História Minha nova irmã (Norminah , G!P) - Capítulo 139


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camren, Dinah, Normani, Normimah, Siope, Trolly, Veronica Iglesias, Zandaya
Visualizações 300
Palavras 3.622
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Famí­lia, Festa, Mistério, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Intersexualidade (G!P), Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Tiro. Só isso que eu digo.

Capítulo 139 - Fim (parte 2)


Fanfic / Fanfiction Minha nova irmã (Norminah , G!P) - Capítulo 139 - Fim (parte 2)


Narradora.

A sala de esperas do hospital estava cheia só pela quantidade de amigos e familiares que aguardavam o momento de ver as meninas. Elas tinham que ficar na incubadora porque nasceram só três dias antes do previsto , por isso tinham que ficar lá algumas horinhas para sentirem como se estivessem dentro da barriga da mãe até se acostumarem com o ambiente aqui de fora. Além das pessoas estarem curiosas para ter o primeiro contato com as gêmeas idênticas , eles estavam curiosos para entender o motivo de Dinah ter só chamado a Verônica e o porquê de tamanha demora. O que será que elas estavam conversando?



No quarto número 7 Verônica andava em círculos tentando processar a informação que Dinah acabara de lhe passar. O casal ficava tonto de tantas voltas que a morena dava pelo quarto.

-Espera. Deixe-me ver se realmente entendi. - Verônica parou , finalmente encarando as meninas que já estavam impacientes pela lerdeza da menina. Dinah , que estava recostada na cabeceira da cama do hospital , revira os buscando paciência para não arrancar aqueles fios ligados a ela e chacoalhar a cabeça da amiga. Já Normani , sentada na ponta da cama da esposa , também estava impaciente , mas para ela era compreensível toda aquela demora , pois nem ela mesma entendia o que Dinah havia falado. - Você acha que sou vidente? - perguntou pela milésima vez , obtendo a mesma afirmação da loira , que parecia mais aliviada pelo pequeno choque de inteligência que a amiga deu. Vero depois de realmente se dar conta começa a rir desacreditada. Ela estava besta com tais palavras absurdas ditas ali. Jogou a cabeça um pouco para trás , com as mãos na boca para tentar amenizar a risada , mas foi falho. Normani queria rir também , então virou o rosto para o lado reprimindo os lábios. - Isso é ridículo , mas você vai me desculpar. Totalmente sem noção. Eu te amo , você sabe , mas a Normani me acordou do meu sono da beleza no colo da Keana para você me dizer isso? Ah , qual é ? - coçou os olhos pesados por conta do sono e riu mais um pouquinho - Ai ai.

-Me escutem. As duas. - Dinah assumiu firme a situação , conquistando a atenção das duas. - Isso não é ridículo. Tem sim sentido , e muito! Vocês precisam parar e pensar. Todas as apostas que fizemos até hoje a Vero ganhou. Quando a gente estava para fazer a viagem de cruzeiro , a Verônica disse que não era para irmos , mas mesmo assim quisemos ir , então ela inventou uma doença , fez um drama e ficamos em casa. Me lembro que deu na televisão que o barco afundou. Checamos a caixa das apostas e a Verônica ganhou sobre as nossa filhas. No outro dia , o Sol estava maravilhoso , o dia lindo , então marcamos de ir a Miami para ir à praia , então pagamos as passagem , hospedagem e na hora de ir , ela quis fica no hotel , porque disse que iria chover. Não a ouvimos , então quando colocamos os pés na praia começou a chover. Quando eu estava grávida do Sean , estávamos para atravessar a rua , e quando o semáforo abriu para a gente , ela segurou meu braço forte , me impedindo de atravessar e um ônibus avançou o sinal atropelando uma senhora. Tem noção de que era para eu ter perdido o meu filho e ter sido atropelada?  Nas provas de múltipla escolha , ela tirava dez em tudo sem nem tocar no livro e passava as colas para a gente , porque a Normani e a Ally eram ruins e não passavam cola. Posso contar nos dedos quantas vezes eu tirei nota boa por causa de você.

-Okay , são muitas coincidências , mas não deixa de ser ridículo , Dinah. Eu quero só mais uma prova para eu acreditar nesta loucura. Estou quase convencida. Me diz uma coisa , só mais uma coisa , para eu acreditar. - Verônica ainda não acreditava. Nem ela e nem Normani. Vero foi até o sofá branco da sala e sentou-se lá esperando um bom argumento para mudar a sua cabeça.

Dinah pensou por uns cinco minutos , quebrando o silêncio que tinha se instalado na sala do hospital.

-Já sei! - deu um grito. Normani piscou freneticamente , assustada com o grito que a esposa deu. Normani colocou as mãos sobre o coração e suspirou ainda assustada. Verônica só a olhou sem crença esperando a resposta , juntamente à Normani , que também prestava atenção atenta - Bom vou tentar resumir. Temos uma conexão. Você estava dormindo até pouco tempo e por acaso você sonhou com a Lauren comendo no restaurante com você , sendo que de repente eu cheguei você iria me dar um pouco do Malbec suave 2015 , só que a Lauren chegou e brigou conosco. Então eu disse que estava para subir e você começou a passar mal. Aí você insistiu para subir comigo e arrastou a Lauren também. Chegamos lá em cima , peguei a Emma nojenta e a Normani aos beijos , desmaiei , e quando acordei , bati nas duas.  Foi isso?

-Ah , estão por isso você estava me batendo e xingando? - Normani apontou pensativa para a esposa.

-Sim , mas isso não interessa. - Dinah deu de ombros e voltou a focar em Vero , que parecia petrificada de tão paralisada. Ela encarava o chão pensativa e isso estava assustando Dinah - Estou certa?

-Você...acertou.- sussurrou baixo desviando o olhar do chão e olhando para Dinah - Como você sabia?

-Porque eu estava dormindo na mesma hora , só que a tapada infiel da minha esposa me acordou. Para que , heim! Eu também nem deveria ter te batido. Que você ficasse com aquela Emma sem graça , Normani , porque ela é mais nova , mas eu fiquei revoltada de ver essa mulher feia te ganhando de mim. Eu sou muito melhor! Eu sou bonita , não tenho estria , meu peito é duro. Eu não tenho uma cirurgia plástica. Eu não tenho nada! Eu sou toda natural. Eu sou bonita para caramba! Mas você também podia ficar de esmola para ela. Isso era tudo roubado da parte de vocês! Mas que ela fizesse bom proveito de você toda usada mesmo , pois eu já usei. Depois , eu iria arranjar uma mulher gata e iria voltar a ser ativa mesmo! - Jane cruzou os braços e olhou para o lado dando de ombro , como se não fosse nada. Normani decidiu ignorar e se levantou da ponta da cama , indo se jogar no sofá toda largada mesmo. - É assim que ela faz! Deixa ela. 

-Gente , não quero atrapalhar a DR , mas agora eu estou assustada. Como é possível tantas coisas iguais , Dinah. Será que devo procurar alguém para me tratar? Eu sempre tive isso de sentir as coisas muito forte , desde criança , mas sempre ignorei e levei como normal. Isso é estranho , muito estranho. Será que minha mãe sabe algo sobre? - Verônica parecia ter ficado confusa e perturbada com as informações que para muitos eram banais , mas para ela eram uma incógnita , que ela fazia questão de descobrir. E ela iria.



No canto da sala de esperas , Troy analisava Zandaya sentada ao seu lado , que parecia perdida em seus profundos devaneios. Troy notou que desde que eles estavam no museu e a bolsa de Dinah estourou , Zandaya tinha se fechado e ficou presa no seu mundinho , quieta e com cara de paisagem. Era estranho , pois geralmente ela era quieta , mas interagia sorrindo e prestando atenção na conversa. Ele não gostava nada daquilo.

-Hey , o que foi , meu anjo? - ele virou-se para a amiga , chamando sua atenção para si. Ela o olhou sem reação , com um olhar perdido e opaco. Ela parecia abatida , preocupada.

-O que foi , Ogletree? - suspirou o respondendo um tanto cansada.

-Vish , quando você me chama pelo meu sobrenome não é boa coisa. - disse em uma falha tentativa de alegrá-la. Ela não deu nem um sorriso , o que o deixou mais preocupado - Ande , abra o jogo com o seu amigo. O que está havendo , por que anda pensativa? - colocou a mão sua mão por cima da dela , que estava sobre sua perna.

-Sabe , eu aindei pensando nas passagens de tempo. Estou envelhecendo e daqui a pouco terei que me aposentar , pois as passarelas exigem que você desfile até um certo ponto da sua vida. Preciso arranjar uma ocupação. Parei para pensar em como Dinah e Normani devem se sentir felizes por serem abençoadas com o dom da maternidade novamente , ainda mais sendo mães de duas garotinhas que nem vimos , mas eu tenho certeza que são lindas como as mães. E...- encostou a cabeça no ombro do amigo e fechou os olhos - Alfredo quer que tenhamos a nossa criança.

-E você não o contou que é infértil , não é?

-Pois é. - abriu os olhos deixando uma lágrima teimosa , que insistia em se libertar , cair e molhar o ombro da camiseta Jeans de mangas cumpridas do Ogletree. - Isso é uma coisa simples. Eu poderia adotar , mas ele quer o dele e não posso dar. Tantas mães com capacidades de ter filhos , mas não querendo a criança , abandonando , deixando em portas de orfanatos. Tantas mães que são mães por conta de um agressor que a estuprou e ela não quis abortar por pressão da sociedade , mas que leva o filho como um erro na vida dela. Eu tenho 35 , a idade perfeita para ter o meu , mas eu não tenho. Isso é tão injusto. - deixou as lágrimas derramarem de vez. Sua cabeça doía. O peso na consciência por não contar ao marido sobre suas condições. Aquilo lhe castigava de um tal jeito. A maltratava de uma maneira dolorosa

-Oh , meu amor. - envolveu a menina em um abraço aconchegante. - Olha para mim - lhe soltou , a encarando com dó por vê-la com o rostinho inchado e banhado em lagrimas. Levou os polegares até suas bochechas e limpou o excesso do choro - Eu prometo que vou dar um jeito e você vai ter o seu filho. Não chore , por favor , odeio vê-la deste estado. Tudo vai dar certo. - garantiu olhando com seus olhos azuis intensos , vendo seu castanho brilhar de esperança novamente. - Vem , vamos comer alguma coisa. Você precisa se alimentar , está fraquinha desde ontem. - se levantou estendendo a mão a ela. Zandaya fungou e aceitou a juda. Troy não sabia como , mas faria de tudo para ajudar sua amiga , podem apostar.



- O que foi , Camila? - Lauren se aproximou mais da namorada ao seu lado - Por que anda chateada? Hoje o dia está estranho. Você , Zandaya e a Dinah estão estranhas. Vocês não andam muito bem. Depois pretendo conversar com a Zandaya , só não falei porque o Troy já está a ajudando , mas também pretendo ajudá-la. Mas você deve me dizer o que está lhe incomodando. O que foi? 

-Ah , Lolo , não é nada demais. Pare de se preocupar demais. Eu...só estou cansada. - Camila mentiu sentindo um desconforto imenso por não se abrir com a mulher que ama. Ela tinha medo.

-Foi a Clara ou a Sinuhe? - Lauren se precipitou , com uma certa raiva implícita na voz. Ela encarava diretamente o canto onde Sinuhe , Clara e Milika se encontravam em uma conversa divertida. Sua mãe estava de mãozinha dada com sua sogra , o que soava um tanto estranho e embaraçoso para ela e Camila e Lauren.

-Não pira , Michelle , elas não me fizeram nada. E outra , acho que devemos aprender a respeitar e aceitar um possível relacionamento entre nossas mães. Além delas serem nossas mães e termos a obrigação de respeitá-las , devemos amadurecer. Vai adiantar ficar de birra? Não. Precisamos dela. Um exemplo de aceitação é a tia Milika para com a Dinah e a Normani. Se eu sou ela , jamais haveria aceitado esse relacionamento entre primas irmãs , porque querendo ou não a Normani é como se fosse uma irmã para Seth , Regina e a própria Dinah. Nós , como pessoas gays na sociedade , não devemos ter preconceito com nada , principalmente com as pessoas que nos deram a vida. É estranho? Sim , mas a gente aprende a aceitar. - Camila fez todo aquele discurso com o objetivo de enrolar a Lauren , mas não funcionou , pois a mesma conhecia exatamente a namorada. O discurso da Cabello foi sincero mesmo tendo sido usado como um tremendo golpe de enganação.

-É , acho que concordo. Mas diga-me o que houve. Quero saber , não esconda. Eu te conto tudo e você também. Ou melhor , você costumava contar , né? Parece que perdeu a confiança em mim - Lauren olhou as unhas como quem não queria nada. Jauregui apelou para o bom e velho drama como a boa canceriana dramática que é. Dinah e Ally eram tão iguais à hispânica nesses aspectos. Chegava a ser assustador e Camila que sabia bem como era isso. Suas duas melhores amigas e sua namorada eram deste signo dramático e carente. 

-Ai Lauren , meu Deus! Sorte sua que drama não me comove , mas também não me irrita. Não é nada demais , só que eu estava pensativa quanto a nossa vez de criar uma criança. Só isso. Mas eu sei que você não quer , então fiquei com medo de te decepcionar com esse pedido. - confessou Camila sem receio algum , ela estava até tranquila , mas mesmo assim triste.

-Ué , mas você quer filho? Eu achava que você não queria , Camz. Por isso eu nunca me atrevi a perguntar. E eu jamais ficaria decepcionada com você por causa disso. Eu amo você e um dos meus maiores sonhos é ter um filho seu. - Lauren sorriu ao ver o sorriso surpreso da namorada. As duas eram tão lindas e fofas...quando queriam , mas eram bastante. - Imagino um meninho ou uma menininha misturando os nossos traços. Modéstia parte seriam crianças lindas. Seriam crianças com um olhar castanho tão lindo quanto os seu.

-Ah , mas eu queria que tivessem os olhos verdes iguais ao seu , Lolo.

-Mas os seus olhos são tão bonitos quanto os meus , Camz. Teriam um brilho e um mistério muito interessante. Enfim , depois decidimos , temos tempo. - Lauren se permitiu ser abraçada por uma Camila muito meiga e satisfeita com as palavras da namorada. 

-Com licença , você são família e amigos de Dinah Jane Hansen e Normani Hansen? - uma enfermeira adentra a sala de esperas , com o seu habitual uniforme verde e uma máscara para proteger as crianças que estavam no berçário do hospital de respirar o mesmo ar que ela , pois ainda não podia.

-Sim! - todos responderam juntos , se levantando muito eufóricos e devidamente ansiosos

-Bom , peço que me acompanhem. São duas meninas e vocês poderão vê-las , mas não de perto ainda. Vocês vão ficar olhando pelo vidro transparente do berçario , mas não se preocupem , é possível que vejam as nenês nitidamente. Peço que sigam-me em ordem , por gentileza. - A mulher virou-se , sendo seguida pelo grupo.

-Devem ser a minha cara. Lindas.- Seth se pronunciou durante o percurso. Ele era tão convencindo quanto a Dinah. Era impossível não dizer que são irmãos , pois o jeito de agir e a fisionomia eram absurdamente semelhantes.

-Ah , para de graça , Seth! Nem o seus filhos parecem com você , o que dirá os que não são seus. - Sofia Cabello corta logo a onda do marido , fazendo o grupo rir e omitirem sons de provocação ao rapaz.

-Graças a Deus parece com a Sofia - Regina defendeu a cunhada que estava sendo acusada de pular a cerca  , e de quebra implicou com o irmão. Elas eram bem unidas.

-Aff , as pessoas adoram me colocar para baixo. - o jovem , já homem de 21 anos , dos traços polinésios resmunga aborrecido , fazendo as risadas e o bom humor continuarem pairando no ambiente.

-É , tio Seth , não é o seu dia - Liam caçoa da cara do próprio tio com os outros.



-Allycia , tem que ser rapidinho , heim! Porque você quer tanto que seja agora e aqui? Não podia ser mais tarde? - Hope alcança o interruptor do espaço apertado da sala de limpeza do hospital , ligando e encarando a namorada sedenta por uns beijos.

-Ai eu não sei. Está reclamando , por acaso? Ou está com medo? - Allycia desafiou a namorada sem um pingo de vergonha na cara. Allycia tem cara de santinha , bonitinha , certinha , mas era só a cara mesmo. Ela era feito Allyson , cínicica , sempre dizia o pai da menina.

-Ah , não é nada disso. Tem noção de que tem que ser rápido , não tem? Não podemos demorar um segundo sequer , para não haver nem um problema. - Hope falou preocupada. Essa sim era certinha. Certinha até demais para a namorada que tem. O mais engraçado é que as duas lembravam a Dinah e a Normani em alguns aspectos.

-Ai , você fala demais! Cala boca e e me beija , vai - Allycia guiava a mão para a nuca da namorada , só que foi supreendida pela porta sendo aberta pela pessoa que ela mais temia. Sua mãe , com Perrie ao lado.

Ultimamente Ally ficava pegando no pé da filha e de Hope desde a descoberta , faziam 10 meses praticamente. Ela não ficava pegando no pé por ser chata , ou simplesmente por não aceitar. Era só que ambas eram muito novas e Allyson conhecia bem a peça que tinha em casa. Ela era pequenininha , mas dava um trabalho imenso. Essa implicância que Allyson gerou , passou a ocasionar diversas brigas entre as duas. Allycia estava rebelde. Uma menina totalmente diferente da qual Ally se lembrava a um tempo atrás. Mas o que Ally não percebe , é que a filha não é uma garotinha. Não mais , infelizmente para a sua ruína. Ele necessitava de espaço para novas experiências.

-Allycia Brooke Ogletree Hernandez , o que pensa que está fazendo? - Allyson pergunta ao perceber que a filha estava lá , não outra pessoa. Hope cora , batendo a mão na testa assustada.

-Ferrou. - A mini cópia de Normani sussurra para a namorada , que sorriso de lado preparando a resposta. Allycia apenas nega , mostrando que tudo estaria bem , leva as mãos aos cabelos e os joga para o lado , encarando sua mãe. Tanto Hope quanto Perrie sabiam o que estava por vir , então elas se olharam assustadas e se prepararam para o pior.

-Ué , mamãe , viemos fazer o mesmo que vocês. Ou por acaso acho que sou boba? - Allycia pegou no ponto certo , o que era suficiente para constrangê-las , a ponto de mudarem o foco da história. Ela era uma excelente jogadora. Ally abre um pouco os lábios totalmente sem jeito. Tanto elas quanto Hope estavam em choque.

-Veja como fala , não sou sua amiguinha não. Já parou para pensar no quanto é irritante , inconveniente e mal educada. Acho que você não aguentaria nem um segundo assumindo o meu lugar e senso sua mãe. Você é uma péssima filha , que precisa de limites. A minha paciência com você está por um fio. Se eu fosse você , não brincava. - Ally havia dito coisas pesadas demais. Ela não havia prestado atenção , mas magoou muito a filha. Mal sabia ela que ouviria o pior.

-Pelo menos eu me entenderia ou tentaria me entender se fosse minha própria mãe. Você que é uma mãe ruim e não aguentaria tempo nem um sendo sua mãe. Já parou para pensar no quanto é irritante? - Allycia rebateu sem dó. Aquela menina tinha as respostas na ponta da língua , pronta para atacar de volta quem fosse necessário. Ally ficou vermelha de raiva.

-Olha , mas isso tudo é culpa do seu pai , aquele inútil que só serve para te mimar , te estragar e colocar você contra mim. Você acha que você é adulta , mas não passa de uma fedelha irritante e mimada , que acha que é dona do mundo. Eu estou de saco cheio de você - Ally gritou colocando todas as mágoas para fora.

-Eu que estou de saco cheio de você! - Allycia gritou de volta batendo o pé no chão - E quer saber? Você que é sem noção! Pelo menos o papai me entende , ama e respeita meu espaço. Pelo menos o papai não fica usando a religião de escudo para esconder as merdas que faz. Fica pagando de menina da igreja , faça-me o favor , mãe. Quer pagar de mãe perfeita. Você é muito irritante , não me deixa em paz. Mete uma coisa na tua cabeça. Eu não pedi para ser sua filha não. Você é tão mas tão chata e fica se fazendo de vítima , se perguntando o que fez para merecer a traíção de Miguel. Você acha que ele te traiu à toa? Me erra! - Allycia soltou tudo sem medir as palavras , foi na hora da raiva. Ela suportava que falassem do seu pai.


Notas Finais


Eita , vai ter terceira parte. E que treta foi essa , Jesus!
Altas revelações e ainda vão ter mais.

Sorry os erros. Bjs❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...