História Minha nova madrasta - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Girls' Generation
Personagens Jessica, Personagens Originais, Seohyun, Sooyoung, Sunny, Taeyeon, Tiffany, Yoona, Yuri
Tags Menção Chanbaek, Menção Yoonyul, Soosun, Taeny, Yoonhyun, Yulsic
Exibições 466
Palavras 4.718
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Comédia, Ecchi, Famí­lia, Festa, Fluffy, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLÁ PESSOINHAS DO MY HAERT <3

Voltei e dessa vez no prazo que coloquei a mim mesma (que orgulho) espero que gostem do capítulo, tenham uma boa leitura e até as notas finais xD

Capítulo 20 - O espetáculo da noite se chama Tiffany Hwang!


Fanfic / Fanfiction Minha nova madrasta - Capítulo 20 - O espetáculo da noite se chama Tiffany Hwang!


 

+ Taeyeon +


 

 

Os lábios de Tiffany eram macios, sua textura era única, o beijo foi calmo, porém sufocante. Rompemos o beijo por falta de ar. A morena me fitou intensamente.


 

– Você disse no avião que queria ver um musical não era? – suas mãos seguraram meu rosto, assenti. – Se importa de irmos na Broadway amanhã a noite, hoje o espetáculo se chama Tiffany Hwang. 

 

Um sorriso lascivo nasceu em meu rosto, selei nosso lábios novamente e desta vez o beijo não foi tão calmo quanto os anteriores. Quando me dei por conta já estava sentada no seu colo, eu tinha pressa, toda a hesitação que me incomodava transformou-se em pressa. Senti Tiffany sorrir durante o beijo.


 

– O que foi? – indaguei cortando nosso contado.


 

– Você está com pressa, não quer apenas aproveitar? – sorri de canto abaixando a cabeça.


 

– Desculpe. – Tiffany segurou meu rosto.


 

– Não se desculpe, apenas continue.


 

Não verbalizei uma resposta, agi. Tomei as rédeas de outro beijo, mais lento, porém tão lascivo quando o primeiro. Minhas mãos que estavam em meus ombros desceram calmamente pelo corpo perfeito da Hwang até encontrarem a barra da sua blusa. Retirei a peça devagar. Como ela era linda, me empenhei em memorizar os detalhes daquele corpo perfeito, Tiffany sorriu diante do meu olhar embasbacado para o seu corpo. A morena levou as mãos até os meus cabelos, enroscando os dedos nos fios molhados, seus lábios encaixaram-se aos meus. Desta vez quem dominava agressivamente era Tiffany.


 

– Você não queria aproveitar o momento? – perguntei ofegante quando cessamos o beijo.


 

Tiffany não respondeu. Suas mãos invadiram minha camiseta, levantando o pano com facilidade. Após se livrar da minha camiseta a Hwang iniciou outro ataque libidinoso aos meus lábios. Sua língua brigava com a minha por espaço, a sensação era demasiadamente prazerosa. Eu não queria parar. Deitei Tiffany, abrindo o zíper da calça da morena, ela sorriu sacana, colando seus lábios no meu pescoço, suspirei sentindo seus dentes marcando minha pele. Me livrei da roupa de Tiffany, cada vez mais maravilhada com aquele corpo. Lembrei-me de uma coisa que precisava verificar.


 

Minhas mãos correram pelos quadris da Hwang, chegando na bunda apalpei forte a carne macia, Tiffany gemeu. Sorri com sua reação. O sutiã que a morena usava tinha o fecho na frente, facilitando o meu trabalho, em questão de segundos me livrei daquele pedaço de pano que estava me privando da melhor visão que eu poderia ter. Colei meus lábios em seu pescoço, enquanto me empenhava em marcá-la escutei Tiffany arfar, sua respiração estava completamente descompassada. Desci meus beijos até sua clavícula, fazendo uma trilha até seus seios. Mordisquei de leve o direito, obtendo um gemido arrastado em resposta ao meu ato.


 

Deixei uma marca avermelhada no seio direito, antes de chupá-lo com vontade, Tiffany gemia baixo, contendo-se. Senti as mãos da morena passeando por meu corpo até encontrarem o fecho do meu sutiã. Tiffany livrou-se da peça, sorriu ao fitar meu corpo seminu.


 

– O que foi?


 

– Você é linda Taeyeon! – ela sorriu.


 

Me beijando afoitamente em seguida, correspondi o beijo, aproveitando para descer minha mão até a intimidade da Hwang. Senti seu corpo estremecer em baixo do meu. Ao encostar de leve no pano da calcinha de Tiffany pude sentir o quão úmida ela estava.


 

– Você já está tão molhada Fany! – minha língua percorreu o vale de seus seios, escutei um gemido mal contido escapar daqueles lábios perfeitos.


 

– V-você me deixou assim! – meus dedos pressionaram seu ponto. – Ahn ter-termine s-seu trabalho!


 

Tiffany quase implorou, comecei a descer distribuindo beijos molhados pelo seu corpo. Ao chegar em seu abdômen as mãos de Tiffany que estavam segurando o lençol com força passaram para minha cabeça, prendendo em meus cabelos. Retirei sua calcinha, a Hwang ergueu o corpo, facilitando a operação. Desci a peça, acompanhando o trajeto com beijos pelas pernas – e que pernas – de Tiffany. Me livrei daquele pedaço de pano, jogando-o longe, voltei minha atenção às pernas da morena, retornando minha trilha, desta vez com chupões. Porém não fui onde ela queria, marquei todo a extensão do seu abdômen, descendo calmamente de volta às suas coxas.


 

Tiffany cuspiu xingamentos obscenos em resposta à mordida que dei em sua perna, deixei beijos úmidos em toda a extensão de suas coxas, chegando a parte interna, próxima demais a intimidade da morena, beijei e mordi, até chegar ao sexo da Hwang. Passei a língua em sua entrada, um gemido arrastado e sôfrego cortou o quarto, brinquei um pouco com seus lábios, passando a língua por toda a extensão do seu sexo sem penetrá-la.


 

– Para de brincar e me chupa logo! – ela implorou contendo seus gemidos ao morder os lábios.


 

Penetrei minha língua no sexo pulsante de Tiffany que me acolheu com um gemido. Apertei sua bunda, ela gemeu em resposta, tentei ir mais fundo, abocanhando seu clitóris com vontade. Tiffany gritou de prazer. Senti a tensão no meio de minhas pernas aumentar. Dar prazer para a morena era ainda mais prazeroso para mim. Ainda sem retirar minha língua de dentro dela penetrei dois dedos. Recebendo gemidos ainda mais altos em resposta. Troquei minha língua pelos dedos. Tiffany estava tão apertada, seu interior tentava expulsar meus dedos de si.


 

– Tão apertada! – murmurei em seu ouvido abocanhando o lóbulo da sua orelha, a Hwang só tinha sanidade para gemer e murmurar coisas incompreensíveis.


 

Penetrei mais um dedo, e as mãos de Tiffany que apertavam impiedosamente o lençol passaram para minhas costas, as unhas dela cravaram na minha pele, arrancando-me um misto de grito e gemido. Aumentei as estocadas, indo mais fundo, Tiffany gemeu ainda mais, comecei a estocá-la somente assim. As paredes internas da Hwang pressionavam-se contra meus dedos. Seu orgasmo estava próximo.


 

– M-mais… mais fundo ahn…


 

– Geme meu nome! – mordi seu pescoço acelerando ainda mais o movimento de entra e sai dos meus dedos.


 

– T-taeyeonn… – suas unhas cravaram mais uma vez em minhas costas. – Tae ahn e-eu vou gozar!


 

As paredes internas da Hwang brigavam com meus dedos, estocava-a cada vez mais rápido, eu também estava no meu limite. Tiffany gemeu mais alto que das outras vezes, senti meus dígitos serem cobertos por seu líquido quente. Isso foi o suficiente para me fazer perder a cabeça e chegar em meu ápice. Retirei meus dedos de dentro da morena. Chupei o dedo médio encarando-a fixamente. Tiffany sorriu. Estendi a mão para ele.


 

– Chupe! – disse autoritária.


 

Tiffany sorriu maldosa segurando minha mão enquanto colocava meus dedos em sua boca, engoliu-os por inteiro, sua língua passeava entre meus dedos, reacendendo meu tesão. A visão que eu tinha de Tiffany deliciando-se com meus dedos melados era tão excitante quando o próprio ato. Mordi o lábio inferior.


 

– Quer uma segunda rodada? – murmurou ao terminar de limpar meus dedos, seu sorriso por si só já era um convite mais do que tentador.


 

– Você vai ficar por sima? – indaguei me aproximando mais.


 

– Quem sabe? – Tiffany deu de ombros antes de me beijar, senti as mãos da morena nos meus ombros, ela estava me empurrando para trás. – Deite-se Taeyeon!


 

– O que vai fazer comigo? – Tiffany sorriu com volúpia, meu corpo se arrepiou por inteiro.


 

– Garanto que você vai gostar. – meu corpo caiu sobre o colchão, a Hwang inclinou-se sobre mim sussurrando em meu ouvido. – Apenas feche os olhos e relaxe, deixe que eu cuido do resto. – suas mãos apertaram de leve meu peito enquanto sua língua deslizava por toda a extensão da minha orelha.


 

Fechei os olhos. Senti os lábios cheios da maior beijarem ternamente meu pescoço, meu corpo estremeceu, eu queria mais contato. As mãos da morena passearam por toda a extensão do meu corpo, chegando na minha última peça de roupa Tiffany a retirou. Senti lábios úmidos beijando meu abdômen, sua boca desceu, devagar, senti um chupão forte que me arrancou suspiros de prazer. Sem sinal algum Tiffany lambeu minha intimidade. Gemi com esse contato.


 

– Você está encharcada Taeyeon! – sua voz soou divertida.


 

Segundos após sua frase senti sua língua voltar a trabalhar, me arrancando gemidos arrastados a cada investida. Seu músculo trabalhava rápido dentro de mim. Comecei a rebolar, acompanhando seus movimentos. Eu queria mais contato por que ela não ia mais fundo?. Tiffany parou o que fazia. Senti sua língua me abandonar abafando um resmungo de desgosto.


 

– Por que parou? – abri os olhos, seus dedos pressionaram meus lábios pedindo por silêncio.


 

– Você já vai descobrir.


 

Seu tom superior era provocante. Não pensei que Tiffany fosse ser assim. Eu não queria esperar. Parecendo ler meus pensamentos Tiffany abriu minhas pernas, encaixando-se comigo. Senti sua intimidade roçar de leve na minha. Gemi alto com esse contato insignificante. Desesperada por mais me ajeitei, encaixando-me perfeitamente contra o sexo dela. Tiffany gemeu quando começou a rebolar contra meu ponto. O prazer que sentia nesse momento era quase anestesiante. As mãos da Hwang pressionaram meu ombro com força, ela rebolava mais rápido, arqueei a cabeça com suspiros de prazer tentando acompanhar seu ritmo acelerado.


 

Ela gemia cada vez mais, a pressão de sua mão em meu ombro aumentou, meus gemidos já não conseguiam ser contidos de forma alguma. Rebolei ainda mais contra ela. Nos movíamos freneticamente, em uma busca desesperada por mais contato e prazer. Eu já não aguentava mais, estava em meu ápice. Senti quando a morena gozou quase ao mesmo tempo que eu. Seu corpo caiu exausto por cima do meu. Tiffany respirava com dificuldade. Seu peito subia e descia em um ritmo frenético.


 

Me deitei direito ao seu lado, lutando para estabilizar minha respiração. Somente nesse momento me dei conta de que minhas costas ardiam um pouco onde ela havia arranhado, mas isso não era nem um pouco importante. Ficamos em silêncio até que nossas respirações voltassem ao normal. Eu estava deitada de lado, Tiffany se virou, estava tapada com o lençol, sua cabeça encaixou no meu ombro, onde ela depositou diversos selares delicados.


 

– Vamos repetir isso Taeyeon. – não evitei sorrir, me virei para fitá-la.


 

– Tiffany. – ela me encarou. – Esquecemos a cortina entreaberta. – murmurei no que ela riu escondendo o rosto com o lençol.


 

– Apague a luz então.


 

– Estou muito cansada. – sussurrei como se alguém pudesse nos ouvir, o que eu não duvido que fosse possível, afinal de contas não falamos nem um pouco baixo até agora. – Apaga para mim Fany.


 

Tiffany suspirou cansada mas apagou a luz. Quando voltou para a cama eu já estava aninhada no lençol. A luz do prédio vizinho entrava mansamente pela fresta da cortina, deixando o quarto um pouco azulado. Não conseguia enxergar direito o rosto da morena, mas senti suas mãos me abraçarem por trás. Me deitei de bruços, deixando a Hwang usar minha clavícula para encostar a cabeça.


 

– Amanhã posso ver um musical na Broadway? – murmurei enquanto minha mão pousava em seus cabelos.


 

– Amanhã… – ela sussurrou, mas eu sabia que Tiffany já estava dormindo.


 

Lembro que sorri antes do peso sobre minhas pálpebras se tornar invencível e tudo ficar escuro.


 


 

++++



 


 

Alguém murmurava palavras incompreensíveis rapidamente. Um homem. Agora eu escutava com clareza, um homem falava em inglês, sua voz monótona me fez apostar em uma televisão ligada. Abri parcialmente os olhos. O quarto estava escuro salvo a luz oscilante da televisão. Como suspeitei quem falava ininterruptamente era o âncora de algum jornal. A cama estava vazia. Tiffany já havia levantado, a porta do banheiro estava fechada e julguei que a morena estivesse ali.


 

Virei a cabeça para o lado da parede. Tapei meus ouvidos com o travesseiro e me embolei ainda mais nas cobertas, tentando fugir daquele barulho incômodo. Cochilei brevemente antes de ser acordada mais uma vez. Desta segunda vez porém a voz que me despertou era muito mais suave que a primeira.


 

– Bom dia Taeyeon! – Tiffany disse alegremente.


 

Senti quando o corpo da morena subiu na cama, ainda estava com a cabeça embaixo do travesseiro, mas pude perceber que a Hwang esgueirava-se ao meu lado. Suas mãos pousaram em meu ombro e ela me sacudiu delicadamente.


 

– Vamos Taeyeon! Já está tarde, você tem que acordar! – resmunguei ajeitando as cobertas que ela havia mexido. – Tae Tae! – ela mudou de tática, apelando para sua voz manhosa.


 

Tirei a cabeça de baixo do travesseiro. Seus cabelos compridos estavam úmidos nas pontas, ela usava meu moletom branco e um short curtíssimo, seu cheiro era delicioso, devia ter acabado de sair do banho.


 

– Bom dia dorminhoca! – ela sorriu. – Você tem que levantar, já são onze horas!


 

– Eu dormi tanto assim? – indaguei me sentando na cama usando as cobertas para me tapar, ainda estava sem roupas.


 

– Dormimos. Eu acordei agora a pouco. Ia te chamar mas você estava tão fofa dormindo que deixei para fazer isso depois do banho.


 

Assenti me preparando para abandonar aquela cama, estava tão confortável. Perguntei se não podia passar o dia dormindo, Tiffany respondeu com um olhar de repreensão e inúmeros pedidos para que eu fosse tomar meu banho porque ela estava louca de fome e queria descer para comer. Sentei na cama com as pernas para fora, pegando um casaco que estava na cadeira ao lado da mesma para usar até o banheiro. Enquanto vestia a peça Tiffay exclamou surpresa bem atrás de mim.


 

– Meu Deus Taeyeon suas costas! – ela se aproximou engatinhado pela cama impedindo que eu colocasse o casaco, sua mão encostou de leve em um dos arranhões feitos na noite passada. – Eu fiz isso? – murmurou colocando o rosto sobre o meu ombro.


 

Direcionei um olhar de canto para a Hwang.


 

– Desculpe. – ela abaixou a abeça contra meu pescoço.


 

– Não precisa se desculpar, não doeu. – menti vestindo o casaco, na verdade, não importava se doeu, foi bom, apenas isso tinha importância. – Vou tomar meu banho para podermos ir comer.


 

Tiffany concordou voltando sua atenção para a televisão. Aquele homem ainda falava com a mesma expressão facial. Sinceramente não sei como esses âncoras conseguem. Entrei no banheiro, uma onda de vapor me recepcionou quando abri a porta. Liguei o chuveiro, estava muito quente, como Tiffany não morreu escaldada tomando banho eu ainda não entendo! Regulei a uma temperatura aceitável e finalmente tomei meu merecido banho.


 

Ao sair do chuveiro escorreguei e bati com o joelho no chão. Aquilo doeu muito, e o barulho com certeza foi ouvido no andar de baixo. Gritei um palavrão me levantando. Escutei uma batida na porta.


 

– Está tudo bem? – Tiffany interrogou-me do outro lado. – Eu escutei um barulho!


 

– Eu estou bem!


 

– Tem certeza?


 

– Tenho! Já estou me vestindo.


 

Foi um pouco complicado. Meu joelho doía e já estava ficando roxo. Essa desgraça ficaria me incomodando a semana inteira. Por que eu tenho que ser tão distraída? Suspirei enquanto colocava uma calça. Como ontem estava frio optei por uma blusa de mangas compridas ao invés de uma curta. Quando saí do banheiro Tiffany estava sentada na cama com as pernas cruzadas comendo alguma coisa.


 

– Não acredito que você não me esperou para comer! – exclamei sentando ao seu lado, Tiffany comia despreocupadamente um pacote de amendoins salgados.


 

– Meu estômago não podia esperar para sempre! – Tiffany se defendeu enquanto afastava o pacote das minhas mãos.


 

– Pelo menos me dê uns! – ela rolou os olhos mas estendeu o pacotinho para que eu me servisse, peguei um punhado. – O que está vendo?


 

– O jornal, choveu muito ontem à noite! Alguns voos foram cancelados. – concordei com a cabeça.


 

– Jaewook… – Tiffany me olhou de esguelha.


 

– Quando acordei haviam várias mensagens dele e do Nick!


 

– Quem é Nick? – indaguei pegando mais amendoins, Tiffany riu soprado.


 

– O cara que foi nos buscar no aeroporto. – assenti. – Ele disse que tentou me ligar mas ninguém atendia, vai passar aqui depois do almoço.


 

– Hum.


 

– Jaewook teve seu voo cancelado por causa do mau tempo e embarcou agora de manhã, vai chegar de noite. – suspirei. – O que foi?


 

– Nada, só estou com fome.


 

Tiffany levantou da cama com um gesto enérgico. Sentindo-se algum tipo de personagem de desenho anunciou com gestos exagerados.


 

– Então vamos comer! – balancei a cabeça rindo.


 

– Você não vai sair assim vai? – indaguei levantando.


 

– Por que não? – ela perguntou um pouco confusa. – O que tem de errado?


 

Encarei as marcas espalhadas por toda a extensão das belas pernas daquela mulher, Nick com certeza repararia também. Enquanto me vestia tive a decência de esconder as marcas em meu pescoço com maquiagem. Mas Tiffany aparentemente havia esquecido que suas pernas também estavam marcadas.


 

– Não está um pouco frio para sair de short? – Tiffany abaixou a cabeça fitando suas próprias pernas.


 

– TAEYEON VEJA O QUE VOCÊ FEZ COMIGO!!!! – ela gritou escandalizada. – Vou passar meses sem poder usar shorts! – choramingou sentando na cama desolada com sua descoberta.


 

– Não chore! – evitei rir daquilo, era simplesmente cômico.


 

– Não! Você é a causadora disso! Minhas perninhas, seu monstro! – Tiffany refutou meu toque.


 

– Monstro? – cruzei os braços. – Você não gemeu monstro ontem!


 

Tiffany pigarreou se levantando ruborizada, me lançou um olhar mortífero que denunciou o mau uso da minha frase.


 

– Isso não vem ao caso! – replicou pegando uma calça da sua mala, vestiu-a rapidamente, pegou sua bolsa que estava jogada em cima da sua bagagem. – Vamos?


 

– Estava apenas te esperando. – indiquei a porta do quarto com a cabeça.


 

Descemos até o térreo. Tiffany ligou para Nick. O rapaz disse já estar a caminho. Ficamos esperando em um dos diversos sofás do saguão. Tiffany sacou o celular da bolsa. Espichei o olhar para conseguir enxergar o que ela fazia.


 

– Você está jogando?


 

A morena me encarou acusadora.


 

– O quê foi? Uma atriz de vinte e seis anos não pode ter um passatempo? – ergui as mãos em rendição.


 

Tiffany voltou sua atenção ao jogo. Senhor, como ela era ruim. Simplesmente não conseguiu acertar nada o tempo que permanecemos esperando Nick chegar. E ele demorou! Meu estômago já estava se alimentando dele mesmo quando avistei a cabeça achatada do rapaz.


 

– Hi girls! – ele sorriu, para logo em seguida se inclinar em uma reverência, retribuímos os cumprimento, eu me inclinei e Tiffany disse sorridente.


 

– Good morning Nick! We slept too much, sorry for the delay! We are not late, are we?


 

O rapaz negou com a cabeça.


 

– No. Because Jaewook can’t arrive in this afternoon you have the day free again. – Tiffany concordou. – How did you spend the night?


 

Não entendi a pergunta mas Tiffany corou. Apenas continuei alternando o olhar dela para Nick, com minha melhor cara de paisagem.


 

– Taeyeon liked the beds! – a morena sorriu, espero que isso seja algum tipo de comida., mas para garantir perguntei baixo somente para a Hwang ouvir.


 

– Eu gosto do quê?


 

– Você gostou do quarto Taeyeon-shi? – Nick perguntou em coreano para o meu alívio.


 

– Sim. As camas são muito confortáveis. – escutei Tiffany camuflar toscamente sua risada em uma tosse.


 

– Fico feliz. – ele sorriu. – Tiffany-shi, podemos ir?


 

A Hwang concordou. Na frente do hotel uma van preta nos esperava com o motor ligado. Tiffany e eu nos sentamos atrás. Nick foi na frente com o motorista. Pelo que eu entendi da conversa. Estávamos indo direto para um restaurante, depois de comer seríamos levadas até o Museu Metropolitano de Arte para um passeio. Eu realmente não estava empolgada. Detesto museus. Não acho muito interessante. Por que perder horas caminhando para lá e para cá quando posso acessar toda a informação pela internet sentada na minha cama?


 

Desnecessário esse passeio. Felizmente o restaurante não era tão longe. Construído no segundo andar do que um dia foi uma casa. Um restaurante de comida coreana. Era espaçoso e estava cheio, dois pontos positivos, escutar tanta gente falando minha língua nativa fez eu me sentir quase em casa. Nick nos conduziu até uma mesa mais ao canto que estava com uma placa de reservado. Havia um enorme buffet com diversos tipos de pratos para servir-se à vontade. Achei aquilo maravilhoso, estava querendo me empanturrar até não conseguir comer mais e não depender de porções já designadas por chefes de cozinha.


 

Caminhei saltitante até a comida. Servi de tudo um pouco. Quando me sentei novamente Tiffany encarou meu prato com um misto de desprezo e assombro.


 

– Você vai comer tudo isso?


 

Assenti. Eu não estava brincando quando disse que poderia comer um boi inteiro. Nick comeu pouco, aparentemente ele já havia almoçado e serviu-se apenas de frango frito com molho apimentado. Ele e Tiffany pareceram dar-se super bem, não calaram a boca um segundo sequer, sempre achavam algum assunto em comum para ficar tagarelando. Raramente se comunicavam em coreano. Quando acabei de comer Nick conferiu o relógio com um ar apressado.


 

– Precisamos ir agora. – sentenciou levantando-se.


 

Tiffany e eu o seguimos. Ele pediu que esperássemos na entrada enquanto ele pagava. Ventava um pouco na rua, observei atentamente um senhor com cabelos brancos cerrar as mãos dentro dos bolsos do seu casaco. Estava tão entretida olhando para a rua que não reparei que Tiffany me encarava.


 

– Taeyeon. – voltei-me para ela.


 

– Pronto! Podemos ir! – Nick surgiu entre nós duas. – Já chamei o carro, daqui a pouco Michael estará aqui.


 

Deduzi que Michael era o motorista. Nick olhou para mim fixamente por alguns segundos. Depois comentou algo em inglês com Tiffany. Encarei os dois. A morena sorriu gentil.


 

– Nick perguntou se você trouxe um casaco. – neguei com a cabeça. – Ele está oferecendo o dele para você, lá fora está ventando bastante.


 

Fitei-o, ele parecia constrangido em propor aquilo, porém aceitei sua gentileza. Ele me estendeu o casaco. Era grande, as mangas eram compridas demais, mas era quente. Estava com tanta fome que não havia me dado conta de sentir frio. Agradeci Nick que sorriu em resposta. O carro havia chegado. Desta vez Nick sentou atrás com a gente e veio mais uma vez tagarelando com Tiffany.


 

Passávamos por uma extensa avenida quando os dois se aquietaram e a morena chamou minha atenção.


 

– Você se importa em não irmos no museu para ficarmos com o resto do dia livre Taeyeon? – Tiffany murmurou.


 

– Sério? Ele concordou? – evitei ficar empolgada, Tiffany assentiu. – Não me importo nem um pouco.


 

Após obter sua resposta Tiffany trocou algumas palavras com Nick, que por sua vez ordenou alguma coisa para o motorista. Saímos da avenida. A van rodou por mais bons vinte minutos até pararmos próximos a uma extensa área verde. Nick desceu com a gente, depois de checar algo em seu celular disse com um ar um pouco afetado.


 

– Vou deixar vocês aqui agora, por favor estejam de volta às cinco horas. Se precisarem de qualquer coisa liguem. Aqui tem dinheiro suficiente para o táxi, Tiffany-shi você sabe o endereço do hotel certo?


 

– Obrigada Nick-oppa. – Tiffany sorriu. – Vamos ficar bem.


 

Nick sorriu fraco antes de entrar na van e sumir no caos que era aquele trânsito. Atrás de nós estava o que Tiffany me apresentou orgulhosa como Central Park.


 

– Vamos caminhar? – indaguei um pouco abatida.


 

– Vamos sim! – Tiffany sorriu largamente. – Vamos Taeyeon! – ela me arrastou pelo pulso.


 

Caminhamos bastante. Tiffany queria chegar até a área dos piqueniques e eu queria apenas um banco para sentar. Várias pessoas se exercitavam por ali, alguns ciclistas passavam rápido ao nosso redor. Haviam vendedores e artistas de ruas, senhores de idade sentados de bando nos bancos, um ou outro engraxate, meninos com skates, famílias, cães e seus donos, casais, trabalhadores caminhando apressados e pessoas que apenas passeavam como nós.


 

– Olhe aquele cachorro Tiffany! – exclamei exaltada ao ver o labrador mais lindo do mundo passar na minha frente. – Eu sempre quis um cachorro, mas nunca me deram. – fingi estar extremamente magoada.


 

– Probrezinha da minha Tae! – ela penalizou-se com meu teatro.


 

– Você vai me dar um cãozinho não vai Fany? – usei todo o aegyo que eu tinha para formular a frase.


 

– Só se você for uma boa menina! – Tiffany riu.


 

Caminhamos mais um pouco até passarmos por um carrinho de cachorros quentes, toda a comida que eu havia ingerido já havia sido aproveitada pelo meu organismo e eu implorei para a Hwang me dar um, Tiffany comprou-os sem maiores problemas. Enquanto comíamos procurávamos por um banco livre. Nos aproximávamos do lago, por sorte encontramos um banco. Me sentei desesperada em dar descanso às minhas pernas.


 

– Estou cansada Fany! – disse quando nos sentamos. – Podemos ir para casa?


 

– Mas são três e meia ainda. Podemos caminhar mais.


 

– Não me fale em caminhar. – mordi meu cachorro quente pela metade.


 

– Tudo bem. Depois de terminar de comer nós voltamos para o hotel.


 

Ficamos em silêncio, todo e qualquer tipo de assunto parecia ter se esgotado. Eu havia terminado meu lanche e Tiffany desistiu do dela. Continuamos sentadas observando as pessoas ao nosso redor. De repente a Hwang voltou-se para mim.


 

– Você gostou?


 

– O quê? – que tipo de pergunta era essa? – De ontem?


 

Tiffany corou me dando um tapa de repreensão no ombro.


 

– Claro que não estou falando disso! Sua pervertida! Byuntaeng! – ri do constrangimento exagerado da mais velha.


 

– Byuntaeng? Que apelido horrível e nem é verdade! – cruzei os braços.


 

– A não? – ela duvidou com um tom superior. – Então me diga porque você estava tão interessada naquelas estrangeiras latinas que ficaram na nossa frente da fila do cachorro quente?


 

Eu lutei para não corar mas foi impossível. Tiffany apenas riu vitoriosa.


 

– Viu só você é uma pervertida completa! – suspirei.


 

– Tudo bem, e o que você queria saber se eu gostei?


 

– Da viagem e do nosso primeiro encontro. – ela estava acanhada ao responder, sorri. – Quer dizer…


 

– Tiffany as pessoas geralmente saem antes de transar não é verdade? – questionei de propósito para ver a reação da morena.


 

Levei dois tapas estabanados e nervosos por minha pergunta desnecessária. Tiffany se levantou do banco me xingando de pervertida.


 

– O que você acha que vão pensar se te ouvirem falando assim?


 

– Ninguém entende nada que eu digo Tiffany, só você! – ri no final da frase.


 

– Isso não importa! – ela retrucou. – Bem, vamos voltar para o hotel!


 

Concordei. Teríamos uma longa caminhada até o ponto de táxi mais próximo, o vento ficou mais forte, aparentemente choveria de novo. Caminhávamos lado a lado. Meu casaco tinha bolsos, mas o moletom de Tiffany não. Encostei de leve em sua mão e me espantei com o quão fria estava.


 

– Quer meu casaco? – ofereci.


 

– Não. Estou bem. – ela entrelaçou sua mão com a minha, minha primeira reação foi puxar a mão. – Taeyeon? – Tiffany parou de andar.


 

– Não tem problema andarmos assim? – a morena concordou com um sorriso e um gesto de cabeça.


 

Peguei sua mão. Mesmo a minha sendo menor, ambas se encaixavam. Caminhamos assim até chegarmos ao ponto de táxi. Não havia nenhum então tivemos que esperar. Porém o tempo passava e os táxis não voltavam, quando estávamos quase perdendo as esperanças vimos o carro amarelo se aproximando. Começamos a sinalizar como loucas até que o carro parou. Entramos e Tiffany pediu que o motorista nos levasse de volta ao hotel.


 

Ficamos presas no trânsito, mas no final acabamos chegando dentro do prazo estabelecido por Nick. Subimos para o nosso quarto. Me estirei na cama mal havia tirado os sapatos. 


 

– Cansou? – Tiffany perguntou sentando ao meu lado. 


 

– Estou morta! – a morena acaricio meus cabelos, ela estava pensativa e silenciosa demais. – O que foi?


 

– Não quero voltar. 


 

– Por quê? 


 

– Porque quero poder andar de mãos dadas com você na rua. 


 

Me sentei para fitá-la melhor. Levei minha mão até seu rosto, suas bochechas estavam geladas por causa do vento. Acariciei sua face. 


 

– Você vai poder. – sorri. – Mas precisamos voltar, você sabe disso. 


 

Tiffany fechou os olhos por um segundo. Ela pareceu tomar fôlego, quando os abriu novamente eles estavam levemente marejados. Por que ela estava assim de repente? 


 

– Taeyeon eu


 

Escutamos a baterem na porta. Hesitei por um segundo, antes de levantar e abrir a porta. Nick sorriu nervoso.


 

– Olá Taeyeon-shi! Por favor, vou pedir que desçam comigo até o restaurante do hotel. Jaewook espera vocês lá.


 

– Claro, só um minuto.


 

Ele concordou com um gesto de cabeça. Me virei e Tiffany já estava atrás de mim. Descemos em silêncio. Nick nos conduziu pelo saguão até uma enorme porta de madeira ricamente decorada com rococós dourados, ainda não havíamos ido para lá. O restaurante estava parcialmente vazio. Localizei Jaewook sentado sozinho em uma mesa para seis. Ao nos ter em seu campo de visão ele se levantou. Caminhamos até sua mesa, chegando lá Nick disse que iria esperar no saguão, acompanhei com os olhos o rapaz até que ele foi engolido pela enorme porta, voltei meus olhos para o homem alto na minha frente.


 

– Olá meninas. – o moreno sorriu de canto. – Como passaram sem mim?


 

Tive vontade de responder inúmeras coisas, mas apenas me contentei em lançar um olhar cúmplice para Tiffany. A morena disse calmamente acompanhando sua frase com um terno sorriso.


 

– Bem. Muito bem, na verdade.

 


Notas Finais


ENTÃO FOI ISSO PESSOINHAS DO MY HEART <3 <3

ALELUIA JESUS CRISTO SAIU O ORANGE TAENY NEM EU TÔ ACREDITANDO xD

Espero que tenham gostado desse capítulo, não teve nada de yulsic pq eu quis focar mesmo no taeny <3 Mas no próximo teremos sim Jessica e Yurão marcando presença. :)

Tenho um pequeno aviso meus lindos e lindas: Vou postar outra fanfic hoje mesmo, estou muito feliz por isso, mas como eu disse antes meu tempo está pouco e com as duas vai ser mais difícil manter um ritmo para atualizar então eu peço a paciência e a compreensão de vcs, em breve eu entro em férias e toda essa correria acaba! xD

Bjs mores e até o próximo capítulo <3 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...