História Minha mãe Prostituta - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alexandra Daddario, Ashley Benson, Ian Somerhalder, Jared Leto, Jared Padalecki, Jennifer Morrison, Jensen Ackles, Justin Bieber, Lana Parrilla, Lucy Hale, Matthew Daddario, Paul Wesley
Personagens Alexandra Daddario, Ashley Benson, Ian Somerhalder, Jared Padalecki, Jennifer Morrison, Jensen Ackles, Justin Bieber, Matthew Daddario, Paul Wesley, Personagens Originais
Tags Drama, Família, Ian Somerhalder, Jared Leto, Jennifer Morrison, Lucy Hale, Prostituta, Romance
Exibições 111
Palavras 2.985
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, obrigado pelos novos favoritos e comentários.

Este capítulo é dedicado para: ~AnaCarolina45 , ~MandyLunaPotter , ~DPS e ~carolsalvatore5 , pois sempre estão comentando e me incentivando a continuar. Eu agradeço meninas, do fundo do meu coração.
(Não significa que os outros leitores são menos importantes, obrigado a todos vocês ♥)

Seria muito legal se vocês escutassem uma música quando "◇" aparecer, recomendo que seja "Say Something - A Great Big World ft. Christina Aguilera (Boyce Avenue ft. Carly Rose Sonenclar)" pois é a que vai ser cantada.

Espero que gostem e boa leitura!

Capítulo 7 - Capítulo 6


Fanfic / Fanfiction Minha mãe Prostituta - Capítulo 7 - Capítulo 6

Point Of View – Lucille Morrison.

Sexta-Feira, 17 de fevereiro de 2017.

Oxford, Inglaterra.

 

-Mãe isso é maravilhoso.- meus olhos estão arregalados e tenho um sorriso gigante no rosto.

Ela ri de minha expressão enquanto prepara os waffles.

-Não vai apagar o meu passado, muito menos mudará a opinião das pessoas sobre mim, mas é uma ótima oportunidade e um novo começo.- sorri radiante.

-Eu amo o tio Klaus, me lembre de ligar para ele depois.- soltamos uma gargalhada.

Me sirvo de suco de laranja e minha mãe coloca os waffles já com geleia, em um prato na minha frente.

-Ah Lucy, isso será ótimo filha.- diz sonhadora, arregala os olhos e aponta para mim. -Vamos nos mudar, para bem longe.- me afogo com a bebida.

-Não acha que é muito cedo para pensar nisso?- meu celular apita e vejo que é uma mensagem de Justin.

-Claro que não, iremos onde você quiser.- seus olhos brilham e eu me perco em sua beleza. Ela está sorrindo, e isso me faz mais feliz.

-Tudo bem.- murmuro aos risos e me levanto. -Agora tenho que ir senhora sonhadora, Justin está lá fora.- dou-lhe um abraço apertado e recebo um beijo na testa. -Eu te amo.

-Também te amo.- dá uma piscadela e eu pego minha bolsa indo em direção à porta.

Corro para o carro e entro. Selo nossos lábios e ele me encara sério.

-Você demorou.- liga o veículo e começa a dirigir.

-Estava me despedindo da minha mãe.- murmuro e ele respira fundo. -Eu não aguento mais.- 

Bato a cabeça no vidro da janela assim que ele freia bruscamente, o encaro assustada e percebo sua expressão perplexa.

-O que foi isso?- massageio o local que bati. O mesmo de quando fui atropelada, ainda dói.

-Eu é que te pergunto, você não aguenta mais o que?- franzo o cenho ao notar seus punhos cerrados.

-Você Justin, eu não aguento mais você.- elevo meu tom de voz criando coragem para enfrenta-lo. -Não faz nem uma semana que estamos namorando e eu sou tratada como um nada.

Ele fica em silêncio por alguns segundos mas logo solta um riso anasalado e arqueia uma sobrancelha.

-Lucille você quer mesmo discutir por coisas fúteis como essa?- revira os olhos. -Francamente.- murmura baixo e torna a ligar o carro.

Mordo o lábio irritada. Como ele pode ser tão idiota?

-Bieber você mal olha para mim, não conversamos sobre nada, eu me sinto como se nem nos conhecêssemos.- cruzo os braços e encaro a rua.

-Por favor garota, isso tudo é drama.- vira o veículo fazendo os pneus rangerem.

-Drama?- o encaro indignada. -Você não deixa nenhum garoto conversar comigo, Alexandra mal me olha no colégio, Ashley nem sempre está por perto e Mathew...- rio amargamente. -Ele deixou bem claro que não nos apoia, eu não tenho com quem dialogar a não ser com o idiota que é meu namorado.- começo a balançar as pernas.

-Não sei porquê quer conversar, quer saber Lucille, eu estou cansado dessas suas frescuras.- aumenta o tom de voz. -Você nunca quer sair, sempre está preocupada ou triste e o pior de tudo, me nega sexo.- arregalo os olhos.

-Então se trata disso? O sexo?- sinto um nó em minha garganta. -Eu já disse que sou virgem.

-Qual é o problema? Estamos namorando, não estamos?- bate no volante com as mãos e eu balanço a cabeça. Não posso acreditar.

-Você só me pediu em namoro para poder transar?- arregala os olhos.

-Mas é claro que não.- bufa e eu passo a mão pelo cabelo frustrada, ele para em sua vaga habitual do estacionamento e me olha. -Eu gosto muito de você.

Por um momento me perco em seus olhos, minha tão almejada imensidão de mel. Começo a me lembrar de todos os sonhos que tive em que estávamos juntos, e agora que realmente tudo se tornou realidade, está sendo muito diferente do que imaginei.

Acaricio seu rosto lentamente e respiro fundo de olhos fechados. Sou apaixonada por ele, não posso negar.

Talvez meus problemas sejam a verdadeira pedra em nossa relação.

-Me desculpe, tenho passado por tanta coisa que se quer tive tempo para você.- abro os olhos e ele está me encarando. Sorrio. -Prometo que vou te dar atenção.- inclina o canto da boca minimamente.

-Tudo bem, me desculpe pela frieza com que venho te tratado.- acaricia minha mão. -Vamos recomeçar.

Justin me puxa pela cintura e junta nossos lábios. Nos beijamos até o ar nos faltar e trocamos um grande sorriso.

-Podemos negociar sobre seus desejos.- digo risonha e ele morde o lábio.

-Eu vou adorar isso.- sorri malicioso e me agarra novamente.

Quando o clima começa a esquentar, ouço batidas na janela. Me viro assustada e me deparo com o Ryan.

-Olha só o Bieber, quase fodendo a filha da prostituta no carro.- arregalo os olhos e me viro para o meu namorado, ele está rindo da piada. Franzo o cenho irritada.

-Você não vai me defender?- pergunto indignada e ele revira os olhos.

-Ryan só está brincando.- assinto devagar e abro a porta com brutalidade.

-Sem negociações para você Bieber.- bato com força e ajeito meu vestido. Olho para o Butler e esbarro nele antes de sair.

Como esse idiota pode não me defender? Não que eu seja uma garotinha indefesa, mas, droga!

Solto um grunhido de raiva e entro no colégio. Passo por alguns grupos que me insultam, mas não dou ouvidos.

Chego ao meu armário e pego meus livros, ao fechar a porta me deparo com uma cena nada agradável.

Matthew e Kenia se agarrando no fim do corredor, me sinto enjoada pois estão praticamente fazendo sexo com roupas. Meus olhos marejam e eu não sei se é por raiva, mágoa ou ciúmes.

Me obrigo a passar por eles já que estão bem no caminho da sala e apresso os passos. Assim que os ultrapasso, Kenia grita meu nome e eu me viro relutante.

-Muito obrigada queridinha, agora que você pegou meus restos, Matt se disponibilizou para mim.- levanta a mão deixando uma aliança prata a mostra.

Encaro os olhos azuis que tentei evitar e eles não me transmitem nada, nem ao menos um sentimento. Posso imaginar minha expressão ridícula, mas não consigo conter.

-Meus parabéns ao casal.- murmuro baixo com a voz falha, me viro e corro até o banheiro.

Me tranco em uma cabine e coloco meus livros no colo, levo as mãos até o rosto e solto um grunhido frustrado. Não vou chorar por esses idiotas, espero que sejam felizes juntos. Respiro fundo e abro a porta, vou até a pia e bufo ao ver uma mancha de maquiagem no tecido branco.

[...]

-Lucy?- uma mão delicada toca meu braço e eu me viro deparando-me com grandes olhos azuis que me lembram muito os de Matt. Sorrio de lado.

-Oi Lexi.- sorri triste e eu franzo o cenho.- Está tudo bem?- me sento no banco do Jardim da entrada e ela me acompanha.

-Na verdade não, sinto sua falta.- fecho os olhos com um aperto no coração.

-Sinto muito, as coisas e Justin têm sido complicadas.- encolho os ombros e ela assente.

-Você não me parece tão feliz quando estão juntos.- solto um riso anasalado.

-Bom, você sabe que sempre fui apaixonada por ele.- revira os olhos e balança a cabeça em desaprovação. -Mas agora que estamos namorando, percebi que o Bieber não é tudo aquilo.- encaro seus olhos azuis penetrantes e confusos.

-Você o ama?- arregalo os olhos minimamente.

Eu o amo? Em todos esses anos será que criei esse sentimento tão forte?

-Eu não sei.- encaro minhas unhas.

-Então o que faz com ele?- sua voz soa repreensiva.

Alexandra me olha tentando decifrar-me enquanto eu, continuo confusa com meus sentimentos.

-De alguma forma sinto que devo estar, parece que o destino nos quer juntos.- encaro o canteiro de flores a nossa frente. -Ele me diverte e me faz rir às vezes, é como um sonho foi realizado sabe?- passo a olhá-la e ela assente.

-Acho que você esperou tanto por isso, que na hora em que aconteceu foi como uma obrigação.- franzo o cenho. Alexandra sempre me decifra. -Cuidado para não sair machucada nessa história, ainda acho isso estranho, em um dia vocês saíram e no outro ele já te pediu em namoro.- segura minha mão e eu sorrio triste tentando disfarçar a força com que suas palavras me atingiram.

-Obrigada por sempre estar ao meu lado, eu te amo.- aperto-a vendo um grande sorriso se abrir em seus lábios.

-Eu também te amo.- de repente sua feição muda e a tristeza está de volta, me fazendo ficar preocupada. -Não aguento mais ver o Matt assim.

Fico rígida, não quero falar sobre esse idiota mas sei que ela precisa desabafar.

-Eu sei, vejo o pornô ao vivo pelo colégio.- cerro os punhos.

-Quase todos os dias ele chega bêbado, às vezes não dorme em casa, está discutindo ainda mais com nossos pais e agora e passou a me ignorar.- bufa cansada e passa as mãos pelos fios negros de seu cabelo.

Fico em silêncio por longos segundos.

-Se eu pudesse voltar no tempo, não teria aceitado o pedido do Justin.- começo a pensar em tudo que passei nos últimos dias e em como nossa relação não me ajudou em nada. -Ele não é o príncipe que achei que fosse.- respiro pesadamente, hoje repeti isso várias vezes e não está sendo nada fácil admitir.

-Finalmente você está percebendo isso.- assinto. -Tenho uma novidade.- sorri radiante e eu franzo o cenho. -Daniel me chamou para sair.- arregalo os olhos.

-Oh meu Deus, isso é ótimo Lexi.- seguro suas mãos empolgada.

Ele é um ótimo rapaz, é sobrinho do diretor e vem aqui de vez em quando. Descobri que faz faculdade de pedagogia quando fui parar na diretoria e o encontrei lá, tivemos uma conversa agradável.

-Estou muito feliz, quer dizer, nunca me imaginei saindo com ele mas...- se enrola me fazendo rir.

-Acho ótimo que você se distraia Alexandra.- sorrimos.

-Lucille?- travo o maxilar e Lexi fica séria.

Me viro encontrando Justin com a jaqueta do time e braços cruzados.

-O que você quer?- digo ríspida e ele revira os olhos.

-Precisamos conversar.- encaro a morena com quem ainda estou de mãos dadas e sorrio minimamente.

-Pode ir, nos vemos depois.- me levanto e a lanço um olhar agradecido antes de sair acompanhada pelo loiro.

Algumas pessoas nos olham com certo nojo e deboche. Fecho os olhos, estou realmente cansada disso.

Ele passa o braço por meus ombros e me faz andar mais rápido. Passamos por um grupo onde Matt e Kenia estão, ela está sentada em seu colo enquanto ri de algo que as amigas ridículas dizem. Justin franze o cenho ao vê-los e eu me sinto incomodada com isso afinal, ele e a vadia já estiveram em um relacionamento.

Quando me dou conta, estamos atrás das arquibancadas do ginásio.

-O que estamos fazendo aqui?- murmuro confusa.

-Queria aproveitar que o lugar está vazio e te pedir desculpas.- sorri e eu me encosto na parede cruzando os braços. -Qual é, foi só uma brincadeira amor.- coloca uma mão apoiada ao lado de minha cabeça e se aproxima de meus lábios.

-Você sabe que não é apenas isso Justin.- encaro seus olhos séria.

-Tudo bem, vou conversar com ele depois.- inclina a cabeça para o lado e acaricia meu rosto com a mão livre, fecho os olhos com o carinho. -Para me redimir, combinei com Ashley e Tyler de irmos á um karaokê hoje a noite.- sorrio empolgada.

-É sério? Isso seria ótimo para me distrair.- entrelaço os braços em seu pescoço.

-E você vai ver como o seu namorado é um ótimo cantor.- sorri convencido e eu reviro os olhos. -Pedi a Ashley para que convidasse sua mãe, a mãe dela também vai.- abro a boca surpresa.

-Tia Lana voltou?- ele assente. -Isso vai ser ótimo, exceto pela presença do Tyler, mas obrigado.- junto nossos lábios em um beijo demorado, ele me pede passagem e eu cedo.

Suas mãos descem para minha cintura ao mesmo tempo em que minhas unhas arranham sua nuca. Justin passa os beijos para meu maxilar e prensa o corpo contra o meu. Arfo.

-Jus...- tento repreendê-lo mas o trabalho que faz distribuindo chupões por meu pescoço me tira a fala.

Desce as mãos até minha bunda e a aperta com força me fazendo soltar um gemido entre seus lábios.

Alguém pigarreia e eu o empurro bruscamente. Encaro de olhos arregalados o homem de boné preto.

-Treinador.- murmura irritado e ajeita o cabelo com as mãos.

-Bieber sei que você precisa satisfazer seus desejos, mas eu juro que se te pegar com outra garota no meu ginásio, você será expulso do time.- me olha de cima a baixo com repulsa e eu me encolho envergonhada. -Cuidado filho.- ri debochado e Justin assente, segura minha mão e me puxa para fora.

-Idiota.- resmunga revoltado enquanto eu agradeço por Mason ter aparecido antes de acontecer algo.

 

Point Of View – Narradora.

 

Ashley dá alguns pulinhos arrastando o namorado para uma mesa próxima do palco enquanto Justin e Lucy discutem sobre quem canta melhor. Lana, Jennifer e Klaus que foi convidado de última hora, conversam sobre a vida.

Todos se acomodam e logo um garçom vem para anotar os pedidos, o lugar é especialista em lanches então cada um escolhe algo de sua preferência.

-Como foram esses meses em Paris?- Klaus pergunta à Lana.

-Maravilhosos, tudo deu certo no trabalho e tive a chance de conhecer várias pessoas.- sorri radiante e Ashley revira os olhos.

-Inclusive um namorado.- murmura recebendo um olhar reprovador da mãe.

-Estamos apenas saindo.- todos riem.

Jennifer se lembra de quando dizia isso para Lucy.

-Estou feliz que vá ficar aqui.- aperta a mão da morena que sorri com carinho.

-Quero ficar perto da minha família.

-Isso é ótimo.- o homem mais velho faz um falso brinde.

Lucille olha para o palco curiosa, se perde na voz doce de um homem que canta e toca o piano ali existente. Usa um boné e uma roupa bem simples, ela imagina como ele consegue fazer a música soar tão verdadeira.

Os olhos dos dois se encontram e ele sorri enquanto os lábios dão vida à melodia, a garota retribui tímida e totalmente alheia às conversas na mesa.

“Eu só vejo meus objetivos

Não acredito no fracasso.

Porque eu sei que as vozes fracas,

Podem se tornar grandes...”

Lucy continua o admirando até a música acabar e ele descer do palco, ao passar perto dela dá uma piscadela cúmplice e a mesma sorri.

E por incrível que pareça não foi um flerte, para nenhum dos dois. Por algum motivo através da música, eles se conectaram e foi como se entendessem e se conhecessem há muito tempo.

Quando se volta para Justin, ele está com o maxilar travado e a fuzila com o olhar fazendo com que a mesma abaixe a cabeça.

Já Jennifer não poderia estar mais feliz na presença de seus únicos amigos. Estava com saudades do jeito de Lana.

Depois que todos terminam de comer, pedem a sobremesa e se divertem em uma conversa sobre o passado.

Do outro lado do local, um grupo de homens chega e se acomoda em uma mesa. Eles falam alto e riem de piadas que fazem.

-Tudo bem amor, vamos ver quem é realmente um artista?- diz convencido.

-Se prepare para ser humilhado Bieber.- da uma piscadela e se levanta sendo acompanhada pelo namorado.

Caminham até o palco e sentam-se nos bancos atrás dos microfones. Justin pega o violão e sorri debochado para a garota que revira os olhos.

O rapaz começa a tocar e cantar e Lucy sorri ao ouvir sua voz rouca. Não esperava que fosse ficar tão encantada.

Tudo aconteceu muito rápido entre eles e ela têm se decepcionado muito desde que o namoro começou.

Fecha os olhos e o acompanha na bela música, todos começam a aprecia-los, principalmente Jennifer que sorri emocionada observando o talento da filha.

“E eu, estou me sentindo tão pequeno.

Isso foi demais para minha cabeça.

Eu não sei de mais nada.

E eu , vou tropeçar e cair.

Eu ainda estou aprendendo a amar.

Só começando a engatinhar.

Diga alguma coisa, eu estou desistindo de você.

Me desculpe por não ter conseguido chegar até você.

Em qualquer lugar eu teria te seguido.

Diga alguma coisa, eu estou desistindo de você...”

Os homens da outra mesa continuam a conversar ao perceber que se trata de dois adolescentes, mas um deles, por ironia o mais frio entre todos, presta atenção na letra e na bela garota que a canta.

Os olhos de Lucy marejam e ela não sabe ao menos o porquê, seus pelos se arrepiam enquanto expressa de alguma forma seus sentimentos.

Os olhos de Jennifer também se enchem de água e a discussão com Jared passa por sua mente de repente. Não se arrepende por ter se envolvido com ele pois pelo menos por alguns dias, teve a esperança de que seria amada por alguém.

O homem de olhos azuis e cabelo negro franze o cenho assim que os amigos começam a tirar sarro de seu devaneio na garota, o irmão por sua vez se permite prestar atenção em quem era a dona da bela voz.

Arregala os olhos ao reconhece-la.

-Ian, é a Lucille.

-O que?- analisa os olhos verdes, que sabia conhecer de algum lugar.

A garota o encontra e para de cantar assustada, deixando o namorado terminar o pequeno show. Se levanta e fica estática o encarando.

Jared deduz que se Lucy está ali, Jennifer também está. Percorre o olhar pelo local e encontra a loira.

Ela franze o cenho com a atitude da filha e procura o motivo de tal ato, se arrepende assim que o descobre. Seu coração acelera.

E ali estavam eles, Ian, Lucy, Jennifer e Jared, confusos demais para tomar alguma atitude.


Notas Finais


Espero que tenham gostado. O que será que vai acontecer?

O rapaz que a Lucy vê cantando é o Lukas Graham ( https://i.ytimg.com/vi/zI0WjySNKVI/maxresdefault.jpg ) e a música que ele canta é "7 Years". (Ouçam pois é maravilhosa :D)

O que estão achando da história? Aceito críticas construtivas e sugestões ♥
Até o próximo.

Minhas outras fanfics:

The Destiny (SwanQueen): https://spiritfanfics.com/historia/the-destiny-swanqueen-7250110

Nosso Agora (Dramione): https://spiritfanfics.com/historia/nosso-agora-dramione-7260977

Titanic (Justin Bieber): https://spiritfanfics.com/historia/titanic-justin-bieber-7309395


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...