História Minha Mãe Me Vendeu? - Livro 2 - Pedro - Capítulo 61


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Continuado, O Vizinho Valentão, Pedro
Visualizações 15
Palavras 1.403
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Escolar, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 61 - Capítulo 61


Pedro já começa a estranhar a casa desde o momento que entra na estrada de acesso, ele olha para Jon e nota que ele também estava assustado.

P: - O que é isso tudo?

J: - Eu não venho aqui 1 semana e isso acontece?

Tony: - Mãe o que é isso tudo?

G: - Gente vocês nunca viram calçamento? Postes e canteiros de flores?

P: - Sim já, mas não aqui, sim está lindo, mas nossa vó... Pra que isso tudo? - Ele se joga por cima de André para conseguir olhar tudo pela janela do carro.

G: - Essa mansão toda vai ter outra cara...

J: - Pedro! Olha aquele chafariz! - Ele aponta para um chafariz com o dobro do tamanho do que o antigo.

P: - E de onde saiu aquele piscina? - Ele olha para a avó, nossa casa não tinha uma, aaaaaaaaaa temos piscina Jon - Ele sacode o irmão loucamente.

J: - Nossa, cuidado! Vai deixar o tico e o teco tonto menino, eita! - Ele se solta do irmão e bota a mão no rosto tentando diminuir a tonteira. -  Nossa casa mudou de cor também! - Ele aponta e Pedro continua deslumbrado com a piscina.

P: - Você botou quantos 500 homens para dar conta disso tudo em uma semana?

G: - Não sei, eu estava com você lembra? - Ela sorri também olhando o serviço. - O Dino falou que iria contratar uma empresa para isso.

Dino: - Veio a equipe inteira do pai do Matheus para cá. Vocês precisam ver como está dentro. - Ele sorri feliz em ver que gostaram das escolhas dele. 

G: - Aqueles do aeroporto? - Ela olha assustada. - O que vão achar de mim? Eu nem os cumprimentei como se deve. 

Dino: - Eles sabem que você não estava no país, então não tem problema. Segunda eles estarão aqui com os outros projetos. 

G: - Ótimo, assim posso fazer umas coisas... - Ela olha Pedro sair do carro por cima de todo mundo. - Que modos são esse menino! 

P: - Piscina vovó... Piscina! - Ele sorri largamente e corre para ela já arrancando os sapatos e se sentando na borda. 

A: - O que tem de mais em uma piscina? - Ele também se espanta com a reação de Pedro. 

Dino: - Ele sempre quis ter uma, ele falava "Seria mais fácil viver aqui se tivesse uma piscina" ou "Como uma mansão não tem uma piscina?", Pelo menos foi o que eu ouvi, e a senhora Gina mandou eu fazer tudo o que os meninos queria, 

J: - Na verdade, ele sempre foi deslumbrado com piscina, quando o nosso pai viajava, íamos escondido para o quarto dele que tinha banheira, Pedro falava que era a piscina dele. 

G: - Deve ser mais uma das coisas que só Pedro sabe o que isso significa. 

A: - Acho que ele está um tanto quanto hiperativo. Esses últimos dias ele está o dobro de tudo, o dobro carente, o dobro maluco o dobro... O dobro de tudo. - Ele olha para Gina pedindo socorro. 

G: - Sim ele tem estado bem elétrico, ai do nada ele fica todo caidinho. Vamos ter que manter ele o máximo tranquilo. Ele deve está tendo algum choque, foi tudo muito rápido e intenso para ele. 

P: - Principeeeee! - Ele grita André sorrindo e o chamando com a mão. 

A: - Eu vou... - Ele aponta e sorri para todos.

G: - Seja forte, nós precisamos de você mas do que nunca. - André sorri e assente enquanto vai ao encontro de Pedro. - Jon e Danilo, vocês também, Jon sempre foi a base de Pedro. 

J: - Pode deixar vovó. Agora posso ir ver a piscina? - Ele também sorri como uma criança. 

G: - Vai... - Ela sorri. - Depois entrem para comer, suas pestinhas. 

Jon corre fazendo um coração com a mão para a avó e já se senta ao lado do irmão assim que chega na piscina. 

Tony: - Você está gastando muito com isso aqui... E se a Lena conseguir...

G: - Jamais conseguira... Nunca saiu do meu nome essa casa. Eu já deixei ela em testamento apenas para os dois, não é justo os outros dois terem algo que eles...

Tony: - Eu sei mamãe, nem existe pensamento sobre isso. Eles nem querem nada. Já estão imensamente felizes com a ajuda que você deu. 

G: - Lógico que deixarei coisas para meus netos, não seja orgulhoso. Mas essa casa, a de Londres, Paris, Japão e as empresas, essas serão desses dois. 

Tony: - Mãe, eu não estou muito a fim de discutir sobre isso no momento, saiba que não queremos nada, preferimos você com a gente até os 100 anos. - Ele abraça a mãe e começa a caminhar para casa. - Não é Dino? Essa mulher linda tem que viver muito. 

Dino: - Com certeza senhor. - Ele responde polido. 

G: - Vocês não fazem ideia de o quanto eu quero isso... - Ela sorri e agarra também o braço de Dino com um sorriso encantador no rosto o deixando sem jeito. 

J: - Não quer se trocar para entrar? - Ele fala todo animado já tirando a camisa. 

P: - Não dá Jojo... Ela ainda não está terminada olha... - Ele aponta para umas caixas no canto da piscina.  

J: - Arg, odeio coisas novas... - Ele fica revoltado chutando água para longe. 

A: - Vamos lá dentro? Eu preciso ir ao banheiro. - Ele fala no ouvido de Pedro e pega na mão dele que sorri e vai com ele deixando Danilo e Jon para trás. 

P: - Notou como seu irmão está calado? - Ele fala olhando para trás. - Para alguém que vai receber uma festa em família amanhã, não era para ele estar feliz? 

A: - Eu não conheço ele o suficiente para ver mudanças ainda, ele está quieto? 

P: - De mais, eu joguei água nele e ele nem me xingou. 

André começa a olhar para trás e fica pensativo, seu devaneio é cortado pelo grito histérico de Pedro.

A: - Que isso menino? Quer me matar do coração? 

P: - Amor essa sala está digna de cinema! - Ele entra e começa a olhar para tudo, 

Dino: - O que aconteceu aqui? - Ele aparece correndo seguido dos outros. - Ele está bem?

P: - Calma gente, eu só fiquei feliz... - Ele corria de um lado para o outro olhando moveis, a escada que foi modificada e tudo mais. - Por que vocês estão assim comigo? Eu estou bem...

J: - Sei sei... Porra quase me matou do coração. - Quando ele olha para a nova sala ele fica transparente. Ele começa a andar de boca aberta olhando as mudanças e para ao lado de Pedro. - Agora eu entendi. Você e seu amor por escadas duplas. 

P: - Viu! - Ele sorri vitorioso. - Alguém que me entende. Escada dupla, piscina, só falta agora ter uma hidro no meu quarto. 

Dino: - Não grita, mas tem... - Ele já fala tapando o ouvido. 

P: - SERIO?!! AI MEU DEUS! - Ele sai correndo escada a cima e todo mundo vai atrás dele desesperado. 

A: - Amor não corre você não pode ainda... 

Pedro abre a porta do quarto dele e era um quarto totalmente novo. Ele estava num estado que não sabia se chorava ou se sorria. Ele sentindo que suas pernas estavam falhando pela corrida, se encostou em André e ficou olhando para tudo.

P: - Tio Dino, você é um sapeca! - Ele olha para Dino com o rosto todo molhado mas com um sorriso lindo. - Você achou meus desenhos e do Theus não é? 

Dino: - Tudo para meu menino. - Ele sorri e acolhe Pedro que se joga nos braços dele. 

Gina: - E a vovó? Ela não ganha abraço? - Ela olha para os dois. 

P: - Claro vovó... 

Gina: - Seu não menino, dele! - Ela pisca para Pedro que finalmente entende quem é o alvo da dona Gina. 

P: - Claro que ganha, não é Dino!? Você sabia que a vovó tem o abraço mais gostoso do mundo? Você devia experimentar... - Ele o olha com convicção e o empurra na direção da avó. - Abraça, abraça. 

Dino todo sem jeito abraça dona Gina e ela com um sorriso largo manda beijo para o neto.  



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...