História Minha Mãe Me Vendeu? - Livro 2 - Pedro - Capítulo 52


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Continuado, O Vizinho Valentão, Pedro
Visualizações 15
Palavras 1.605
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Escolar, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 52 - Capítulo 52


Já lá dentro ele entrega a Antônio um envelope que ele pega meio assustado, ele não chamou o advogado e a mãe dele estava agindo muito rápido, ele nunca imaginou ela sendo tão perspicaz.

Antônio: - O que é isso? - Ele pergunta já abrindo e pegando vários papeis.

- Esse é o papel de divorcio assinado por Marilena o outro é um documento dela abrindo mão da guarda das crianças e o outro é ela abrindo mão de tudo o que ela teria direito pela união matrimonial. - Ele fala apontando para as folhas.

Antônio: - Mas... Como assim? - Ele lê os documentos incrédulo, ela nunca assinaria esse tipo de coisa, ela iria lutar pelo dinheiro até a morte dela. - Vocês a drogaram? Não faz sentido.

- Senhora Virgínia, foi até a delegacia comigo e fez uma troca justa com ela. Ela não faria mais nenhum, como eu posso explicar... - Ele pensa. - Boicote. A empresa dos pais dela, o processo correria em sigilo total, assim a tal Imagem que ela tanto ama ter dela mesma, cujo qual já foi destruída mesmo, mas ela não sabe, seria preservada e que a mandaria para fora do país quando ela saísse.

Antônio: - Ela trocou tudo? Até os filhos, até o Jon pela imagem dela? Essa mulher precisa ser estudada. - Ele ainda olhava para Machado Incrédulo.

- Mas ela não deu a guarda das crianças para você, ela deu para sua mãe e esse aqui. Ele pega um outro envelope. É a transferência de guarda, mas ela tem algumas clausulas que precisam ser cumpridas para que você possa ter a guarda total das crianças.

Antônio: - Como assim? Eles são meus filhos, agora eu tenho que agradar minha mãe para ter meus filhos? - Ele fica um pouco nervoso.

- Escute primeiro Tony, Ela não quer roubar suas crianças, - o Dr sorri ao ver que seu amigo realmente se importava com os filhos. - Clausula 1. - No primeiro ano de convivência, Pedro, Jonathan e Antônio Andrade, com exceção apenas para Pedro, caso ele ainda esteja nos Estados Unidos, devem ir jantar com a Senhora Virgínia Andrade todos os domingos.

Antônio: - Sério mesmo isso ai? - Ele começa a batucar os dedos na mesa. - Ficou carente agora minha mãe?

- Não sei, eu só cumpro ordens Tony, posso ler? - Antônio assente ainda que não gostasse. - Clausula 2. No primeiro ano, todos as Quinta- Feiras a noite, apenas com exceção de doenças ou compromissos com a faculdade, Dávila, Victor, Victoria e Antônio Andrade, Devem ir jantar com a Senhora Virgínia Andrade em sua casa, ou em um restaurante, pré agendado.

Antônio: - Isso só pode ser carência. Faz algum sentido isso? - Ele olha ainda estressado para o advogado. - Ela some e agora quer obrigar a gente a brincar de casinha com ela para eu ter a guarda dos meus filhos?

- Creio que ela tenha um motivo para isso. - Ele fala sem explicar muito sobre o caso. - Posso prosseguir?

Antônio: - Tem mais? - Ele fala agoniado.

- Sim, temos mais algumas aqui. - Antônio abaixa a cabeça e sinaliza para que Machado continue. - 3. Estando em Abril de 2017, Antônio Andrade Júnior, tem até dezembro para fazer seus filhos, os 4 , e sua nova parceira, estarem em convivência pacifica. Para que tenham uma festa de natal com sua avó Virgínia Andrade.

Antônio: - Eu tenho 8 meses? - Ele começa a gargalhar. - Ela conhece o Pedro? Não, ela não conhece! Meu filho vai levar no mínimo 10 anos para me aceitar totalmente, e vocês querem que eu faça ele sentar em uma mesa de natal ao lado dos outros em 8 meses? Eu vou ser morto. Eu já escuto os dedinhos dele batucando na mesa e vejo ele mordendo a boca por dentro tentando arrumar forças para não me matar. Isso não vai dar, sério. Não vou forçar meu menino a fazer algo assim. Ele tem personalidade e é isso o que ele tem de melhor.

- Bem, aqui diz que você tem que cumpri pelo menos 80% das exigências, Se cumprir as outras... Quem sabe né? - Ele fala com um sorriso no rosto.

Antônio: - Num fode Machado! - Ele fica estressado. - 80%? Já está melhorando... Fala as outras de uma vez, não vou mais interromper.

- Certo! - Ele sorri. - 4. Antônio, ira visitar seu filho Pedro uma vez por mês com tudo custeado pela senhora Virgínia. Caso as visitas batam com os dias de Jantares familiares, os outros membros devem comparecer mesmo com a sua ausência. - Ele olha para Antônio, e ele manda prosseguir. - 5. A senhora Virgínia Andrade, tem o direito de visitar seus netos, Victor e Victoria, na nova casa de seu filho ou faculdade quando a mesma desejar. 6. Dávila deverá ir a passeios com a senhora Virgínia, com datas e hora combinadas previamente.

Antônio: - Ela não vai querer... Eu vou me ferrar nessa brincadeira ainda. - Ele põem a mão na testa.

- Você quer a guarda das crianças não quer? Se vira Tony. - Ele ri de seu amigo de infância que estava totalmente desesperado.

Antônio: - Porra Machado! - Ele fica realmente nervoso - A Vivi não gosta dessas coisas, ela vai se sentir humilhada andando com motorista e tomando chá em clubes com aquelas criaturas nojentas andando em volta dela... Ela só se da bem com a Maria de Lourdes e a Rita, que são mães de Amiguinhos dos meus filhos. Mas mesmo assim não vão ao clube, NUNCA!

- Eu não sei onde ela vai levar sua esposa... Mas você já tentou dizer não para Virgínia? - Ele encara o amigo sério. - Porque eu não quero tentar não. Meu pescoço também está na reta. "Você é amigo dele, se vira para ajudar!" Ela é bem dócil né?

Antônio: - Porra! Quem vê aquele rostinho angelical, aqueles cabelinhos ralos e brancos não sabe o cérebro digno de Maquiavel que se esconde ali.

- Posso continuar?

Antônio: - TEM MAIS? - Ele grita em agonia.

- Claro! É virgina Andrade meu filho...

Antônio: - Cospe logo tudo isso ai. - Ele deita sobre a mesa.

- 7. - Ele começa a rir. - Virgínia pede para que seu filho Antônio Andrade Junior a leve para passear a locais diferentes a cada 15 dias. 8. Antônio deve entregar um balanço mensal das entradas e saídas da sua empresa a Virgínia. 9. Se a empresa não começar a gerar lucros substanciais até outubro ele deve voltar para a empresa da família. 10. e ultimo meu amigo. - Ele vê Antônio levantar as mão aos céus ainda estando de cara na mesa. - Até dia 31 de Dezembro de 2017, essa bagunça que meu filho Antônio Andrade arrumou tem que ser uma família. Caso contrário, ela vai tirar o nome dos seis membros da herança e doar toda a fortuna dos Andrade para o funcionário Arnaldino Bezerra Dos Anjos.

Antônio: - Ela quer ver a minha morte? - Ela é doida? Tem um lugar para ela do lado da Lena lá na cadeia?

- Não fala assim! - Ele se aproxima e da um tapa na cabeça de Antônio. - Ela esta fazendo pro seu bem seu idiota.

Antônio: - OW! Você tá ai de terno agora Dr Machado, você não pode bater no seu cliente e de que lado você está? - Ele fica fazendo cara feia e encarando Machado.- Ela quer minha morte, como vou fazer isso tudo em um ano e ainda gerar lucro nessa empresa? Já conseguiram fazer clonagem? Será que é muito caro?

- Tony, são seus filhos, acha mesmo que não consegue fazer eles te amar? Eles não conhecem o Tony que eu conheço, deixa eles conhecer esse porra louca, brincalhão e debochado que você é. 

Antônio: - Quer um beijinho também? Não tenho dinheiro não porra, nem vem me elogiar! - Ele se joga para trás na cadeira. - Sabe o que eles acham que eu sou? Um bananão... Cara doeu ouvir isso, mas eles tem razão. Dentro daquela casa eu era um bananão. Mas era por eles.

- Então senhor Bananão - Ele começa a rir e vê os olhos de Tony quase o fuzilar. - Faz uma vitamina de você e da para eles, pelo menos alimenta. - Ele começa a se desviar de canetas e lápis que são jogados nele. - Se vira homem, não tem culhões? No que eu puder eu te ajudo. Serei a pessoa que estará na frente carregando seu caixão! Juro.

Antônio: - Vem aqui! Eu vou quebrar você de pancada. - Ele se levanta e vê seu amigo gargalhar quando se aproxima dele. - Que porra de amigo é você? Me da esse contrato fudido. - Ele pega o contrato e suspirando assina ele dando uma via para Machado e ficando com a outra. - Você me deve uma caixa de cerveja se eu vencer isso aqui! - Ele fala apontando para o amigo.

- Até duas. - Ele ri. - Te dou um caminhão da Brahma cheio e ainda o churrasco junto. - Ele bate no ombro de Antônio. - Eu acredito em você Tony, Eu conheço você desde criança, você vai vencer isso ai fácil. Só precisa tirar os 22 anos sendo uma múmia paralitica da sua vida e voltar a ser o Antônio que era antes de se casar. Essas clausulas entram em vigor sem ser essa semana a outra. Você tem 1 semana para voltar a ser você. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...