História Minha história. - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 5
Palavras 1.695
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 16 - Uma nova vida.


Dezesseis

Com o casamento chegando ao final, o salão já estava começando a ficar vazio. Estávamos sentados ainda.

—Vamos casal? —disse me levantando.

—O que? —perguntou Igor.

—Tem um carro os esperando lá fora. —disse a ele. —Vai levá-los a qualquer lugar que quiserem.

—Mas, pra que isso? —perguntou Bia.

—Se chama lua de mel, aproveitem.

Bia e Igor me abraçaram e agradeceram, logo depois se despediram de todos.

—Cuida bem dele enquanto não estamos aqui tá bom? —disse Bia para Andy.

—Pode deixar. —respondeu Andy. —Ele é muito valioso.

E então eles saíram para lua de mel. Ficamos mais um pouco até que alguns de nossas mesas foram embora.

—Koe Fred. —disse Rafael. —Vou pra casa com Nardo.

—Tudo bem, vou levar Andy em casa.

Levantamos e fomos até o carro, abri a porta para ela e entrei.

Chegando a casa dela, sai do carro para abrir a porta para ela. Assim que ela saiu, fomos até sua porta.

—Gostou da noite? —perguntei.

—Foi a melhor noite que já tive.

—E ainda ganhou flores. —dissr a ela rindo.

—Ganhei mais que isso. —disse ela aproximando o rosto.

Nos beijamos, esse era nosso segundo beijo, mas era como se ainda fosse o primeiro.

—Vem. —disse ela me puxando para dentro.

—Como assim? —perguntei a seguindo.

—Dorme aqui hoje.

—Mas e seus pais?

—Eles estão acordados, provavelmente se arrumando pra ir trabalhar.

—Mas são duas da manhã.

—Eles são médicos, vão esse horário.

—Essa é nova pra mim.

Quando entramos na casa dela, os pais realmente estavam acordados.

—Achei que não fosse voltar hoje. —disse o pai dela.

—Vou dormir em casa. —respondeu Andy.

—Oi Fred. —disse a mae dela.

—Ola, boa noite. —disse a eles. —Vim deixar ela em casa.

—Nao precisa ter vergonha. —disse ela. —Fred vai dormir aqui tá?

—Claro. —disse o pai dela. —So não fiquem acordados até tarde.

—Pode deixar pai. —disse ela me puxando para a escada.

—Boa noite, e bom trabalho. —disse a eles.

Eles retribuíram com um obrigado e então subimos. 

Deitamos na cama e ficamos apenas deitados, ela olhando para mim e eu para ela.

—O que está pensando? —perguntou.

—Em como você pode ser tão linda.

—Ah para.

—Serio, como consegue?

—Eu não sou isso tudo.

—Ah é sim. —disse a ela. —É até muito mais. Você é linda, engraçada, inteligente, tem uma voz que encanta qualquer um.

Pude ver o vermelho de vergonha em suas bochechas.

—E eu estou apaixonado por você.

—Eu também estou apaixonada por você. —disse ela. —Desde a primeira vez que vi seu sorriso.

Fiquei sem graça.

—Espero que dê certo entre nós. —disse ela.

—Vou fazer dar certo.

Ela colocou a cabeça em meu ombro e me abraçou, coloquei minha mão em sua cabeça e comecei a acaricia-la. Alguns minutos depois ela já estava dormindo.

Fiquei pensando em todas as coisas que passei até chegar aquele momento, e estava feliz de ter passado por tudo e estar ali, com ela. Fiquei observando-a dormir, e ela era encantadora, até dormindo, não, principalmente dormindo. Aquela menina pura, que assim como eu estava apenas querendo ser feliz, e em meio aquilo, prometi a mim mesmo fazê-la feliz até meu último dia de vida, iria amar e respeita-la pelo resto da minha vida!

De manhã, quando acordei, ela estava sentada ao meu lado.

—Bom dia. —disse ela.

—Bom dia. —respondi. —Por que nao me acordou?

—Voce fica tão fofo dormindo. —disse ela. —Nao quis te acordar.

Sorri para ela.

—Eu ronco. —disse a ela rindo.

—Nao sei quem falou isso. —respondeu. —Nao ouvi nada a noite tomanha

Apenas ri para ela. 

—To brincando. —disse.

—Gostou da noite? —perguntou.

—Nossa primeira noite dormindo juntos. —disse. —Claro que gostei.

—A primeira de muitas. —disse elas.

—Sim! —respondi.

Peguei meu celular para ver se alguém tinha me ligado, e também para ver hora. Eram Nove da manha, e tinha recebido uma ligação do restaurante.

—Quer almoçar fora? —perguntei.

—Tenho que ver com meus pais, nós meio que gostamos de almoçar juntos.

—Chame-os. —disse. —É um convite meu para toda a família.

Nós descemos para chama-los para almoçar.

—Mae, pai, o Fred tem um convite para fazer.

—Pode falar garoto. —disse o pai dela.

—Entao, queria convidar vocês para almoçar.

—Eu aceito. —disse a mae dela. —Nao estou afim de fazer comida mesmo.

—Entao vamos. —disse o pai. —Mas, onde vamos?

—Para Cabo Frio. —respondi os deixando surpresos.

Todos entraram no meu carro, pois pedi ao pai dela que não dirigisse e descansasse. Fui até minha casa para poder trocar de roupa, Bernardo e Kathleen estavam na piscina, Rafael estava na sala.

—Esta é sua casa? —perguntou a mãe de Andy.

—Sim. —respondi.

—Uau, que casa linda. —disse Andy.

—Nunca tinha vindo? —perguntou seu pai.

—Ja tínhamos passado na frente, mas nunca tinha entrado.

Subi para trocar de roupa enquanto eles me esperavam na sala. Não demorei muito.

—Foi rápido. —disse Andy.

—Sim, não quero atrasa-los. —disse sorrindo. —Rafa, vou a Cabo Frio almoçar, qualquer coisa me liga.

—Pode deixar. —respondeu ele. —Bom almoço pra vocês.

Saímos  fomos para Cabo Frio, conversamos de tudo no caminho, os pais dela me fazendo perguntas sobre minha vida.

—Mas e então Fred. —disse o pai dela. —Quais são suas intenções?

—Pai!

—Preciso saber filha.

—Ta tudo bem Andy. —disse rindo. —Senhor, minhas intenções são as melhores. Quero fazer sua filha feliz pelo resto da vida.

—Mas pelo que eu sei, acabaram de se conhecer. —disse o pai dela.

—Pai!! —disse Andy. —Nós nao nos conhecemos agora!

—Ue. —disse a mãe.

—Nos conhecemos a cinco anos. —disse Andy.

—E nunca nos contou? —perguntou.

A conversa durou até chegarmos a Cabo Frio, Andy não respondeu a nenhuma pergunta que pudesse nos prejudicar, mas seus pais continuaram insistindo.

—Desculpa interromper gente. —disse a eles. —Chegamos.

—É aqui que vamos almoçar? —perguntou o pai dela.

—Sim. —respondi parando o carro. —Vao na frente, escolham uma mesa, vou estacionar o carro.

Os pais dela saíram do carro,as Andy foi comigo até o estacionamento.

—Desculpa se meus pais estão sendo rudes. —disse ela. 

—Esta tudo bem meu amor.

—Nao está, eles não deveriam estar fazendo isso.

—Ei. —disse a ela colocando a mão em seu rosto. —Deixa comigo tá?

—Como assim? —perguntou ela.

—Só confie em mim.

Saímos do carro e entramos no restaurante.

O restaurante já estava pronto a dois meses, mas como Carlos sugeriu, eu apenas cuidava de tudo de casa, tinha contratado pessoas para trabalhar e Passar tudo para mim, então poderia trabalhar em casa.

Quando entramos no restaurante, seus pais estavam sentados conversando. Cheguei perto da mesa e o garçom veio até nós.

—Senhor Fred? —disse ele enquanto estava me sentando.

—Olá Charles. —disse a ele. —Como estão as coisas?

—Tudo bem senhor. —respondeu.

—Se conhecem? —perguntou o pai de Andy.

—Entao, tem algumas coisas que Andy não sabe e que quero lhes contar. —disse. —Chame o chef por favor, Charles.

Charles foi andando até a cozinha.

—Vou começar contando um pouco sobre como eu conheci a filha de vocês.

—Tudo bem. —disse a mãe.

—Ha cinco anos atrás, eu tinha dezenove anos, Andy tinha dezesseis. Nos conhecemos quando ela saia da escola e eu estava indo trabalhar, nos esbarravamos todos os dias, e todos os dias eu ficava olhando pra ela e vendo o quanto ela é linda.

Olhei para ela e tinha um sorriso em seu rosto.

—Um dia, a vi em uma festa, mas não tive a coragem de falar com ela. —disse, olhando para ela e sorrindo. —No dia seguinte eu a procurei em uma rede social para conversar, a achei e começamos a nos conhecer, mas por rede social era chato, então no dia seguinte fui buscá-la na escola, e a primeira vez que conversamos, percebi a garota incrivel que sua filha é!

—E foi assim que nos conhecemos. —disse Andy.

—Agora vou conta-los um pouco sobre mim. —disse a eles. —Para que nao fiquem pensando o pior de mim.

—Pode falar. —disse o pai dela.

—Logo após conhecê-la, fui para Itália trabalhar.

—Italia? —perguntou a mãe. —Uau.

Eu sorri para ela.

—Passei esses cinco anos lá. —disse a eles. —Nesses cinco anos muitas coisas aconteceram. Minha mãe faleceu, fiz faculdade, guardei meu próprio dinheiro para que pudesse ter uma vida após sair dali.

—Sinto muito pela sua mãe. —disse Andy. —Eu não sabia.

—Esta tudo bem. —disse a ela. —E voltei  a três meses com o trabalho de abrir este restaurante.

—É seu? —perguntou o pai dela.

—Podemos dizer que sim. —respovocs. —Ha uma semana eu reencontrei a filha de vocês, e me apaixonei por ela.

—Voce é bom em explicar as coisas. —disse Andy.

—Voce tem a minha permissão. —disse o pai dela nos deixando surpresos.

—Como assim? —perguntou Andy.

—Eu permito o namoro de vocês. —respondeu. —Um cara que diz tudo isso, que se abre com dois estranhos e conta sua história pra pessoas que ele conhece a dois dias. Merece.

—Muito obrigado senhor! —disse a ele. —Prometo fazer a filha de vocês, a mulher mais feliz do mundo.

Aquele dia, foi o primeiro dia do nosso relacionamento. E dai em diante fomos felizes. 

Andy se juntou ao meu grupo de amigos, e muitas coisas mudaram com a chegada dela, Voltei a falar com Gabriel, Andy e Vitória se tornaram melhores amigas, o casal também entrou para o grupo. Kathleen e Bernardo formaram um casal de verdade, Andressa reencontrou um amor antigo, e acabou se casando. Daniel e Viviany tiveram seu casamento seis meses após o de Andressa.

Seis anos depois.

Estávamos na minha casa, Igor tinha marcado uma reunião do grupo, para dar alguma notícia.

Estávamos todos apenas os esperando, ele tinha ligado dizendo que iriam se atrasar um pouco. Enquanto isso, estavamos eu, Gabriel e Rodrigo, o marido de Andressa, conversando.

—Mas e aí Fred, quando vai casar? —perguntou Gabriel.

—Espero que logo. —respondi tirando uma caixinha do bolso.

Gabriel a pegou.

—Uau! —disse ele. —Nao deixa Vitória ver isso, se nao vou ter que comprar um anel maior!

—Deixa eu ver. —disse Rodrigo. —Nossa! Que diamante!

—Da isso aqui vocês dois! —disse a eles pegando a caixa. —So tenho que encontrar a hora ideal.

—Vou pegar mais uma cerveja. —disse Rodrigo.

Quando ele saiu.

—Esta nervoso né? —perguntou Gabriel.

—Como sabe? 

—Ja me casei. —respondeu ele rindo. —E te conheço a Vinte anos, sei quando está nervoso.

—Nao é nervoso. —respondi. —To com medo da resposta.

—Ta? Por que eu i ltai ser. —disse ele. —É só reparar no jeito que ela olha pra você.

Olhei para ela, e ela estava sorrindo, olhando para mim, e eu apenas sorri, e ele tinha razão. Meu medo passou, pois era com ela que iria Passar o resto da minha vida.

Igor e Bia finalmente chegaram, Bia se sentou. Fui para o lado de Andy.

—Temos uma notícia importante para dar. —disse Igor.

—Fala logo! —disse Bernardo.

—Vamos ter um novo integrante no grupo. —disse ele.

—Ninguem que eu não goste. —disse Gabriel. —Por favor.

—Nao, cabeção!

—Pera! —disse a ele. —É isso mesmo que eu tô pensando?!

—Sim! —disse Bia. —Eu tô grávida!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...