História Minha história. - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 7
Palavras 1.062
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 9 - Noite perfeita


 

Nove

Foi a melhor noite que tive em Cinco anos, mesmo só tendo dormido, melhor noite de sono e com a melhor companhia quem podia ter. Quando acordei, estávamos abraçados, a perna dela por cima das minhas, ela estava deitada em meu peito enquanto meu braço direito abraçava e minha mão esquerda segurava a dela com nossos dedos entrelaçados. Fiquei ali deitado, apenas sentindo sua respiração e olhando seus cabelos negros e longos descerem por suas costas, e comecei a acaricia-lo.

—Bom dia. —disse ela ainda parada.

—Desculpa. —disse a ela. —Não queria te acordar.

—Tudo bem, eu já estava acordada. —respondeu. —Estava tão bom aqui que eu não queria levantar.

Continuamos deitados por mais alguns minutos. Por incrível que possa parecer, naquele momento estava mais a fim de ser um amigo do que um ficante, ela merecia coisa melhor do que eu, merecia alguém que ela realmente gostasse.

—Acho que vou tomar um banho. —disse ela. —Tá?

—Claro. —respondi. —Vou preparar algo para você comer.

Enquanto ela entrava no banheiro, eu estava saindo do quarto e indo ate a cozinha. Quando cheguei, tinha uma mesa inteira posta, com tudo o que um café da manha tinha direito, e ouvi um barulho de alguém mergulhando na piscina. Andei ate a parte da frente da casa, onde a piscina ficava, e Bernardo estava lá.

—Bom dia mano. —disse pra ele.

—Bom dia. —respondeu. —Espero que não se importe, fiz o café.

—Valeu cara.

—Mas, e aí, como dormiu? —perguntou ele.

—Dormi bem. —respondi. —E você?

—Eu, dormi bem, sozinho. —respondeu ele rindo. —Ao contrario de você né.

—Como sabe? —perguntei.

—Ela foi a única que não vimos indo embora.

—Não aconteceu nada.

—Como assim?!

—Apenas dormimos.

—Cara, o que houve com você? —perguntou ele rindo. —O que aconteceu com aquele cara que se tivesse uma oportunidade dessas teria feito algo?

—Acho que ele cansou de fazer isso.

—Não deixe o que aconteceu com você e a Vitória afetar quem você é.

—Não afetou. —respondi. —Mostrou o que devo ser.

—O que?

—Mais amigo, e menos idiota.

—Mano, você não foi idiota, apenas gosta dela. —disse ele.

—E ela vai se casar.

Bernardo se calou por alguns segundos.

—Acontece. —disse ele. —Agora vai atrás de outra pessoa. Tem milhões de garotas ai que gostariam de ficar com você, se ela não quer tem quem queira.

—Não sei mais sair e ficar com alguém do nada.

—Então vamos sair hoje que você aprende novamente

—Mas pra onde vamos?

—Uma amiga me chamou pra ir a uma resenha na casa dela, vamos?

—Amiga?

—Uma garota, com quem estou conversando a um tempo. —respondeu ele. —Isso não importa muito.

—Tá Okay. —respondi rindo. —Vamos então ué.

Entrei e peguei algo para levar pra Andressa comer.

Quando cheguei no quarto, ela estava já com sua roupa.

—Aqui está. —disse a ela.

—Uau. —respondeu. —Quanta coisa.

—Bernardo que fez.

Começamos a comer. Quando terminamos, Andressa chegou perto de mim.

—Gostei muito da noite. —disse.

—Também gostei. —disse a ela. —Foi a melhor noite que tive desde que cheguei.

—Mas não podemos ter nada mais que isso.

—Eu sei. —disse a ela.

—Não quero te machucar, e também não quero me machucar.

—Como assim se machucar? —perguntei.

—Não quero entrar em uma relação que pode acabar mal no futuro.

—Olha, te garanto que numa relação comigo você seria muito feliz. —disse a ela. —Mas o ponto não é esse, somos só amigos.

—Sim.

Ficamos calados por um tempo, por mais que eu soubesse que seriamos só amigos, aquilo doía um pouco. Tinha acabado de tomar um fora de Vitória, e depois de Andressa. Mesmo sabendo que seriamos só amigos, senti que não deveria deixar aquilo acabar assim.

Aproximei minha mão da dela e entrelacei meu dedo com o dela, e quando vi já estávamos de mãos dadas, meu dedão acariciava a mão dela, nossos rostos se aproximaram.

—Isso não esta certo. —disse ela com o nariz encostado no meu.

—Tem razão. —respondi. —Se quiser se afastar, pode ir.

—Não sei o que eu quero. —disse ela.

—Então fica quieta. —respondi me aproximando mais.

Cada momento na minha vida era importante, mas existiam aqueles momentos que passavam devagar pra que você lembrasse de cada momento, e aqueles Dez segundos ate chegar aos lábios pareciam uma eternidade, mas quando nossos lábios se encostaram, valeu a pena cada segundo, cada fora que tomei, cada “somos só amigos” valeu ser ouvido. Estava finalmente a beijando

Quando nossos lábios se afastaram, nossas cabeças continuaram encostadas.

—Ainda acha que é um erro? —perguntei recuperando o folego.

—Não sei o que eu acho Fred. —respondeu ela.

—Não era muito bem essa resposta que eu esperava ouvir.

—Desculpa. —disse ela colocando a mão no meu rosto. —Você é um cara muito legal, e não merece alguém que não sabe se quer ficar com você.

—Para. —disse a ela segurando sua mão. —Vamos fazer assim, pense, eu vou esperar.

—Como assim?

—Tire um tempo e pense nisso tudo, quando estiver com uma decisão me fala, vou ficar te esperando nesse tempo.

—Por quê?

—Por que tô cansado de ficar sozinho. —respondi. —E sei que serei feliz com você, e também sei que poderei te fazer feliz.

—Tudo bem. —respondeu ela.

Depois de alguns minutos nós descemos, estava na hora dela ir embora. Rafael e Bernardo estavam na sala, e quando nos viram nos zoaram, mas não ligamos, fomos ate a garagem, onde o carro de Andressa estava. Quando ela ia entrar em seu carro, se virou e me deu um beijo no rosto. Entrou e foi embora.

—O que houve lá? —perguntou Rafael ao me ver entrar na sala.

—Absolutamente nada. —respondi.

—Te disse. —disse Bernardo.

—Nardo, deixa a resenha para outro dia.

—Ah! —resmungou. —Já tinha até dito a ela que você iria.

—Leva o Rafa.

—Mas e tu? Vai ficar em casa? —perguntou Rafael.

—Sim, vou descansar um pouco.

Fiquei um pouco na sala com eles, mas logo fui para a varanda, e deitei-me na rede. Fiquei pensando na noite passada, ate que recebi uma mensagem no meu celular.

*Oi Fred, gostaria de te encontrar hoje a noite, gostaria de conversar com você, se você quiser me ouvir é claro.*

A mensagem acabava aí, não tinha o numero então não sabia quem era, fiquei me perguntando, até que outra mensagem chegou.

*Ah, esqueci de falar, Vitória aqui.*



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...