História Minha Mãe Me Vendeu? - Livro 2 - Pedro - Capítulo 47


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Continuado, O Vizinho Valentão, Pedro
Visualizações 23
Palavras 1.052
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Escolar, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 47 - Capítulo 47


Depois do café da manhã, Pedro foi levado para o quarto juntos com seus presentes. E lá ele abriu tudo e mostrou para André feliz o notebook que ganhou, André separou junto com Pedro os doces para depois colocar na cozinha. Ele mostrou os ingressos para Disney, e a chave do carro. Explicou o que cada um significava e André prestou atenção a historia dele mesmo já tendo ouvido tudo ao vivo. Quando a euforia de abrir e explicar tudo passou ele pode fazer Pedro dormir um pouco, foi difícil, mas com muito carinho ele conseguiu fazer ele descansar. 

Antônio acordou de seu descanso por volta das uma da tarde, ele andou pelo apartamento e não viu ninguém, a cozinha foi o ultimo lugar que ele foi e pode ver Havena na área de serviço e ela sorriu para ele quando o viu. 

Havena: - Está com fome? - Ela pergunta em espanhol. 

Antônio: - Não, não. Estou procurando meus filhos. - Ele responde sorrindo na mesma língua. 

Havena: - Jon e Danilo já estão voltando, acabei de vê-los atravessar a rua. Senhor André e Senhor Pedro estão no quarto.  - Ela fala sorrindo. 

Ele sorri e sai da cozinha indo para a sala esperar por Jon. Pai e filho conversam na sala seriamente sobre relacionamentos e estudos, Depois de uma conversa bem séria eles passam a conversar sobre assuntos engraçados e os três riam muito na sala, quando Pedro aparece descalço e fica olhando a cena em silencio até ser notado. 

Antônio: - Acordou? Está se sentindo melhor? Senta aqui com a gente. - Ele fala sorrindo e estendendo a mão para o filho. 

Pedro ficou parado vendo a cena ainda meio dormindo e sorriu. *Não era mesmo um sonho, meu pai realmente está aqui.* Ele pensa e vai até eles e se senta. 

Antônio: - É serio, esse cara roncava muito! Eu tive que gravar. - Ele gargalhava e mostrava o vídeo que fez no avião. - Pedro, esse cara estava ao meu lado, eu não consegui dormir nem um minuto. Ele roncava tanto e tão alto que gravei nem sei por que. - Ele entrega o celular na mão de Pedro para ele ver. 

P: - Pai você veio para cá de econômica? - Foi tudo o que ele conseguiu ver e olhou para seu pai com preocupação. - O senhor tem problema de coluna. 

 Antônio: - Está tudo bem  meu menino. - Ele bagunça o cabelo de Pedro com a mão. -  Estar com vocês dois compensa. - Ele puxa os dois filhos e os abraça. 

Dan: - Nós vamos voltar com ele Pedro, eu vou cuidar das passagens. Não se preocupe. 

P: - Obrigado. - Ele olha para Danilo sorrindo. - Mas então vai todo mundo de uma vez? Acho paia isso aí. - Ele fica emburrado. 

Antônio: - Eu preciso trabalhar. Deixei minha empresa na mão da Dávila e ela não entende muito disso.  - Ele fala da esposa sem querer e faz um rosto meio assustado. 

P: - Esse é o nome dela? - Ele pergunta com seu olhar de águia. 

  Antônio: - Sim, desculpa, eu não iria tocar no nome dela. 

P: - Não tenho raiva dela, ela cuidou de você melhor que minha mãe. Eu só não tenho estrutura e nem confiança ainda para ver crianças que foram mais amadas que eu. Egoismo. Mas estou no meu direito. - Ele fala emburrado. 

Antônio: - Sim, está.  Não vou te forçar a nada. - Ele põem a mão no ombro de Pedro. - Mas eu vou ficar aqui hoje ainda, tem problema? Nosso voo é amanhã as 9. 

P: - Pergunta besta. É claro que pode. - Ele se levanta. - Fome é meu sobrenome no momento, vou pedir para servir a comida. 

J: - Lendo pensamentos como sempre. - Ele passa a mão na barriga. 

Pedro vai para a cozinha e ajuda Havena a preparar a comida, por mais que ela fale para Pedro ir descansar ele era teimoso e queria ajudar a fazer a comida. Só que desta vez não era ansiedade e sim por alegria. André acorda e também tenta tirar Pedro de lá, mas como ele não sai decide ajudar.

A mesa estava muito farta, três tipos de salada diferentes, dois tipos de carnes, Arroz colorido, Feijão bem temperado e fresquinho e alguns acompanhamentos como ovo de codorna, molhos e farofa.  Sucos e refrigerantes também estavam em abundância.

Todos se sentaram e comeram muito e conversaram animadamente. Antônio mostrava fotos dos gêmeos que ele tinha no celular, vídeos de datas em que os meninos ganharam prêmios, todos foram gravados por Dino e enviados para ele. Pedro aproveitou a chance de mostrar para André as 3 vezes que ele venceu Danilo em competições na escola. 

A noite a família toda saiu de casa foram a sensação do shopping, dois casais e e um senhor no meio cujo o rosto era apenas envelhecido mas bem parecido aos dos gêmeos. Onde eles passavam eram olhados. Eles foram para o cinema ver Velozes e Furiosos 8. 

Depois de sair do cinema eles foram procurar um lugar para comer, eles fizeram um monte de coisas juntos em apenas um dia, André tentou fazer Pedro aproveitar o máximo o bom momento com seu pai, ele sabia que a maior batalha estava para chegar e ela tinha nome e sobrenome. 

{...]

Mansão dos Andrade, Bertioga, SP - Brasil. 

Um carro preto para na porta da casa e um motorista totalmente uniformizado sai e abre a porta para uma Senhora, cabelos grisalhos, com alguns traços de loiro natural, pele clara, vestida impecavelmente. Ela começa a caminhar em direção a casa e vendo que nenhum empregado veio para recebe-la ela mesmo abriu a porta e entrou. 

Quando ela entra se depara com Lena sentada no sofá da sala com um copo de Whisky na mão, sem maquiagem, cabelos soltos, descalça e vestida com um vestido florido até o joelho. A claridade da porta atrapalhava Lena a ver o rosto da pessoa que entrou pela porta da casa, mas ela a reconheceu pelas roupas e sapatos, mas que depressa Lena se levanta, larga o copo e vai até a mulher Arrumando o cabelo. 

Lena: - Virgínia querida quando voc...

As palavras de Marilena foram caladas  por um forte e sonoro tapa na cara. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...