História Minha jóia - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Paulo Dybala
Tags Paulo Dybala
Visualizações 84
Palavras 1.996
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Vou tentar atualizar com mais frequência eu prometo.

Capítulo 12 - Capítulo 12


Fanfic / Fanfiction Minha jóia - Capítulo 12 - Capítulo 12


--- Talia ----

Procurei o cartão da porta do hotel na minha bolsa e abri a mesma. Tinha acabado de voltar da agência que tinha aqui em Turim e bem, eles iam liberar as fotos amanhã e eu estava muito ansiosa e com medo. Por isso não estarei em casa quando elas forem liberadas. Lucas tinha voltado do hospital hoje, e eu deixe ele com Luke enquanto eu ia até a agência, amanhã era domingo e eu ia sair com Paulo.

Entrei no quarto e arregalei os olhos assim que vi Luke deitado por cima de Lucas.

- Ok, eu sempre percebi que vocês eram íntimos demais pra melhores amigos mas agora... - Eles me olharam e riram. 

Cheguei perto do dois e arqueei minha sobrancelha.

- Você falou pra ele? - Torci pra que ele dissesse sim por que se não, eu estaria ferrada por ter abrido a boca.

- Falei. - Lucas confessou e eu vi seus olhos brilharem de felicidade e Luke sorriu tímido.

- Ai meu Deus. VOCÊS SE PEGARAM? - Luke corou e enfiou a cabeça na curvatura do pescoço de Lucas. Me joguei em cima deles e abracei os mesmos. - Ai gente parabéns.

- Obrigado, imagina se eu não tivesse falado...

- Ele nunca ia saber, coitado é lerdo.

- Eu ainda tô aqui tá? - Falou e levantou a cabeça pra me olhar.

- Nossa nem percebi. - Sai de cima dos dois e fui em direção a cozinha.

Ainda estava surpresa por Luke ter levado isso numa boa. Mas estava feliz por eles, os dois mereciam toda a felicidade do mundo.

(...)

Tinha marcado de ir com Dybala a cachoeira as 15:00. Confesso que estava bem ansiosa, mas ao mesmo relaxada por não estar aqui quando as fotos forem postadas.

Coloquei meu biquíni azul claro assim que sai do banho e em seguida coloquei meu short de lavagem clara e uma regata branca, coloquei meu tênis e sai do quarto. Entrei na cozinha e tampei meus olhos assim que vi Luke e Lucas se pegando.

- Olha, eu acho super legal vocês estarem juntos. Mas na cozinha não... - Ouvi as risadas deles e tirei as mãos dos meus olhos.

- Hormônios a flor da pele. - Luke disse e deu de ombros, olhei estranho pra ele.

Foi em direção ao armário e tentou pegar uma colher mas ela caiu em baixo do armário.

- Ele tem uma bela bunda. - Cheguei perto de Lucas e falei assim que Luke se abaixou pra pegar a colher.

- Ele já tinha mas a academia ajudou bastante. - Falou olhando pro garoto que agora levantou, exibindo seus belos músculos, Lucas mordeu os lábios e eu revirei os olhos saindo da cozinha.

- Eu hein.

Amarrei o cadarço do meu tênis assim que sem querer eu pisei nele. Ouvi batidas na porta e corri pra abrir.

- Oi. - Dybala falou e eu não respondi.

Passei meus olhos por todo seu corpo e suspirei pesado, eu nunca tinha visto ele de regata, a tatuagem e o relógio davam um ar tão másculo pra ele que eu quase gemi olhando para o mesmo.

- Talia? - Estalou os dedos na frente do meu rosto.

Afastei aqueles pensamento e me aproximei do mesmo. Sorri de lado e o beijei, ele parece ter ficado surpreso por que demorou um pouco pra reagir, gemi surpresa assim que ele apertou minha bunda, me pressionou contra a porta e beijou com uma vontade que eu até fiquei surpresa de novo. Puta que pariu que pegada.

- Eu falei que eles estavam se pegando. - Ouvi a voz de Luke e Dybala se separou de mim rindo.

- Eles ficam bem juntos. - Lucas falou como se não estivéssemos ali e Dybala riu mais ainda.

- Oi gente. - Paulo passou por mim e foi abraçar os garotos.

Sorri de lado pela cena e depois de alguns minutos nó saímos do apartamento e fomos em direção ao elevador. Já no saguão e ele se virou pra mim.

- Você quer sair pela cozinha?

- Tem muito paparazzi lá fora? - Ele assentiu e eu bufei. - Então vamos.

Ele assentiu e se virou me oferecendo sua mão, peguei e ele entrelaçou nossos dedos, meu puxou e nós fomos em direção a cozinha não antes de falar com a moça da recepção. Mas eu estava ocupada demais encarando nossas mãos, sorri de lado.

Eu gosto disso.

Depois de falar com a moça da recepção, nós passamos pela cozinha e demos no estacionamento.

Entramos no seu carro e ele começou a dirigir.

- Eu vou deixar o carro escondido e a gente faz trilha até a cachoeira ok? - Assenti.

Ficamos o caminho toda em silêncio, mas era um silêncio tão confortável. Não lembro em que momento ele colocou sua mão da minha perna e eu comecei a brincar com seus dedos.

- Chegamos. 

Desci do carro e ele estacionou em um lugar escondido perto de algumas árvores, chegou perto de mim com uma mochila nas costas.

- É muito longe?

- Na verdade não.

- Será que vai ter gente lá? - Ele riu e balançou a cabeça.

- Calma, sério. 

- Tudo bem. - Ele sorriu e eu senti borboletas no meu estômago.

- Ok, vamos lá.

Pegou minha mão de novo e me puxou em direção a mata que tinha ali.

- E se a gente se perder?

- Não vai acontecer, eu sempre venho aqui com o Higuain.

- Se você tá dizendo, eu confio. 

Continuamos a caminhada e eu reclamava quando algum bichinho me mordia ou alguma planta encostava em mim me arranhando, e Paulo ria de mim.

- Calma, calma. Estamos pertinho. 

- Você disse isso a uns 20 minutos atrás. - Ele riu e se virou pra mim. - Vamos parar só um pouquinho.

- Ok. - Assentiu e segurou meu rosto, se aproximou e deu três selinhos nos meus lábios, eu ri fraco. - Que feitiço você tem garota? - O encarei rindo.

- Como assim?

- Eu tô muito afim de você. - Sussurrou e eu sorri fraco e lhe dei um selinho longo.

- Eu também... pra caralho - Ele riu. - Agora vamos?

Ele assentiu e continuamos a trilha.

Depois de alguns minutos ele gritou animado. 

- Chegamos, espera, espera. - Ele me puxou se espreitando entre as árvores e sorriu. - Bem vinda.

Meu queixo quase caiu.

- Caralho... 

O lugar era maravilhoso, tinha uma cachoeira e algumas pedras perto de onde descia a água, e ficava bem escondido entre as árvores.

- Gostou? 

- É incrível. Como você descobriu? - Falei enquanto me aproximava mais, parei em frente a cachoeira.

- Eu, Higuain e Cuadrado estávamos fazendo uma trilha e acabamos descobrido esse lugar por que o Higuain tropeçou e caiu. - Eu ri alto e ele se aproximou me abraçando por trás, apoiando sua cabeça no meu ombro. - Quer entrar?

- Pra caralho. - Ele riu.

Se soltou de mim e colocou a mochila encostada em uma árvore. Tirou a camisa e em seguida a calça e o tênis. Mordi os lábios ao encarar seu abdômen sarado, ouvi sua risada e balancei a cabeça.

Gritou e pulou no lago e ri, sorri admirando a cena a minha frente, ele tinha um sorriso maravilhoso no rosto e dava pra ver de longe o quanto ele estava feliz. E eu tinha medo de que quando voltássemos alguma coisa estragasse essa felicidade.

- Não vai entrar? - Perguntou bagunçando seu cabelo molhado que o deixava mais bonito. 

Assenti e tirei minha blusa e meu tênis e meu short, ajeitei meu biquíni e lambi os lábios ansiosa pra entrar na água. Olhei pra Dybala e antes de pular no lado o vi me encarar intensamente.

- Wow, tá bem gelada. - Falei voltando a superfície.

- Demais até. - Falou se aproximando e olhando descaradamente para os meus seios.

- Paulo. - Ri e dei um beliscão no seu braço, ele reclamou e riu junto.

- Não é minha culpa. Você é uma arte. - Ele falou e eu gargalhei o abraçando. Deitou a cabeça no meu ombros e eu acarenciei sua nuca.

- Já dançou na água?

- E dá pra fazer isso?

- Vamos descobrir agora. - Eu ri e coloquei minhas mãos nos seus ombros e ele segurou minha cintura.

Tentou me rodopiar só que não deu certo e nós caímos na gargalhada.

- Isso foi horrível..- Falei ainda rindo. - Quantos minutos você consegue ficar debaixo d'agua?

- Não sei.

- Ok, vamos lá. - Contei até três e nós fomos até o fundo.

Não sei quanto tempo ficamos lá, até que ele percebeu que não ia aguentar mais e voltou pra cima.

- Caralho. - Falou ofegante. - Jurava que ia ganhar. - Revirei os olhos.

- Eu gosto de ficar debaixo d'agua, me faz esquecer dos problemas. Eu amo água.

- Deu pra perceber. 

Coloquei meus braços em volta do seu pescoço e suspirei.

- Hoje vão liberar as fotos que eu tirei e nossa eu tô morrendo de medo.

- Por que?

- Sei lá... eu só estou com medo da reação deles entende? Depois de tudo que aconteceu, eu tenho medo.

- Não deveria ficar assim. - Falou acariciando minha bochecha. - Você é uma das melhores modelos do mundo e eu tenho certeza que todos vão amar. Todo mundo tem uma má fase na vida Lia. Relaxa um pouco.

- Como você consegue? 

- O que?

- Ficar tão calmo?

- Não sei, as vezes as pessoas me perguntam isso também.

- Mas isso é bom. Você me acalma.

- Sério?

- Sério.

- Que bom. - Eu ri e rocei nossos lábios docemente.

Segurei seu rosto o beijando com vontade, senti suas mãos nas minhas pernas dando impulso pra mim entrelaçar elas na sua cintura, seus dedos passaram sobre minhas pernas me causando um arrepio incomum. Me separei dele ainda por falta de ar mas logo o mesmo voltou a me beijar, ele não era apressado.

Era um beijo lento e gostoso, que eu estava gostando muito, porra por que ele beijar tão bem?

Parou de me beijar e eu quase reclamei, se ele não tivesse descido os beijos pro meu pescoço me fazendo gemer.

- Puta merda. - Sussurrei e ele soltou uma risadinha.

Deu um chupão que eu sabia que ia deixar marca mas não me importei. Segurei seu rosto dessa vez o beijando mais apressadamente, como suas mãos estavam nas minhas pernas ela aproveitou pra apertar minha coxas, eu sorri entre o beijo e arranhei sua nuca o fazendo gemer rouco, foi aí que eu senti minha calcinha molhar. Nos separamos e eu encarei seus olhos verdes que agora estavam bem escuros, sorri de lado e beijei sues lábios antes de descer os beijos pro seu pescoço, distribui beijos sobre toda a extensão do seu pescoço e o ouvi suspirar pesado, retribui o chupão e ele segurou meu rosto me beijado de novo e de novo.

Eu estava adorando essa sessão de amassos.

O abracei e tentei recuperar o fôlego.

- Nós podíamos vir aqui todos dias a partir de hoje. - Falou convicto

- Eu concordo com você. - Lhe dei um selinho. - Concordo muito.

Ficamos na água por alguns minutos e depois fomos comer alguns salgadinhos que ele tinha trazido. Conversamos e logo depois voltamos pro carro.

(...)

- Fica um pouco, sério, eu não quero ficar de vela no meio daqueles dois. - Falei pra ele quando o mesmo estacionou o carro no hotel.

- Ok. - Assentiu e nós saímos do carro indo em direção ao quarto.

Peguei o cartão e abri a porta, revirei os olhos assim que vi os dois se pegando no sofá. Dybala segurou o riso.

- Olha a putaria no apartamento... - Reclamei e o Luke quase caiu do sofá.

- Que susto. 

- Quem levou susto fui eu. - Falei cruzando os braços.

Paulo riu e foi em direção aos dois que estavam no sofá, Lucas estava deitando e Luke já tinha voltado pra cima dele, Dybala se deitou por cima deles e eu arqueei minha sobrancelha.

- Parabéns, vocês formam um casal lindo. - Ele falou e dois o abraçaram de volta, fui uma cena engraçada.

- Se você quiser podemos ter um relacionamento a três. - Lucas insinuou e eu e Luke reviramos os olhos.

- Olha... - Dybala foi responder mas eu o puxei pro quarto. Ouvi a risada de Lucas e mostrei o dedo do meio pra ele.

 





Notas Finais


Espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...