História Minha história. - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 5
Palavras 1.194
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 17 - Noticias boas


Dezessete

Todos ficaram muito felizes com a noticia. Andy e eu fomos abraça-los primeiro, demos os parabéns e sentamos.

—O que acha? —perguntou Andy.

—Do que?

—De termos o nosso. —respondeu. —Acho que está na hora de renovar.

—Tem certeza? —perguntei.

—Absoluta.

—Então, só um segundo. —disse a ela me levantando.

Fui ao centro da sala.

—Sentem-se, por favor. —disse a todos.

Todos se sentaram.

—Acabamos de ter uma noticia maravilhosa. —disse. —Vamos ter um novo membro no grupo. Esse grupo que cresceu ao longo dos anos e que começou com Seis pessoas, que estão juntas aqui, vinte anos depois. Eu, Gabriel, Bia, Amanda, Viviany e Kathleen.

—É, o grupo de estranhos da escola. —disse Bernardo, Fazendo todo mundo rir.

—Sim. —disse a ele. —E olha esse grupo o que se tornou. Igor entrou logo após Kathleen se mudar, Depois Daniel entrou, e só foi aumentando, e olha agora, Igor e Bia, Gabriel e Vitória, Kathleen e Bernardo, Amanda, que não se encontra, pois está em Lua de Mel, Viviany e Daniel, Andressa e Rodrigo, Walter, que esta em um campeonato mundial, mas que tenho certeza que vai estar aqui sempre nos momentos importantes, e Rafael, que não pode estar aqui hoje. E por fim, eu e Andy, que é a integrante mais bonita do grupo todo.

Todos riram quando eu disse isso.

—E Agora, mais um integrante, o que fará esse grupo, o mais feliz. —disse a eles. —Mas agora, quero fazer um pedido em especial. Pra você.

Virei-me para Andy.

—Me da sua mão. —disse a ela. —Andressa, estamos juntos a cinco anos, nos conhecemos a Dez, e fui apaixonado por você a minha vida toda. Vendo esse grande passo que todos deram todos esses anos, agora chegou a minha vez.

Tirei a caixinha do bolso.

—Você aceita se casar comigo?

Ela colocou a mão enfrente a boca e lagrimas começaram a cair de seus olhos.

—Claro que aceito! —disse ela chorando.

Abraçamo-nos e nos beijamos. E ficamos conversando com todos.

—Até que enfim. —disse Gabriel.

—É né. —respondi.

—Finalmente aquele buquê fez efeito. —disse Vitória rindo.

—É, achei que ele nunca fosse pedir. —disse Andy

—Ei!

—E quando vai ser? —perguntou Bernardo.

—Cinco meses. —respondi. —Quero que seja o casamento do ano.

Dois meses depois.

Estávamos no bar de casa bebendo, Igor e Bia, Gabriel e Vitória, Bernardo e Kathleen, Andy tinha ido até a casa de seus pais.

—Está ansioso para o casamento? —perguntou Bia.

—Achei que fosse estar. —respondi. —Mas até que não.

—Como assim gente?! —disse Vitória. —Eu estava morrendo de medo perto do casamento.

Quando ela falou isso, me lembrei de que um pouco antes do casamento dela, ela disse que o largaria para ficar comigo. Mas foi apenas um pensamento passageiro.

—Sim. —disse Bia. —Quanto mais chegava perto do casamento eu ficava mais nervosa.

—É, eu lembro. —disseram Gabriel e Igor ao mesmo tempo.

—Mas e vocês? —disse olhando para Bernardo e Kathleen. —Quando vão se casar?

—Ainda não decidimos isso. —disse Kathleen.

—Na verdade, decidimos que por enquanto vamos ficar apenas namorando. —disse Bernardo. —Vamos esperar mais um pouco.

—Mas vocês já têm quase trinta anos. —disse Igor. —Se forem se casar mais tarde, ter um filho mais tarde, fica ruim não?

—Não. —respondeu Bernardo. —Vamos dar nosso jeito.

Andy chegou em casa. Estava ofegante, parecia nervosa.

—O que foi amor? —perguntei.

—Vamos ter que adiar o casamento. —disse ela nervosa.

Todos fizeram uma cara de assustados, eu fiquei parado, tinha ficado assustado, principalmente por ela chegar daquela forma.

—Por quê?! —perguntei. —O que houve?

—Por que daqui a dois meses o vestido não vai caber em mim! —disse ela.

—Por que não? —perguntei. —Você esta com o corpo lindo.

—Mas daqui a dois meses terei engordado.

—Como sabe di.. —gaguejei. —Não me diga que..

—Eu estou gravida. —disse ela.

Eu fiquei paralisado enquanto todos iam abraça-la, todos me cumprimentavam, mas eu estava ali, imóvel.

—Amor? —disse Andy.

Eu olhei para ela, e ela estava chorando de alegria, e eu estava muito feliz, só nunca tinha pensado nesse momento antes, o momento em que me falam que serei pai. Eu a abracei e comecei a chorar. Estava tão emocionado que não consegui falar mais nada.

—Vou pegar umas cervejas para comemorar! —disse Bernardo.

—Vou com você. —disse Igor.

As mulheres foram para a sala ver os exames que Andy tinha feito.

—É, papai. —disse Gabriel.

—Nossa, não sei nem o que fazer.

—Seja o pai que sempre quis. —disse ele.

—Esse é o problema, eu não sei como eu sempre quis ser. —respondi. —Já que eu nunca tive um.

—Você vai pegar o jeito. —disse Igor voltando com cerveja.

—É, não deve ser tão difícil. —disse Bernardo.

Três meses depois.

Estávamos no hospital, para fazer a primeiro ultrassom, estávamos nervosos, então a doutora veio até nós.

—Bom dia. —disse a doutora.

Eu estava olhando fixamente para Andy, então não vi quem era, mas a voz não era estranha.

—Vocês devem ser, Andressa e Freder.. —gaguejou ela. —Fred?

Quando ela disse isso eu me virei. Era Isadora, uma pessoa que conheci a muito tempo atrás, uma velha amiga, e ex-namorada.

—Isadora? —disse.

—Se conhecem? —perguntou Andy.

—Sim. —respondi. —Lembra quando nos conhecemos, que eu disse que tinha acabado de sair de um relacionamento?

—Lembro. —disse Andy. —Ela?

—Sim. —respondi.

—É um prazer conhece-la. —disse Isadora rindo. —Venham comigo.

Fomos até a sala de ultrassonografia.

Andy deitou na cama, sua barriga ainda não estava muito grande, mas o medico recomendou que fizéssemos depois do terceiro mês de gestação. Isadora começou a passar o sensor na barriga dela.

—Bom, a quanto tempo estão juntos? —perguntou Isadora.

—Cinco anos e alguns meses. —respondi.

—Uau! Parabéns aos dois. —disse ela.

—Obrigado. —respondeu Andy.

—Deve estar muito feliz, Fred. —disse ela. —Vai ser pai.

—Estou! E muito!. —respondi. —Mas e você? Casou? Tem filhos?

—Me casei. —respondeu ela. —Filhos ainda não tenho. Estou esperando mais alguns anos de trabalho para ter.

—Entendi. —respondi. —Realizou o sonho de ser medica.

—Sim, graças a Deus.

—Parabéns. —disse a ela.

—Obrigado. —Respondeu. —Mas e você? Realizou o seu?

—Depende. —disse. —Qual?

—Todos. —disse ela.

—Bom, sou dono de um restaurante, terminei minha faculdade de Cinema ano passado, ainda não me casei, mas em breve vou. —respondi.

—E parece que está realizando mais um. —disse ela olhando para o monitor.

—Como assim? —perguntou Andy.

—Vocês vão ter gêmeos. —disse Isadora.

Eu olhei para Andy que estava chorando de alegria, e minha vista começou a ficar escura.

Quando acordei, estava sentado na sala de Isadora.

—Até que enfim acordou. —disse ela.

—Ahn. —disse. —O que houve?

—Você desmaiou.

—É verdade que terei gêmeos?

—Sim. —disse ela. —Artêmis e Apolo certo?

—Sim. —respondi rindo. —Eles mesmo.

—Você realmente conseguiu.

—O que? —perguntei.

—Se tornar um grande homem.

—Não teria conseguido sem você. —disse a ela. —Você fez eu me tornar um grande homem, e eu agradeço.

Ela sorriu.

—Vai lá. —disse ela. —Sua mulher está esperando.

—Obrigado Isa.

—Seja feliz Fred.

Depois de sair da sala dela eu estava mais em paz, precisava escutar isso dela, pois se sou um grande homem hoje, é por causa dela.te



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...