História Minha Mãe Me Vendeu? - Livro 2 - Pedro - Capítulo 49


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Continuado, O Vizinho Valentão, Pedro
Visualizações 15
Palavras 2.339
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Escolar, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 49 - Capítulo 49


Já no aeroporto, os Andrade se despediam de uma forma bem emotiva, Pedro prometeu ao pai que nas férias eles iriam todos para a Disney. Os 3 entram para sala de embarque e Pedro fica praticamente inconsolável. André sabia que ele tinha tido o dia mais feliz da vida dele ontem, ele pode pela primeira vez saber o que era família. Eles saem juntos do aeroporto e entram no carro.

A: - Não pode ficar triste meu amor, agora você vai poder ligar para ele sempre que sentir a falta dele, vai o visitar daqui a um tempo, ele vai entrar com você na igreja no nosso casamento amor. Pensa nas coisas boas.

Pedro assente já secando suas lagrimas e o telefone de André começa a tocar. Ele vê que era seu secretário e pede licença a Pedro e sai do carro, aquilo o deixa desconfiado, já que ele nunca escondeu nada dele, a não ser a ultima briga que teve com seus pais e ele sabe que foi para o bem dele, mas dessa vez estava estranho. Já fora do carro e a uma boa distancia André atende.

Ton: - Ele não pode abrir internet, ver canal brasileiro, acho que saiu ate na CNN, a senhora Virgínia chamou quase toda mídia local.

A: - Mas o que ele não pode ver Aírton? - Ele pergunta olhando Pedro dentro do carro o encarar de uma forma que ele não gosta.

Ton: - Ela foi presa senhor, e a cena foi horrível. Ela gritava que iria sair da cadeia e matar todo mundo, estava descalça, descabelada, parecia não dormir a dias. O nome dela é tudo que se escuta por aqui.

A: - Essa mulher não tem dignidade nem de desaparecer sem fazer show? - Ele bate em uma coluna e logo vê Pedro abrir a porta do carro e vir até ele. - Acho melhor ele saber por mim.

Ton: - Ele vai aguentar? - Se preocupa.

A: - Eu sou um psicologo, eu tenho a obrigação moral de o ajudar. - Ele puxa Pedro e o abraça - Ele tem que saber por mim. Eu já te ligo para dizer o que fazer com os três que estão voltando.

Tin: - Sim senhor.

A: - Amor. - Ele vê Pedro o olhar desconfiado. - Eu preciso conversar com você, mas vamos para casa primeiro ok?

P: - Não. - Ele responde categoricamente. - Fala o que é.

O telefone de Pedro toca e quando ele pega o nome de Diego estava no visor. Quando ele ia apertar para atender, André puxa o telefone da mão dele.

A: - Eu vou te contar, mas não atenda ninguém, pelo amor de Deus. - Ele aperta o botão para desligar o telefone e coloca em seu bolso. - Pelo menos vamos para o carro.

P: - Você sabe que você está me deixando mais nervoso agindo assim? - Ele fala já o seguindo.

A: - E você pensa que eu sou de ferro? - Ele puxa Pedro e o abraça. - Eu não vou suportar te ver passar mal de novo. Essa é toda minha preocupação.

Eles entram no carro e André se vira no banco para ficar de frente para Pedro.

A: - Vou te contar tudo o mais detalhado que eu puder, então em escuta tudo primeiro ok? - Ele assente. - Ontem a tarde, sua mãe foi presa.

P: - Que? - Ele não teve uma emoção tão forte, ele só ficou sem entender. - O que ela fez? Por que vocês tem essa mania de me da noticia fazendo parecer que o Papa morreu e quando eu escuto a historia é algo tão...

A: - Como eu vou saber que você não iria entrar em panico de saber que sua mãe foi presa? - Ele fala surpreso. - Querendo ou não é sua mãe né?

P: - Ok, Estou triste, cadeia não é um lugar legal, mas nos somos ricos, ela não vai ficar lá mesmo. A inútil da minha avó materna vai tirar ela de la, isso se ela já não estiver na nossa sala tomando Whisky e gargalhando.

A: - Então... - Ele da um tapa no volante e começa a morder a parte interna da boca. - Eu acho que não, porque tipo...

P: - Fala de uma vez André Vila Nova. Se é para bater que seja um soco só.

A: - Eu encontrei provas de que sua mãe extorquia seu pai e seu irmão e que ela vendia produtos contrabandados e falsificados para as socialites.

P: - Então você ficou puto e mandou minha mãe para a cadeia? - Ele começa a se balançar no banco do carro e depois começa a bater os dedos na perna.

A: - Eu to fudido! - Ele olha para mão de Pedro. - Faz isso não amor. Olha eu fiz isso porque eu te amo, mas eu não sabia que sua avo iria prender ela. Não foi para isso que eu mandei.

P: - Minha o que? Como a mãe dela manda ela para cadeia? - Ele tem um momento de surto. - Ser ruim é de família então? Desisto de adotar uma criança agora.

A: - Não amor, sua avó paterna. Dona Gina. Ela foi até a mansão com a policia e sua mãe foi presa com a imprensa local toda gravando.

P: - Pera... - Ele volta a ficar meio sem entender e meio surtando ao mesmo tempo. - Eu nunca vi essa mulher, ela morava perto da gente e nunca foi nos ver, eramos crianças sozinhas em outro continente e ela nem se importou, agora ela sai da puta que pariu para prender minha mãe? - Ele para e pensa. - Ok ponto para ela, como assim ela roubava do Jon? Mas por que tinha imprensa? Como você conhecia minha avó? Eu nem sei mais como... Pera estou confuso.

A: - Calma, quer uma água? Ele pega água no cooler do carro e da a Pedro. Vou explicar tudo. Quer seu remédio?

P: - Não está tudo bem, só me explica desde o inicio isso ai.

A: - Depois que você saiu do hospital, eu fiquei muito possuído de ódio deles, eu peguei todas as provas que eu tinha das coisas que os dois fizeram e mandei para a sua avó, eu não o Ton, que no fim da no mesmo.

P: - Certo, até ai da para entender. Estou bravo, mas entendo, você fica tão perdido assim por minha causa meu amor? - Ele fala sorrindo.

A: - Eu mataria por você e não estou brincando.

P: - Bom saber disso, vou comprar uma coleira para você e te prender no pé da cama, é mais seguro. - Ele passa a mão no rosto de André. - Não faça mais nada sem me contar antes a partir de agora ok?

A: - Certo, eu prometo. - Ele parece sincero. - Sua mãe, ela roubou 3 milhões da empresa do seu pai e depositou em uma conta em seu nome, na verdade foi bem mais que isso, 3 milhões era o que tinha lá quando eu saquei tudo. Lembra que você me deu uma procuração para cuidar de tudo para você. - Ele assente. - Então, eu a usei para limpar essa conta, O dinheiro que sobrou está todo em sua conta pessoal. Eu paguei sua faculdade com esse dinheiro.

P: - Ma gente! Eu sou rico e nem sabia? COMASSIM? - Ele começa a rir- Essa mulher é louca?

A: - Um pouco né? - Ele ri junto. - Ela ficou bem abalada quando falei que peguei esse dinheiro, foi divertido a ouvir sofrer. Desculpa.... - Pedro ainda ria. - O seu irmão ficava com apenas 30 ou 40% do que fazia, Ela ficava com todo resto. Acho que ela usou tudo para fazer plásticas, você já viu sua mãe em fotos antigas? - Pedro nega. - Acho que ela renasceu, é outra mulher. Agora o que sua avo fez, por que ela ficou louca assim, por que ela voltou, isso você só vai ver no globo repórter. Brincadeira. - Ele sorri meio bobo.

P: - Você está mesmo em posição de brincar né bonitinho? - Ele belisca a coxa de André.- Cara, eu to me sentindo péssimo, eu juro, eu estou com um aperto no coração. Mas sabe quando o grito de "Bem Feito" está aqui? - Ele põem a mão na garganta. - Eu não sei como estou me sentindo. Estou escutando isso tudo e me sinto como aquele meme da Nazaré Tedesco tentando fazer cálculo. Estou perdido. Estou preocupado mais de como o Jon vai ficar e meu pai, De como essa louca saiu da França para vir fazer papel de uma mãe que eu nunca vi ela ser.

A: - Eu vou ligar para o Ton e perguntar mais detalhes, consegue aguentar?- Ele pega o telefone e disca para seu secretario depois de Pedro assentir.

Ton: - Sim, senhor.

A: - Tem algum detalhe do que está acontecendo?

Ton: - A fofoca sobre ela está bem feia, só se fala dela nos lugares e sempre mal, tenho contato com o secretário da dona Gina e a casa vai ser reformada, ela mandou queimar tudo que era da Dona Lena.

P: - Nossa, mas por que tanto ódio?

Ton: - Não sei. Mas o Secretario dela falou que ela só falava do senhor. Ela gritava coisas como, "como ela se atreveu fazer isso com meu Pedro" e quebrava algumas coisas. Isso é tudo que eu sei, o resto está na TV, o vídeo da prisão dela está no G1. Mas sendo bem honesto senhor Pedro, o senhor não deveria ver.

P: - Olha... Primeiro, não me chama de senhor que me da até alergia, segundo se é para matar enfia a faca e torce de uma vez. Eu vou ver sim. Me da meu telefone aqui André.

A: - Amor, eu acredito no Ton se ele falou que é melhor você não ver...

P: - Já falei para parar de Show, me dá esse telefone André. Uma hora você vai dormir, então para que adiar? Eu vou ver de qualquer jeito.

A: - Ton eu vou desligar, se souber de algo, me avisa.

Ton: - Certo, mas se preparem, porque ela vai aparecer na casa de vocês. Ela pediu o endereço diretamente ao seu pai, porque eu não dei.

P: - Virou feira livre? Todo mundo aparece do nada lá em casa agora? Que porra é essa? Ton, procura um outro apartamento para gente e não da o endereço para ninguém.

Ton: - Sim senhor, em que parte da Califórnia o senhor deseja?

P: - Cê ta loko? Eu to brincando menino! - Ele olha pasmo para André. - E não me chama de senhor... Ai! coisa mais patrão, seu patrão é ele amigo, não eu.

Ton: - O senhor, você, O senhor é meu patrão também, ordens do senhor André.

P: - Aé? Então minha primeira ordem é me chamar apenas de Você. Pronto. Eu vou ver o vídeo e a gente conversa depois, não se esqueça de recolher o máximo de babado sobre isso e me contar, pegue meu pai, meu irmão e o chatonildo no aeroporto e conta para eles as coisas com jeito por favor.

Ton: - Pode deixar Pedro. Até mais senhor André. - E desliga a ligação.

P: - Telefone! - Ele estende a mão e André entrega. - Acho bom mesmo! - Ele o olha desafiadoramente.

A: - Você lida com as coisas de um jeito bem estranho. - Ele fala preocupado. - Quando o baque vai cair de verdade em você?

P: - Quando meu irmão passar mal. Eu preciso ser forte para ajudar ele agora. Por que ele vive xingando a mamãe mas ele ama ela muito.

A: - Você também?

P: - Eu realmente não sinto nada por ela, não tive contato, afeto, então não da para sentir nada. Por mais triste que eu esteja, sabe aquele sentimento de que você foi vingado? E isso esta me fazendo me sentir uma pessoa horrível.

A: - Eu duvido que alguém vá te julgar por isso depois de saber o que você passou.

Pedro sorri para André, agradecendo mentalmente por ter alguém que o entendia, ele até queria se sentir mal mas ele simplesmente não conseguia. Depois de ver o vídeo, de como sua mãe parecia desesperada, de como ela estava desleixada ele sentiu um pouco, por que ele nunca viu Lena Andrade descer do salto e ela parecia uma louca descabelada. Mas nem na hora em que ela precisava ser mais humilde ela deixou de ameaçar as pessoas, se ele quisesse ter compaixão por ela, ao ouvir aquilo, ele matou aquela vontade na hora.

O telefone dele toca de novo e era Diego de novo mas dessa vez ele atende.

P: - Fala gordo!

D:- Jon está com você?

P: - Está voltando para ai.

D: - Ah mas puta que pariu. - Ele fica mudo por um tempo. - Ele nunca coopera também.

P: - Que foi agora? - Ele se faz de desentendido.

D: - Eu não sei uma forma de te contar isso velho, mas eu sei lá, achei que eu deveria te ligar.

P: - Sobre minha mãe? Está tudo bem. Pode ficar tranquilo.

D: - Posso mesmo? Eu te conheço, quando você me manda ficar tranquilo é que eu mais me preocupo.

P: - Eu odeio como você me conhece. Mas, eu acho que vai ficar tudo bem, cuida do Jon para mim? Eu sei que posso confiar em você para isso.

D: - Com certeza. Você sabe né?

P: - Qualquer hora, qualquer motivo, eu sei.

D: - Da abraço no André.

P: - Pode deixar. Obrigado por ligar.

D: - Não se agradece a amigos.

Pedro desliga e olha para André sorrindo. Ele não estava com um semblante muito bom. André tentou deixar isso para lá. Ele não tinha tempo para ter ciume, cuidar de Pedro agora era mais importante.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...