História Minha Mãe Me Vendeu? - Livro 2 - Pedro - Capítulo 54


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Continuado, O Vizinho Valentão, Pedro
Visualizações 15
Palavras 817
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Escolar, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 54 - Capítulo 54


A ansiedade tem feito Pedro dormir e acordar cedo e mesmo sendo uma das coisas que ele mais odeia ele tem usado esse período de paz para ler ou fazer algo que ele sempre quis tentar. Hoje ele decidiu que iria assistir Boruto, que conta a história do filho do Naruto, o anime favorito dos 4 amigos, Pedro é fã da Temari, Jon do Gaara, Diego e Matheus do Sasuke. Ele foi o único que não tinha visto ainda essa continuação.

Ele se sentou no sofá com chá e biscoitos, apertou o play e se aconchegou no sofá para assistir. Quando ele estava assistindo o 3 episódio a campainha toca e Pedro já respira fundo, ele sabia que sua avó estava vindo, mas ele não esperava que fosse tão rápido. Sentado olhando para o corredor da porta de entrada, ele ficou travado pensando se abria ou não até que a campainha toca de novo e ele se levanta.

Quando ele abre a porta ele avista uma senhora sorridente, baixinha e com uma aparência angelical que sem dizer nada o abraça e beija seu rosto diversas vezes.

P: - Peraê minha senhora! Eu sou casado! - Ele começa se afastar e a olha assustado. - Quem é você? - Ele se fez de desentendido.

V: - Eu sou Virginia Andrade, sua avó. - Ela responde sorrindo.

P: - Acho que a senhora se confundiu, eu não tenho avó. - Ele se mantém sério e parado na porta.

V: - Aí Pedro, não dificulta... - ela sorri sarcástica. - Eu sei que você está ressentido, mas não tenho tempo para joguinhos agora.

Virginia enfia a mão entre Pedro e a porta e o tira da frente entrando no apartamento.

V: - Olha, isso é mesmo um lugar digno de um Andrade. - Ela entra olhando tudo deixando Pedro puto da vida na porta, olhando pra ela de boca aberta. - Não vai entrar? Alguém tem que me servir um suco. Ou você tem empregados? - ela volta a olhar ao redor.

P: - Olha aqui minha senhora...

V: - Vovó! - Ela sorri ao interrompe-lo. - Sou sua vovó, não vem com essa de minha senhora pro meu lado que não vai rolar. - Ela se senta no sofá e encara Pedro que se surpreende com seu palavreado moderno. - E o meu suco?

P: - Hãmm? - Ele pergunta e ri sarcástico - Eu não tenho avó, nem avô, nem nada disso não senhora e eu só sirvo suco na minha casa para convidados, não para pessoas que entram a força. - Ele fica indignado com a cara de pau dela.

V: - Eu tenho certeza que você ainda acha que eu sabia que você estava na Europa a uns anos atrás, não, eu não sabia... Se eu soubesse hoje você estaria morando comigo e não passando o que passou na mão daquela desequilibrada. Acho que se você quer me odiar, que seja por algo que eu fiz realmente.

P: - Você nunca veio me ver, nem nos convidou para ir lá!! - Ele fala de forma alterada e gesticulando.

V: - Mentira... - Ela fala categórica e levantando seu dedo indicador.

P: - Como isso pode ser mentira? - Ele bate a mão nos quadris e depois segura sua cintura com as duas mãos.

V: - Eu sempre mandei enviarem vocês nas férias de julho para minha casa, a mãe de vocês falava que vocês não queriam ir ou que algum de vocês adoeceu e isso eu posso provar. Pois na minha casa em Paris tem um quarto para cada um de vocês intocado. Quer ver?

P: - Quero, desculpa mas não confio em ninguém. - Ele a olha com desdem.

Virginia pega o celular e liga pra aleguem falando em francês, em seguida ela desliga e caminha até Pedro. Ela recebe uma ligação via Skype e atende, era uma chamada de vídeo. A pessoa para em frente a duas portas, cada uma tinha uma placa e era aparentemente velha, uma com o nome Pedro e outra Jonathan.

V: - Betina querida pode entrar no quarto do Pedro?

Betina: - Sim madame.

Ela entra e tinham brinquedos ainda nas caixas, não tinha como ser coisa montada, eram brinquedos antigos, pistas de Hot Wheels que ele sabia ser antigas, a moça andou e abriu o guarda-roupa e tinham roupas de vários tamanhos, estante com livros, computador Mac azul, aquilo dizia o quão velho era aquele quarto.

Quando as lágrimas de Pedro começaram a descer Virginia agradeceu a sua empregada e desligou a ligação.

V: - Próxima reclamação meu neto. - Ela se senta novamente - Acho que já mereço meu suco não?

Pedro assente ainda chorando e caminha até a cozinha ainda perplexo pelo que viu.

V: - Vovó não pode tomar açúcar viu? - Ela fala alto e começa a rir sozinha por ter conseguido detonar a primeira parede.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...