História Minha Namorada Virtual ( Imagine Taehyung - V) - Capítulo 25


Escrita por: ~ e ~Wonho-

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Personagens Originais, V
Tags Bts, Ciumes, Namoro Virtual, Taehyung, Você
Exibições 412
Palavras 1.318
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


×Oi, biscoitos sz Tudo melzinho na chupeta?
×GENTE, SOCORRO!!! Já são 235 favoritos!!! Muito obrigada mesmo!! Obrigada pelos comentários também sz Não me canso em dizer o quanto são maravilhosos <333
×Desculpem qualquer errinho e boa leitura.

Capítulo 25 - Twenty Four.


 

 

Minha Namorada Virtual - Capítulo 24.

 

Kim Taehyung - Point of View.

 

Tae: Ei, amor

Tae: Eu estou chegando

Vizualizada ás 17:02

 

Graças ao bom Deus, esses três dias passaram-se bem rápido. Muito rápido por sinal. Confesso que fiquei um pouco triste por ter deixado Tóquio, afinal como sempre, viajar e estar com os meninos era muito bom. Mas é claro que eu estava feliz por estar de volta em Seul, primeiro porque era minha "casa" e segundo, porque finalmente poderia rever _________ denovo.

 

Não irei negar, foi difícil me contentar apenas com mensagens. Foi complicado achar um tempo em que eu não estive ocupado. Minha maior vontade durante esses dias foi jogar tudo pro alto e voltar correndo pra Seul. Sim, eu estava basicamente morrendo de saudades e de preocupação também. Fiquei sabendo pelo Dong Woo que ________ havia se queimado, ou alguma coisa assim.

 

Sarang(Amor): Que bom

Sarang(Amor): Sra. Shin sentiu sua falta esses dias

 

Li sua mensagem e ri, ouvindo um baixo cala boca de Namjoon hyung.

 

Tae: Hahaha

Tae: A Sra. Shin ou á ________?

Tae: Sei que me ama, Noona

Tae: Não faz mal admitir

 

Sarang(Amor): Se ilude mais que tá pouco

 

Tae: Aish

Tae: Agora que eu me lembrei...

Tae: NOONA VOCÊ TÁ BEM?

 

Sarang(Amor): Taehyung

Sarang(Amor): Eu só queimei a pontinha do dedo,,,,,,,,,,

Sarang(Amor): Como você é exagerado

 

Tae: Não é exagero

Tae: Quase morri quando soube

 

Sarang(Amor): Cof cof dramático cof cof

 

Tae: Saudades de você, Noona

 

Sarang(Amor): Eu também, seu chato

 

Tae: Grossa

Tae: Tenho que ir, Noona

Tae: Vamos pousar em Seul

Tae: Até depois

 

Sarang(Amor): Tá bom

Sarang(Amor): Até

 

Respirei fundo e bloqueei a tela do meu celular. Ouvi a voz da aeromoça soar e dizer aquele monte de blá, blá, blá. Revirei os olhos e apenas apertei o cinto da poltrona.

 

- Tava falando com quem? - A voz sonolenta de Hoseok preencheu meus ouvidos. O encarei e sorri.

 

- Que pergunta mais idiota, Hoseok! - Namjoon se intrometeu. - É mais do que óbvio que ele tava falando com a ________. - Resmungou, fazendo-me assentir freneticamente.

 

 

º º º

 

Cansado. Essa era á palavra que melhor me definia nesse momento. Eu estava mais do que feliz por ter chego em casa e encontrado minha cama. Meus travesseiros, meu colchão macio e minhas cobertas, em outras palavras, minha alma gêmea.

 

- Cama, eu amo você. - Afundei a cabeça no travesseiro, ajeitando melhor meu corpo sobre a mesma.

 

- Pensei que amasse a _________. - Hoseok comentou. - Não quero nem ver quando ela souber dessa sua traição.  - Ergui o rosto e encarei-o.

 

- Ela não pode saber. - Disse. - Por via das dúvidas, eu nunca falei isso. - Brinquei, vendo-o sentar na beirada de sua cama.

 

- Só você mesmo, Taehyung. - Balançou á cabeça negativamente. - Então, Jimin deu á idéia de irmos jantar fora hoje. Você quer ir? - Perguntou.

 

- Querer eu quero - Olhei-o sugestivo. -, mas tô com preguiça. - Bocejei.

 

- Me diga algo que eu não saiba? - Debochou. Alcançei um travesseiro e taquei em sua direção. Passou muito longe, e isso o fez rir.

 

- Na volta, tragam alguma coisa pra mim. - Pedi, observando hoseok se levantar e caminhar até a porta.

 

- Não vai dormir como da outra vez, né? - Franjiu o cenho. - Da outra vez fez a mesma coisa e quando chegamos tava todo morto na cama, ainda teve a capacidade de me bater quando fui lhe chamar. - Acusou. Sorri e neguei como uma criança. - Tá, eu trago. - Foi o que ele disse, antes de passar pela porta e sumir do meu campo de visão.

 

Apalpeei os bolsos da calça e peguei meu celular, desbloqueando a tela e abrindo o chat.

 

Tae: ________

Tae: Vêem pra cá agora

 

3 minutos...

 

Sarang(Amor): O que foi?

Sarang(Amor): Alguém morreu?

 

Tae: Sim

Tae: Eu estou morrendo.......

Tae: de saudades de você

 

Sarang(Amor): Que susto, menino

Sarang(Amor): Eu aqui toda preocupada

Sarang(Amor): Pensando que alguém tivesse morrido

Sarang(Amor): Só vou porque sou uma pessoa legal

 

Tae: Vou pedir comida japonesa

 

Sarang(Amor): Chego em 20 minutos

 

Tae: Só vem

Vizualizada ás 18:37

 

- HOSEOK. - Gritei. - ALGUÉM? - Tornei á gritar. - EU TÔ MORRENDO!

 

Queria apenas confirmar que não restavam mais vestígios de algum dos hyung's ou de JungKookie. Depois de obter o silêncio como resposta, larguei o celular sobre á cama e como havia dito, fui pedir á comida. Aproveitei pra dar uma geral na sala, que mais parecia um chiqueiro, mais enfim... Deu tempo de eu ajeitar a sala, á comida chegar e ______ só foi chegar 15 minutos depois.

 

A campainha soou, e eu me levantei do sofá para ir atender á porta. Ajeitei o cabelo no espelho mais próximo que eu vi e respirei fundo, girando á maçaneta.

 

- Pensei que havia me dito 20 minutos não 50. - Comentei, vendo a garota do outro lado. Como eu senti falta daquele ser humano pequeno.

 

- Oi pra você também Taehyung, como está? - Ironizou, fazendo uma careta.

 

- Oi, amor. - Abri um sorriso, me jogando, literalmente, em cima dela. - Que saudades de você, Noona. - Apertei meu abraço ao seu redor.

 

- Eu também senti, mais não precisa me esmagar não. - Comentou. Soltei um riso envergonhado e afrouxei meu abraço, olhando para baixo logo em seguida.

 

Sorri e inclinei meu rosto em direção ao seu, encostando minha boca com á sua. Entreabri á boca e senti sua língua pequena se mover de encontro com á minha, enroscando-a uma com á outra. Desci meus braços até sua cintura e guiei-a á cegas para dentro, batendo á porta com o pé direito.

 

- Calma - Rio abafada, afastando-se brevemente. Respirou fundo e continuou. - Você tem que parar de ser bipolar, não posso com isso. - Comentou, fazendo-me rir.

 

- Acho melhor se acostumar então. - Sorri. - Vem, vamos comer. - Puxei-a pelo braço, conduzindo ______ até a mesinha de centro da sala. - Olha como sou legal, pedi comida. - Brinquei, abrindo uma embalagem.

 

_______ sorriu e sentou-se do meu lado.

 

- Até porque, eu só vim por causa da comida, né? - Ergueu o cenho. Fiz um biquinho e ela rio. - Comida japonesa? Você passou três dias no japão e quer comer comida japonesa? - Perguntou. Assenti em resposta. - Então tá né.

 

O mais engraçado de tudo foi ver _______ comer com os hashi's, digamos que ela não era muito boa nisso e eu já rolava no tapete de tanto rir, quase engasguei com a comida até.

 

- Para de rir, projeto de gente. - Bateu na minha perna. Ri uma última vez e acertei minha postura.

 

- Me pergunto como é que á pessoa fala tão bem japonês e não sabe usar hashi's? - Perguntei indignado. - É assim, Noona. - Peguei á comida com os palitinhos e direcionei-a até sua boca.

 

- Que pessoa mais gentil essa. - Brincou, rindo.

 

Foi realmente bem legal ter que dar comida na boca de ______. Veja bem, eu realmente não me importava em ter que fazer isso, muito pelo contrário, era até que engraçado.

 

- Você vive me chamando de bebê mas o bebê aqui é você, Noona. - Comentei, levando mais um sushi em sua boca. ______ mastigou o alimento e inflou ás bochechas.

 

- Taehyung, você sempre vai ser um bebê. - Sorriu.

 

Larguei os hashi's sobre a mesa e encarei-a.

 

- Eu? Tem certeza? - Perguntei em desafio. _______ assentiu. - Absoluta? - Me aproximei de forma sorateira.

 

- Absoluta. - Assentiu

 

Sorri e empurrei delicadamente seu corpo sobre o tapete, recebendo em troca seu olhar confuso. Fui pra cima do seu corpo pequeno e olhei bem no fundo dos seus olhos:

 

- Deixa eu te mostrar o que bebês são capazes de fazer, Noona!

 

To be continued...

 

 


Notas Finais


Gente, sobre o hot: Vocês preferem algo mais detalhado? Querem narração da ______ ou do Taehyung?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...