História Minha Mãe Me Vendeu? - Livro 2 - Pedro - Capítulo 56


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Continuado, O Vizinho Valentão, Pedro
Visualizações 15
Palavras 1.099
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Escolar, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 56 - Capítulo 56


Pedro acordou sentindo um cheiro delicioso, quando ele olhou o relógio viu que eram 10:17 da manhã ele nem acreditou. Ele finalmente voltou a conseguir dormir, O dia de ontem com sua avó foi tão divertido e gratificante, que por pelo menos uma noite nesses últimos dias ele conseguiu ter uma boa noite de sono. mas aquele cheiro o estava deixando intrigado. Ele vai até seu closet, se veste com uma bermuda e uma camiseta e vai até a sala onde finalmente achar André que o recepciona com um sorriso e um beijo. Quando Pedro tenta sair de seu abraço e continuar seguindo aquele cheiro de coisa assando, André o pega no colo e rindo o leva de volta para o quarto. 

P: - Qual é!? Eu quero ir até a coziiiinha- Ele faz birra mas continua rindo. - Me da licença! - Ele tenta passar por André mas ele o carrega novamente. - Você se aproveita de eu ser levinho. - Ele fecha a cara.

A: - Claro! Meu bonequinho lindo. - Ele põem Pedro de pé sobre a cama. - Fica ai! 

P: - NÃO! - Ele tenta correr

A: - FIca aiiii! Vai estragar a surpresa da sua avó! - Ele fala rindo das tentativas falhas de fugir de Pedro. - Se ficar ai eu te recompenso de noite! 

A gargalhada sonora de André encheu o quarto ao ver Pedro se deixar cair sentado na cama e cruzar as pernas. O jeito safado que Pedro o olhava o fazia querer atacar ele ali mesmo, mas a qualquer momento ele iria ser chamado de volta por Virgínia. 

P: - Eu tenho que esperar muito? A cada 5 minutos de espera, eu vou exigir alguma coisa de você!

A: - Oi? - Ele começa a rir. - Como assim produção? E o que você vai querer de mim?

P: - Coisas... - Ele morde o lábio. - Algumas coisas... 

A: - Devo me assustar? - Ele respira fundo ao ver Pedro começar passar a mão em sua barriga. - Para! - Ele se afasta da cama. - Ahhh não, vai para cama Pedro! - Ele começa a se desviar dos ataques de Pedro. - Por que você está fazendo isso comigo? Não tem Piedade de mim não?

P: - Não! - Ele ri e tenta o alcançar. - Você quer me manter aqui não quer? Precisa me entreter... 

A: - Isso não é justo... - Ele finge chorar. - Deixa só eu te pegar! Vou fazer você pagar por isso em dobro. - Ele continuava a desviar das mãos espertas e certeiras de Pedro. 

P: - Isso é uma promessa? Eu posso esperar? Posso cobrar?

Gina: - Andréééééééé! Já pode vir! - Ela grita do corredor. 

A: - AI graças a Deus... - Ele respira fundo e tenta arrumar seu saliente volume na calça. - Você! - Ele agarra Pedro por trás e morde a nuca dele. - Vai me pagar e caro! Pode esperar. 

Pedro olha para ele com seu sorriso mais sem vergonha e corre porta a fora para saber do que se tratava aquele aroma que enchia a casa. Quando ele chega na cozinha, seus olhos nem piscavam e ele vem sabia o que fazer. 

P: - Ai meu Deus! Você fez isso tudo vó? - Ele se senta na mesa ainda sem reação. 

A: - Acordamos bem cedo para esperar o mercado abrir. - Ele se senta sorrindo para sua parceira de crime. - Para dizer a verdade ela já estava de pé desde as 5, acordei com cheiro de doce ela estava fazendo essas maravilhas. - Ele aponta para os potes de doces de frutas caseiro. 

Pedro passou novamente os olhos pela mesa e sorria muito, alguém levantou cedo para fazer aquilo tudo para ele, bolo de chocolate com calda, bolo de fubá, pão caseiro, Frutas em calda, salada de frutas, waffler caseiro com mel, suco de laranja e leite queimado. Fora os frios todos arrumados pratos sobre a mesa, deixando aquilo parecendo café de hotel. 

P: - Eu nem sei o que dizer, muito obrigado vó! - Ele fala se levantando e beijando ela no rosto. 

Gina: - Quero ver você comer de tudo um pouco. Tudo está liberado. Foram feitos com produtos especiais com pouco ou nada de açúcar. A única coisa não diet é o leite queimado. Esse tem que ser original. 

Pedro senta correndo e já enche seu copo de Leite queimado. Quando ele sente o gosto, era visível o prazer e alegria que ele estava de beber algo que ele amava tanto e o melhor dessa vez foi feito para ele, ele não precisou pegar o do Jon que a mãe fez quando ele estava doente. Ele pegou uma fatia de cada bolo e colocou em seu prato e comeu com muito prazer, passou um pouco de manteiga na broa de fubá quentinha e comeu soltando sonoros sons de prazer. Virgínia estava de Pé ao lado da mesa o olhando com um sorriso enorme no rosto, o fato dele estar comendo tudo parecendo ter passado fome um milênio, fazia ela ficar ainda mais satisfeita, seu trabalho valeu a pena. Ela fez o que queria, viu seu neto sorrir feliz e genuinamente para ela pelo menos uma vez. 

Gina: - Ontem você me mostrou a faculdade, passamos em frente ao seu dormitório, fomos comer numa churrascaria e hoje? Vai fazer compras com a vovó? Preciso de algumas peças de roupas.

P: - Opa compras? Essa palavrinha magica é tudo o que eu precisava ouvir. - Ele ri. - Preciso comprar umas coisas, aproveitar um dinheiro extra que ganhei.

Gina: - Ótimo, a gente compra e nosso gostosão dirige e carrega bolsas. E ai o que acha? - Ela sorri para André. 

A: - Combinado. - Ele sorri e continua comendo. - Isso aqui nem parece comida dietética. Parabéns. 

Gina: - Vou deixar mais algumas coisas prontas antes de voltar. 

P: - Você deveria morar aqui para sempre vó! Senta e come, Por que está de pé?

Gina: - Eu deveria? Vou pensar nisso... - Ela sorri, se senta e começa a comer também. - Esqueci, estava tão feliz que nem me lembrei de comer.

Virgínia comia olhando para seu neto e sentindo seu coração se encher de alegria a cada sorriso que ele lhe dava. *Por favor, não me prive disso Senhor, não agora. Eu ainda quero aproveitar um pouco mais das minhas crianças.* Ela fica séria por um tempo enquanto pensava em sua provação, mas ao ouvir um elogio de seu nato ela logo volta a sorrir afastando seu futuro e pensando apenas no hoje. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...