso aceite a recomendação, tenho certeza que se dará bem com o trabalho dela. — Disse sugestivo entregando o cartão nas mãos da mulher a frente.

Os olhos de Lauren não tardaram a observar as características daquele pequeno cartão. Leu com atenção as pequenas letrinhas abaixo da imagem de uma mulher negra. Sua postura era um tanto intimidadora, mas seus olhos por detrás dos óculos de grau, transmitiam suavidade, conforto, ou até mesmo, calmaria.

"Keyte Collen, psicóloga."

— Sabe...A terapia. — Camila disse com delicadeza. Não gostaria da idéia de Lauren pensando estar sendo forçada a frequentar um psicólogo, ou muito menos que aquilo seria uma necessidade essencial. Porém, uma terapia faria bem depois de todos os recentes acontecimentos.

— Na verdade, sim. — Ela respondeu, como se aquilo não fosse nada demais e olhou brevemente para Camila que se mantinha encostada no balcão a encarando. — Talvez isso seja o melhor.

Seus olhos acompanharam o nascer de um sorriso simpático nos lábios da outra.

— Tudo bem, irei ligar para o consultório da Doutora Keyte. — Camila decidiu aproximar-se, não o suficiente para o desconforto de Lauren. Mas para olhá-la melhor, a convivência que tiveram fez com que Camila aprendesse um pouco sobre o livro que era Lauren Jauregui, então naquele momento usaria isso ao seu favor. — Mas lembre-se, não precisa fazer isso porque todos querem que faça. Você sabe que...

— Não se preocupe. — Tranquilizou. — irei fazer isso porque sei que será bom para mim.

Camila concordou com a morena e se afastou novamente, sem falar nada.

— Irei ligar para a recepção do hotel.— Disse por fim.

                                ~•~

A segunda-feira do dia seguinte chegou e com ela, o glorioso dia em quê Lauren visitaria a Emporium, na qual sentia tanta falta. Ela se mantinha no banco de passageiro do carro no qual Camila dirigia e a cada minuto, suas mãos se remexiam em ansiedade. Camila a olhava sutilmente para não ser flagrada, era nítida a ansiedade da morena. Elas chegaram a Emporium minutos depois. Lauren logo pôde ver a nítida mudança apenas no exterior do restaurante, aquilo a deixou animada.

Camila caminhou até a entrada com Lauren ao seu lado e antes que abrisse a porta, olhou brevemente para a morena e sorriu. Lauren não fazia idéia do que a aguardava por trás daquela porta. Ela não perdeu muito tempo pensando, abriu a grande porta, deixando que Lauren entrasse primeiro, e assim que o fez, um grito em coro soou pelo local.

— Surpresaaa!

Lauren de princípio espantou-se e agarrou com força o braço direito de Camila. Estava assustada demais para pensar em seu gesto.

— Acho que vocês assustaram ela. — Camila comentou observando cada rosto sorrinte que havia ali.

— Oque é isso? — Lauren sussurrou passeando seus olhos pela recepção repleta de balões e presentes, mas não demorou a retornar os mesmo para Camila. — É meu aniversário? — Arregalou os olhos.

Camila mordeu o canto de seus lábios para prender uma risada que insistia em fluir. Ela estava prestes a falar algo, mas Dinah fora mais rápida.

— Lauren! — A loira exclamou animada e sem mais palavras puxou a morena para um abraço.

— Dinah... — Lauren começou.

— Oh, você deve estar se perguntando oque é tudo isso. Certo, Allyson disse que você viria ao restaurante nessa segunda e decidimos ser legais. -— Explicou animada.

— É uma festa surpresa. — Allyson alegou ao se aproximar.

— De boas vindas! — Troy completou passando seus braços pelo ombro de Allyson e Lauren franziu o cenho.

— A idéia foi de Camila. — Allyson retornou a falar.

— Oh, ea decoração fui eu quem fez! — Uma voz animada exclamou de longe, Lauren virou seu rosto para fitar a dona da mesma e arqueou as sobrancelhas.

— Quem...

— Me chamo Amber! — Disse a ruiva antes mesmo de parar em frente a morena. — Eu trabalhava no supermercado, mas você me transferiu para cá, lembra? Oh, é claro que não lembra, quê patetice. — Bateu suavemente na testa. — Mas garanto que sou uma ótima funcionária e que você gosta de mim. Quer dizer, agora, porque antes você pensava que eu poderia dar em cima da Camila, mas não se preocupe, ela não faz meu tipo. — Disse movimento as mãos no ar. — E além do mais, você está ótima, adorei seu vestido. Semana passada fui ao...

— Amber...Você está divagando. — Camila interrompeu.

— Desculpe. Mas enfim, a ideia de fechar o restaurante hoje foi minha, espero que não se importe até porque você é a dona de tudo né...Mas não se preocupe, a cota está em dia! E além do mais...

— Amber! — Dinah exclamou entediada. — Diga logo oque quer dizer!

— Ok, ok. — A ruiva rendeu-se revirando os olhos. Então encarou Lauren e sorriu com ternura. — Sejam bem-vindas de volta!

Lauren lembrava-se de Amber nos corredores de seu supermercado, se a mesma estava ali, era porque havia entrado em seu círculo de amigos, então retribuiu de bom grato o sorriso, e aceitou o abraço da ruiva.

— Obrigada, Amber. — Agradeceu sincera. — Mas não acho que sou ciumenta. — Ela logo arrependeu-se de suas palavras e corou.

— Mas você é! ou era? não sei... — Amber franziu o cenho coçando a cabeça. — Dinah, me ajuda.

Lauren se deixou sorrir levemente, aquela cena parecia cômica. Logo Dinah aproximou-se novamente, ocupando o mesmo lugar que Amber estava, pois no momento a ruiva já abraçava com toda sua força Camila, que estava amando àquilo, mas também estava sem ar.

— Amber... Você vai me matar. — Camila arriscou dizer. — Eu também amo você.

— Eu senti tanto a sua falta, você não pode mais me abandonar assim. — A outra disse rapidamente, realizando um aperto com seus braços sobre o corpo de Camila, para em seguida afastar-se com um bico. — Sinto muito por tudo que aconteceu, eu sei que as coisas não estão tão boas como estavam antes, mas você pode contar comigo!

Camila abriu um leve sorriso, agradecida.

— Obrigada por isso, mas Lauren deve estar achando que você é louca.

Amber deixou que uma risada natural saísse de sua boca, Camila adorou ouvi-la, gostava de fazer seus amigos sorrirem. E naquele momento, também gostaria de sorrir, se permitiu olhar em direção à Lauren, essa que estava rodeada de todos os outros. Ela parecia feliz.

— Gente, eu estou bem, é sério. — Lauren disse sem conter um sorriso. — Não precisavam fazer tudo isso.

— Devíamos ter feito mais! — Dinah resmungou. — Tudo culpa de Camila e Allyson que avisaram em cima da hora.

— Você não perguntou! — Allyson defendeu-se.

— Isso é verdade. — Troy teve que concordar.

— É claro que tem que concordar com a namorada. — Dinah disse irônica para Troy que sorriu sacana.

Lauren arregalou os olhos, abrindo e fechando a boca diversas vezes. Ela ouvido, namorada?

— N-namorada? — Indagou surpresa.

— Oh, Sim! Eu e Allyson vamos fazer 2 anos esse mês! — O jovem policial disse animado, depositando um beijo carinhoso no rosto da namorada que sorriu pelo ato.

— Estou surpresa. — Lauren admitiu fitando ambos. — Mas, fico feliz por vocês.

Os dois sorriram em agradecimento.

— Há muitas coisas que você deve saber, Lauren. — Dinah cutucou de leve o ombro da amiga. — Isso seria cômico se não fosse trágico.

— Dinah! — Camila repreendeu a loira que sorriu nervosa.

— Ah, mas não precisamos falar disso agora. — Dinah reverteu a situação. — Vamos! há presentes ali. Ah, esse bolo é de minha autoria, já que Normani não está mais aqui, você sabe... Ela sempre fazia os bolos. — Por mais que fosse estranho falar tão naturalmente de Normani, Dinah o fez com um sorriso singelo.

— Mas... — Lauren tentou argumentar.

— Venha! vamos ter tempo para conversar. — Disse enquanto guiava Lauren até a mesa.

Enquanto todos os demais seguiam junto à elas, apenas Allyson decidiu ficar e se aproximar cautelosamente de Camila, que não demorou a perceber sua presença ali.

— Incrível. — Camila comentou e Allyson se deixou sorrir, pois sabia que ela não fazia menção apenas a pequena festa.

— Iremos de todas as formas fazê-la se sentir bem. Toda essa situação é complicada.

— Sim. — Camila concordou tendo conciência daquilo, Allyson esperou que ela continuasse, mas um pequeno silêncio caiu sobre ambas.

— Você não está sozinha nisso Camila. Nós também somos amigos dela, seus, estamos com vocês.

E realmente estavam, ao olhar todos interagindo com Lauren, enquanto um sorriso brilhante enfeitava os lábios da mesma, Camila sentiu aquilo no fundo de seu coração.

Mesmo com toda a atenção colocada sobre si, Lauren ainda assim se permitiu desviar seus olhos dos outros e os colocar sobre os castanhos que já a observavam de longe, então sorriu. Camila podia jurar que aquilo significava um "Obrigada.", e era. Devolveu na mesma proporção o sorriso e jogou seu braço esquerdo por cima dos ombros de sua melhor amiga que passou o direito em volta de sua cintura.

— Vamos lá... 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...